Para recuperar a moral

Dentil/Praia Clube 3x1 Camponesa/Minas
 
Foto: Divulgação Praia Clube
Para quem vinha sofrendo no segundo turno nos jogos contra times intermediários, nada mais tranquilizador do que vencer um clássico com a superioridade que venceu o Praia Clube o seu rival Minas.

Aliás, surpreende que Praia e Minas, se conhecendo tão bem, não consigam fazer um confronto realmente equilibrado desde que começou a temporada nacional. Nesta partida, houve momentos muito bem jogados e disputados, principalmente no primeiro set, mas não foram os que predominaram, infelizmente. 

****************************************

E parte desta falta de equilíbrio se deveu ao Minas, que teve maiores dificuldades na recepção e no aproveitamento dos contra-ataques. Rosamaria e Hooker estiveram muito bem marcadas tanto pelo bloqueio como pela defesa do Praia.

As duas defesas funcionaram bem, deve-se dizer, o que rendeu os melhores momentos da melhor da partida. Mas o Praia foi muito superior na construção dos contra-ataques e contou com um passe mais constante, o que permitiu a Claudinha aproveitar todas as jogadas. Foi ótimo ver o quanto a levantadora utilizou a Wal com coerência e como a central correspondeu com eficiência. 
 
 
***************************************

É um alívio ver que o Praia respondeu tão bem ao primeiro grande desafio deste segundo turno depois das últimas partidas em que, apesar de manter a invencibilidade, sofreu contra adversários menores.

Mesmo sem a Fawcett, voltou a se assemelhar ao Praia que vimos no primeiro turno, que se sobressai às demais equipes desta SL. Um resultado e – mais importante – uma atuação que mantém o time mineiro na liderança e o afasta de uma perigosa e iminente decadência.

Ao mesmo tempo, é decepcionante ver que aquelas partidas que deveriam ser as mais equilibradas, acabam por evidenciar quão desnivelado está esta edição da SL, inclusive entre os favoritos.

O Minas ainda não encontra uma forma de bater o Praia desde que venceu o campeonato mineiro. Está tendo uma dificuldade maior do que a esperada na parte ofensiva e com jogadoras rendendo menos do que podem, casos de Hooker, Mara e Leia. A impressão é de que o time evoluiu muito pouco desde o princípio da temporada e de que o tão esperado “ponto da virada”, aquele em que o time se apresentará como sério candidato ao título, nunca chega.

Comentários

Cesar Nascimento disse…
Olá Laura e amigos , o praia não precisou fazer muita força pois o Minas se encarregou de facilitar muito as coisas exceto no terceiro set quando forçou e muito o saque na Ellen que foi razoável no ataque mais quinou todas as bolas e na garay que tem alguma dificuldade em passar bem quem aproveitou as inúmeras bolas xeque que o Minas deu , o Minas ficou com o time na continha não tem peças de reposição vai continuar sofrendo e vai conseguir medir forças do Fluminense pra baixo ainda dizem que o Sesc é o mais fraco em termos de elenco dos grandes ! dúvido que seja
Lulu disse…
Apesar de líder, ouso dizer que o Praia é mais um candidato ao título. Esperava mais regularidade.
Luis Eduardo disse…
Olá, Laura. Como sempre, excelente texto sobre o jogo. Eu nunca fui fã da Léia. Acho ela uma jogadora mediana. Porém, o que ela tem jogado reflete exatamente o que o Minas tem passado nesta superliga.
O próprio técnico teve que apelar para uma suposta "raiva", para, enfim, beliscar um set do Praia.
As jogadoras parecem estar conformadas com o campeonato que o time está fazendo e não lutam no jogo com garra e determinação...Macros tem decepcionado, Rosamaria não apresenta nenhum recurso diferente, Mara não colabora no ataque... Enfim, parece um grupo de jogadoras achando natural perder daquela forma...mais uma vez.
Eu concordo com o comentário do Luís Eduardo. No 15X12 do terceiro set a Leia colocou de manchete uma bola péssima para a Hooker. O Praia defendeu e a Suellen levantou de toque para o ataque do Praia.
Vendo a Léia jogar eu me pergunto o que deve pensar a Brait sobre ter sido preterida na seleção
Marco Barbosa disse…
Sou um entusiasta da presença de estrangeiras na SL. Abrilhanta o campeonato, ainda mais se for uma jogadora de seleção. O intercâmbio eleva o nível da competição e provoca interesse da torcida. Os técnicos estrangeiros também são bem vindos, pois sempre há a expectativa de vermos uma abordagem diferente do jogo, o que pode vir a enriquecer a escola brasileira com novidades táticas. Mas confesso minha decepção com o Lavarini. O Minas foi ousado e investiu em um técnico com bom currículo vindo de uma das principais escolas do voleibol mundial, mas até agora não vi nada de relevante agregado pelo italiano. O time é bom, tem jogadoras experientes, boa média de altura, aparenta uma ótima condição física, mas o trabalho do técnico não sobressaiu até agora. É pena. Espero que um eventual insucesso na temporada não enterre a ideia de termos por aqui a presença de treinadores de outras escolas importantes.
L. Mesquita disse…
Boa Noite Laura, Marco Barbosa e amigos.
Eu vi a a conquista do Campeonato Mineiro e a quebra da hegemonia do Praia Club no estadual como um grande feito do Stefano Lavarini. Lavarini está trabalhando visando aos play-offs, o que importa é estar entre os 8. A fase de mata-mata é outro campeonato. O Nestlé provou na Copa do Brasil que não adianta nada liderar uma fase de classificação como o Praia, porque isso não deu o ´titulo na hora de decidir a Copa do Brasil.
Acredito no trabalho do Stefano LAvarini, ele foi o único que conseguiu montar um esquema que marcou a Tifany muito bem. Contra o Minas Tifany fez apenas 6 pontos.
Anônimo disse…
Rosamaria decepcionante. Eu até pensava q ela ia pro mundial esse ano, mas com o voleibol que ta apresentando não tem a mínima chance. As 4 ponteiras serão: 1 – Fê Garay (melhor ponteira do Brasil em atividade e titular absoluta), 2 – Natália (titular e queridinha do técnico José Roberto), 3 – Gabi (Boa opção ofensiva em caso de pane de algumas das titulares) e 4 – Jaqueline (melhor recepção e fundo de quadra do Brasil. Tá melhorando sua forma física e é uma ótima opção em caso de pane na recepção de alguma das titulares). Rosamaria não tem chance com essas quatro ponteiras.
Zelirbem 90 disse…
Engraçado como o baile segue sempre em comentar a performance de alguma jogadora do time que perdeu o jogo. A coitada da vez, ops,digo a bola da vez é a Rosamaria, mas ver neguinho dar o braço a torcer e comentar a performance da Claudinha nada né!?
Pois bem, ela jogou muito bem na marcação da Rosamaria no block, saca muito bem e a quantidade de bolas com bloqueio simples (com o duplo quebrado na maioria das vezes), e sem contar que nesse jogo não aconteceu, mas não é raro ela deixar a ponteira sem bloqueio nenhum. Enfim, acho que quando ela joga bem todo mundo fica pianinho, mas quando não vai assim tão bem, ela é criticada além da conta (sem realmente ser tão culpada quanto realmente foi)
Anônimo disse…
Acho que Jaqueline já deu o que tinha que dar na seleção, acho mais fácil ele levar a Mari Paraiba do que a Jaque. ZR tem que apostar na renovação, levar jogadora jovens, acredito que 3 vagas pra ponteira já estão certa, Garay, Natália e Gabi, a briga vai ser pela 4 vaga, pra mim está em aberto, ainda tem muita coisa pra acontecer nessa superliga, não descarto a Rosamaria de jeito nenhum, até pelo histórico que ela tem com ZR, que não é de hoje.
Ana disse…
Sempre que o Minas perde a culpa é da Rosamaria, já observei isso nas redes sociais, existe uma perseguição contra ela, eu participo de um grupo no whats no qual tem uma @ famosa do instagram, ele fica incitando as pessoas a irem nas redes sociais da Rosa atacar ela, não entendo o motivo de tanta raiva... Toda jogadora passa por fase ruim, ela poderia jogar melhor, tem condição pra isso, só que não concordo de levar a culpa sempre que o time perde, ela não joga sozinha.
Luiz Felipe disse…
Sou torcedor do Minas, mas a verdade é que o time (ainda) não "aconteceu" nesta SL.

Hooker sem a mesma explosão das temporadas anteriores, Rosa e Pri bastante instáveis no ataque e passe (com a nova americana, Newcombe, sem capacidade de reverter esse cenário), Macris não se adaptou à equipe, Mara muito aquém do que pode render... O Lavarini tampouco tem condições de fazer a diferença, na minha opinião...

Prevejo um playoff de oitavas dificílimo para o Minas (provável quarto) contra o Barueri (provável quinto) e que, ao contrário do Minas, está numa crescente nesta reta final de segundo turno com Lloyd, Skowronska e brevemente Thaisa.
Jess disse…
Boa Tarde a todos!

Ana, muitas pessoas fazem isso mesmo, (acho desnecessário, já que é um esporte coletivo; Não q já não tenha xingado alguma jogadora, mas não ao ponto de ir em rede social da mesma e atacar ela);
Se o Osasco perde a culpa é sempre do Luizomar;
Praia perde a culpa é da Claudinha;
Minas perde a culpa é da Rosa (ano passado era da Naiane); e por ai vai..

Concordo, com o comentário acima que o que vale são os Play-offs, mas vejo o Minas um time meio bagunçado, não sei se é impressão minha.. Se continuar como está a classificação, capaz do Barueri surpreender;

E sobre a convocação, Ze deve levar a Jaque, ou levar 5 ponteiras e só a Tandara como Oposta.. Vamos aguardar;

P.S: Nada a ver com o tópico, mas vai lá: o Vitra anulou a Zhu, será que agora os times (seleções) vão conseguir parar ela?
JC disse…
Concordo com o que os Anônimos falaram sobre as ponteiras para o Mundial. Fê Garay, Natália e Gabi são certezas, em especial com a recuperação desta última. A quarta ponteira, ao meu ver, ficará entre Jaque, Rosamaria e Drussyla. Eu, particularmente, acho que a única ponteira que rivaliza com a Jaque em termos de equilíbrio (passe e defesa qualidade de líbero e ataque que não compromete) é a Mari PB, razão pela qual ela seria a minha quarta ponteira se a Jaque realmente não for convocada.

Acho Rosa e Drussyla promissoras, então seria importante tê-las no grupo para continuarem ganhando experiência e desenvolvendo seu voleibol - são o futuro da posição na seleção.

Mas, para ganhar o Mundial, ficaria com as quatro citadas e Mari PB correndo por fora, porque Rosa e Drussyla nem sempre rendem o necessário - vide essa temporada na Superliga, em que se esperava muito mais delas, em razão do quão bem jogaram ano passado.
Anônimo disse…
Eu como torcedora do Minas estou torcendo pro Fluminense passar o Barueri na tabela, muito medo do Minas pegar o Barueri nas quartas, o time melhorou muito, Minas vai ter uma sequência boa jogando contra os favoritos, começou passando vergonha contra o Praia, vamos ver com Osasco e Sesc, ainda tem os jogos com o Sesc no sul-americano, que sirva de preparação pros play-offs.
Marcos Pontes BH disse…
Boa noite.

Não vejo culpa no Lavarini pela derrota do Minas. Um time pode ter boas peças mas precisa ter liderança. Aquela jogadora que se pode contar na hora ruim. Na superliga só duas, Fe Garay e Tandara, talvez a Gabi, torço pra que volte bem e seja a referencia do Rio. Poderia colocar algumas centrais( Wal, Fabi,Bia ou Jucy) na lista, mas na hora do aperto com passe C quem resolve são essas ai mesmo. O minas não tem ninguém com essa bagagem emocional, a mais experiente deveria ser a Hooker, mas não a vejo exercendo qualquer tipo de liderança. Com jogadoras instáveis como a Rosa e a Daroit, o Minas precisa e muito de alguém, talvez a Newcomb, que possa ser essa experiencia e serenidade que as mais jovens precisam.

Jess realmente a Claudinha jogou muito bem, mas mesmo assim em momentos do jogo tomou péssimas decisões que poderiam ter comprometido o jogo, tanto que saiu para entrada da Ananda, que entrou muito mal. Acho que o problema da Claudinha é que mesmo com o arsenal ofensivo que ela tem nas mãos, ela consegue complicar o jogo, independente de ter o passe na mão.

Na minha opinião, algumas atletas são jogadoras de time pequeno. Quando estão em times que não tem perspectiva de nada, jogam o fino da bola, já quando o elenco tem condições de brigar não seguram a pressão. É um exemplo que ocorre no praia, e daí ter Tal, Fabi e Garay faz toda a diferença, e é só por isso que o time se manteve invicto mesmo com a queda de produção no segundo turno.
Anônimo disse…
Respeito a opinião alheia, mas penso diferente em alguns pontos. Sim, o Minas até agora não mostrou regularidade na Superliga, e os playoffs estão aí. Aos que falaram que "começa um novo campeonato nos playoffs", eu concordo parcialmente. Geralmente citam exemplos como as olimpíadas (Londres, Rio) e a Copa Brasil. Mas a superliga é uma competição longa e totalmente diferente. Os playoffs são jogados em várias partidas. Queria que vocês apontassem times, nesses mais de 20 anos de superliga, que saíram do quarto ou quinto lugar na classificação e ficaram com o campeonato. Eu, sinceramente, não lembro. Talvez haja um ou outro, mas são quantos??? O Sesi quando foi à final talvez possa ser citado como um exemplo, mas caiu na final. Enfim, me desculpem, mas nesse nosso campeonato, quem geralmente leva a melhor são os 2 primeiros da fase de classificação. Tudo bem que esse ano é atípico, os times estão se montando no meio da temporada, com atletas voltando de contusão e contratações, mas mesmo assim contra fatos não há muitos argumentos. Só pra lembrar o quanto parece "injusto" por aqui um time sair de baixo e ir até um título, o campeonato brasileiro de futebol começou a ser jogado em pontos corridos no ano seguinte ao título do Santos, que havia saído de um OITAVO lugar no turno e returno para eliminar o primeiro colocado São Paulo. Curiosamente mudaram a fórmula. Na NBA, que é um campeonato extenso e que é "normal" haver derrotas na fase classificatória - todos os times tem algumas - raramente os primeiros e segundos colocados ficam de fora das finais. Então, meus amigos, essa história de que playoffs podem reverter tudo é uma meia verdade. Poder, pode, mas em campeonatos longos, é bem uma EXCEÇÃO. Se vai dar Praia, Rio, não sei. Mas pelo menos pelas estatísticas, eles são os favoritos sim.
Cesar Nascimento disse…
anônimo vc teve uma polidez de racionio excelente , concordo com quase tudo , tem que incluir o Osasco nesse possível campeonato se for uma final comun ou seja Rio e Osasco resultado totalmente imprevisível ,se for um dos dois contra o praia pode saber que o praia será vice !
Anônimo disse…
Anônimo, claro que vc não lembra de resultado diferente pq o Bernardinho papou quase todos os títulos!
Mas em 2018, o Nestlé já provou que não precisa estar no topo da tabela para conquistar o título da Copa Brasil.
E Lavarini também provou que pode fazer seu time render mais com essa vitória sobre o Campeão da Copa Brasil.
Play-offs são outro campeonato, sim, e o Minas de Lavarini tem chances, sim, de ser Campeão da Superliga!