Montreux 2018 - Brasil 3x0 Camarões

Foto: Divulgação/Montreux
O Brasil cumpriu bem com sua obrigação ao vencer Camarões sem estender a partida para além do necessário, evitando desconcentração ou falhas bobas. Também pudera, muitas vezes no jogo a seleção teve somente que sacar para conquistar o ponto. Partida que exigiu um esforço pequeno, portanto, contra uma equipe que, apesar da potência das atacantes Nana e Moma, carece de muita técnica.

Com a vitória, o Brasil ficou em primeiro lugar do grupo B e determinou os seguintes confrontos de semifinais:

13h30 - Brasil x Itália

16h00 – Turquia x Rússia

O único confronto entre Brasil e Itália neste ano foi no encerramento da fase classificatória da Liga das Nações. As italianas saíram vencedoras num jogo bastante equilibrado, mas também bastante irregular das duas seleções.

Não sei sobre a Itália, mas o Brasil não mudou muito de lá para cá. É bem verdade que a Dani Lins voltou, a Gabi está em melhor condição física e há o reforço da Garay. Mas, como temos visto, a inconstância e a falta de padrão continuam.

Na Liga, o Brasil, já classificado para a fase final, poupou a Tandara. Agora no Montreux, novamente não terá sua oposta e principal atacante num confronto contra a Itália. Apesar do retorno da Garay, o time conitnua com dificuldades de colocar a bola no chão e de encontrar uma segurança pelas pontas. Isso pode ser um problema contra uma equipe que conta com a Egonu, jogadora que muitas vezes carrega o ataque italiano nas costas.

Além disso, preocupa a forma apática como o Brasil tem começado os seus jogos. Demora a engrenar e a agredir, numa postura que não condiz com o peso da sua camiseta. Uma vitória pode não ser significativa para a perspectiva da qualidade de jogo brasileira, mas animicamente seria muito importante.
 
Quer dizer, não acho que uma classificação para a final do Montreux represente que a seleção esteja consertando todos os seus problemas e que coloque o Brasil entre os favoritos ao Mundial. Porém, nota-se como este grupo precisa recuperar a autoconfiança que as derrotas e as más atuações têm abalado. O time vive uma fase ruim, mas não pode se apequenar.

Comentários

Anônimo disse…
As camaronesas Moma e Nana são diamantes brutos que na mão de um bom técnico em clube do exterior podem evoluir muito, elas tem uma boa impulsão, são altas, musculosas e tem muita força física, precisam treinar num clube grande pra deslanchar! Além de Paola Egonu, Lucia Bosetti e Cristina Chirichela pontuam bastante também, as líberos italianas Monica De Gennaro e Beatrice Parrochiale e a levantadora Ofelia Malinov são muito boas!
O Brasil melhorou com a integração de Fernanda Garay, Suelen e Drussyla ao time e com a entrada da Roberta no lugar da Dani Lins que deu Pani contra a Polônia. O jogo contra a Itália parece ser uma pedreira, vejamos o que acontece.
Por enquanto, a Turquia vem jogando o melhor voleibol desta Montreux.
Kamila Azevedo disse…
A seleção feminina não fez mais do que a sua obrigação ao vencer o time de Camarões, que é muito mais fraco tecnicamente, quando comparado com as brasileiras. Vamos ver como o time se sairá contra as italianas.