Osasco e Sesc renascem nas quartas

Foto: João Pires/Fotojump
Osasco-Audax 3x2 Hinode Barueri  

Confesso que depois do 25x5 do primeiro set, pensei que o Osasco estaria morto e enterrado na Superliga. O time da casa parecia estar num daqueles dias em que as coisas mais básicas teimam em não funcionar. 

Mas para a minha surpresa (e de todos) o Osasco conseguiu uma reação incrível e virou para cima do Barueri, numa vitória que é para recuperar o orgulho e a tradição do clube tão mal tratados nas últimas temporadas.

A reação tem muito a ver com duas jogadoras: Paula e Hooker. A primeira entrou no lugar da Leyva no segundo set e ajudou a estabilizar o passe. O sistema ofensivo do Osasco começou a fluir, sem tantos percalços e erros pelo caminho.

A norte-americana, por sua vez, fez o que sempre se esperou dela. Continuo achando que não há o melhor entrosamento entre ela e a Claudinha, que a oposta deveria receber bolas um pouco mais empinadas, mas que isso não justifica o papel pouco decisivo que ela vinha tendo na equipe nesta temporada. E a Hooker apareceu justamente quando o time mais precisou. Carregou o ataque nos momentos mais delicados e foi uma opção segura, trabalhando os ataques quando as bolas não estavam nas melhores condições.

Por outro lado, o ataque do Barueri perdeu muito poder de decisão ao longo dos sets, até por conta da queda de rendimento do seu passe. O Osasco cresceu no bloqueio e anulou a Skowronska que teve somente na Thaisa uma companhia para dividir a responsabilidade do ataque. Tainara, desta vez, sentiu um pouco a pressão no passe e no ataque, apesar de, em alguns momentos, ter novamente mostrada bastante personalidade e coragem.

Acho que esta disputa está totalmente em aberto. Se o Osasco não fosse o Osasco, eu diria que a vitória nesta segunda rodada poderia ser um “turning point” na temporada, aquele jogo que faz o time engrenar e ser difícil de segurá-lo, ou mesmo dar um reforço moral importante para a terceira partida. Mas tenho minhas dúvidas se o Osasco saberá aproveitar esta vitória a seu favor na partida final. É mais provável que tenhamos outro jogo equilibrado, sem favoritos.  

Sesc-RJ 3x0 Sesi Bauru

Eu não esperava que o Bauru repetisse a atuação da primeira partida – aquilo foi um ponto fora da curva na temporada. Mas também não esperava que baixasse tanto a qualidade do seu jogo como aconteceu neste segundo confronto. Esteve abaixo até da média (que não é lá grande coisa) das suas atuações na SL.


Jogou contra o Bauru, também, a fome de bola com que entraram as jogadoras do Rio. E soltas. Parecia que elas é que tinham o resultado a favor. Tanto que, mesmo jogando sem um passe estável até o segundo set (Gabiru teve mau desempenho no fundamento) e com as bolas quadradas da Roberta a virada de bola e os contra-ataques fluíram com tranquilidade.

É o que disse no post anterior: o Sesc gosta e cresce nestes momentos de pressão. E tem jogadoras com o mesmo perfil: Drussyla, Kosheleva, Jucy. O que não aconteceu no Bauru... Diouf, por exemplo, não é jogadora de decisão. O Anderson, aliás, poderia ter substituído-a bem antes do terceiro set em busca de sangue novo em quadra.

Não sei se faria a diferença porque Bauru ficou totalmente encurralado pelo Sesc. Como era de se esperar, não conseguiu repetir a boa atuação na recepção do primeiro jogo e, com isso, a defesa e o bloqueio cariocas engoliram as paulistas. Mas era uma tentativa de, de repente, mexer com a leitura da defesa do Rio.

Sei que o Sesc também não faz uma temporada regular e passa de uma excelente atuação, como foi contra o Praia, para uma ruim (como contra o Sesi) de um jogo para outro. Mas, ainda assim, é mais confiável do que o Bauru que, para mim, terá que ter outro ponto fora da curva no seu desempenho para chegar à semifinal. 


*************************************


Itambé/Minas 3x1 Curitiba Vôlei

Fluminense 0 x 3Dentil/Praia Clube 


 
Novamente o Curitiba foi um adversário chato para o Minas e conseguiu até vencer um set. Em quase todas as partidas o Minas sofre uma pane no passe que, a depender da duração, acaba resultando em derrota do set. E o Curitiba, com na primeira partida, soube fazer uso muito bem do seu saque para aproveitar as poucas brechas que o time mineiro dá. Na sua primeira participação na SL, saiu por cima, superando equipes tradicionais como Pinheiros e Sanca.

Aliás, com menos, o Curitiba fez mais nestas quartas do que o Fluminense, que se despede da SL sem deixar saudades. Com reforços interessantes para temporada, o tricolor carioca não conseguiu sequer ser um adversário forte entre os seus iguais. Passou batido por esta edição do campeonato, ao contrário das outras em que, apesar de sair na mesma fase, mostrava luta e vontade. Com todo respeito à equipe, nesta segunda partida de quartas parecia que estava todo mundo torcendo para acabar logo o jogo e partir pras férias tamanha a falta de atitude em quadra.

Comentários

Camilla Paiva disse…
Olá Laura, que bom que você voltou :) Adorei a reação do Osasco, muito embora estivesse torcendo para a eliminação do time por uma questão de desejar que os semifinalistas variassem mais, ou seja, não tivessem sempre Osasco ou rio entre eles. A Paula pequeno fez um Excelente jogo, assim como a Hooker que finalmente acordou. Do lado do Barueri tem dado gosto ver como a Thaisa evoluiu, mas o time precisa de outras bolas de confiança além dela e da Skowronska, pois quando eles ficaram bem marcadas o time passa a ter uma dificuldade terrível pra definir. A Amanda hoje estava só a misericórdia, pra variar, e a outra ponteira tambem errou demais. Em relação ao jogo do Sesc x Sesi/bauru, só tive paciência pra ver dois sets. O Sesc nem precisou se esforçar muito pra vencer aquele time apático e perdido do bauru, que não foi nem a sombra do time que jogou o primeiro jogo. Fico impressionada como a diouf parece "pesada" e lenta, só tem tamanho. Apesar do adversário ser o rio, que tem a camisa pesada e que gosta de momentos de decisão, é perceptível que o time realmente não é mais aquele mesmo que dava gosto de ver jogar, redondinho. Além da linha de passe sofrível (antes tinham fragilidades, mas agora elas são maiores) a Roberta tem feito a sua pior temporada até o momento.
Kamila Azevedo disse…
Vou comentar somente aquele que considerei o melhor jogo da segunda rodada das quartas-de-final da Superliga: Osasco e Barueri. Quando vi o resultado do primeiro set, também achei que o Osasco estivesse morto e enterrado. Nos dois primeiros sets, a Hooker teve um desempenho muito abaixo da média, não conseguindo colocar no chão as bolas, o que é péssimo para quem deve ser a jogadora que resolve as bolas mais complicadas.

Mas, a partir do terceiro set, a Hooker chamou a responsabilidade pra si e correspondeu às expectativas. Concordo que ela e a Paula Pequeno foram as responsáveis, ao lado da torcida de Osasco (que gritou até o fim), pela virada do time.

Se Zé Teimoso saiu felizão da primeira partida, ontem ele estava com a cara de frustração pelo que o Barueri permitiu: a virada de Osasco.

Sobre o time de Barueri: a Thaísa fez um grande jogo e deveria ter sido mais acionada pela Dani Lins, especialmente no tie break. Dani, na minha opinião, errou ao insistir tanto em bolas para a Tai (que estava muito bem marcada pelo bloqueio de Osasco) e Amanda.

Comentando os outros jogos, agora:
- O Curitiba fez uma excelente primeira temporada na Superliga. Time aguerrido e que vende caro as derrotas;
- O Fluminense foi uma grande decepção, concordo. E acho que o problema está no técnico. Nunca vi o Hylmer Dias dar esporro nessas jogadoras, cobrar um pouco mais;
- Minas, mesmo nos maus momentos, continua um patamar acima dos demais times dessa Superliga;
- O Praia Clube depende muito do momento das suas jogadoras, não é o mesmo time da temporada passada;
- O SESC não deve chegar na final. As contratações foram ruins e Bernardinho sozinho não faz milagre;
- O Bauru foi uma decepção ontem. O time simplesmente não apareceu pra jogar, as jogadoras estavam péssimas e tudo deu errado. Anderson tem que melhorar muito, se quiser dar trabalho numa possível semifinal.
Paulo Roberto disse…
Comentários incisivos mais uma vez Laura.

Não me lembro de ter visto uma virada tão categórica quanto esta do Osasco. Perder um set por 25 x 5 e literalmente ressuscitar em quadra foi incrível! Mas considero que o confronto está aberto ainda, justamente pelos motivos que você falou. Contudo, seja quem passar aqui, acho que será muito difícil derrotar o Minas na semi.

O Buaru, faltou a regularidade (como sempre) que falamos no post passado. Ontem tudo deu errado: o passe, o ataque, bloqueio, postura em quadra, o Anderson (mais uma vez). Sobre o Anderson, cabe um adendo, até a temporada passada, pensava que ele estaria seguindo os passos pra se tornar uma nova versão (guardadas as devidas proporções) do Bernadinho, mas hoje tenho a impressão que ele está se tornando uma novo Luizomar, com a diferença que nos tempos técnicos se sai um pouco melhor. Enfim, como disse anteriormente também, essa irregularidade do Sesi é reflexo de um elenco mal montado. Acho difícil passarem pra semi. E seria bom já começar a pensar na próxima temporada: manter a Fabíola, trazer uma ponteira que segura o passe, uma oposta que consiga fazer a diferença e centrais mais efetivas, e quem sabe até trocar o comando técnico também.
Alysson Barros disse…
25-05! Hahahahahaha!

Mais um micão pra lista dessa time. Não completou nem uma rotação inteira de saque! Uma pena que o Zé Ruela tenha tomado uma virada. Mais uma na lista dele também. Tem gente que gosta de um padrão de kicks e viradas, né? E a gente aqui do lado de fora só se diverte. Essa série segue em aberto ao meu ver. Mas é bom ver Thaísa jogando dessa forma de novo. Pra mim a Skow caiu muito de rendimento. Esse foi o motivo da derrota. E também a inação do técnico que só gosta de observar da beirada o barco naufragar sent fazer nada. Já vimos esse filme antes e veremos novamente.

Quanto ao outro jogo, nada de surpreendente. Parecia um time de amadoras o Sesi. Não vi o primeiro jogo porque imaginei que o massacre desse iria acontecer. Bateu uma esperançazinha do Rio ser eliminado ontem, mas... Não dá quando a incompetência te assombra por todos os lados. Técnico, Diouf, ponteiras, levantamentos... Show de horrores. Desisti de assistir no começo do terceiro set.

Uma pena o que aconteceu ontem, mas... Previsível em ambos os casos.
Anônimo disse…
A Roberta é tosca demais. Arremedo de levantadora. Se fosse uma década atrás ela nem conseguiria jogar porque todos os seus toques seriam marcados como dois toques. Horrível ela. E não tem personalidade. Péssima. A valência do Sesc é o Bernardinho.
Anônimo disse…
Depois dos jogos dessa segunda rodada de quartas de final, acredito eu que as semifinais já estão definidas....O forte Minas deverá pegar o Osasco, que irá vencer a terceira partida contra o Barueri....E na outra semifinal jogarão Praia e Rio...pois o Sesi será novamente tombado nessa terceira partida.
Cesar Nascimento disse…
boa tarde sobre os jogos de ontem o Barueri começou arrasador e foi tombado pela Hooker que começou com o freio de mão puxado e terminou a 100 km por hora Taísa começou arrasando e terminou de forma patética junto com Pani Lins na China com cara de Paraguai eu disse que a Tainara não segurava a onda assim como Gabi Cândido agora Gabiru é um horror de libero mas a vitória do Sesc era certa o Bauru é um time muito mal montado e fraco vai perder outra vez , quando a coluna de sustentabilidade do Sesc resolve jogar aí não tem como vazar o block jucyele essa tem a cara daquele Sesc jogueiro de outros anos
Anônimo disse…
Eu tô torcendo tanto pro Zé Roberto perder. Mais uma vez viu o time perder sem fazer nada. Skowronska ficou marcada e ele não deu jeito nessa situação. Nesse momento a Dani tinha que jogar mais com a Thaísa, mas ela começou a dar para a ponta com Amanda e Tainara que não estavam virando. Ela errou e ele não orientou. Fora a argentina, não tem mais nenhuma mudança pra fazer.

Mas eu acho que Barueri ganha de Osasco, pois é melhor estruturado. Osasco tá levando essa temporada na empolgação e na camisa, pois o time não tem nada. Sinceramente não sei como deixam o Luizomar na frente do Osasco.

Se eu fosse a Fabíola saia correndo do Bauru e procurava um time melhor pra jogar, um que tenha recepção, pelo menos.

O que é Roberta levantando? O que acontece com essa garota? Não treina não? Ontem deram entrevista porque ganharam, quando perderam saíram correndo. Povo sem ética do Sesc.
Anônimo disse…
Gente, o pecado do Anderson foi ter deixado Diouf em quadra tomando toco atrás de toco.. Tinha que por a Edinara que estava virando as bolas nas inversões do 5x1! E Monique dando toco na Tifany? Monique marcou muito bem a Tifany! Monique não deixava passar uma bola limpa da Tifany na entrada de rede, ou era toco ou pelo menos amortecia no bloqueio! Que partidaço da Monique! Gabi Candido esqueceu o passe em Bauru!
Anônimo disse…
Tem uma entrevista da Clarisse afirmando que, quem recebe mais , é titular no Fluminenese. E quem prega essa filosofia é o técnico Hylmer. Se vc é boa, mas vc recebe menos, fica na reserva.

SESC sendo Bernadinho. Ele tira leite de pedra. Mas chegar na final é outro patamar, acho que ele para nas semis. O mesmo vale pra Osasco ou Barueri. Passam das quartas, aposto no Barueri, mas não passa das semis.

Curitiba foi bom, se classificou entre os 8, mas pelas jogadoras que possue, podia ir ate o sexto ou quinto colocado.

W Q Jr disse…
Parabéns pelo post, sempre coerente.
Complemento citando a torcida de Osasco que não parou de apoiar o time em momento algum. Raro ver isso.
Anônimo disse…
SESC RJ eliminado pelo SESI BAURU:definitivamente quem tem GABIRU de líbero precisa de INIMIGO?Um time que tem Gabiru como líbero não pode ir mesmo pra semifinal!Gabiru não serve de líbero nem pra time de bairro ou pra time de colégio!No time do SESC só se salvaram DRUSSYLA,JUCIELY e MONIQUE,porque o resto é simplesmente o resto!É uma piada de muito mau gosto trazer a idiota da Kosheleva pra substuituir uma ponteira como a Gabi que fez muito bem de ido pro Minas. Sem a Gabi de ponteira e sem Fabi de líbero, a linha de passe do SESC acabou! Gabiru e Kosheleva são ridículas!!!