De virada, pra final

Audax/Osasco 3x2 Hinode Barueri
Golden Set: 25x16

vôlei feminino
Terminado o Mundial, voltamos a encarar a realidade do vôlei brasileiro.

E a realidade nos leva ao campeonato Paulista, cujo primeiro finalista foi definido neste sábado após a vitória do Audax-Osasco sobre o Barueri.

Nas últimas semanas vinha acompanhando alguns jogos do Paulista e, dentre as equipes observadas, o Osasco me parecia a mais irregular. Luizomar, para variar, lutava contra suas próprias indefinições na ponta e, apesar do troca-troca, não conseguia encontrar um equilíbrio entre a força ofensiva e a segurança no passe. Era Mari PB, Leyva e Paula Pequeno se intercalando na missão sem muito sucesso. Para dificultar, Claudinha mantinha o seu padrão de não ter nenhum padrão.

E foi assim no primeiro jogo das semifinais e no início do segundo encontro com o Barueri. O time parecia perdido e derrotado após o terceiro set contra um Barueri que, apesar de não ser nenhum exemplo de regularidade, mostrava-se bem organizado, sobretudo nos contra-ataques. Por isso, foi bastante surpreendente a virada que o Osasco conseguiu para chegar à final do Paulista. 

E a virada veio, principalmente, pelo saque. Quando o fundamento começou a entrar, tirando a bola da mão da Dani Lins, o Osasco começou a crescer no bloqueio e defensivamente. Com o passe quebrado, as limitações no ataque de Maira e Amanda ficaram mais evidentes e o jogo do Barueri teve que se concentrar na oposta Skowronska, que segurou a sobrecarga até certo ponto. Depois, acabou por ser vítima do bom bloqueio da Wal. 

Enquanto o ataque do Barueri se restringia cada vez mais, o Osasco foi ganhando novas opções. Paula e Leyva mostraram-se boas saídas para acompanhar a Lorenne que vinha sendo a principal definidora do time. A oposta, por sinal, fez uma ótima partida, lembrando os bons tempos de Sesi e porque sempre foi considerada uma jogadora com potencial.

Nem mesmo as trapalhadas da Claudinha com a Wal foram capazes de tirar o Osasco do caminho pra vitória. O Barueri se desestruturou fortemente por conta dos problemas de passe e foi acumulando erros atrás de erros que o tiraram da briga pelo Golden set.  

Na final, Osasco enfrenta o vencedor de Sesi/Bauru x Pinheiros. 
 
******************************************
 
Inicialmente, o Barueri parecia não ter sido muito afetado com mudanças no time titular com as chegadas das selecionáveis Dani Lins, Thaisa e Amanda. Tinha mantido sua organização e estrutura e, as três, tinham tudo para acrescentar maior qualidade e segurança à equipe. Mas individualmente, Dani e Amanda deixaram a desejar e, de certa forma, comprometeram o resultado no segundo jogo da semifinal.


Maira, a mais jovem da dupla de ponteiras, teve uma atuação mais importante no ataque e menos prejudicial do que a Amanda no passe. Já a Dani Lins está, desde a seleção, bastante burocrática quando tem a recepção a seu favor. E, nos momentos em que não a teve, no jogo de sábado, pecou na qualidade da bola da única atacante que virava, a Skow.

Comentários

Anônimo disse…
Alysson,

Saí regozijado com a derrota, principalmente depois que o Ruela pegou a Dani Lins no canto e tentou fazer aquilo que fez com a Claudinha. A cara de derrota dele não tem preço.
A Dani estava jogando mal mesmo, embora o passe também não estivesse bom. Interessante como a Dani deixou de jogar com as centrais, o que era uma de suas melhores marcas. Não sei o que aconteceu.

Laura, achei que você pegou pesado com a Claudinha, porque o passe também não estava tão bom em Osasco, e ela tava fazendo até um jogo objetivo, sem muita invenção. Eu tô com a impressão de que ela vai ser a melhor levantadora de novo este ano.

A Paula Pequeno foi crucial na virada e vitória. A Mari Paraíba não estava passando bem, que é sua principal função, e a Paula entrou e estabilizou tudo. Acho que não errou nenhum passe. A partir daí, incentivo da torcida e agressividade, o Osasco conseguiu se estruturar e virar o jogo.

Adorei ver Lorene, Brait e Claudinha gongando o Zé Ruela.

Acho que o vencedor do Paulista vai ser o Bauru.
Pop On Air disse…
Depois de ver jogos e Jogadoras de alto nivel no MUndial, chega bate preguiça desses jogos da Superliga e Camp. Paulista
Anônimo disse…
Pop, concordo com você. O nível da Superliga é muito baixo. Tanto novatas como jogadoras experientes jogam muito mal, como amadoras. Poucas se salvam.
Paula jogou demais principalmente na recepção. Brait varreu o fundo. Wal, Lorenne e Leyna foram muito bem no ataque. Agora Hinode mesmo sendo um time estrelado , não vence nem o paulista.
Kamila Azevedo disse…
Osasco fez um jogo de superação, pois não esteve bem nas duas partidas contra o Barueri. O time cometeu muitos erros bobos, mas acho que, no final, prevaleceu o melhor conjunto do Osasco. Zé Teimoso está ultrapassado até nos clubes... Acho que ele tem que entender que está chegando o momento de se retirar e curtir a família...
Nessa partida eu vi o Zé Roberto com mais energia e cobrando mais do time do Hinode Barueri. Por que ele não teve essa mesma postura na seleção brasileira no campeonato mundial?
CLAUDIO DITA disse…
Achei que a Claudinha jogou bem. Não concordo com a crítica. Nunca pensei que fosse ter asco por alguém como tenho pelo Zé Roberto, simplesmente não consigo mais olhar pra esse senhor. Duro saber que o vôlei feminino que tanto amo está nas mãos dele.
Paulo Roberto disse…
Concordo com o Claudio, acho que nessa partida a Claudinha foi até bem, dentro das limitações dela.

O primeiro comentário também faz um questionamento que me fiz vendo essa partida: o grande diferencial da Dani Lins sempre foi usar e abusar das centrais, em especial aquela que lhe acompanha na rede. Mas mesmo com passe na mão o jogo dela ficou muito concentrado nas pontas, e não é de hoje, mesmo antes da gestação já tinha observado essa mudança. Ela que já não é um primor levantando pras extremidades perdeu aquilo que mais pesava a seu favor.

Vi o jogo do Sesi contra o Pinheiros, aquele sim me pareceu mais digno de uma possível final. Fabíola voltando a ser aquela Fabíola, Diouf aos poucos engrenando, Valquíria me surpreendendo, até Saraelem jogando bem e a cubana muito forte no ataque. Lembrando que ainda tem a Tiffany. Pelo lado do Pinheiros um time muito regular e bem treinado, se tivessem um nome de peso tipo a Jaque, elevaria o patamar da equipe. Acho que o Sesi pode dar muito trabalho nesta temporada pros grandes times.
Anônimo disse…
Só de ver o Zé Roberto, e a Pani Lins terem perdido o jogo, já fico saciado. Só que me faltava, depois do fiasco no Mundial, ainda ir para final do Paulista! Não merecido!. Parabéns a Claudinha e a Lorenne. Paula também, com a idade que tem jogou muito bem. Fiquei satisfeito! Parabéns Luizomar e Osasco!
Anônimo disse…
Pop....é o que temos para hoje!!.....mas sou confiante....e vejo surpresas na Superliga este ano!
Renato Carvalho disse…
Esse time pirâmide hinode é bem fraco
Anônimo disse…
Golden Set:25x16? Que surra! Depois de levar uma coça vexaminosa no Golden Set, é melhor mesmo Zé Roberto e Dani-se Lins enfiarem a viola na sacola e sair de fininho à francesa! Jogadoras que estão fora da seleção panela de Zé Roberto, por dioferentes motivos, deram show e foram decisivas como as craques Walewska e Paula, Lorrenne que é melhor oposta que Rosamaria e Camila Brait que é melhor líbero que Gabiru.
Zé Roberto é muito ultrapassado e mão deveria continuar na seleção e Dani-se Lins deveria se enxergar e largar o osso, já que p/Zé Roberto ela é insubstituível.
Parabéns ao Luizomar e às meninas do Audax Osasco por mais uma final!
Mantronix Inc disse…
Torcendo sempre contra o time do ZRG
Lulu disse…
Observar a plasticidade da movimentação e execução dos fundamentos de ofício da líbero Camila Brait não tem preço. Vai chegar na melhor forma na SL, ainda assim, hoje, é a única. Sem clubismo.
ElaIne Mara disse…
Buenas ...Laura vi alguns jogos do Se sim Bauru e não vi a Tifanny.O que passa? Se alguém souber por favor me diga tbm. E o que tem verdade da Jaque ir para o Sesi? Abraços tbm contra o Hinode tbm kkk
Laura disse…
Elaine, a Tiffany está na reserva da Diouf. Tem entrado nas inversões.

Lulu, cada vez q vejo a Brait jogar dá uma saudade dela na seleção... Ela nem está no auge e a diferença para as demais continua grande.