Mundial 2018 - Brasil 3x2 Holanda

(21x25 / 25x18 / 25x27 / 25x19 / 15x7)
O jogo contra a Holanda por vezes me lembrou o confronto brasileiro com a China nos Jogos de Londres 2012. O Brasil também precisava da vitória para manter-se vivo na competição e a conseguiu somente no tie-break.

Foi um jogo de transição importante, que marcou de certa forma a transformação de um time apático e perdido para um agressivo e valente. O Brasil começou a se encontrar naquela partida e a se encaminhar para o seu segundo ouro olímpico.

Só que há diferenças no contexto destas duas vitórias. Primeiro, a atuação brasileira contra a China - apesar de ter perdido o quarto set quando tinha a vitória já encaminhada - foi bem mais convincente. Segundo, o Brasil contou com a ajuda dos EUA na rodada seguinte para encaminhar sua classificação.

O Brasil contra a Holanda no Mundial 2018 não se mostrou do mais seguro desde o princípio do jogo. Sofreu com o saque holandês, bobeou defensivamente em bolas fáceis e cometeu erros decisivos que custaram uma ida ao tie-break e, consequentemente, um ponto a menos na classificação. Porém, deu mostras do quanto o grupo brasileiro pode render quando se aplica taticamente e o quanto se agiganta quando a qualidade do seu conjunto defensivo se faz valer. E individualmente, tivemos a Fê Garay fazendo a diferença pela primeira vez na competição. 







Estas conquistas poderiam nos dar uma esperança de recuperação no Mundial se não fosse a derrota da Sérvia para o Japão por 3x1. Com os resultados, o Brasil precisará vencer as donas da casa por 3x0 na última rodada para se classificar para a próxima fase.

Podem-se discutir as intenções da Sérvia na partida contra as japonesas, mas a verdade é que o Brasil está nesta situação por culpa dele mesmo. Já comentamos aqui, partida a partida, os problemas apresentados pela seleção no Mundial e que fizeram com que ela perdesse pontos importantíssimos.

No caso do confronto com a Holanda, novamente me incomodou a falta de sentido de urgência por parte do Zé Roberto pelo resultado, assim como aconteceu contra Alemanha e México. Se a Garay tinha condições de jogo, por que poupá-la? Uma opção técnica? O treinador passou o primeiro set inteiro vendo o time dele se perder em quadra sem pedir um tempo no momento certo, sem tentar uma troca ou dar uma orientação mais incisiva. Não sei se a intenção dele era não deixar suas jogadoras mais ansiosas, só sei que muitas vezes o time deu a sensação de estar sem comando.

Ainda bem que, no segundo tempo, ele estancou logo no começo a sangria no passe com a Drussyla colocando a Garay no seu lugar. A jogadora equilibrou a recepção e ajudou a recuperar o ânimo do time.




O 3x0 contra o Japão não é impossível de se conseguir, mas é bastante difícil se considerarmos a pressão pelo resultado e a inconstância que a seleção brasileira apresenta. 


O Brasil parece ter - até mesmo pela opção pela Roberta como titular - se dado conta de que não há mais tempo para desenvolver um jogo mais variado e de velocidade e abraçou a objetividade e a simplicidade. Funcionou contra a Holanda porque a Roberta manteve um bom padrão na qualidade dos seus levantamentos, a Tandara carregou o piano em boa parte da partida e a Garay apareceu decisiva no tie-break. Tomara que o Brasil consiga pelo menos uma vez neste Mundial manter, de uma partida para outra, o que deu certo. 

*******************************

Demais resultados da 3ª rodada da 2ª fase:

Grupo E: 

Sérvia 1x3 Japão
Alemanha 3x1 Porto Rico
México 0x3 Rep. Dominicana

Classificação:
1- Sérvia – 7V - 21 pontos
2- Japão – 7V- 21 pontos
3- Holanda – 7V - 21 pontos
4- Brasil – 6V - 18 pontos
5- Alemanha – 5V - 14 pontos
  

Grupo F:
Turquia 3x1 Azerbaijão
Itália 3x1 Rússia
Bulgária 3x2 Tailândia
China 3x0 EUA

Classificação:
1- Itália – 8V - 24 pontos
2- China – 7V - 21 pontos
3- EUA – 7V - 19 pontos
4- Rússia – 6V - 18 pontos
5- Turquia – 4V - 12 pontos


- Vitória maiúscula da China sobre os EUA numa partida bem jogada por ambas as equipes. O problema norte-americano foi o de definição. Teve um jogo muito concentrado na Larson, que não é a jogadora com as melhores características para isso. O Kiraly continua não abrindo mão da Murphy como oposta que, tem bom aproveitamento, mas exige uma ponteira mais definidora ao seu lado. Acho que estas trocas constantes nas pontas, sem firmar a Bartsch como titular, enfraqueceu o poder de decisão da equipe. Do outro lado, a China mostrou ótimo volume de jogo e, como sempre, deixou na mão da Zhu os pontos decisivos e ela, evidentemente, não desperdiçou.

Comentários

Anônimo disse…
Assisti a SESI/Bauru 3x2 Audax/Osasco antes do jogo da Seleção e fiquei muito mais satisfeito com o que vi no confronto paulista do que com o desempenho da seleção! A gente vê Camila Brait, Tássia e até a veterana Arlene jogando e se pergunta o que a Gabiru está fazendo na seleção? Vc vê jogadoras como Fabíola, Tifany, Edinara, Valquíria, Saraelen pelo SESI/Bauru e Walewska, Paula Pequeno, Natasha, Domingas, Lorenne pelo Audax/OSasco dando o sangue, jogando em forma e olha p/a seleção e vê jogadoras contundidas, fora de forma e mal treinadas pelo Zé Roberto! Vc vê o Andreson dando show como técnico, orientando, substituindo, montando um time. Vc observa nos pedidos de tempo a visão de jogo e a qualidade das orientações que o Anderson passa às suas jogadoras e se pergunta: por quê o Zé Roberto tão paneleiro, inseguro e ultrapassado está fazendo na Seleção? Quero ver jogadoras como Camila Brait, Fabíola, Macris, Regiane Bidias e outras, excluídas pelo Zé, na seleção. Mas p/isso quero o Zé fora da seleção! Quem sabe o Anderson não seria uma boa opção? Ou quem sabe não temos outras opções de técnico que não seja Zé Roberto, Marcos Kwiek e sua turma?
Átila Brandão disse…
A única exímia passadora que seleção brasileira tem é a Gabi. Ela passa melhor que a Suellen. Garay ontem cambaleou bastante nesse fundamento. A quantidade de passes que ela quinou ontem foi absurda. Aliás, a virada da Holanda no terceiro set depois de estar perdendo por 8x1 poderia ser creditada a ela. O Brasil poderia ter facilmente vencido por 3x1. Mas ela jogou bem no tie-break, então, pode-se dar um desconto. Tandara é uma atacante espetacular, carregadora de piano, mas tem problemas para definir nos finais dos sets, especialmente se o placar está apertado. Falar da centrais é chover no molhado, mas é nítida a inefetividade das centrais no ataque. A Adenízia levou uns três ou quatro tocos.
Como eu comentei no post passado, o Terzic poupou algumas titulares e o Japão derrotou o time misto da Sérvia por 3x1. Brasil tem que vencer o Japão por 3x0 e com uma boa diferença nos pontos average para passar de fase.
Anônimo disse…
Como eu disse, a Holanda amarelou. O jogadora pra amarelar como essa Sloetjs. A cara da menina é de puro choro e isso já vem de longe.

O Zé tá mais perdido que as jogadoras. Aliás eles também desequilibra o time. É comovente a tentativa das meninas em se manterem vivas, o choro final da Tandara, etc. Mas eu queria mesmo, com a melhor das intenções, que o Brasil saísse agora ou não pegasse pódio para o Zé Roberto sair.

Eu acho ótimo essa objetividade para um time que é limitado. Pra mim a formação ideal seria com Garay, Tandara e Natália (odeio ela), mas esta última não corresponde e só faz bizarrice. Poderia tentar ela na saída e Tand na entrada. Até que saíram umas bolinhas com a Bia o que ajudou muito o time.
Anônimo disse…
Como eu disse, a Holanda amarelou. O jogadora pra amarelar como essa Sloetjs. A cara da menina é de puro choro e isso já vem de longe.

O Zé tá mais perdido que as jogadoras. Aliás eles também desequilibra o time. É comovente a tentativa das meninas em se manterem vivas, o choro final da Tandara, etc. Mas eu queria mesmo, com a melhor das intenções, que o Brasil saísse agora ou não pegasse pódio para o Zé Roberto sair.

Eu acho ótimo essa objetividade para um time que é limitado. Pra mim a formação ideal seria com Garay, Tandara e Natália (odeio ela), mas esta última não corresponde e só faz bizarrice. Poderia tentar ela na saída e Tand na entrada. Até que saíram umas bolinhas com a Bia o que ajudou muito o time.
Anônimo disse…
Confira as possibilidades para a classificação:

Holanda perde por 3 sets a 0 para a Sérvia - como têm um saldo de pontos pior do que Brasil e Japão, as holandesas precisariam torcer contra as brasileiras para se classificarem à terceira fase.

Holanda vence um set contra a Sérvia - as holandesas estariam classificadas por levarem a melhor no saldo de sets. Assim, Brasil e Japão disputariam a última vaga.

Brasil vence o Japão por 3 a 0 - O Brasil terminaria a classificação com o mesmo número de vitórias, de pontos e saldo de sets que as japonesas. Mas, como têm um saldo de pontos melhor que as rivais, as brasileiras avançariam à terceira fase da competição.

Japão vence um set contra o Brasil - vencer um set contra as brasileiras classifica as japonesas para a terceira fase do Mundial. Isso porque as donas da casa já garantiriam um saldo de sets melhor que o das brasileiras. O suficiente para eliminar o Brasil da competição.

Fonte: https://globoesporte.globo.com/volei/noticia/servia-poupa-jogadoras-perde-para-o-japao-e-complica-a-vida-do-brasil-no-mundial.ghtml
ElaIne Mara disse…
Buenas...Realmente um jogo tenso tenso mas que logramos e o próximo será mais duro ainda e a superação será a meta diante desse histórico dessa nossa Seleção.Eu ia te perguntar Laura sobre alguma manipulação desse resultado do Japão e Servia, mas vc ja disse tudo com maestria ou seja" aqui se faz , aqui se paga" e estamos pagando pelos nossos desencontros tão ja mencionados por aqui. Fiquei feliz pela vitoria mesmo porque esse grupo de jogadoras merece diante de toda jornada vivida até agora. Gostaria de falar uma coisa por aqui torcer ou não torcer ( que é diferente de torcer contra) por qualquer coisa seja esporte, exames escolares e etc.Eu particularmente não aprecio alguns esportes e tão pouco me mobilizo por eles. simplesmente não os assisto e nem leio e nem tomo conhecimento de algo sobre.Uma Seleção Nacional representa uma "Nação ". A nossa Seleção que representa a nossa Nação e ambas já tem problemas o suficiente que nos deixa à beira do precipício e aí então, vem a " Turma do deixa que eu empurro" .Isso não pode e não é uma questão de opinião,mais sim é um "projeto de vida" dessa "Turma".A nossa Seleção paga um preço alto hj por um monte de situações anteriores equivocadas, de mandos e desmandos, aqui sempre mencionadas.Enfim temos que lutar e seguir em frente acreditando no melhor para essas jogadoras que estão dando a " Cara" para defender da melhor forma uma Nação inteira, até para a "Turma do deixa que eu empurro". Que venha o Japão . Sou mais Brasil e fiquei mto feliz com a vitória de hoje e ela vai ajudar a nossa ALMA o nosso ESPIRITO para esse jogo. Abrazos.
Renato Carvalho disse…
Fabíola tandara Vanessa junk Walkiria Letícia Hage Mari Paraíba Brait esse time é melhor q o q está lá
Átila Brandão disse…
Lara, tem alguma coisa errada com o meu comentário para ele não ter sido publicado? Fui ofensivo ou incoveniente? Se fui, desculpas, por favor.
Alysson Barros disse…
O Zé Ruela fumou orégano estragado pra começar uma partida decisiva com a Drussyla e deixar a menina lá por mais de um set?
Anônimo disse…
Japão 3 x 1 Sérvia

Sérvia fez anti-jogo, Brasil ta fora do Mundial.
Laura disse…
Átila, desculpa, fui eu que passei batido pelo teu comentário. Às vezes chegam vários ao mesmo tempo pra aprovar e algum me escapa.
Anônimo disse…
Anônimo, discordo totalmente de vc,a Sérvia não fez nenhum anti-jogo,Terzic poupou apenas Boskovic,que está sobrecarregada no ataque,e aproveitou p/dar ritmo de jogo e revezar as ponteiras Bianka Busa e Tijana Malesevic,que são as substitutas da contundida Bojana Milenkovic.Renan poupou seus jogadores quando já estava classificado nos jogos contra Bélgica e EUA no Mundial masculino,pois Renan não podia contar com os ponteiros Maurício,Lucarelli e Leal,e Lipe estava com o cotovelo contundido.A Sérvia já perdeu a Milenkovic que era importantíssima na linha de passe e não poderia arriscar perder mais ninguém,afinal de contas,o campeonato é longo!Recomendo que vejam o jogo "www.youtube.com/watch?v=UnaW4Kycw9w" e vejam por si mesmo que não houve nenhum anti-jogo!Além do que,o Japão tem um time muito arrumadinho que erra muito pouco e que,pelo contrário,faz os seus adversários errarem!O Japão joga sempre com 6 líberos em quadra,pois até as centrais defendem como líberos,sacam muito bem e tem 2 levantadoras talentosíssimas que variam muito as jogadas.É um time muito difícil de se jogar,já que a bola custa a cair no chão.Além disso,tem uma canhota dificílima de ser marcada,craque de bola,a Miyu Nagaoka.
Johnny disse…
Gente, impressionante a que ponto chegamos!

Esperar amanhã para ver o q será! Só Deus sabe!

A Rússia já saiu do campeonato. A equipe campeã em 2006 e 2010 saiu sem ficar no final six. Parece que Brasil e Rússia estão iguais, com exceção que o passe da Rússia ainda consegue ser pior que o nosso! Ah, e a defesa russa, mas isso a vida inteira foi horrível.

1 set perdido e estamos fora! Incrível como o Brasil foi descendo ladeira abaixo... Quando ninguém imagina derrota para Alemanha, México e Japão, o Brasil vai lá e consegue perder! Perdeu set para o México, perdeu um jogo para a Alemanha.

Gente, não tinha cenário melhor para o Brasil entrar entre os 6 melhores. Sério! Não tinha caminho melhor... Mas, infelizmente, entramos nesse poço

Fico me perguntando o que a Thaísa foi fazer no Mundial, bem como Natália e Gabiru!

Se Thaísa está machucada e Natália também está machucada, porque pegaram a vaga de outras jogadoras que poderiam estar ali contribuindo? Não consigo entender!

A Roberta foi tão criticada, tão criticada, e está jogando melhor que Dani Lins. Atualmente eu comparo a Dani Lins com Fernanda Venturini em 2004 na Olímpiada, ou seja, uma levantadora que está vivendo de nome. Dani brilhou na Olímpiada de 2012, de lá pra cá, o que ela fez? Qual a evolução da levantadora?

Natália é uma jogadora com 29 anos de idade. É tratada como uma pérola de 17 aninhos! Um atleta com 29 anos está formado e se não está pronto, é tchau! Simples assim...

Tudo que o torcedor brasileiro fala, parece que os comentaristas do SPORTV estão FINGINDO não ver! É incrível a quantidade de elogios que o time brasileiro recebe: "nenhuma seleção do mundo tem uma Garay", "nenhum time tem 4 centrais como as brasileiras", "ninguém tem uma Adenízia com tanta garra e animação"... Pelo AMOR DE DEUS, será que acham que somos cegos, surdos e mudos? Temos senso crítico ao ver um time brasileiro perder para Alemanha!

Enfim, FORA ZÉ ROBERTO, por essa água de Jesus! kkkkkkkk
Átila Brandão disse…
Sem problemas, Laura. Obrigado por esclarecer.

Eu assisti ao jogo Sérvia x Japão e também não acho que foi "entregue". A única titular efetivamente poupada foi Boskovic. A partida foi bem disputada a partir do 2 set, tanto que o placar 25-23 se repetiu três vezes. No mais, é um direito do técnico preservar a sua principal arma ofensiva num campeonato longo e desgastante. Elas tinham essa margem porque conquistaram com méritos fazendo um campeonato até então, quase perfeito. O Terzic não deve favores a seleção brasileira que se complicou sozinha quando permitiu a virada da Alemanha, quando deixou escapar um set para a semiamadora equipe do México e quando foi incapaz de administrar uma vantagem de 8x1 para fechar um set contra a Holanda. Se vencer o Japão amanhã e passar para a próxima(torcerei para que isso aconteça) será por méritos próprios. Se for eliminada será por demérito e culpa dela própria.

Há outros pontos que gostaria de salientar. Não entendi ontem a insistência em sacar na líbero quando o alvo óbvio era a Anne. Não entendi a inércia do Zé em ver a equipe se perder em quadra tendo dois tempos para pedir sem tomar nenhuma atitude. Também não entendi por que razão ele deixou a Garay no banco se ela estava em condições(físicas) de jogar. Ou porque quando a equipe deu aquela pane na recepção ele tirou a Gabi, a única jogadora que estava segurando o passe, para colocar a Natália. Se tivesse que substituir alguém que fosse a Garay que estava quinando tudo naquele momento. Queria saber o que se passa na cabeça do Zé.

Amanhã será guerra. Vai ser difícil, mas eu sou um eterno otimista, apaixonado por voleibol e vou torcer para a nossa seleção até o fim.
Mantronix Inc disse…
Tem q entrar pra intimidar as japonesas, conheço bem os orientais, se vc se impões eles se diminuem, e vice-versa, é característica cultural dos asiáticos.
Kamila Azevedo disse…
Johnny, acho que você não assistiu ao mesmo Mundial que eu. A equipe russa teve uma evolução enorme no passe. Parubets e Galkina lideraram as estatísticas do passe durante toda a primeira semana de Mundial. O Pankov está fazendo um trabalho a longo prazo e o time russo tende a crescer bastante a cada competição.