Liga 2018 - Brasil 3x2 China

seleção brasileira feminina de vôlei
 
Até aqui na Liga das Nações 2018, a China foi o maior desafio do Brasil – e a seleção conseguiu superá-lo.  E não foi só o resultado que traduziu o sucesso desta empreitada contra as campeãs olímpicas, mas a forma que o Brasil respondeu ao desafio. 

Curiosamente, não foi a melhor atuação brasileira no campeonato. A seleção voltou a se perder nos erros de recepção, deixando se envolver no perigoso e alucinante ritmo de jogo chinês. A Roberta também não fez das suas partidas mais regulares, errando a altura de bolas importantes para a Tandara e na escolha de certas jogadas. A levantadora ainda não consegue ser um ponto de estabilidade e clareza quando outros fundamentos do time não funcionam – o que até é compreensível, principalmente quando o que desanda é o passe. 

Apesar desses problemas, o Brasil soube, na maior parte da partida, lidar com suas limitações e controlar os pontos fortes da China. Residiu aí, a maior vitória brasileira na partida: a sabedoria ao enfrentar um adversário com mais recursos individuais e menos limitações do que o seu.

A China recorreu ao banco para reequilibrar a partida a partir do segundo set. As entradas da atacante Li e da líbero Wang amenizaram a pressão para cima da Zhu no ataque e no passe, por exemplo. Já o Brasil teve que se virar com as suas peças de sempre e se concentrar nas táticas de jogo para fazer frente ao adversário. E foi isso que fez., com aplicação e correção - dois aspectos que fazem a diferença contra uma China que erra bastante e facilmente se desconcentra quando pressionada. 

Se a virada de bola era um problema, o Brasil não arriscou no ataque e apostou na defesa e no bloqueio para confirmarem o ponto. Para controlar a velocidade e as opções de jogadas chinesas, aplicou-se em fazer um saque mais forçado e preciso para cima da Zhu e da Li. Um feijão com arroz que pode não ser brilhante, mas, se bem feito, torna o time bastante competitivo. 
 
  ********************************* 
Individualmente, ninguém esteve imune aos maus momentos do Brasil no primeiro e quarto sets. Mas vale destacar como algumas jogadoras cresceram nos momentos decisivos. Caso da Adenízia, no bloqueio, e da Drussyla, Amanda e Tandara, no ataque. Foi uma partida difícil particularmente para as atacantes de ponta e elas se viraram e se superaram.

Quando a Drussyla entrou, imaginei que a recepção brasileira iria piorar depois de um primeiro set que já havia sido ruim no fundamento. Mas não. Ela segurou bem a pressão chinesa e foi a responsável por colocar o time no jogo com seu saque. Apareceu no ataque, novamente, em momentos difíceis.

Já a Amanda é a que dá mais consistência ao ataque brasileiro. É uma ótima opção nos contra-ataques –  bolas em que, aliás, a Roberta tem trabalho muito bem -, e tem feito a rede de dois quase sempre rodar com tranquilidade, se virando muitas vezes em bolas difíceis.

E a Tandara continua segurando um caminhão nas costas, sendo bastante acionada e sempre bem marcada. Está tendo, também, que equilibrar seu ímpeto de resolver tudo na força com a paciência de trabalhar a bola e decidir no momento certo. E, na partida de hoje, ela encontrou este equilíbrio, além de ter repetido boa atuação no saque e na defesa. 

*********************************

A vitória na Liga não quer dizer nada sobre um possível futuro encontro no Mundial, mas é ótimo para o Brasil atual se avaliar tendo como um parâmetro uma seleção de alto nível como a China. Primeiro, para evitar que um respeito exagerado (daqueles que viram medo) se crie na seleção brasileira. Segundo, para que o Brasil veja que está no caminho certo e bem posicionada entre as grandes seleções.

Se levarmos em conta que ainda há como se fortalecer, com peças que hoje estão de fora, e há o que se aprimorar, desenvolvendo um jogo mais variado, por exemplo, podemos afirmar que o Brasil tem totais condições de se colocar entre os favoritos ao Mundial.

Comentários

L. Mesquita disse…
Quem precisa de TING ZHU quando se tem AMANDA FRANCISCO no time???
Zhu é só ataque, porém passe e defesa são fundamentais!!!
AMANDA não deu mole pras XING LINGS, parabéns pela excelente partida!!!
O pseudo-jornalista "hater" da Amanda não sabe nem mais o que escrever, está totalmente perdido! Amanda pisa nos "haters" com classe!!!
Kaike Lemos disse…
Quem são xing lings perto da seleção brasileira! Tandara continua PODEROSA, Amanda e Drussylla vão pro Mundial com certeza jogaram bem, mas oscilaram um pouquinho! Macris ainda não deu ROCK na seleção! Achei que era hoje que ela ia tirar a titularidade da Roberta! A levantadora brasileira fez uma partida irregular com muitas bolas previsíveis e sem atenção principalmente a china com a BIA. Adenizia apareceu na hora certa, eu acho que se a Bia continuar assim, ZRG vai fazer isso: Copa Panamericana a Mara joga e se conseguir se destacar na competição ele tira a Bia e coloca a Mara pro Mundial. ZRG já cansou de fazer isso, mas com as jogadoras erradas!

Alguns IDIOTAS ainda ficam "ENDEUSANDO" as Xing lings! Brasil ganhou e a China depende muito da Zhu! Se Brasil vencer amanhã, já mostra grande evolução em relação ao Brasil de 2017!
Rafael Grapper disse…
Amanda é uma grata surpresa. Mostrando muita consistência na recepção e muita inteligência no ataque, está confiante, bem diferente daquela jogadora que titubeava no clube. Estou ainda impressionado como ganhanos desse time chinês com a Roberta em quadra, isso mostra como as demais jogadoras souberam sair de situações complicadas. Quanto a Suelen: fantástica defensora mas precisa mostrar mais consistência no passe e estar mais atenta às coberturas.
Anônimo disse…
Parabéns Brasil!!!!
Parabéns Meninas!!!!
Parabéns Zé Roberto!!!!
Kd as Imbatíveis Chinesas????
Roberta está errando muitos levantamentos,,, isto é preocupante...
Boa Brasil....
Zé Roberto e Meninas Parabéns pelo trabalho,,, calando a boca dos invejosos....
Amanda está jogando pra caralho. Em dado momento pensei que seria só sorte de um ou outro jogo, explorando sempre bolas pra cima, mas ela tá jogando com uma variedade enorme de ataques, sempre muito bem escolhidos a depender de como o bloqueio chega diante dela. Sério, chega arrepiei na partida de hoje, ela estava dando muito mais confiança no ataque do que a própria Tandara. Também estou começando a aprender a admirar a Drussyla e a Roberta durante esta Liga das Nações (embora, especificamente no jogo de hoje, a levantadora tenha feito uma péssima partida, mas é exceção em relação aos outros). A Suelen, nem se fala, catando demais. Temos time, e ganhando ritmo a cada jogo. Só falta o ataque das centrais funcionar melhor agora...
Anônimo disse…
Já cantei essa pedra de que a Drussyla é uma joia em desenvolvimento. Tem muita habilidade e quando se estabilizar será uma das melhores jogadoras do Brasil.

Já disse também que quem ataca com Roberta ataca com qualquer outra jogadora, porque o que ela coloca as atacantes em dificuldades não tá no gibi. Tem muito que melhorar.

Amanda babadeira nas mãos bobas. Se eu fosse o Zé tirava ela do jogo um pouco a partir de agora e jogava mais com a Gabi ou a Rosamaria, pra esconder um pouco a Amanda. Mas sei que ele não vai fazer isso e vai manter o time até o fim.

Não vou mais comentar sobre as centrais porque o jogo do Brasil agora é pelas pontas mesmo, estilo russo, e as centrais só bloquearão.

O time está de parabéns, jogou de igual para igual e manteve a cabeça no lugar não entregando o jogo.
Alysson Barros disse…
Não sei por que tanto elogios. Que jogo pavoroso.

Gabi no primeiro set e Roberta no jogo inteiro - mas principalmente no tie-break - foram as responsáveis, aliado ao passe de TODAS, sem exceção, pelo circo de horrores protagonizado hoje.

Perder de 25-10 é inaceitável, independente de quem seja o adversário. Eu costumava zoar a Itália de Francesca Piccinini pelo 25-07 que tomou daquele super time uma década atrás, mas... Agora as chinesas nos presentearam com algo bastante parecido. E elas nem têm um super time. Têm somente a Zhu. Vergonhoso. ZR estava escondendo a cara.

Erro de combinação da levantadora, erro de passe e erro de saque em tie-break... Inadmissível. Parece que a derrota na Rio-2016 não serviu pra nada.

Não sei até quando a coisa vai se sustentar dessa maneira, de qualquer forma, parabéns a todas pela superação. Um time cheio de fraquezas ganhar das campeãs olímpicas merece, de fato, comemoração.

A tríade formada por Marco Freitas, as bobagens do Sérgio Maurício e agora a Fabi, carioquíssima, é insuportável. Haja cariocada. É necessário mutar a TV para poder acompanhar a partida.