Xô, amarelão!

Dentil/Praia Clube 3x0 Sesc-RJ 
(Super Set: 25x18)

Sesc Bernardinho Fernanda Garay vôlei feminino
Foto: Wander Roberto/Inovafoto
 
Avisa aí que a Superliga tem um novo campeão! E é o Praia Clube!

Já faz umas quatro temporadas que, com investimentos pesados, o time mineiro está à procura deste título. E ele veio na melhor temporada. Naquela em que, como bem disse Paulo Coco ao final da partida, a equipe quebrou diversos tabus, inclusive o de não vencer o Rio de Janeiro.

Mesmo assim, o time também passou por provações, a principal delas na final da Copa Brasil em que perdeu para o Osasco. Ali a dificuldade em superar decisões voltava a assombrar o Praia e nos fazia duvidar de que poderia ser um vencedor.

Pois, depois deste domingo, a desconfiança e a pecha depreciativa de "amarelão" destinadas ao Praia podem ficar de lado. O time mineiro conquistou, com propriedade, o lugar mais alto do pódio da Superliga 17/18! 

***************************************

No post sobre a primeira final, expus minhas dúvidas em relação à capacidade de reação do Praia para inverter a situação em que se encontrava. Sabia que o time poderia jogar muito melhor do que naquele primeiro jogo, mas achava difícil que, do outro lado da quadra, o Sesc, com toda a sua tradição e “copeirice”, desse brecha para uma virada.

Do Rio e do Bernardo se espera tudo. Inclusive passar três sets jogando muito pouco e de repente, naquele um set que precisa vencer, aparecer e abocanhar o título que parecia encaminhado para o Praia. 

O Sesc até deu sinais de que iria aprontar no Super Set, mas, no fim, quem cresceu nos momentos finais - e com muita maturidade - foi o Praia. O time foi muito senhor de si. Quando se pensava que, com algumas reações do Sesc, ia perder a mão da partida, ele voltava, com o foco, a comandar o jogo. 

***************************************
 
O Praia tomou conta da partida quando acertou o aproveitamento dos contra-ataques, que no primeiro set começou mal. Ali criou o domínio sobre o Sesc, pois era nos contra-ataques o ponto em que as cariocas levavam vantagem. Com isso acertado e com uma virada de bola bem mais constante do que o adversário, o Praia embalou.

Mais seguro no passe, o Praia, comandado pela Claudinha, aproveitou todo seu rico repertório. E, para melhorar, teve Fawcett e, principalmente, Garay em uma manhã “matadora”.

Aliás, foi uma partida de redenção para algumas jogadoras e de confirmação para outras. Garay apagou a má atuação do primeiro jogo com uma atuação de gala, virando as bolas mais importantes no ataque e dando segurança na recepção. Amanda não fez uma partida espetacular, mas não comprometeu na rede e se recuperou rapidamente dos erros de passe, mantendo o fluxo de jogo do Praia. Fabiana foi outra jogadora que se redimiu do mau desempenho na primeira final.

Fawcett, com mais companhias no ataque, novamente foi importante para o time sendo decisiva, desta vez, no saque. E, Claudinha, sempre tão contestada, teve uma atuação muito segura, lúcida e de qualidade, esbanjando habilidade em muitos momentos.

Já do outro lado da quadra, pelo Sesc, individualmente algumas jogadoras ficaram devendo. Aquelas que costumam ser a cara do time, Monique e Gabi, ficaram devendo. A ponteira principalmente fez uma partida para esquecer. Foi ela o ponto frágil da recepção carioca e não a Drussyla, como se poderia imaginar. E no ataque pelas pontas, foi também a Drussyla que tentou puxar o time no Super Set. As veteranas é que não conseguiram manter o ritmo de recuperação ditado pela jovem ponteira. 
 
Pelo menos a Fabizinha pode se despedir das quadras, se não campeã, com a certeza de que brilhou na sua última partida como em toda a sua carreira. (Depois devo fazer um post sobre a despedida da jogadora). 


***************************************
 
Foi uma temporada difícil para o Rio que começou com a perda do patrocínio de mais de uma década da Unilever e que terminou sem um grande título. Bastante atípica, portanto. Com muitas jogadoras com problemas físicos, o time lutou quase a SL toda para achar a formação ideal e reencontrar seu estilo de jogo.

Mas em qualquer outro clube, problemas como esses já teriam decretado o insucesso da temporada. O Sesc, porém, resistiu e, mesmo longe do seu melhor, esteve próximo de mais um título da SL. 
 
Uma grandeza e uma competência que nenhum outro clube brasileiro tem. 


***************************************

O título do Praia consagra a melhor campanha da SL e, o mais importante, um projeto sério de investimento no vôlei feminino que vem sendo feito há exatos dez anos, quando o time venceu a Liga Nacional e entrou para a elite do vôlei.

É importante para o campeonato nacional que uma nova força apareça e se consolide. Uma vitória como essa, derrubando a hegemonia do Rio, é inspiradora. Tomara que a conquista do Praia represente um caminho vitorioso para o clube como também um cenário nacional mais competitivo e equilibrado, em que mais equipes consigam se colocar no patamar do já supervitorioso Rio. 

***************************************
 
As premiações individuais:

Melhor jogadora: Tandara (Vôlei Nestlé)
Melhor ataque: Tandara (Vôlei Nestlé)
Melhor saque: Bruna Horório (Pinheiros)
Melhor bloqueio: Bia (Vôlei Nestlé)
Melhor recepção: Fabi (Sesc RJ)
Melhor defesa: Suelen (Dentil/Praia Clube)
Melhor levantadora: Roberta (Sesc RJ)
Melhor jogadora da final: Claudinha (Dentil/Praia Clube) 
 
- Roberta tinha pela frente uma temporada de afirmação e a premiação como melhor levantadora só legitima a sua entrada para o primeiro time de levantadoras do Brasil.
 
- Tandara é outra jogadora que vive ótima fase - mas confesso que me preocupo pelo quanto ela é exigida fisicamente. Pontuou por ela e por quase todo mundo do Osasco.

- Que bom que a Fabi se despede com um prêmio individual. Só mostra como ela sai das quadras em alto nível. 

- Deveria ter a categoria "Mais sortuda", que seria dado, é claro, para a Andreia. Conseguiu ir para um time grande depois de uma temporada desastrosa no Brasília e ainda é campeã brasileira. E sem praticamente nem entrar em quadra.


Comentários

cleyton nayos disse…
Credo Lauraaaaa,

Rindo até agora com o "Mais sortuda"
Rsrsrsrs
Kaike Lemos disse…
TOMBADAAAAS! CHUPA MARCO FREITAS! CHUPA TANDE! Praia ganhou merecidamente! Garay a Fada e as centrais deram aula de como atacar! Sortuda? Andreia? kkkk! N entra nunca pois o Paulo Coco viu a burrada que fez ao contrata la! Ela é pessima!
Laura! Sua opinião sobre Gabi,Natalia e Bruna no Minas e as jovens Edinara,Lorenne e Paula nos clubes na proxima temporada.
Lembra da Andreia campeã pelo Osasco? Pelo RJ?
Pois é. Pode ser a única campeã pelos 3 maiores clubes por incrível que pareça
Anônimo disse…
kkkkkkkkkk

Na onda do seu prêmio de mais sortuda, diria que o de mais azarada seria da Gabiru... Cansou de ser vice em Osasco e foi pro rio pra ser vice de novo!
Neilthon disse…
Acho que a derrota para o Osasco na final da C.BRASIL e a semifinal com 5 jogos fez o praia subir de patamar.Ali tivemos um a finalização do amadurecimento da Claudinha (assim espero)
Thulyo Praxedes disse…
Foi um Jogaço do Praia Clube, Claudinha deu um show na partida de hoje! Mereceu o título de melhor da partida! Garay e Fawcet estavam fulminantes! Excelente partida delas! Foi de arrepiar! Muita emoção vivida pelas jogadoras de ambos times, inclusive o choro da Roberta no final do Set foi emocionante! Agora deixo uma observação: ansioso esperando os que DECRETARAM o VICE do Praia, comentar sobre a vitória do mesmo!
Chandler Bing disse…
Se no Jogo 1 muito se questionou a vitória do Rio pelo fato de o Praia Clube ter jogado abaixo, ou seja, nada funcionou pro time mineiro, neste Jogo 2 podemos dizer algo a respeito do Rio de Janeiro, nada funcionou. Enquanto que do lado do Praia tudo deu certo: Fernanda Garay foi excelente, Fawcett idem, Fabiana e Wal apareceram e principalmente Claudinha, com passe na mão, distribuiu o jogo muito bem.
Eu fico contente com esta vitória do Praia, como muitos falam, isto é bom para o voleibol no Brasil... e como a própria Walewska falou, quebra um pouco dessa hegemonia. Praia Clube está de parabéns por ter feito esta excelente partida, por ter calado a boca de muitos que desacreditavam no time (e ainda falavam mal) e principalmente por ter vencido o grande time do Rio na final.

Como eu disse no início, as coisas hoje no time do Rio não foram das melhores, pois Gabi se esqueceu de ir pro jogo. Mérito do Praia que soube se aproveitar ainda mais disso, sacando nela. Se eu fosse o Bernardo, a teria tirado de quadra. Eu admiro isso nele, de confiar na jogadora até o último minuto, mas eu acho que hoje era dia de tê-la mandado pro banco, não à toa "ela entregou a partida", não foi bem no ataque e nem na recepção. Roberta também não soube distribuir bem o jogo e a sintonia com as centrais não estava boa.

Mas é isso aí, não da pra ganhar tudo, né Rio?!

Agora que comece um dos momentos que eu mais gosto, as montagens dos times, especulações e também uma certa decepção com os elencos. Minas e Praia prometendo excelentes times... só quero ver Rio, Osasco e Barueri.
Luiz Felipe disse…
Fiquei muito feliz com a vitória do Praia, principalmente por ser fruto de anos de investimento contínuo, sério e profissional. Essa é a receita do sucesso! Especialmente emocionado com a vitória pessoal da Claudinha, MVP da final, vítima contumaz de vários injustos detratores de seu ótimo trabalho.

Sou torcedor do Minas TC, mas sou também muito bairrista, confesso, rs. Muito contente pelo vôlei do meu estado ter conquistado, além do título sul-americano feminino, a Superliga feminina, após 16 anos. Nova dobradinha pode vir, no masculino, se o Cruzeiro ganhar a SL, tendo já vencido o último sul-americano.

O SESC/RJ termina a temporada apenas com os títulos estadual e o da Supercopa - torneios pouco expressivos para um time acostumado a ser multicampeão. Que a perda da hegemonia faça a diretoria do SESC/RJ rever sua estratégia (descendente) de investimentos nos últimos anos. Estava ficando chato ver o time vencer tudo com planteis, com o devido respeito, cada vez mais medíocres, contando apenas com a inegável força de sua excelente comissão técnica...
Anônimo disse…
Ai, não sei o que dizer. Tô passada.
Anônimo disse…
Parabéns ao Praia Clube qur foi premiado pela investimento em grandes jogadoras e deu a bolta por cima depois dos vices no Mineiro e na Copa do Brasil. E o pelo visto, com os rumores de mercado, o time vem ainda mais forte próxima temporada. Das titulares devem sair Claudinha, Amanda e Walewska. Suellen, Fabiana, Fernanda Garay e Fawcett devem renovar. Chegam para serem titulares Lloyd, Carol e Rosamaria. Rosamaria mesmo inconstante, terá no banco nomes como a Ellen e a Michelle. Fala-se ainda em Paula Borgo e Fran para compor o time. Espero que o Dentil/Praia Clube compre um dos 4 convites pro Mundial, pois com Suellen/Lloyd/Fabiana/Ana Carolina/Fernanda Garay/Rosamaria/Nicole Fawcett o time tem tudo para brigar de igual para igual com os principais times asiáticos, italianos e turcos (a ver quem vai disputar).
Pelo visto próxima temporada o Minas também virá forte com Gabi, Natália, Bruna Honório,Macrís, Walewska, Mara e Léia. Essas especulações são as que rolam.
O Sesc Rio, pelo que falam além de ficar sem a Fabí, deve ficar sem a Jucy e a Gabi. Pelo visto, o clube carioca terá que se reinventar para voltar ao topo. Teremos que ver ainda como Osasco (com o novo patrocínio) e o Hinode Barueri (do ZRG) vão está.
Ronaldo Silva disse…
Parabéns Praia Clube. Grande conquista
#ficaclaudinha
Kamila Azevedo disse…
Esse foi o título de Superliga mais fácil da história da carreira da Andréia. Ela pouco contribuiu com a campanha do Praia Clube. Não diria que ela é sortuda, e sim que tem um excelente empresário! rsrsrs

O Praia Clube mereceu ser campeão da Superliga. Fez a melhor campanha no torneio e esteve sempre à frente dos demais adversários. Hoje o time engoliu o SESC, não deixando o time do Rio jogar. Qualquer outro resultado, teria sido injusto com o que o Praia Clube apresentou hoje.

Concordo com você, Laura, quando você comenta a respeito da partida irregular que fizeram Monique e Gabi. Esta última, especialmente, pouco fez em quadra e foi responsável direta por alguns pontos importantes do Praia Clube, especialmente em erros de recepção e de ataque. Também achei que a Roberta não estava num dos seus dias mais inspirados hoje, sendo muito irregular na distribuição de bolas. Acho que o Bernardinho errou também, especialmente no terceiro set, quando poderia ter tirado a Gabizinha, por exemplo, e ter colocado a Kasiely pra tentar estabilizar a recepção do SESC.

Do lado do Praia Clube, os grandes destaques foram Claudinha e Fernanda Garay, que foram excelentes na partida de hoje. Para Claudinha, foi uma Superliga de recuperação. Depois de algumas temporadas muito instáveis, ela foi muito constante em todo o torneio e mereceu demais o reconhecimento obtido ao final da partida de hoje. Sem dúvida, ela termina esta temporada por cima e pronta para recomeçar sua carreira num novo time, de cabeça erguida. Ela conseguiu segurar a responsabilidade de ser a levantadora titular de um time com grandes estrelas e cujo investimento foi feito visando esse título, tendo como sombra uma talentosa levantadora reserva, a Ananda. Claudinha está de parabéns, assim como o Praia Clube.

Aguardando ansiosamente as movimentações do mercado. Acho que teremos uma Superliga muito equilibrada na próxima temporada - e, como espectadores e amantes do voleibol, merecemos isso!
JC disse…
Laura, eu queria fazer um comentário sério elogiando o jogo e suas observações (relevantes como sempre), mas não consigo.

Motivo?

Você me matou de rir com a sugestão de troféu para Andreia. kkkkk
Laura disse…
Pois é, também senti falta de substituições do Bernardo. Como vc falou, Chandler, eles costuma apostar até o fim em algumas jogadoras q ele sabe q podem fazer a diferença mesmo qd estão mal, como seriam os casos da Gabi e da Jucy. Mas houve momentos em q ele poderia ter usado a Kasiely e até a Vivian.

Neilton, boa lembrança! No fim tá com um currículo na SL mais vitorioso q muita grande jogadora.

Brinco com a situação da Andreia, mas, no fundo, tô é com inveja. Tá no lugar certo e na hora certa. Se não dá pra ser competente, que seja sortuda!
Anônimo disse…
Fico vendo os comentários sobre a Gabi, enquanto ela espreme e esconde a drussyla em meio metro de quadra fica com a responsabilidade de passar pelas duas. A bola que foi nesse meio metro a Drussyla passou bem. É muita sacanagem avaliar a jogadora sem entender das táticas da partida. Nem torço pro Rio, torci e muito pelo Praia. Lembro de terem falado o mesmo da Garay no jogo 1. Bloqueio triplo e duplo nela, e ela lá deixando o mesmo meio metro de quadra pra Amanda e ficando impossibilitada de atacar com velocidade que é seu forte.
Mantronix Inc disse…
Eu fiquei de olho na Claudinha desde a primeira bola q ela tocou, sempre pego n pé dela, e a contratação antecipada da Loyd em seu lugar antes de terminar a SL foi o fim! Um desrespeito c a atleta sem tamanho, e ela respondeu c tapa na cara c luva d pelica nos dirigentes, merecidamente levou o prêmio de melhor jogadora em quadra, pouquissimos erros de distribuição, e ZERO erros em saques em toda a partida!

Preocupação c Gabi, ainda n esta 100%, frágil na recepção e insegura no ataque, a pergunta q fica é, ainda pode recuperar a tempo seu vôleibol? Ou quem entra em seu lugar na Seleção?
Anônimo disse…
Bruno BH:

E deu PRAIA!!! Só vence o Rio/SESC quando se vence a si mesmo, porque do lado de lá sempre haverá um time extremamente aplicado taticamente, com muitas ou poucas estrelas. Falando do jogo, apesar de cada set ser um jogo - devido à questão emocional - aquele segundo set foi determinante para o PRAIA não se trair. Se o Rio ganhasse ali, com a força mental e história de títulos que tem, não sei não. Mas o se não entra em quadra né, se entrasse o Minas pelo menos jogaria a serie das semi de igual pra igual depois do fatídico 24x20... O PRAIA não venceu por causa do investimento maior, venceu porque jogou mais. Claudinha merecidamente merece as honras porque esteve mais regular, segura em toda a fase final... As dificuldades que o Praia vinha tendo contra o Nestlé/Osasco e no primeiro jogo da final não eram de responsabilidade dela e sim das ponteiras e centrais (contra o SESC) que não estavam resolvendo. Hoje no set decisivo titubeou em algumas bolas, mas, acho que pelo emocional e ansiedade. Final em dois jogos, se não é o ideal, é muiuuuto melhor que jogo único! Hoje podemos dizer que sem jogo único talvez o Rio não teria 12 títulos, mas era o regulamento e ganharam com soberania indiscutível por isso mesmo. Interessante foi ver que o Praia trocou jogadoras apenas para o saque, tamanha força mental das titulares, já o Sesc até demorou a tentar algo, mas, dessa vez não havia jogadora surpresa. Talvez a Isabel poderia ter entrado nos momentos que Gabi caiu de produção no ataque, mas, a recepção ficaria ainda mais fragilizada. Lembrei aqui no seu blog que para o PRAIA vencer teria que atuar como o UNIBAN/São Bernardo de 1999. Foi melhor, atuou como Nestlé/Osasco de 2012 em jogo de duas seleções. É ótimo e um dos melhores ensinamentos do esporte para a vida, quando resultados de quebra de hegemonia acontecem. TODA A REVERÊNCIA À FABI POR TUDO QUE FEZ NO ESPORTE E PELO VÔLEI!!! GRATIDÃO À MAIOR LÍBERO DE TODOS OS TEMPOS.
Tinha q ter o mais azarada também pra Gabiru. Foi pro Rio, se machucou e ainda trouxe o azar do osasco junto. Puta merda.

Aquele negócio. 2 jogos e dois dias totalmente diferentes. O Praia ganhou assim como poderia ter perdido. Péssimo dia pro Rio resolver nao jogar nada. Gabi muito insegura. Tá precisando mudar de ares mesmo. Não acho o Praia tão acima do Rio, mas teve na Garay o poder de decisão q a Gabi não teve. Parabéns ao Praia e só aviso que vai ter volta. Sempre tem!!
Anônimo disse…
A Roberta se perdeu um pouco no goldenset quando deixou de acionar a Monique, que ficou muito tempo sem receber. As bolas que ela tentou com as centrais era para a Monique. Também acho que o que matou o Rio neste ano foi a ausência de duas centrais efetivas como sempre teve. Se a Carol estivesse presente e a Jucy estivesse inteira como no ano passado talvez o resultado pudesse ter sido diferente.

Gostei da vitória do Praia. Parabéns para a Claudinha. Fiquei muito feliz por ela. Garay e Tandara melhore jogadoras brasileiras atualmente.

A Andréia é a maior farsa do vôlei brasileiro. Não suporto ela.

Cadê nosso amigo Sérgio?
Anônimo disse…
Mantronix

Concordo com a falta de respeito em divulgar a contratação da Lloyd antes do final da superliga. De quem vazou a informação e de quem publicou. Porém, a saída da Claudinha já era mais que esperada, com o poderio de ataque do Praia, qualquer levantadora faria o mesmo que ela ou melhor!
Finalmente conquistou a superliga, jogando muito nessa final, sai por cima, de cabeça erguida e se Deus quiser recuperada de seus traumas e inseguranças! Ela é muito talentosa, mas precisava superar essa barreira para acreditar em si mesma!
Laura disse…
É, Gabiru teve um azar danado...

Sobre a Gabi, não foi a primeira vez q ela cumpriu esta função tática e teve que assumir boa parte da quadra na recepção para proteger a Drussyla. Só q, desta vez, ela não fez bem esta função. Na maioria das vezes, ela vai bem e se vira com a enorme responsabilidade (e é reconhecida por isso). Mas hj esteve num dia ruim e fez falta ao Sesc. E nem digo pelo ataque, mas pelos erros que cometeu no passe, q não são comuns da sua parte. O mesmo aconteceu com a Garay no 1º jogo e, nesta segunda partida, mesmo tendo q proteger a Amanda de novo, arrebentou. Agora não dá pra fechar os olhos e não dizer q a má atuação da Gabi hj e da Garay no primeiro jogo não afetaram as suas respectivas equipes. Isso é fato e só acontece pq a Gabi e a Garay são grandes jogadoras e importantíssimas para o sucesso dos seus times.
CLAUDIO DITA disse…
Tô muito feliz! Finalmente pude soltar o grito de campeão! Sou muito fã da Claudinha e essa vitória me fez chorar! Espero que ela continue evoluindo e sempre torcerei por ela. Espero que pinte um convite pro Praia disputar o Mundial desse ano. Go Praia!
Mantronix Inc disse…
Laura,
Há comentários q Tandara já recebeu proposta p/ jogar no Vakif na Turquia e outra p/ jogar na China. Alguma atualização?
Mineirim disse…
Estava com medo do Praia não conseguir novamente. Que surpresa maravilhosa, já estava ficando cansativo e chato. O voleibol feminino agradece. Parabéns Praia. Claudinha agora é elevada a outro patamar. Nenhuma jogadora precisava tanto dessa vitória quanto ela, talvez os rumores do mercado a ajudou nisso, mexeu com os brios dela.
O Praia Clube guardou o melhor para o final. Grande partida. Não deu chances ao SESC RJ. Vitória merecida!Parabéns!
Alysson Barros disse…
Parabéns, Praia! Parabéns, Claudinha! Não vá pegar a nhaca osasquense, hein?

E por menos carioquismos no voleibol nacional!
Anônimo disse…
Laura tenho que discordar de vc em relação ao jogo 1 da Garay. Passou muito bem, porém estratégia do Paulo Coco era de vencer a partida com a Amanda como primeira bola. Claramente ela nao tem capacidade para ser líder ofensiva de qualquer equipe. No jogo 2 Paulinho voltou para o que fez o time ter a melhor campanha na fase regular...bola na Garay e na Fabi/ Sal. Isso abriu o jogo para a Nicole e para a Amanda poder ser mais efetiva. Isso aliado ao pequeno metro de quadra que a Amanda precisou cobrir, deram a consistência que o Praia precisava para bater com o pé nas costas a equipe do Rio, que em termos individuais foi o pior elenco do Rio dos últimos anos. Porém com muito mérito por chegar em mais uma final.
Anônimo disse…
Parabéns Praia!!! Vitória Incontestável!!!
O melhor foi ver o Nalbert com cara de c... pq o time dele perdeu de 4 X 0.
Tava na hora do Praia vencer!!!
Pelo Rio só fiquei triste pela Fabi, um monstro da posição e é bi campeã olímpica e humilde diferentes das outras que não ganharam nada de expecional a nível mundial e se acham as melhores do planeta só pq jogam no Rio....É bom perder que a crista cai junto.