Liga 2018 - Brasil 3x0 Argentina

seleção brasileira de vôlei feminino

Contra uma seleção sul-americana, um jogo típico do campeonato Sul-americano. O Brasil sobrou contra uma Argentina que sentiu o peso de jogar contra a camisa verde-amarela.

Isso se refletiu, principalmente, na fragilidade da recepção argentina. As jogadoras mais experientes não conseguiram compensar a juventude e inexperiência das ponteiras. A Argentina não conseguiu fazer frente ao forte ritmo imposto pelo Brasil que, desde o início, pressionou no saque e anulou as poucas chances de ataque que o adversário conseguia organizar.
 
O Brasil não deixou a Argentina respirar, tamanha a superioridade. 
 
 
********************************
 
Para o Brasil, seria a partida perfeita para dar ritmo às jogadoras do banco se o Zé Roberto não tivesse sido tão comedido. Acho que a Macris e a Rosamaria poderiam ter tido mais tempo em quadra. A atacante, por exemplo, não conseguiu entrar no ritmo de ataque que o Brasil mantinha nos sets e acabou por colaborar mesmo somente com o bloqueio.

Pelo menos a Monique começou desde o início como titular. Mas, no caso, acho que mais importante do que dar ritmo a oposto reserva, foi dar um descanso para a Tandara.

No mais, tem me agradado o crescimento das atuações da Amanda e da Drussyla, cada vez mais à vontade e confiantes. A sequência certamente tem ajudado e elas têm aproveitado a oportunidade com competência. Tomara que quando os confrontos se tornem mais duros, elas não recuem porque acho que as duas podem ser peças importantes para compor o grupo no Mundial. A Amanda, por conta do fundo de quadra; a Drussyla, pelo ataque e pela coragem, com potencial de mudar o cenário de uma partida.

Comentários

Anônimo disse…
Não há muito o ue dizer desse jogo, mas vou pontuar algumas coisas:

1 - vi alguma qualidade em algumas jogadoras argentinas. Têm boa estatura, as ponteiras têm potencial de ataque e de passe também. A líbero é boa, mas a levantadora, terrível. Mas são muito ingênuas. Parecem estar ilhadas do resto do mundo jogando um vôlei muito fraco e juvenil. Teriam que fazer mais intercâmbios e irem jogar em outras ligas.

2 - Eu não vejo a Rosamaria como ponteira na seleção. Acho que esta é a única coisa que não vai dar certo. Ela não passa bem e não ataca bem pela entrada de rede. É cheia de vícios em seus gestos técnicos e não tem variações de golpes, sempre atacando na paragonal (tudo isso na entrada). Muita birra e bateção de pé para pouco vôlei. Talvez como oposta, mas...

3 - A Mara segue pelo mesmo caminho. Não vejo um potencial ou um desenvolvimento que justifiquem sua convocação. Não vejo perspectiva de melhora. Nem concordo com Adenízia lá, quanto mais Mara.

4 - Mesmo com um time fraco as jogadas de meio não fluíram. Algo a se ater!

5 - Por último, eu acho que quando a Drussyla deixar de ser alvoraçada e se acalmar mais no jogo, tende a ser uma jogadora espetacular. Ela é um sal dentro desta seleção, levando algo da qualidade da Sheilla no auge, guardadas as devidas proporções. Muito bonita a forma como ela se coloca em quadra e se impõe, seus golpes de praia, personalidade, altivez e destemor no ataque. Uma jogadora diferenciada que não se encontra todo dia por aí. Tem muito a evoluir e talvez ser uma das melhores do mundo.
L. Mesquita disse…
Boa tarde Laura e amigos!
Dá para ver que a Argentina investiu muito em altura das jogadoras em detrimento da técnica, já Zé Roberto está apostando na técnica das jogadoras em detrimento da altura.
Considero esse o caso de Amanda e Monique que não são jogadoras muito altas, porém, ela têm nos presenteado com muita técnica no ataque.
O que eu acho bem interessante no jogo de Monique e Amanda é que elas reconhecem suas limitações na altura, tentam evitar ficar enfrentando o bloqueio e conseguem achar ótimas alternativas de ataque, como explorar o bloqueio, variar a potência e visualizar o buraco defensivo na quadra.
Em relação à Drussyla, vejo nela uma clássica jogadora de vôlei de praia em quadra, ele tem todo os cacoetes de quem joga vôlei de praia e isso faz o diferencial dela dentro de quadra, além de ser muito raçuda.
Admiro muito também a garra da Suelen na defesa.
Enfim, acho que o Zé Roberto está priorizando atacantes mais técnicas dentro de quadra, que gritem menos e joguem mais, até por isso Rosamaria não ficou muito tempo em quadra...
L. Mesquita disse…
Amanhã temos um confronto no estilo Davi x Golias, das jogadoras mais baixas porém técnicas e aplicadas taticamente do Zé Roberto contra as gigantes brutamontes do Marcos Kwiek da Rep.Dominicana que querem resolver tudo na base da porrada, mas que são desorganizadas taticamente e sempre batem cabeça dentro de quadra.
Acho Zé Roberto muito mais técnico que Marcos Kwiek e, apesar de as brasileiras levaram desvantagem na altura e na força física em relação às gigantes dominicanas, espero, mais uma vez, uma vitória de Davi sobre Golias, pois Davi usou a seu favor a inteligência e a técnica enquanto Golias só tinha altura e força...
Anônimo disse…
Eu adoro as dominicanas e sinto muito pela estagnação delas. Essa parceria com o Marcos Kwiek já não dá frutos. O comando deve mudar, para o bem e desenvolvimento de ambos. Não é só a seleção que vai mal, ele também vai queimando sua imagem mundialmente.
Kaike Lemos disse…
Gente, alguém percebeu que a Marte tá jogando muito mal! Mds! A mulher só põe jaca pras dominicanas e o cego Kwiek não percebeu! Toda descompassada, erra tudo! Brasil VICE LIDER e é só esperar um tropeço dos EUA é termina como primeiro!
- Coreia do Sul: Jogadoras estão ajudando a Kim,a mesma tá dando sinais de voltar a ser a de 2012!
- China: Joga com preguiça e ficam fazendo corpo mole.
- Eua : Tá fazendo jogo só com as pontas pq a Murphy quase não ataca! Se ele vir com Larson,Hill,Robinson e Bartsch de oposta passadora aquele time voa.
- Holanda: Nunca vai ganhar nada de relevante a não ser se a Sérvia morrer igual Cuba!
SÉRVIA : Poupando a Boskovic e vindo pro jogo com a Bjelica.
Anônimo disse…
Vocês estão assistindo por onde? Só vejo os jogos do Brasil.