Rodada de recuperação para Barueri

Hinode Barueri 3x0 Sesc-RJ
Superliga feminina 18/19
Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press
O confronto entre Barueri e Sesc tinha mais do que o atrativo de ser o duelo entre Zé Roberto e Bernardinho. As duas equipes vinham de derrotas: o Barueri para Osasco (naquela partida disputada em duas partes por causa da interrupção pela chuva); e o Sesc para o Fluminense. Antes disso, o Sesc já havia sofrido para vencer o Pinheiros e o Barueri, o Camboriú. Ou seja, as duas equipes, além de resultados, buscavam no confronto direto uma recuperação também de desempenho.

E quem saiu vencedor nas duas esferas (resultado e desempenho) foi o Barueri. E com folga. Dos jogos que assisti do time do Zé Roberto nesta temporada, incluindo o Paulista, deve ter sido a primeira vez em que vi a linha de passe funcionar tão bem. Amanda, que até o momento fazia uma SL muito fraca na recepção e no ataque, esteve bem segura na composição do passe com a Maira.

Com o passe adequado, a Dani Lins conseguiu fazer uma distribuição mais equilibrada e menos dependente da Skowronska – apesar de a oposta continuar como referência e melhor atacante do time.

É bem verdade que o Sesc colaborou bastante para que o Barueri trabalhasse menos pressionado. Errou saques demais no primeiro set, o que tirou a agressividade no fundamento da equipe nos sets seguintes. Mas não se pode negar que o Barueri fez uma boa partida tanto na segurança como na qualidade em toda a construção do seu ataque. E isso fez muita diferença contra um Sesc bastante atrapalhado na sua linha de passe.

Desde o início da SL a equipe carioca tem sofrido com a recepção. A composição com a Kasiely, que, teoricamente, seria a mais adequada para amenizar os problemas do passe, não deu bons resultados. Bernardinho optou, então, por uma composição mais arriscada e agressiva, com Peña e Kosheleva como ponteiras e a Monique assumindo o passe. A formação, obviamente, não consertou o problema, somente tentou compensar os prejuízos colocando maior força ofensiva.

A engendração poderia até ter funcionado e resistido mais, mas não foi o que aconteceu. Mesmo enfrentando equipes que sofrem do mesmo mal, Flu e Barueri, o barco do Sesc virou.

Por mais que o comentarista do SporTV fale que o time carioca está descaracterizado por conta dos desfalques da Drussyla e da Bia, a verdade é que a volta delas pouco mudaria o cenário. Drussyla poderia dar mais volume de jogo, mas não daria grande segurança ao passe. Não é questão de fase. O Sesc desta temporada será assim, muito menos técnico e de mais força física.

Claro que as opções do Bernardinho poderiam amenizar alguns dos problemas. Escolher a Gabiru como líbero nesta situação não ajuda em nada. É até estranho que um treinador que sempre impulsionou carreira de jovens atletas, colocando-as na fogueira, não tenha apostado na Vitória para ser a líbero titular. Será que não confia nela?

De qualquer forma, acho que o Sesc vai passar esta SL aos trancos e barrancos. Por vezes vai funcionar a forma mais agressiva de jogar, por vezes a falta de qualidade da recepção vai afundar o time, como aconteceu esta noite com o Barueri. 

****************************************

Sesi Bauru 3x0 BRB/Brasília  


O Sesi tem aproveitado a sequência de jogos mais “fáceis” para se recuperar na competição. Coloco as aspas porque os times da rabeira da tabela estão dando trabalho para todas as equipes, como é o caso do Curitiba e do próprio Brasília.

O Brasília complicou a vida do Sesi no primeiro set com um bom saque e marcação sobre as atacantes paulistas. Mas não conseguiu sustentar a mesma qualidade no saque nem a regularidade na recepção nos sets seguintes.

Enquanto isso, o Sesi cresceu. Tiffany apareceu melhor no ataque e dividiu a responsabilidade da bola de segurança com a Diouf. Neste jogo, deu muito certo a composição da Tiffany no lugar da Palacio. O time ganhou em ataque e, o mais importante, não perdeu em qualidade no passe. A Tiffany esteve bem melhor no fundamento do que a Vanessa, que não tem tido bons desempenhos na recepção na SL até o momento.

E vale destacar novamente uma boa atuação da Fabíola. Voltou a trabalhar com precisão nos contra-ataques e a ousar com suas centrais. 

****************************************

Demais resultados da  7ª rodada do primeiro turno

Pinheiros 1 x 3 Curitiba

São Caetano 3 x 1 Balneário Camboriu

- Que bela campanha tem feito o Curitiba. A surpresa da temporada, sem dúvida.

Comentários

Mantronix Inc disse…
Nossa q zebra o Sesc-Rio perdendo pro mediano Barueri. É vero q a campanha do Rio ta sendo sofrida, e esse resultado assim como a derrota p/ Fluminense revela uma deficiência técnica q Bernardinho precisar encontrar uma fórmula mágica p/ consertar. Passe/defesa. Não sei como ele vai tirar esse coelho da cartola. Mas nunca duvidem do Bernardinho.
NicollasM disse…
Eu fico decepcionado vendo o time do Rio jogar desse jeito. Não digo pela derrota em si, mas pelo péssimo jogo que fez. Gabiru não dá! Não gosto de falar mal das atletas, mas ela não tem talento pra jogar de Líbero. Que passe horrível!!!! Peña até agora tem feito bons jogos, mas não gosto do estilo, se pegar marcação, vai parar no bloqueio toda hora, pq quer ficar batendo pra baixo!! Kosheleva... então, sempre gostei Mt dela, pq acho que resolvia os problemas da recepção com um bom ataque, pegando a bola num alcance incrível e batendo por cima do bloqueio, só que ela ainda tá mt sem ritmo. Isso sem falar nas bolas sem padrão nenhum da Roberta. E gente; que temporada é essa da Roberta?! HORRÍVEL! Não acerta nem com a a Jucy, que já joga com ela desde 2011. Em relação às centrais, acho que poderiam receber mais bolas: Mayara não é exímia atacante, mas também não é ruim e Jucy é a central, junto com a Gattaz, mais efetiva do Brasil no ataque. Não dá pra abrir mão dela de jeito nenhum!!!! E a Monique, tadinha, fico com pena, pq ela é regular, defende Mt bem, saca e ataca bem também, mas tá se sacrificando demais no passe!!!! É a primeira equipe que eu vejo que a oposta é a melhor passadora entre as titulares.
Bernardo é tão bom técnico, tão exigente, pq não coloca logo a vitória no lugar da Gabiru? E pq não EXIGE que as passagens da Jucy na rede, tem que ser bola pra ela o tempo todo?
Venturinni que por tantas vezes desistiu da aposentadoria, poderia voltar pro Rio, né (Só sonhando)? Pq ela sem saltar, levantando para todos os cantos com uma das mãos, é melhor que a Roberta!!!!
Kamila Azevedo disse…
Confesso que fiquei surpresa com o resultado entre Barueri e Sesc. Esperava um jogo mais disputado, mas concordo com alguns comentários. O time do SESC tem sofrido nesta temporada. Algumas de suas jogadoras não estão bem tecnicamente, como Roberta e Gabiru, e o time tem sofrido com questões físicas (Drussyla e Bia). Imaginei que Bernardinho iria trabalhar o passe de Kosheleva (que nunca foi seu ponto forte), mas estou vendo que ele prefere trabalhar sacrificando a Monique... Um outro ponto que me chama a atenção no Bernardo: assim como Zé Teimoso, ele aciona muito pouco o banco de reservas, Carol Leite só entra pra sacar, testar a Vitória ele não testa... Acho que chegou o momento do Bernardinho mexer no time, tirar algumas jogadoras da sua zona de conforto.

O Curitiba tem sido uma grande surpresa mesmo. Uma outra coisa que me tem chamado a atenção é a oscilação do Pinheiros. Imaginei que o time fosse ter um desempenho muito melhor do que tem tido, até mesmo pelas peças que possui. Não sei se isso é um reflexo do trabalho de Sérgio Negrão à frente do time, mas o Pinheiros poderia muito mais do que está rendendo na atual Superliga.
Alysson Barros disse…
Que lindo ver o Rio perder dois jogos seguidos sem pontuar. Acredito que mais virão.
Márcio Oliveira disse…
Bom dia Laura e demais colegas desse espaço, realmente esse ano a coisa será muito complicada para o Sesc/Rio na Superliga, o time é até bom se for analisar as jogadores individualmente, mas o conjunto está deixando a desejar, a linha de passe da equipe é muito ruim, a começar pela líbero. Com a volta de Drussyla e Bia, nada muda na recepção,mas o time pode ganhar maior consistência e quem sabe embalar durante a competição. Quanto ao Hinode, que ótima assistir Thaysa voltar a jogar bem e ser a maior pontuadora do jogo. Mas, acho de modo geral esse time do José Roberto Guimarães bem fraco para mediano, até me surpreende esse inicio do time, pensei que fosse estar brigando para se manter entre as 8 primeiras na competição. Enfim, ainda teremos algumas surpresas boas e desagradáveis nesse campeonato longo, aguardemos! Abraços a todos.
Anônimo disse…
São raras as exceções que um time com duas passadoras da certo. O que a Monique vem fazendo é surreal! Uma coisa é ser deslocada para a linha de passe e jogar com alguem te cobrindo a exemplo da Tandara em Osasco e Nati quando mudou de posição, mas ela ta cobrindo a quadra toda! Ta recepcionando mais e melhor que a líbero...
Anônimo disse…
Sempre falei e digo de novo. O time do Rio nunca e continua não contribuindo NADA para o futuro da Seleção Brasileira! Ou o torcedor acha que KOCHELENTA e MARIA DA PENHA vão se naturalizar brasileira? Se tocam? Vamos agradecer de termos MAYHANY, SARAH E TAINARA DO HINODE, e tantas outras novatas! A hora é agora de pensarmos no futuro da seleção
Anônimo disse…
Como assim o Rio perdeu de novo??? Não são as imbatíveis?? Não é o Bernardo que NUNCA perde para times medianos como o Barueri e Fluminense?? Que são comandados por técnicos ultrapassados e teimosos?? Não estou entendendo!!!! Talvez seja uma estratégia do Bernardo, entregar o jogo para os medianos e depois detonar o atual campeão Praia, o vice campeão mundial Minas e seu grande rival que eles sempre ganham o Osasco. Vamos aguardar a próxima rodada, como foi falado em algum comentário acima, NUNCA duvide do Mestre Bernardo!!!!!!!!
Rodolpho Francis disse…
Discordo de um comentário que disse que a Roberta esquece das centrais. Ela recebe um passe no meio da quadra e vocês ainda querem que ela faça uma china com a Jucy. Só rindo mesmo. Também discordo de um anônimo que diz que o time do Rio não contribui para o futuro da seleção... É uma das cláusulas do contrato que os times assinam? Fabi, Gabi, Drussyla, Jaque, Erika e tantas outras passaram pelo rio e se tornaram grandes jogadoras. O Objetivo principal é vencer o campeonato se é com estrangeiras ou não, não importa.
Concordo com a Laura quando diz que o Bernardo tem a característica de colocar suas atletas na "fogueira" mas tá demorando muito pra fazer isso.
Anônimo disse…
O Rio esse ano não tem seu maior trunfo que é o volume, já que perdeu, aos poucos, Fofão, Fabi, Gabi... Quanto a não colaborar pra seleção, também não concordo. No masculino, o Cruzeiro tinha Uriarte, Leal e Simon (tudo bem que um é naturalizado, mas no fundo são 3 estrangeiros titulares) e ninguém questionava. O mais interessante dessa superliga vão ser os cruzamentos. Podemos ter favoritos duelando bem precocemente, pelo andar da coisa... Já pensou Sesc e Osasco em quartas de final, por exemplo? É possível (e quem diria, uns anos atrás). Ainda torço para Minas e Praia, com Fluminense em terceiro.
Anônimo disse…
O Bernardinho, estrategista como é, não vai ver seu time naufragar sem fazer nada e deve tirar uma carta da manga, uma contratação talvez, para o segundo turno. Não me surpreenderia se Jaqueline aparecesse por lá. Consertaria tudo.

Outra opção seria a Gabiru voltar para a ponta e a Vitória assumir como líbero. Assim a Peña e a Kosheleva revezavam como segunda ponteira. As duas juntas dão muito prejuízo.

Agora o desempenho da Roberta poderia amenizar as coisas, mas ela té terrível. É o pior toque entre as levantadoras.

De forma geral, eu não gostei desse jogo. Achei o nível bem baixo e o jogo chato. Tomei tanto ranço do Zé Picolé que me dá um desprezo de olhar para ele e seu time, apesar das atletas.
Anônimo disse…
Ei anônimo! Estamos falando de volei feminino!! Se é para falar do masculino, o Cruzeiro também era outro que pouco colaborou com a Seleção Brasileira Masculina! Aceita que dói menos! Rio não colabora messssmo! Ou acha que a JACOBERTA será a salvadora da lavoura?
Anônimo disse…
Cláusula ou não, time que não colabora para o futuro da Seleção tem a minha torcida contra e sempre terá!
Anônimo disse…
Imagina o rio de janeiro no mundial? Levaria uma surra dos times turcos! Time sem passe não vai a lugar algum! Está temporada o time está totalmente diferente dos times anteriores do Rio! O Bernardo vai passar muita raiva com esse time ainda!
Evandro Mallon disse…
Eu creio que o Bernardo , nesse primeiro turno, está estudando as coisas. No ano que Brankija estava no Brasil, se classificaram em quarto e pegaram o Volei Amil nas semis e foi duas vitorias a zero. E sendo que na classificação perderam os dois jogos. Terminaram campeão da superliga.
Anônimo disse…
Eu também penso que ele está observando. O Voloch confirmou minha previsão e o Bernardo procurou Jaqueline. Ela cairia como uma luva no time. O pior é que tá difícil contratar ponteiras que saibam passar. Poderia apelar para as italianas, Lucia, Caterina, Pietrini, ou alguma oriental do Japão ou Tailândia. Todas passam bem.
Eu disse…
Laura, como sempre ótima análise. O Papo de Vôlei sempre foi e é um espaço de alto nível para discutirmos o esporte, por isso estou escrevendo esse comentário: cuidado com esses apelidos que ofendem as jogadores com apelidos pejorativos, eles costumavam ser público de outros blogs, e migraram para o seu pq a moderação de outros lugares os baniram. Não deixe um espaço tão legal quanto o seu se tornar a baixaria que era o blog do Voloch ou o Melhor do Vôlei antes da moderação seletiva deles. Os comentários desses leitores é sempre para criticar e cheio de ofensas pessoais, com o único intuito de denegrir a reputação das jogadoras e técnicos.