Um jogão de boas vindas para 2019

Dentil/Praia Clube 2x3 Minas Tênis Clube
Foto: Divulgação/Praia Clube

Nada mal começar 2019 com uma partida que reuniu os únicos invictos até então da Superliga e que formam uma das mais fortes rivalidades atuais.

Em Praia X Minas estiveram em quadra quase todos os componentes de uma grande partida. Faltou uma maior regularidade e menos erros por parte das duas equipes, mas o equilíbrio, a combatividade e a imprevisibilidade marcaram presença e deram um charme especial ao pontapé inicial da SL em 2019.

O Minas saiu vencedor do confronto mesmo com o importante desfalque da Natália. Um dos pontos fracos do bom time de Belo Horizonte é justamente as opções do banco. Sem contar que a Natália vinha sendo uma das saídas de segurança do equilibrado ataque mineiro. Sem ela, Gabi teve o trabalho dobrado na recepção e no ataque, já que a substituta da Nati, Lana, teve dificuldades nos dois fundamentos.

E Gabi segurou bem a sobrecarga, sendo, a meu ver, o esteio do time nesta partida, principalmente por sua regularidade num jogo em que tanto Minas quanto Praia, no conjunto e nas individualidades, oscilaram bastante. 

Juntamente com a Gattaz, Gabi foi uma constante mais segura para a Macris do que Garay e Fawcett para o Praia. A Bruna foi menos regular, mas teve boas e decisivas participações. No caso do time de Uberlândia, Garay brilhou no final do quarto set a ponto de ser a responsável pela disputa ter chegado ao quinto set. Mas ela segurou, ao final da partida, quase que sozinha a bronca do ataque.

O Praia, tanto no primeiro como no quinto sets, pecou no desperdício de bolas e na falta de cuidado nos pontos finais. Recuperou-se no placar quando perdia por uma vantagem significativa, com um trabalho de bastante persistência e entrega na defesa e contra-ataques, mas não conseguiu manter o embalo e a qualidade até a definição dos sets.

Foi um detalhe que, num jogo tão equilibrado, fez a diferença. Fez falta ao Praia ter, além de uma recepção mais segura, uma oposta mais ativa ou outra ponteira para fazer companhia a bem marcada Garay - até porque, no momento decisivo, o time não pode contar com as suas centrais com a mesma segurança que a Macris conta com a Gattaz, por exemplo. 


Depois de duas partidas importantes (Sesc e Praia), acho que cabe ao Minas fazer uma avaliação sobre a dificuldade em manter as vantagens que constrói nos sets, problema que aconteceu nestes dois últimos jogos. Claro que há o trabalho do adversário que não pode ser desvalorizado nestes dois casos, mas o próprio Minas tem responsabilidade nos erros bobos de saque e de recepção que dão brecha para o rival recuperar-se.

Comentários

Kaike Lemos disse…
A Natália não ser titular nesse jogo foi visando a Copa Brasil, o Lavarini vai dando ritmo pra Lana e poupando a Nati.

Foi um jogo estranho, no Minas era INDECISÃO no passe de contra ataque e a Mayani entrando na frente da Macris pra levantar! Do lado do Praia, o sr Paulo Coco confirma que é um asno e deixa Rosamaria no banco no Tie Break, Garay leva time nas costas e Fawcett como o ESPERADO antes da partida FLOPOU! Praia não teve sorte alguma, Fran lesionou e sobrou pra 4° CENTRAL ... E Fabiana terá de voltar não recuperada, pq já estamos praticamente no fim do 1° turno, quase chegando na época da Copa Brasil, e jogar a responsabilidade na mão de uma menina recém promovida da base, é pedir pra perder!

Carol Gattaz e Macris? Alguém vai parar elas? Faltou a Bruna chamar o jogo pra ela, mas foi decisiva no saque e no bloqueio!

Mayani e Mara, Lavarini fez bem em fazer essa disputa! Mayani brilhou no começo do jogo bloqueando muito mas aí ela teve umas oscilações e a Mara entrou e ajudou o time ...

Osasco anunciou a Karine Guerra, pra mim não vai mudar muita coisa ... A Hooker tá muito ruim e a Leyva é TOQUEIRA nata! Rio tem a volta de Drussylla e vamos ver no que vai dar ...

Lavarini dando banho no Paulo Coco, parando nos momentos certos e pedindo atenção da equipe, Hylmer e ZRG serão os próximos.
Anônimo disse…
Não vi uma vitória maiúscula do Minas, mais sim suada, com muitos erros de ambas as partes. Perdem quem foi menos decisivo, acho que já passou da hora do Paulo entender que o entrosamento vc a Lloyd vai demorar muito a chegar, e colocar Ananda pra jogar e criar uma disputa por posição e forçar a melhora. Assim como a Fawcett que faz uma partida extraordinária e outras sem nenhum brilho. Pelo andar da carruagem se não houver uma melhora do praia o Minas será o campeão dessa Superliga. E é bonito de ver somente jogadoras brasileiras num projeto tão italiano como o Lavarini. O cara veio como o técnico do cruzeiro, trilhando seu caminho para comandar a seleção brasileira. E torço mto por isso, a era JRG já acabou.
Sergio Santos disse…

Alguém sabe porque o blogueiro mau caráter, ex-jornalista, resolveu pegar no pé da Michelle. Ela ajudou a virar o quarto set, mas como errou duas bolas no quinto ele a colocou como responsável pela derrota. A vítima anterior era a Amanda. Uma pena alguém carregar tanto ódio assim no mundo do vôlei.
Mantronix Inc disse…
Acredito q se o Lavarine adaptasse a Malu de ponteira no lugar da Lana, obteria melhores resultados, principalmente no ataque.
Anônimo disse…
Alguém sabe para onde foi a Laiza oposta reserva do Minas na última superliga?
Anônimo disse…
A laiza ta no time de Balneário
Anônimo disse…
Essa Laiza tinha futuro.
Sérgio Santos disse…

Você não deveria ter censurado meu comentário sobre a perseguição à jogadoras de vôlei por um blogueiro anti ético. Precisamos defender jogadores e jogadoras contra este tipo de gente.
Fernando disse…
Falta ao Praia um melhor padrão de levantamentos. Assisti ao jogo no ginásio e os levantamentos estavam imprecisos, fazendo com que as ponteiras tivessem que se desdobrar para atacar. Nem culpo apenas a levantadora, pois é difícil manter um padrão sem um passe equilibrado. Durante a partida, achei que o Paulo Coco deveria ter substituído a Lloyd. Mas depois, analisando a partida, achei que ele agiu certo em mantê-la. Nenhuma jogadora consegue manter um padrão de jogo se no primeiro erro já é substituída, vide Luizomar no Osasco. Se a Fabiana ainda for demorar a voltar, tenho a impressão de que o Paulinho vai testar a Paula Borgo como central.
O Minas sentiu o peso de não ter banco. E isso pode pesar no decorrer do campeonato. Nesse momento, é o time que está jogando o melhor voleibol. Macris é a grande responsável por isso. O bom momento da Gattaz passa muito pelas mãos da Macris.
Laura disse…
Sérgio, não censurei nada, não tinha recebido a notificação do comentário. Agora já está publicado.
Anônimo disse…
Gente, vocês ainda dão bolas para o que o Voloch escreve? Ele fala o que quer sem nenhuma ética nem critério. Parece que quer sempre causar.

Eu não gosto da maioria das coisas que ele escreve, mas defendo o trabalho que faz quando revela bastidores e nos traz informações que não vemos em nenhum outro veículo. Os demais jornalista da área são puxa sacos dos técnicos e jogadoras e nunca fazem críticas ruins, só rasgação de seda. Aí também não dá.

Não gosto do Voloch, mas ele é super importante para o vôlei, mesmo sendo super parcial.

Alguém reparou que ele não chamou o Brasília de penetra quando noticiou o câncer de próstata do Hairton Cabral?
Unknown disse…
Sobre o que Voloch falou da Michelle ele foi bem sensato, não tem como ela ser titular, a função dela no time é entrar quando a Rosa não tiver bem, pra ajudar no passe, chegou na rede, já pode voltar pro banco.
Alysson Barros disse…
Reparei também que o blogueiro não chamou o Brasília de penetra. Talvez ele não seja tão psicopata assim. Mas bipolar ele é: num dia escreve uma coisa é segue uma linha e, no mês que vem, dá uma guinada de 180•.

Ele não metia o pau na Rosamaria antes? Me corrijam se eu estiver errado...

Ele é um péssimo escritor, na época do UOL cometia erros crassos de ortografia e concordância. Até hoje ele não sabe empregar “sic”. Por isso o chamo de blogueiro e não jornalista. Ele é semi-alfabetizado, tem um nível baixíssimo de tudo, inclusive de ética. Mas... É isso o que o povão quer: polêmica.