Bendito 24x19!


Minas 3x2 Eczacibasi Vitra 


26 anos depois, o Minas retorna a uma final de Mundial. E não é preciso recordar a campanha de 1992, que deu o vice-campeonato mundial ao tradicional clube mineiro, para saber que os desafios para se chegar a uma final em 2018 são muito maiores. A diferença entre as equipes brasileiras e as turcas, com grande capacidade de investimento, são bastante significativas.

Chegar à final, vencendo o Eczacibasi na semifinal, é uma conquista gigante para o Minas.  

E não foi qualquer jogo que levou o time a sua segunda final mundial. Foi uma partida de equilíbrio, de emoção (com uma virada de placar incrível do Minas no segundo set quando perdia por 24x19) e, principalmente, de muita qualidade de ambas as equipes. O fato de o Eczacibasi, com exceção do terceiro set, ter jogado muito bem valorizou ainda mais a vitória mineira.

Até o segundo set, parecia que a superioridade de elenco do Eczacibasi se faria valer. O Minas, apesar de jogar bem, teve problema nos sets iniciais na recepção, principalmente na passagem da Boskovic pelo saque, quando não conseguia sequer armar a virada de bola. Perdia em sequência pontos importantes que custavam a ser reconquistados quando retomava a posse de bola.

Aí chegou o bendito 24x19 e numa sequência de bons saques e bloqueio, o Minas mudou o placar do set e a história da partida. A partir daquele momento, a equipe beirou a perfeição  e cresceu em confiança em quadra.


******************************************

Desde o começo o Minas mostrou aquilo que seria determinante para sua vitória: volume de jogo. Incrível como trabalhou a equipe defensivamente e a dificuldade que impuseram para atacantes como a Boskovic e a Kim colocarem a bola no chão.

O Eczacibasi também mostrou bom volume de jogo - inclusive com as gigantes sérvia e coreana defendendo bastante -, o que contribuiu para a beleza do jogo. Viu-se um time turco bem mais organizado do que em temporadas anteriores, mas menos definidor. Tanto que, ironicamente, o Minas saiu da partida com 13 pontos a mais em ataques do que o time turco, que conta com duas das melhores atacantes do mundo.

É que o Minas, através de uma excelente partida da Macris, usou muito da velocidade para quebrar a marcação de bloqueio turca. As turcas passaram a partida toda sem pegar o tempo, por exemplo, do golpe da Gabi, uma das melhores jogadoras do time mineiro na partida.


Foi bonito ver como o Minas cresceu de acordo com o desafio e não se intimidou com o adversário. Pelo contrário. A Macris continuou ousando e arriscando bolas com a Gattaz e a Mayany em momentos críticos em que sabia que a Natália e a Gabi estariam bem marcadas. E fez com perfeição estas jogadas, que foram correspondidas pelas centrais. Da Gattaz já se esperava, é claro, este resultado. Mas da Mayany é surpreendente como ela apareceu nas horas decisivas. Aliás, faz tempo que a jovem meio de rede vem se destacando e merecendo a titularidade no lugar da apagada Mara.

E não se pode deixar de falar da excelente partida que fez a Natália. E não são os números que traduzem a sua atuação, mas, sim, como ela cresceu nos momentos de definição. Muitas vezes nos últimos anos a Natália saía das partidas com bons índices de desempenho que, no fim, escondiam erros em horas cruciais da partida. Desta vez, os números fazem jus ao papel que ela teve no jogo e o quão importante foi para a classificação do Minas para a final do Mundial. 

************************************* 

Na final, o Minas enfrentará o Vakifbank, confronto que aconteceu já na última rodada da fase de grupos e em que o time turco venceu por 3x0. O resultado, no entanto, não traduziu da melhor forma o que foi o jogo. Ali o Minas já havia dado sinais que poderia fazer frente às grandes forças turcas.

Só que o Vakif é uma equipe muito mais chata. Se joga bem, é muito difícil vencê-la; se não joga, também. Não só tem recursos individuais para mudar a cara de uma partida como tem aquela estrela de time vencedor, de, do nada, transformar uma derrota numa vitória. Ou seja, mesmo se o Minas repetir a sua atuação quase que perfeita desta semifinal, a missão do título continua complicada. 

************************************* 

Dentil/Praia Clube 1x3 Vakifbank Istambul

Depois do jogão entre Minas e Eczacibasi, foi inevitável ficar decepcionado com o duelo do Praia e do Vakif. Muito porque, ao contrário da primeira semifinal, nenhuma das equipes fez o seu melhor em quadra.


Mesmo o vencedor, o Vakif, esteve aquém das suas capacidades. Deu muitos pontos em erros que não foram bem aproveitados pelo Praia. Só que o time do Guidetti é dessas, como comentei acima: consegue vencer mesmo não jogando bem. A maioria das vezes é a Zhu que resolve os problemas. Desta vez, no entanto, a jovem revelação turca, a atacante Karakurt, é que entrou e mudou o cenário do quarto set quando o Praia tinha uma vantagem de 15x10 e acabou perdendo por 25x18.

Claro que uma pane como a que sofreu o time mineiro não se justifica somente pelas alterações do adversário. O Praia lutou, mas travou nos problemas que vem sofrendo desde o início da temporada: a recepção e a virada de bola.

Só a Garay é que pode sair de consciência tranquila desta partida. Fawcett esteve muito apagada e Rosamaria, que entrou no terceiro set no lugar da Michelle, foi o de sempre, sem constância. E as bolas com as centrais, além de continuarem sem fluidez, não funcionaram bem.

Talvez o Praia precisasse de mais tempo de preparação para poder ser mais competitivo no Mundial. O time ainda está na fase de ajustes em que tenta fazer funcionar as novidades e aquilo que era seu forte no ano passado (como a Fawcett e as jogadas com as centrais) não está funcionando. E, nesta fase, vive-se de altos e baixos até que tudo engrene e ganhe regularidade. Tomara que na disputa do terceiro lugar o Praia viva mais os momentos "altos" para premiar a sua primeira incursão no cenário internacional.

Comentários

Alysson Barros disse…
Torço pelo SESI na Superliga, mas “secretamente” torço também para o Minas em segundo lugar e, em terceiro, para qualquer outro time que não seja Rio ou Osasco.

Do Praia já era esperado que não avançasse, apesar de ter torcido contra isso. Acho que Suelen deixou muito a desejar, assim como Fabiana. De Michele e Rosamaria não poderia se esperar muita coisa. A Carli talvez precise de meais tempo...? Mas para mim o maior problema estava vindo do banco, com a cópia de ZR e suas filosofias ultrapassaras e questionáveis - como ficar discutindo com a arbitragem mesmo sendo claramente do adversário o ponto.

Mais cedo não: tivemos a honra de ver uma postura totalmente diferente de um treinador realmente estudioso e competente. Que resolve o jogo com mudanças apropriadas, com táticas adequadas e com a tranquilidade necessária. Essa escola de ser Bernardo já durou muito tempo por aqui e foi gloriosa também, aliás, a derrota carioca para as fluminenses ontem. Tomara que venham mais.

Macris, Gattaz, Gabi e Leia foram perfeitas. O time joga redondinho e isso é fruto de muito trabalho sério que veio ser sacramentado com a vinda desse excepcional técnico que é o Stephano. Jogo defensivamente perfeito! Passe de ataque e contra-ataque perfeito. Relação bloqueio-defesa perfeito. Não tinha como o ataque não fluir com a Macris comandando isso tudo. Samba mesmo na cara do Zé Ruela e faça isso nos próximos encontros na Superliga.

Mayane muito destemida e serena. Não fosse ela o time não teria avançado. Merece a vaga de titular faz tempo.

Natália fez uma excelente partida a partir da metade pro fim do segundo set. Antes disso era a mesma de sempre, errando três ataques. Dou parabéns a ela com ressalvas. Vamos ver como se portará amanhã, em uma decisão dessa magnitude. Tem que ser constante, não fazer um jogo maravilhoso e depois voltar ao normal. Se estava escondendo a coisa, bem... Hora de soltar mesmo.

Por fim, achei digníssimo o respeito que as jogadoras adversárias tinham umas com as outras, com pedidos de desculpas pelas pauladas sendo feito a todo instante.

Ao contrário do jogo do Praia, que teve um monte de gente debochada rindo e achando graça de tudo com aquelas bocas enormes. Aquela horrorosa da Rasic é o exponente do desrespeito e menosprezo com o adversário. Ainda bem-querer depois de um tempo elas ficaram um pouco apreensivas.

Tomara que o Minas tire esse sorriso nojento da cara dessas mulheres.
Anônimo disse…
Yes,nós temos MAYANY!!!MAYANY p/dar e vender!!!MAYANY menina,tem vitamina,bloqueia e faz o Minas vencer!!!Que sequência incrível de bloqueios da Mayany q fechou a porta de Kim e Boskovic na virada sensacional de 24x19 p/26x24 no segundo set e com o saque venenoso da Macris ajudando!Lavarini fez muito bem de ter poupado as titulares ontem e ter dado rodagem às reservas,evitando um desgaste desnecessário,já q aquele jogo não valia nada,serviu apenas de "amistoso de luxo".Hoje na semifinal,q era p/valer,o Minas entrou muito concentrado,c/muita garra e jogando unido como um time.Todas estão de parabéns,titulares, reservas,comissão técnica e,principalmente,Lavarini ,técnico q foi a melhor contratação do Minas dos últimos tempos e q vem fazendo a diferença no clube de Belo Horizonte!
Anônimo disse…
Yes,nós temos MAYANY!!!MAYANY p/dar e vender!!!MAYANY menina,tem vitamina,bloqueia e faz o Minas vencer!!!Que sequência incrível de bloqueios da Mayany q fechou a porta de Kim e Boskovic na virada sensacional de 24x19 p/26x24 no segundo set e com o saque venenoso da Macris ajudando!Lavarini fez muito bem de ter poupado as titulares ontem e ter dado rodagem às reservas,evitando um desgaste desnecessário,já q aquele jogo não valia nada,serviu apenas de "amistoso de luxo".Hoje na semifinal,q era p/valer,o Minas entrou muito concentrado,c/muita garra e jogando unido como um time.Todas estão de parabéns,titulares, reservas,comissão técnica e,principalmente,Lavarini ,técnico q foi a melhor contratação do Minas dos últimos tempos e q vem fazendo a diferença no clube de Belo Horizonte!
Anônimo disse…
Parsbéns ao Minas e ao Vakifbank.
Bem feito para o Paulo Coco a derrota pq quem quer ser campeão não pode escolher adversário
Anônimo disse…
O Praia tinha tudo p/vencer o Vakifbank,venceu bem o terceiro set e vencia fácil o quarto set por 15x10,as adversárias debochadas do Vakifbank pararam de dar aquelas gargalhadas de menosprezo e estavam com o semblante tenso,foi qdo Guideti tirou sua carta da manga,a jovem revelação turca,de apenas 18 aninhos,mas c/uma mão pesadíssima,a arma secreta Ebrar Karakurt,gigante de 1,94m.Então,a gigante turca Karakurt começa a detruir a defesa e o passe do Praia com ataques e saques poderosíssimos,como se quisesse arrancar petróleo do chão! Paulo Coco e o Praia ficaram sem saber o q fazer para neutralizar a gigante Karakurt! Zhu e Sloetjs até q estavam sendo bem controladas pelo Praia,mas Karakurt foi o ponto fora da curva que melou a bela reação do Praia.Se não fosse o fator surpresa Karakurt, creio q a final seria Minas x Praia.
Fernanda Machado disse…
Natalia 31 pontos, Natália arrebenta o jogo, vira todas e aqui ainda encontra críticas!! Todas foram bem mas só tem Minas na final pq Macris tinha Natalia, pq ela praticamente não errou, pq enquanto a Boskovic fez 27, a Gabi 19, ela fez 31 e levou, junto com a Macris o Minas pra final!
Everything disse…
O ponto mais negativo do Praia, assim como da seleção brasileira, é a líbero Suellen. Não ganharemos nada com ela. Ela simplesmente não cobre as passadoras. Sempre se esconde. Vejam a líbero da Sérvia, não deixa Brankika passar. Nem preciso falar de De Genaro. Na verdade, Suellen é a pior passadora, pior até que a Rosamaria. As sacadoras dos outros times são orientadas a sacar nela. Sempre vem bola antes da linha, passe B ou C. Prova disso, é que só ganhamos na semi e final do Gran Prix 2017, pq Gabiru entrou no lugar dela. Nem precisa comentar a lentidão pra chegar nas bolas e a quantidade de vezes que se atrapalha com as outras jogadoras. Criaram o mito de que ela tem esse passe perfeito... ou convence Camila Brait ou Leia a voltarem ou estaremos perdidos. Mudando isso, temos condições de enfrentar todas as outras equipes em igualdade de condições. Imaginem esse time do Minas com Tandara... e outras opções de meio...
Anônimo disse…
Até que enfim alguém aqui odeia essa tal de RASIC. Jogadora com a maior falta de fair play...mas vamos ignorá-la que não merece tanto ibope. Agora o Minas....o Minas...que orgulho que tenho de tanta jogadora corajosa...me faz acreditar que a Seleção ainda tem futuro...Vamos lá meu Minas com o coração e a raça!
Anônimo disse…
Parabéns ao Minas! Mas cadê o post da vitória do FLuminense sobre as Bernadetes? Vendo o jogo ontem me fez pensar o quanto tempo Zé Panela perdeu em chamar a Nanique e BIão tendo uma JOyce e LETÍCIA voando ! MAS AINDA DÁ TEMPO
Anônimo disse…
Meu final de semana está ótimo!!!! Ver o meu Minas na final não tem preço!!! Que jogo espetacular elas fizeram!!! Nati calou a boca de muitos!!! Mayani detonou no bloqueio, engoliu a Kim e a Bosco kkkk Foi sensacional ver a cara de c.... da Bosco, da Kim e da Larson no final do jogo.... E não é só a Rasic que é soberba, quase todo time do Vaki é soberbo, inclusive o Guidetti!!! Tomara que amanhã a Nati acerte a cara delas kkkk
E outra delícia foi a vitória do Fluminense, sobre o Rio, com direito a um sacode humilhante no 4 set, Bernardo não sabia o que fazer, kkkkk, Koshe tomou mil tocos e Penha um desastre no passe,,,
Alysson Barros disse…
Parece que a Natália não consegue fazer 30 pontos em duas partidas seguidas, não é mesmo, Fernanda?
Fernanda Machado disse…
Alisson! Talvez poucas consigam, mas se o Minas está na final, não se esqueça nunca desses 31 pontos dela, que nos farão lembrar desse jogo por muitos anos!! Acho muito injustas as críticas que vcs fazem a Natalia!! Te faço a pergunta também, quem fez 31 pontos nos 2 jogos?? Ninguém!! Então melhor aceitar que ela joga muito!
Mineirim disse…
É triste ver a disparidade das líberos, a leveza da líbero turca contra as quedas e peixinhos pesados da Suellen, diferença gritante de movimentação, mas minha maior decepção nem foi a derrota, os times brasileiros foram bem, no entanto, Fabiana me decepcionou demais. Tenho muito respeito pela central bicampeã olímpica, mas Fabizona precisa pegar umas aulas com Gattaz e Waleska que mesmo mais velhas não deixaram a peteca cair. Fabiana foi um verdadeiro cone, jogou com uma cara de bosta esse jogo, sabemos da falta de entrosamento, mas ela vai culpar a Carli Loyde também por não conseguir bloquear?