Superliga 18/19 em ação!

Pinheiros 0x3 Dentil/Praia Clube
vôlei feminino
Foto: Ricardo Bufolin/ECP
Assim como terminou a Superliga 17/18 começou a edição 18/19: com uma vitória do Praia Clube. O atual campeão nacional enfrentou o Pinheiros na estreia da SL, em jogo válido pela sexta rodada e adiantado por conta da participação mineira no Mundial. A primeira rodada, na realidade, inicia-se na próxima sexta-feira.

Tivemos a oportunidade de acompanhar dois jogos do Praia na semana passada e identificar as principais dificuldades do time. Então não foi nenhuma surpresa ver como, apesar dos 3x0, a estreia foi duríssima.

Pela situação das duas equipes neste momento, aliás, pode-se dizer que o Praia conquistou uma grande vitória. Normalmente, o Pinheiros já é um adversário chato. E, para esta partida, as paulistas vieram com a vantagem de uma preparação de muitos mais jogos do que as mineiras. Isso se traduziu em quadra no volume de jogo da equipe, que exigiu um trabalho dobrado por parte do ainda “desembocado” ataque do Praia para colocar a bola no chão. O Pinheiros foi bastante competitivo, também, no ataque, com uma atuação especial da Herrera.

O problema é que o Pinheiros, obviamente, teve suas limitações. Ao longo da partida, foi perdendo o poder de definição com a Mari Casemiro e Clarisse e dependendo muito da Herrera. Com um elenco individualmente inferior ao Praia, o time não conseguiu segurar as vantagens que abriu, entregando em erros e bobeadas as oportunidades de recuperação no placar ao adversário. 



O Praia, nestes momentos, fez valer as suas estrelas. Carol, assim como na Supercopa, teve papel importante no bloqueio, fundamento que fez com que o time compensasse o irregular desempenho no ataque e se recuperasse das desvantagens que tinha contra o Pinheiros. Garay cresceu nos finais de set, principalmente no último, não desperdiçando bolas decisivas.

Mas quem colocou o time em ordem, no segundo set, foi a não-estrelar levantadora Ananda. Pelo volume defensivo do Pinheiros, o trabalho ofensivo mineiro, de cara, estava difícil. Com o problema de entrosamento entre a Lloyd e as atacantes, então... A levantadora reserva regularizou as bolas, colocando mais a Garay no jogo e, principalmente no terceiro set, aproveitando as centrais Carol e Fabi. Só não conseguiu recuperar a Fawcett que fez uma partida para se esquecer...

Aliás, a oposta me parece ser a que mais está sofrendo com as bolas da Lloyd, que, normalmente, chegam a ela sem a altura ideal para os golpes. E uma jogada que tanto ela como a Garay fazem bem, a bola de meio fundo, também não tem sido bem preparada pela levantadora norte-americana, o que, é claro, tem limitado o jogo do Praia.

Por todas estas dificuldades impostas pelo adversário e pelo próprio time, o 3x0 foi um grande resultado para iniciar o caminho pelo bi-campeonato da SL.

Comentários

Excelente texto, parabéns pela coerência.
Anônimo disse…
O erro do Praia Clube foi não ter segurado a Claudinha. Aliás, o Praia investiu mal a grana do patrocinador. Trouxe mais duas opostas (Rosamaria NÃO É ponteira) sendo que tinham renovado com a Fawcett. Trouxe uma levantadora bem meia-boca que só joga bem com passe na mão. Pelo que se viu nos últimos jogos, o time de Uberlândia não desponta como favorito ao título; Minas, Bauru e até mesmo a dupla Rio/Osasco têm mais cancha e poderio que o atual campeão.
Anônimo disse…
O time do praia quando tiver entrosado, vai ser difícil de ser batido. Ansiosa pra ver a Lloyd entrosada com suas atacantes.
Luciano Amorim disse…
O Papo de Vôlei se tornou o meu blog favorito sobre voleibol. Os textos apresentam lucidez e as críticas são feitas de maneira respeitosa. O 25º aniversário da Super Liga será comemorado em grande estilo. As equipes estão niveladas tanto no topo quanto na base da tabela. Acredito que o G4 dessa edição contará com Praia (melhor elenco), SESC (tradição e comissão técnica fenomenal), SesiBauru (ataque poderoso, melhor levantadora brasileira em atividade, banco quase no mesmo nível das titulares e um técnico que vem ousando e amadurecendo a cada temporada) e Minas (time jogueiro com valores individuais que podem fazer a diferença).
Audax, Hinode e Fluminense tem potencial para dar muito trabalho, porém, não acredito que tenham força suficiente para derrubar um dos 4 grandes até o momento.
No mais, a minha torcida é para jogos espetaculares e para a valorização do voleibol brasileiro.
Mantronix Inc disse…
Pinheiros só vai representar uma real ameaça aos favoritos, quando Sérgio Negrão montar o trio titular: HERRERA, LORRAYNA e PAYNE.
Kamila Azevedo disse…
O jogo foi bastante disputado, com parciais bem acirradas. O Pinheiros foi um time valente, mas ficou faltando, nos momentos decisivos, uma regularidade maior no time. Herrera é boa, mas erra demais. Payne tem talento, mas ainda precisa adquirir uma maior segurança.

O Praia ainda sofre com a falta de entrosamento entre a Lloyd e as jogadoras. O time está se acertando e acho que chegará, mais na frente, com o favoritismo à conquista da Superliga. Entretanto, algo me chamou atenção ontem: nas inversões, Paulo Cocco optou pela entrada de Ellen, que é ponteira, ao invés de colocar a Paula Borgo, que é oposta. A Paula Borgo não consegue se firmar, né?
Rafael Grapper disse…
Quando, por algum motivo, não consegue acompanhar uma partida e quer saber o desempenho dos times e jogadoras com muita imparcialidade, coerência, conhecimento e e inteligência, entre aqui na análise da Laura e terá uma bela resenha do jogo. Parabéns e é claro, muito obrigado por compartilhar com a gente!
Anônimo disse…
Paula mais uma temporada vai cair pra 3 oposta do time, se acontecer da Fawcett não poder jogar por algum motivo, posso apostar que Rosamaria joga na saída, levando a Paula a condição de 4 oposta rsrs. Falando na Rosa to vendo uma evolução dela no passe, pelo o que eu percebi nos últimos dois jogos o Paulo vai colocar a Michele sempre quando Rosa sair da rede, ontem nem precisava tirar a Rosa, ela tava muito bem.

O praia só perdeu o mineiro porque o Paulo não soube mexer no jogo como fez na supercopa e no jogo de ontem, muitos falam que ele é uma cópia do Zé, eu não concordo, ele muda as jogadoras quando não está rendendo.
Laura disse…
Obrigada, Francisco, Rafael e Luciano!

Kamila, verdade sobre a Paula Borgo. Não sei se foi na Supercopa ou no Mineiro q Coco tb optou pela Ellen. E como o anônimo disse, não será surpresa se, por algum razão, a Fawcett não puder jogar, a Rosamaria assuma a posição de oposta.
Anônimo disse…
Gostei do jogo. O Praia ainda necessita do entrosamento entre as atacantes e a Loyd. Qdo isso acontecer será um time difícil de se bater e se credenciará a fazer mais uma final contra o Rio. O Pinheiros jogou bem mas sempre fica no quase. Paula Borgo, sempre achei ela Fake, e tinha muita gente que amaldicoava o Zé Roberto por não convocar ela para a seleção.Fez apenas uma temporada muito boa e tinha pessoas aqui mesmo que falavam que ela seria a oposta para substituir a Sheila. Até a baixinha Monique joga melhor que ela. No mais, Vitória Praia!!! Paulo Coco sabendo mexer bem no time.
Anônimo disse…
Anonimo, sobre a evolução no passe da Rosa, sem desmerexer a jogadora que não é ponteira, com 1m2 de quadra para cobrir fica facil passar. Só vai na bola que está na mão. E por isso tanto garay quanto suelen sofrem para cobrir em duas a quadra toda. Alias esse era o mesmo com a amanda depois que voltaram do natal o ano passado. As duas cobrindo a quadra toda pq a amanda estava sem emocional para passar.

Acredito que o praia vai evoluir muito nessa temporada e a Lloyd que é excelente levantadora vai recuperar seu ombro e se ajustar as atacantes que o praia tem.
Anônimo disse…
Assisti ao jogo agora. Não achei tão bom. Muitos erros.

O time do pinheiro aquela coisa de sempre, com aquelas jogadoras que nunca vão despontar. Terrível. Salva-se Herrera, a levantadora e a líbero. A americana entrou bem, mas em outros jogos vi que ela precisa de constância.

No Praia, o jogo com a Ananda melhorou mesmo, principalmente porque ela dá bolas mais altas, mais confortáveis para as atacantes. A Loyd só bota bolas baixas.

Não achei a Rosamaria a melhor do jogo. Longe disso.
Anônimo disse…
Melhor do jogo óbvio q foi a Carol. Rosamaria recebeu o prêmio de consolação.
Anônimo disse…
Sobre a a Loyd, todo mundo está colocando a culpa exclusivamente na falta de entrosamento - claro que isso prejudica e é algo que deverá melhorar. Mas não é o único problema. Vale lembrar que a Loyd já fez um mundial bem mediano, no qual apresentou exatamente os mesmos problemas: falta de precisão e principalmente bolas baixas.
Anônimo disse…
Fazendo uma análise crítica e fria, isenta talvez, a Loyd é uma levantadora limitada. Uma levantadora que só tem em seu repertório um tipo de jogo é limitada. A primeira lição dos levantadores é que eles têm que colocar a bola confortável para o atacante, que cada um tem a sua.

Ela não pode querer implantar a filosofia de jogo rápido como faz na seleção americana em todos os lugares que for. Qual a dificuldade de jogar uma bola alta na ponta e na outra ponta?
Falávamos que a Startseva era limitada porque dava só bolão e agora é mais versátil pois consegue acelerar e manter a qualidade.

O mesmo para a Loyd, tem diminuir um pouco a velocidade e dar mais altura às bolas. Pode até manter a velocidade, mas a bola está baixa. Acho difícil todas as atacantes se adaptarem. Algumas vão conseguir, outras não. É mais fácil ela mudar.
Anônimo disse…
Atè hj eu nunca vi uma levantadora americana seja em clubes ou na seleção dos EUA fazer levantamentos altos nas pontas por isso que elas precissam jogar com o passe na mão o tempo todo.
Anônimo disse…
Nem a Akirandewo conseguia jogar com ela tal a altura de seus levantamentos. Teve que entrar a levantadora reserva pra Akirandewo jogar.
Anônimo disse…
Hoje às 19:30, horário de Brasília, tem jogo do Barueri que vai ser transmitido pelo Globo Esporte .com. Gostaria de conclamar a todos para seguir a hashtag #foraze.

Conto com todos.
Anônimo disse…
Quem tem que se adaptar às jogadoras atacantes é a levantadora e não o contrário! Fabíola faz muito bem isso, levanta bolas aceleradas ou bolas altas dependendo da característica da atacante!
Deby Lloyd não faz isso! Deby Lloyd quer que atacantes de bolas altas encolham o braço!

Evandro Mallon disse…
Foi o que Dani Lins fez com a Joycinha queimando ela na Seleção. Joycinha foi pra Europa, onde as levantadoras sabem levantar bolas altas e fez sua consagração lá.
Segundo uma informação da Fabi, ela foi a maior pontuadora da Liga Turca por 2x seguidas.
Alysson Barros disse…
Bora, anônimo, cornetar o ultrapassado Zé Ruela!
Anônimo disse…
Ninguém apareceu para o #ForaZé. Fiquei lá feito bobo ignorado pela Fabi.
Mas fiquei feliz pois o Bauru fez um atropelo em 3 sets diretos. Fabíola mandou um beijo para o ruela.
Lulu disse…
Gostaria de dizer que aguardo revelações de talentos e potencial a ser lapidado mas, constato times maduros com muitas jogadoras encruadas, que não confirmaram expectativas. A fominha aqui assistirá tudo. Que venham as revelações.