Equilíbrio que reflete a inconstância

Camponesa/Minas 3x2 Vôlei Nestlé
Foto: João Pires/Fotojump

Jogos de cinco sets dificilmente ficam devendo em emoção e equilíbrio. O clássico Minas e Osasco não foi exceção. Idas e vindas no placar deixaram em dúvida o resultado final até o último ponto.

No entanto, não se pode dizer que o confronto tenha sido lá muito qualificado. Foi uma partida que refletiu a campanha das duas equipes. Ou seja, muita inconstância e irregularidade, mantendo a imagem de desconfiança que cerca os dois times. 

******************************************

O Osasco não conseguiu entrar na partida no primeiro set, pressionado pela relação saque e defesa muito bem executada do Minas. Voltou bem no segundo set, com o ataque funcionando pelas pontas, mas durou pouco. Na primeira pane da recepção, o Osasco voltou àquele jogo dependente quase que exclusivamente da Tandara.

Se não fosse a oposta - numa atuação excelente (recebeu 69 bolas e teve 51% de aproveitamento) -, o Osasco não sobreviveria tanto na partida. Leyva foi presa fácil para o bloqueio e defesa mineiras, que funcionaram muito bem. 
Aliás, o Minas foi mais completo nesta partida e, por isso, merecedor da vitória. Não teve grandes destaques individuais, mas como conjunto funcionou melhor.

A maior dificuldade mineira foi na virada de bola. No entanto, as respostas da defesa e do contra-ataque acabaram compensando. Hooker, de quem cobrava melhores atuações, fez um jogo de definição. Quando o time precisou, ela fez a diferença. Até mesmo jogadoras que costumam deixar a desejar em momentos críticos, caso da Rosamaria e da Pri Daroit, cresceram na decisão. 

******************************************
O Minas, com uma partida a mais, roubou a terceira colocação do Osasco, um ponto à frente da equipe paulista. No fim, os dois times estão muito parecidos nesta temporada, há alguns passos de Praia Clube e Sesc quando se trata da SL.

Ainda estamos à espera de que o Minas mostre a que veio. Já do Osasco pudemos ver o potencial na Copa Brasil. O problema é que está difícil repetir algo parecido na Superliga. Será que só vamos ver o melhor destas equipes nos playoffs? Ou nem isso? 


******************************************
Demais resultados da 8ª rodada do returno:

Pinheiros 2x3 São Cristóvão Saúde/São Caetano

Vôlei Bauru 1x3 Sesc-RJ

BRB/Brasília 1x3 Hinode Barueri

Fluminense 3x0 Renata Valinhos/Country

Dentil/Praia Clube 3x0 Sesi


Comentários

Sergio disse…
Laura, boa noite!

O jogo foi bastante disputado, contudo as defesas foram o ponto forte das equipes, já a recepção foi que deixou sempre o jogo aberto. Agora pergunta que não quer calar. O Osasco ou o Minas podem tirar o primeiro e o segundo lugar das duas primeiras equipes ainda?
Poderia falar um pouco do jogo entre Bauru x SESC?
Anônimo disse…
Os dois primeiros já estão matematicamente definidos (Praia e Sesc, não necessariamente nessa ordem), e o terceiro e quarto também (Minas e Osasco). Os playoffs prometem... A disputa contra os times mais abaixo (Hinode, Bauru) não deve ser fácil. É incrível ver como alguns times "encaixam" seus jogos contra outros. O Minas consegue ganhar do Osasco, mas vai mal contra o Praia. O Osasco já consegue atuar melhor contra o time de Uberlândia. Enquanto isso, o Rexona vai comendo pelas beiradas, e tem tudo para ser finalista novamente...

O Osasco sofre com sua Tandara dependência. É obvio que deve-se levantar para quem vira. Mas chega uma hora, simultaneamente, que a Tandara cansa e as outra jogadoras começam a sair do jogo, já que acreditam que não serão chamadas a virar bolas.
Foi o que se viu na final da Superliga passada e no jogo de hoje. A pontuação excepcional da Tandara deveu-se ao seu enorme talento, mas também a abdicação pela Fabíola de outras opções de ataque.
A Tandara igualando o recorde de pontos da Tiffany acaba mostrando justamente isso, já que o elenco do Bauru é mais limitado e tenderia a depender mais de uma única jogadora.
Um outro ponto que não pode passar em branco é a estranha presença desta péssima arbitra que quase estragou o jogo, como faz em todas as vezes que atua, como no lastimavél caso Drusilla.
Será que o padrinho da moça é forte?
L. Mesquita disse…
Hooker por ter pontuado nos 3 fundamentos,saque,ataque e bloqueio ganhou o Troféu VivaVôlei,mas eu o daria para a Léia que teve uma atuação defensiva impecável e corajosa,inclusive até tomando bolada Tandara na cara.A mesma Léia que marcou implacavelmente a Tifany na vitória contra o Bauru sem ter medo de dar a cara a tapa!
Continua afirmando que nos play-offs começa outro campeonato diferente da fase de classificação em 2018.O Nestlé já provou que não precisa estar no topo da tabela para conquistar o título da Copa Brasil.E Lavarini também provou que pode fazer seu time render mais com essa vitória sobre o Campeão da Copa Brasil.O Minas de Lavarini tem chances,sim,de crescer nos play-offs e,inclusive,ser Campeão da Superliga!
No jogo SESC3x1BAURU tivemos um duelo interessante de estilos completamente diferentes de opostas:Tifany de 1,94m com altura e força versus Monique de 1,78m com habilidade,variação de golpes e um grande poder defensivo.A pontuação de ataque foi parecida:Tifany fez 19 pontos de ataque e Monique 18,porém,o aproveitamento de Monique foi de 36%,maior do que o de Tifany,que foi de 33%.Tifany recebeu 58 bolas de ataque e pontuou somente 19 vezes,principalmente porque Monique estava inspiradíssima na defesa.Monique pode até não ter a altura e a força da Tifany,mas defendeu como uma ninja,marcando muito bem a diagonal da Tifany.Aliás,Tifany foi muito bem estudada e marcada pelos estrategistas Lavarini e Bernardinho,que fazem seu trabalho em vez de ficar inventando desculpas.Lavarini vem da Europa e está acostumado a enfrentar times com jogadoras gigantes de 1,90m e Bernardinho conquistou a Prata no Mundial de Clubes ficando também à frente de times de gigantes europeias,portanto,tanto Lavarini quanto Bernardinho tem currículo para marcar jogadoras altas e fortes como a Tifany.
Drussyla foi a principal sacadora do jogo,quebrando várias vezes o passe do Bauru,além disso dividiu com Monique a responsabilidade de ser a bola de segurança da Roberta e,com isso,faturou o Troféu VivaVôlei e disse:"Estudamos bastante o time delas,conseguimos marcar bem a Tifanny e defendemos bem."Ou seja,se o SESC tem jogadoras baixas para bloquear a Tifany,o caminho foi a defesa que atuou muito bem na marcação da oposta de 1,94m.
Não há igualdade de competitividade em nenhum momento dentro do esporte,sempre um atleta leva vantagem sobre o outro seja na força,altura,capacidade pulmonar,flexibilidade,habilidade,sempre uns levam vantagens sobre os outros.
Michael Phelps tem mãos maiores,tornozelos mais flexíveis,envergadura de braço que é maior do que sua altura,o que proporcionada ele braçadas maiores do que a dos demais atletas.Phleps deveria ser excluído por levar vantagem?
As longas pernas de Usain Bolt que são maiores do que a média dos outros velocistas.Por isso,o atleta consegue dar passos 20 cm maiores do que os outros atletas.Ele não leva vantagem,deveria ser excluído?
O ala da NBA,Kawhi Leonard,tem a mão gigante,28,5 cm do punho até a ponta dos dedos,52% maior do que a média do homem americano e ele tira proveito disso com maior facilidade na condução da bola.Ele não leva vantagem sobre os demais?
Corredoras quenianas,que sempre são favoritas em provas de longa de distância,têm pernas compridas,finas nas extremidades e equipadas com um calcanhar de aquiles largo e elástico.Combinação que permite correr mais gastando pouca energia.Por acaso as quenianas devem ser excluídas por levar essa vantagem sobre a maioria das outras mulheres?
L. Mesquita disse…
Nem Michelle e Monique Pavão que são GÊMEAS IDÊNTICAS,e tem a mesma altura,o peso parecido e características anátomo-fisológicas bem parelhas,nem elas competem em igualdade de condições.As gêmeas tem funções diferentes,Michelle é ponteira passadora,Monique é oposta,desempenham papéis diferentes dentro da quadra e não se enfrentam em igualdade de condições,uma sempre leva alguma vantagem sobre a outra.Todo atleta,seja cisgênero ou transgênero,tem vantagens e desvantagens.É importante lembrarmos que o esporte se baseia na vantagem de alguém sobre o outro.
A única hipótese em que não houvesse vantagem anátomo-fisológica de um alteta sobre o outro seria se todos os atletas tivessem a mesma altura,a mesma densidade óssea,mesma massa muscular,mesmo peso,se fossem todos exatamente iguais,se fossem todos clones.Isso é impossível,pois se não tivéssemos vantagens uns sobre os outros não teríamos Federer,Nadal,Phelps,Bolt,Boskovic,Zhu,Kim etc.Esses atletas se destacam justamente por levarem vantagens sobre os demais.
Não há dúvidas que Tifany leva as vantagens dela pela altura e força que tem,porém isso é desculpa esfarrapada para que os preconceituosos queiram excluí-la,no esporte nunca há igualdade de condições,e jogadoras como Boskovic,Zhu,Kim,Goncharova,Martinez,Egonu sempre levaram algum tipo de vantagem também com sua altura e sua força sobre as demais jogadoras.
Pra mim vantagem indevida é um político ter apartamento funcional e receber auxílio moradia.É a reforma da previdência sem antes mudar a regra de aposentadoria de um político que se aposenta após apenas 8 anos de mandato.É auxílio educação superior a 7.000,00 reais,entre outras várias vantagens indevidas.Brasileiro é escorraçado pela classe política,cheia de VANTAGENS INDEVIDAS e ficam querendo inventar motivos para crucificar a Tifany que não fez nada de ilícito segundo as diretrizes do COI.
Victor disse…
Sergio, em relação a casos de arbitragem sempre fica mais fácil colocar a culpa neles. No lance da Drussyla, pode ter sido também a jogadora a ofender a árbitra, o que não me parece muito improvável, já que ela estava com a cabeça longe do jogo. Mas em relação a questões técnicas, está muito difícil defender, mas está difícil criticar. Precisamos urgentemente do video check!
Anônimo disse…
Que jogão, foi um dos melhores dessa superliga, ansiosa pros playoffs.
Kamila Azevedo disse…
Concordo com sua análise, Laura. A inconstância dos times foi a tônica da partida de ontem. O Minas começou muito bem os dois primeiros sets, sendo constante e sabendo atuar nas fraquezas do time de Osasco. No terceiro e no quarto sets ocorreu justamente o contrário: o Osasco conseguiu crescer na partida, contando com a atuação monstruosa de Tandara ontem, e levou o jogo ao tie-break, onde as meninas de Luizomar conseguiram fazer pouca coisa.

Fabíola e Macris fizeram uma ótima partida ontem, com uma boa distribuição das bolas. Apesar de achar que a Fabíola sobrecarregou um pouco a Tandara e errou em acionar a Mari Paraíba, que estava com um problema nas mãos, no tie-break. Me incomoda um pouco também o fato da Fabíola ter utilizado pouco suas centrais na partida de ontem.

Victor. Eu gosto muito deste Blog devido aos comentários tanto da Laura quanto daqueles como você.
Mas eu sou muito crítico de árbitros que compensam seus erros tentando intimidar os jogadores.
Me parece que quanto mais inseguro o árbitro mais autritario ele tende a ser.


Laura. Me desculpe encaixar um comentário aqui totalmente fora de contexto. Mas é uma questão que me acompanha a muito tempo e gostaria da sua opinião.
Eu assisto pelo Youtube vários jogos do passado e alguns já revi mais de vinte vezes o jogo completo.
Gostaria de compartilhar a minha opinião que a final da Superliga 2012/2013 entre Rexona e Osasco foi o melhor jogo de vôlei da história do voleibol brasileiro e certamente um dos maiores do voleibol mundial.
Você concorda com minha opinião? E esta final seria a maior demonstração da capacidade do Bernardinho? Vencer a seleção brasileira, virando uma partida em que perdia de 2 sets a zero?
Por que a pergunta. Porque são partidas como estas que fazem o esporte ser o que ele é.
A questão do jogo não foi Fabíola sobrecarregar a Tandara e sim as demais jogadoras sibrecarregarem a Tandara. Tentativa a Fabíola fez várias,as centrais não derrubaram sua bolas, tiveram um dia pouco inspiradas, a Leyva, péssima. É nessas condições antes a Tandara de ponteira e a Paula de oposta em alguns sets.
Creio que seja uma "carta na manga".
Jess disse…
Concordo completamente com o comentário da Kamila e completo dizendo que fica difícil ganhar um jogo de 5 sets, com Tandara fazendo 38 pontos e a 2º que mais pontuou fazendo 8 pontos, diferença absurda;

Não acho que o Minas possa ganhar a SL, claro que tudo pode acontecer e elas serem campeãs, jogo delas encaixam contra o Osasco, mas nao contra Rio e Praia (São Caetano tb).. Ainda acho o Rio favorito;
L. Mesquita disse…
Neilton achei perfeita a sua observação que não foi Fabiola que sobrecarregou Tandara e,sim, as demais atacantes que estavam sendo defendidas ou bloqueadas pelo MINAS. Fabiola tentava com as outras atacantes e se elas não viravam, voltava a bola pra Tandara que punha no chão!
Anônimo disse…
Só vou acreditar nesse papo de "tem que crescer na hora certa", " playoffs é outro campeonato " e tal no dia que um quarto ou quinto colocado ganhar a Superliga. Comparar copa do Brasil e Olimpíadas com Superliga não cola. Em mais de 20 anos de liga não consigo lembrar de uma reviravolta dessas. Ainda acho que vai ficar entre os 3 primeiros, que devem ser Praia, Rio e Osasco. Qualquer coisa fora disso é fora do padrão e portanto surpreendente.
Mateus CS disse…
Se Minas x Osasco não foi um jogão repleto de técnica, pelo menos não faltou emoção. Duas coisas que gostaria de falar sobre o jogo:
1ª- todos nós sabemos que a Tandara está na melhor fase de sua carreira e ontem mais inspirada do que nunca, mas a relação bloqueio/defesa do Minas deixou a desejar. Num jogo onde o time adversário só levanta bola pra uma única jogadora, pô, uma hora vc tem que pegar! Lavarini cansado de falar e sempre as mãozonas das blockers lá disponíveis para explorar. Acho que só melhorou no tie-break e olhe lá. Acredito que tenha sido mais méritos da Tandara do que deméritos do Minas, mas queria comentar.
2ª- Espero o bendito dia que Luizomar deixará de ser torrão e aprenderá a ver o jogo! Elogiei bastante o trabalho dele ano passado, pois foi surpreendente aquele vice campeonato, mas esse ano está sendo sofrível desde a montagem do time até as mudanças e não mudanças durante os apagões costumeiros do time. Copa Brasil foi uma exceção, na minha opinião, e esse raio não cairá duas vezes. No segundo set, quando começou a desandar, o time tinha 14x7 a favor e o Minas começou a forçar na Leyva. A menina compromete e bastante no passe e tava zerada (ou quase) no ataque, então por que me esperar o 14x14 pra entrar a Kika, estabilizar o santo passe e levantar bola pra Tandara? TIVE VONTADE DE TACAR O CONTROLE NELE rs.
Já comentei aqui no blog que a Nestlé está deixando o patrocínio master do time, inclusive o Luiz tentou em reuniões aqui com o marketing da empresa a qual trabalho novo patrocínio, mas acho que seria saudável tanto pra ele (assim seu foco seria no Peru) quanto para o time que assumisse apenas o cargo de gestão e deixasse Spencer assumir o posto técnico.
Laura disse…
Oi, Sergio! Este jogo que vc menciona é histórico, um dos grandes da SL, sem dúvida. Não só pela história emocionante da partida, de uma virada, mas tb por conta da qualidade do jogo. Mais uma amostra da capacidade de briga e recuperação das equipes do Bernardinho. Ele até tinha um elenco forte em mãos, mas com problemas físicos com a Natália e técnicos com a Logan Tom. Gabizinha, como é de costume nos times do Bernardo, acabou tapando o buraco da norte-americana com muita qualidade e personalidade. Enfim, às vezes no vôlei é mais difícil equiparar em quadra as diferenças de qualidade de elenco. E o Unilever conseguiu isso naquela final. Como vc falou, isso que dá graça e magia ao esporte.
Blog do Wallace disse…
Acredito que a atuação da Tandara dispensa comentários não só pelo jogo de ontem, como pelas temporadas que ela vem fazendo. Uma regularidade muito bem vinda pelas pretensões dela como jogadora da seleção. O que me preocupa nisso tudo é o físico da jogadora. Até onde aguenta o corpo humano nestas situações, porque às vezes esquecemos que não são 20/30 pontos por partida, são 90/100 ataques, fora defesas, bloqueios.... Certamente ela vai chegar muito bem para o mundial e merecidamente titular. Mas a gente sabe que o ciclo termina na Olimpíada e que as temporadas clube/seleção, são muito desgastantes. Olhando tanto o cenário nacional, quanto mundial, veja a quantidade de jogadores lesionados pós-seleção. E isso acontece porque na seleção um jogador já está com o corpo cansado da temporada de clubes é levado bem próximo de seus limites. E isso é trabalho da comissão técnica resolver jogo por jogo, especialmente do Luizomar que já viveu seleções de base e agora treina uma seleção adulta.
Fico felicíssimo em ver a Tandara brilhando, mas preocupado com o resultado a longo prazo, afinal, pelo ao menos na minha opinião, não temos oposta no mesmo nível dela.
Laura disse…
Pois pensei muito sobre a questão física da Tandara ontem durante a partida. Também me preocupa esta intensidade, ainda mais q ela é uma jogadora q tem q estar 100% fisicamente para se destacar. Tomara q ela esteja inteira no Mundial, seria a primeira vez q contaríamos com ela no seu melhor numa competição importante.
Joao Ismar disse…
Eu concordo com o Anônimo em relação ao "tem que crescer na hora certa" . Nos últimos anos, a única vez que vimos algo próximo disso foi quando o volei futuro (7) eliminou o Cimed (2) nas quartas de final da SL10/11, no masculino, de todo modo terminou em 3o perdendo a semi para o Sada.
Sobre o jogo, foi Fabíola e Tandara x Minas. O Minas jogou como um time, e Osasco dependeu exclusivamente da Tandara. Como alguns colegas já falaram, a chance do Minas ser campeão é fazer a final contra Osasco. É incrível como o Osasco não consegue ganhar do Minas, nem abrindo 14x7 no placar... contudo, esses dois devem se preocupar com o confronto de quartas antes de pensar em mais alguma coisa, Bauru, Barueri e até mesmo o Fluminense podem surpreender e como Osasco e Minas não são um poço de regularidade, podem acabar se complicando.

L. Mesquita disse…
Pessoal, vcs estão pegando pesado com o LUIZOMAR... Ele provou na Copa Brasil do que é capaz, derrotando o SESC e o PRAIA, mostrando que pode derrotar adversários mais bem colocados na tabela.
Estão pegando a Angela Leyva pra cristo, mas é difícil uma jogadora na idade dela jogar tudo que ela joga. LUIZOMAR está certo de deixá-la em quadra, ele está forçando a jovem Leyva a jogar sobre pressão, visando aos playoffs.
Já critiquei o LUIZOMAR, porém hoje consigo entendê-lo melhor. Cada técnico tem seu estilo e a unanimidade é burra. Além do que o Nestlé já está classificado para o playoffs e essa derrota para o Minas no tie break, jogando em Minas, não foi de todo ruim.
Kaike Lemos disse…
Nos playoffs o Volei Nestlé deve pegar o Hinode/Barueri. Agora com Edinara,Skow e Jaqueline inspirada. Olha, o problema da equipe de Osasco é no sua linha de passe, onde tem uma Leyva INEXPERIENTE e uma Mari PB que é um cone, pois quase n ataca e quando faz o mesmo, faz 8 pontos em um jogo que foi ao Tie-Break. Vamos ver o que Luisomar vai fazer com o Osasco e sua super dependência da Tandara.

Minas deve pegar o Flu nas quartas, o Minas pode se complicar com o jogo da Macris que não encaixa e a Mara fazer corpo mole para jogar. Esse jogo mostrou que as centrais serão fundamentais se o Minas quiser alguma coisa na SL.

Lavarini tem uma boa leitura de jogo e passa confiança as jogadoras quando n estão em um bom dia.

Essa SL n tem nada decidido, depois que o Praia perdeu pro OSASCO acredito em tudo.
L. Mesquita disse…
Só quero dizer uma coisa: Se Paula Pequeno se recuperar e voltar 100% para os play-offs, será difícil segurar esse ATAQUE do BAURU com PAULA, TIFANY E PALACIO pelas pontas!!!
Anônimo disse…
Até agora nao vi Laura opinar sobre a Tiffany.
L. Mesquita disse…
Achei FANTÁSTICA a iniciativa da exibição do VÔLEI NA NEVE nas Olimpíadas de Inverno na Korea. O VÔLEI NA NEVE ❄️ só tende a POPULARIZAR mais ainda o VOLEIBOL masculino mundo a fora!
Uma das grandes vantagens é que se houver alguma contusão, GELO é o que não vai faltar pra começar logo o tratamento...
Brincadeiras à parte já temos outros esportes que tem seus similares de VERÃO e de INVERNO, como o HÓQUEI 🏒 que também é praticado sobre rodas, a patinação artística ⛸ que também tem sua versão sobre rodas, o curling 🥌 que é parecido com a bocha. O Snowboarding cuja a maioria dos atletas também praticam Skate.
Enfim, a FIVB e a CEV estão de parabéns nessa iniciativa de POPULARIZAR cada vez mais o VOLEIBOL!!!
L. Mesquita disse…
Eu já vi a Laura opinar sobre a Tifany. E Laura opinou com toda sua ELEGÂNCIA, IMPARCIALIDADE, PROFISSIONALISMO que lhe é PECULIAR.
Laura comenta sobre a Tifany focada no seu voleibol, como ela faz com qualquer outra jogadora da Superliga, afinal de contas o que mais interessa é o voleibol que a Tifany e as demais jogadoras praticam.
Legal seria se treinadores e jogadoras fizessem a sua parte como fizeram Lavarini e Bernardinho que têm m experiência INTERNACIONAL suficiente para enfrentar jogadoras de 1,94m do porte da Tifany, do que fazer o papel ridículo do Paulo de Tarso de ficar inventando desculpas esfarrapadas para a derrota.
Kaike Lemos disse…
L. Mesquita, Paulo de Tarso treme na base ate pro Valinhos! Os outros técnicos mostraram ao pipoqueiro do Paulo de Tarson que Tiffany n é uma Boskovic da vida.

Minas x Rio vai ser melhor do q o do primeiro, pois o Minas conseguiu novamente ganhar do campeao da Copa do Brasil.

Praia deve perder pro Rio, só tem a Garay e centrais jogando. O Minas ano passado precisou do time todo pra vencer o Rio. Vamos ver o que vai acontecer.
MArcos Pontes disse…
L. Mesquita se agarrou nesse tema de a Tiffany ser "uma Jogadora" de 1,94m. Insiste em comparar ela com jogadoras biologicamente mulheres. Quando não fala da Tiffany até é relevante em seus comentários, mas quando tema é a Tiffany é repetitivo e se mostra mais radical que muitos contrários a sua causa. Tiffany não é mulher biológica para jogar contra mulheres, o fato de ela ser ruim não altera suas vantagens físicas que a colocam em nível de igualdade com as melhores e de superioridade com as jogadoras medianas, porém o COI autorizou sua participação em competições femininas, um erro na minha opinião, mas se autorizou está autorizado. Agora por favor L. Mesquita, deixe que pessoas que não concordam tenham seus pontos de vista ouvidos e lidos, e deixe que as pessoas possam ter o direito ao contraditório. Vc, nem eu e nem ninguém somos os donos da verdade! Todas as jogadoras com quem tive a oportunidade de conversar acham que a Tiffany não deveria jogar entre mulheres, isso dito por jogadoras tanto Hetero quanto gays, e só não podem se pronunciar a respeito pq o mundo está cheio de gente como vc, pronto para taxar alguém de homofóbico, transfóbico por não aceitarem uma imposição que afeta diretamente a elas e ao futuro da modalidade. A mesma coisa com pessoas da imprensa, já pensou se a Laura resolve aprofundar o tema a quantidade de patrulheis do politicamente correto iriam cair matando seu blog? E não estou dizendo que ela concorda com minha opinião, só estou dizendo que essa turma não deixa que seja questionado um tema que afeta a vida de todas as mulheres praticantes de esporte.
L. Mesquita disse…
Marcos Pontes, com todo respeito a vc, a Laura e aos amigos vou comentar o seu texto e tentar explicar o meu posicionamento.
A Tifany é uma jogadora biologicamente MULHER TRANS.
A causa não é minha, a causa é de respeito ao ser humano Tifany.
A Tifany não é ruim, ela tem talento para o voleibol, se não tivesse talento não estaria jogando a Superliga.
Vantagens físicas todos os atletas tem uns sobre os outros, o esporte se baseia nisso de sempre alguém levar alguma vantagem sobre o outro, se não fosse isso não teríamos Serena Willians, Boskovics, Gamovas, Nadals, Federers, Michael Phelps, Usain Bolts.
O melhor exemplo de vantagens físicas são os das FUNDISTAS QUENIANAS, enfim, no esporte sempre há as vantagens físicas.
Se Tifany fosse atleta de TRAVE DE EQUILÍBRIO as ditas vantagens da TIFANY a fariam ganhar da DANIELE HIPÓLITO? Com 1,94m e um pé grande, quem levaria vantagem para se equilibrar sobre a TRAVE? Tifany ou Daniele Hipólito? Entenedeu onde quero chegar? Vantagens e desvantagens SEMPRE EXISTEM! Nesse caso DANIELE HIPÓLITO leva vantagens FÍSICAS sobre a TIFANY. Vamos deixar a TRAVE e voltar ao VÔLEI: vamos supor que TIFANY fosse jogar de LÍBERO, em vez de OPOSTA. Quem levaria vantagens físicas na posição de libero? Tifany ou Fabi, Brait, Leia e Suelen? Fabi por ter um centro de gravidade mais próximo ao chão, mais agilidade e flexibilidade leva vantagens físicas sobre a Tifany na posição de libero.
Vantagens e desvantagens FAZEM PARTE DO ESPORTE, o esporte depende disso para que um atleta se sobressaia sobre o outro.
Não rotulei NINGUÉM de HOMOFÓBICO, pois o caso TIFANY não é de HOMOFOBIA, é de preconceito e exclusão de uma MULHER TRANS. HOMOSSEXUAL é homem sexualmente atraído por homem ou mulher sexualmente atraida por mulher. Carol Gattaz, jogadora a quem admiro muito, é HOMOSSEXUAL, mas não é TRANS. Assim com RICHARLISSON é HOMOSSEXUAL, mas não é TRANS. TIFANY nasceu MULHER TRANS, mas com GÔNADAS MASCULINAS.
O que eu não concordo é que a TIFANY seja excluída por preconceito.
Vantagens físicas são desculpas para disfarçar o preconceito das pessoas em não aceitar que TIFANY é mulher trans que joga no feminino.
Tifany sempre foi perseguida, quando a SOCIEDADE perseguidora e preconceituosa obrigava Tifany a se vestir como homem para ir à escola ou a jogar num time masculino a chamavam de MULHERZINHA, AFEMINADO, FRANGUINHA etc...
Agora que ele veste um uniforme FEMININO insistem em chama-la de HOMEM, MACHO etc...
Isso que eu luto contra, a EXCLUSÃO da SOCIEDADE HIPÓCRITA E PRECONCEITUOSA: TIFANY vestida de HOMEM é MULHERZINHA, vestida de MULHER é MACHO... Entendeu como a perseguem?
O Brasil é país em que mais morrem TRANSGÊNEROS por assassinato e suicidio, imaginem vcs se porem no lugar drla e ter que passar por isso!
No Brasil também, é o país que mais relegam os transgêneros a prostituicao para sobreviver porque assim como querem EXCLUIR a TIFANY, muitas são excluídas no dia a dia.
Não sou POLITICAMENTE CORRETO, detesto isso. Mas não gosto de ver esse PRECONCEITO mascarado de vantagens fisicas/ fisiológicas contra um SER HUMANO contra a TIFANY.
Nesse quesito prefiro seguir JESUS, na questão do apedrejamento da mulher adúltera, JESUS não excluiu. Assim como também não excluiria a Tifany.


Rodolpho Francis disse…
Marcos Pontes super concordo com você. Todos os comentários do L. Mesquita são muito repetitivos e sempre que fala da Tifanny eu nem leio porque ja sei o que vai estar escrito. Também acho que ele insiste em fazer comparações incabíveis(como essa da Daniele Hipólito). Não da pra comparar a Tifanny com mulheres que nasceram assim e não precisaram mudar nada em seu corpo para se adequar a nova modalidade. Li que a Tifanny tem 0,2 Nl de Testosterona e o limite é 10nl mas a FIVB quer reduzir para 5. Fico me perguntando se ela estivesse 9,5 ou 4,5 nl de testosterona será que ela seria ainda mais forte? Mais ágil? Tivesse mais impulsão? Alguém sabe me responder isso? E outra, a justificativa da FIVB de permitir que as mulheres trans joguem a liga feminina foi que não tem outras mulheres trans para compararem e observar se a cirurgia deveria ter sido feito mais cedo e o corpo formado por testosterona durante grande parte da vida de mais vantagens as trans. Acredito que com o tempo essa medida será revogada.
Ultimo questionamento, vocês conhecem a lutadora Fallon Fox? É uma mulher trans que quando homem lutava MMA com os Homens e depois de ter feito a cirurgia de redirecionamento de gênero, luta contra mulheres. É visível a diferença física entre elas e as mulheres saem destruídas da luta. Não estou dizendo que ela é invencível mas sabemos que é difícil de ganhar dela. Você acha isso justo, L. Mesquita?
Cas disse…
Nossa, pelo visto não sou só eu... Já tá bem chato esses comentários do L. Mesquita com 30 frases e todas dizendo a mesma coisa. E ainda distorce ao máximo os dados pra parecer que está provando o que ele tá dizendo e que quem discordar é burro.

Não é pq existe uma thaísa com 1,96 que você vai dizer que 30 anos de Testosterona não deram vantagem pra Tifany. Não é pq existe uma Tandara que ataca forte que você vai dizer que a Tiffany não ataca mais forte que as mulheres cis. Não é pq existe uma Hooker que era atleta de salto em altura antes do vôlei (e continuou saltando bem alto para atacar) que você pode dizer que a Tiffany salta como as mulheres cis.
Quando você junta tudo isso a coisa fica pior ainda, temos uma jogadora de 1,94, que ataca com a força da Tandara e salta como a Hooker. E ainda deve ter um fôlego maior pra chegar inteira no final das partidas mais longas.

Não vai ser com um caso de uma mulher que é mais alta do que um homem ou de uma mulher que é mais forte que um homem que você vai negar o que a ciência já sabe há muito tempo que é o efeito da testosterona no crescimento e desenvolvimento do corpo.

Eu acho sim que devemos lutar pela inclusão de pessoas trans no mercado de trabalho mas que não se pode fazer isso a qualquer custo. Ainda mais no caso do esporte, que é algo que sempre foi super sensível e sempre teve um controle rigoroso com questões de dopping, que atletas já foram punidos e ficaram longos períodos afastados por descuido na hora de usar medicamentos.

Concordo com o que li em um comentário num blog, que as pessoas estão a favor da inclusão da Tifany no volei feminino muito mais por questões políticas e ideológicas do que pensando no esporte mesmo. Eu sei que tem muita gente que nunca viu e nunca se interessou por volei se posicionando contra e atacando a Tifany, principalmente quando ela virou noticias em grandes jornais, só por ela ser trans, mas acho que também não devemos nos posicionar cegamente a favor dela na superliga feminina só pra se posicionar contra essas pessoas.

Acho que empobrece demais a discussão esse discurso de quem não concorda com a Tiffany é preconceituoso e transfóbico, ainda mais aqui que é um espaço mais sério pra discussão sobre vôlei, e ainda mais se tratando de vôlei, que sempre foi um esporte mais inclusivo e que da de 10 a 0 em outros esportes nessas questões de respeito/preconceito/homofobia.
Yana Souza disse…
L. Mesquita... Adorei sua análise sobre a Tifanny... Ela joga hj pelo talento.. Liberada pelos maiores órgãos competentes do volei e tem gente de mimi expondo posições tão fracas e ignorantes que me dá até pena... Parabéns, Mesquita.. vc é show de pessoa mesmo.. Hoje Tifanny é mulher doa a quem doer... e que o preconceito seja destruído com a simpatia e tranquilidade da Tifanny que é uma lady... Tifanny seleção colocando a Tandaragorda no banco...
Anônimo disse…
Sério que tá bem chato toda essa polêmica sobre a Tifanny, eu já não aguento esse mimimi todo, espero que o Bauru fique fora dos playoff só pra nos poupar desse assunto.
Jess disse…
Bom dia a todos;

Já falei aqui que EU não acho nada demais ela jogar, mas esses discursos do L. Mesquita, como de outras pessoas, tá saturado, fica parecendo aqueles fãs de diva pop que não aceita que outras pessoas não gostem de sua musa, já chamam de hater, que não entende nada de musica e etc...

Concordo com o Cas quando fala que empobrece a discussão, sempre taxando uma pessoa que não concorda com a Tiffany JOGANDO, de homofóbico e transfóbico.. Claro que tem muita gente que só quer atacar por ela ser uma trans e que estão pouco se importando com o esporte, mas aqui no blog não vejo ninguém atacando ela por conta disso, mas apenas dando justificativas do por que não acham certo ela competir;


P.S: Tiffany no lugar da Tandara? Isso é serio? pq a srta (Sra) só pode ta de zoação
Mantronix Inc disse…
Tiffany podería ser muito bem a Trans q eh, com todas as alterações fisiológicas q existem, e ser uma jogadora mediana como uma Mari Paraíba ou uma Deyse, e ninguém estaría incomodado falando dela, querendo excluí-la da SL, mas calhou de Tiffany jogar bem e ser a maior pontuadora da SL em nr relativos por ter iniciado a SL mais tarde, e é isso q incomoda, como diz o ditado, " prego q se destaca leva martelada", e vemos agora a perseguição. Se especialistas do COI e da FIVB exergam q ela esta legitimamente autorizada, temos q respeitar e aceitar. Senão, realmente se trata de preconceito.
Anônimo disse…
Tifanny no lugar da Tandara na seleção, é pra rir? Uma convocação da Tifanny é algo tão improvável, acho muito difícil isso acontecer, melhor se contentar em ver ela no Bauru essa temporada, na próxima não dar pra saber se ela vai continuar jogando na liga feminina.
L. Mesquita disse…
Tenho preguiça de debater com alguns brasileiros pois o déficit cognitivo e cultural aqui é muito grande, levam as coisas para o lado da política, da fofoca, do achismo, da militância etc...
Graças a DEus trabalho viajando e tenho a oportunidade de debater com pessoas de outras culturas e com potencial mais avançado de discurso devido a um conteúdo rico intrínseco de conhecimento.
É muito mais interessante, por exemplo, o debate com as amizades que tenho mundo a fora que tem uma bagagem cultural e de conhecimento que os fazem entender do que estou falando.
Nunca acusei ninguém de homofobia, porque o caso da Tifany nunca foi de homofobia. Vcs não sabem nem o que significa homofobia? O caso da Tifany não tem nada a ver com homofobia!
O debate sobre esse assunto Tfiany com,por exemplo, uns amigos que tenho tailandeses e noruegueses flui em um nível muito superior ao que consigo aqui, pois a bagagem de conhecimento que eles tem de antropologia, psicologia, neurociência, sociologia, biologia, genética, anatomia e fisiologia, dentre outros conhecimentos vai muito além do que a média dos brasileiros.
O que esperar também do nível médio de conhecimento de um brasileiro, se o BRASIL é um país que sempre fica nos últimos lugares da avaliação da educação mundial Programme for International Student Assessment-PISA)
Nessa avaliação são testadas as capacidades de RACIOCÍNIO LÓGICO, LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS e CONHECIMENTO CIENTÍFICO. E o BRASIL sempre fica nas últimas colocações.
Grande parte dos brasileiros tem dificuldades de RACIOCINAR LOGICAMENTE.
Grande parte dos brasileiros LÊ, PORÉM NÃO SABE INTERPRETAR O QUE LÊ.
Grande parte dos brasileiros tem um conhecimento científico muito abaixo da média mundial e se baseiam em suposições, achismos e, principalmente FOFOCA!!!
O brasileiro é um povo fácil de se manipular, que o diga os políticos e a GLOBO, que brincam de manipular os brasileiros.
Não é à toa que o BRASIL se encontra nessa crise moral, de corrupção, violência, abusos de autoridade e poder. Vão querer culpar o governo, mas a culpa não é só do governo não, a culpa é, principalmente do próprio cidadão que faz questão de não querer evoluir culturalmente, e não buscar o conhecimento por pura acomodação e preguiça mesmo!
Eu até poderia enriquecer um pouco aqui o debate, escrevendo sobre os níveis séricos de testosterona disponível, suas variáveis e momentos de pico e produção em homens e mulheres, cis e trans, e sua influência em aspectos físicos, psicológicos e de rendimento em atletas de alto rendimento, poderia comentar sobre hiperandrogenia, sobre hermafroditismo(interssexualidade), mas creio que seria perda de tempo. Pois a maioria dos leitores teria preguiça de entender do que eu estou falando, pois preferem se agarrar em achismos, fofocas etc...
Então vou lançar um desafio hipotético:
Rodolpho Francis e Marcos Pontes, creio que os senhores sejam HOMENS e como MACHOS que são devem ter níveis de testosterona de 7 a 8 vezes maiores que o de muma MULHER.
Gostaria de ver vocês 2 HOMENS com toda sua TESTOSTERONA e vantagens fisiológicas que alegam ter formarem uma dupla de vôLei de PRAIA e jogarem uma partida contra as gêmeas MONIQUE e MICHELLE PAVÃO.
Será que vocês conseguiriam ganhar pelo menos um SET das irmãs PAVÃO?
Ora se vcs são homens, seria obrigação de vocês vencê-las. Mas acontece que suas vantagens anátomo-fisológicas seriam suficientes para superá-las ou outros fatores entram em jogo? Entenderam onde quero chegar? Talvez não tenham entendido, mas tudo bem, deixa pra lá, não adianta ficar dando murro em faca!
Pra ser o mais básico possível, não nego as vantagens que Tifany possa ter, e quando a comparei a Daniele Hipólito a Às líberos, quis dizer que outras vantagens que não só a força e altura também importam.
L. Mesquita disse…
Falaram sobre MMA e Fallon Fox:
O MMA não é um esporte olímpico e não é regido pelo COI. Porém, se fosse regido pelo COI seria uma caso parecido com o da judoca EDINACI que teve que passar por cirurgia e controle hormonal para poder competir nas Olimpíadas. EDINANCI tinha níveis de testosterona altíssimos e compleição corporal mais masculina que a da Tifany e LUTOU no gênero feminino com mulheres e, mesmo assim, não conquistou nenhuma medalha olímpica, pois mesmo na luta vários fatores contam para a vitória e com o controle de testosterona, Edinaci além de perder força, perdeu também em resistência e ganhou em fadiga muscular.
CAS você está totalmente equivocado sobre o fôlego e a resistência de uma MULHER TRANS, pois o tratamento de controle de testosterona faz com que Tifany se desgaste e se canse muito mais rápido, pois ela não tem a carga de hormônio suficente para sustentar a estrutura corporal que tem e manter o mesmo ritmo quando ela não tinha o controle hormonal. Logo, ela se esforça muito mais que as demais e sai muito mais fadigada e o período de recuperação também é muito mais longo.
Pelo visto, a maioria se cansa de ler meus comentários, então por que lêem? Não sejam masoquistas, não se torturem... Por que então não deixar meus comentários para serem lidos por pessoas que tem mente aberta e não tem preguiça de pensar e refletir sobre o que lêem, a fim de ter um debate positivo que agregue algo além do achismo?
Anônimo disse…
O assunto do tópico não era Minas e Osasco ?? Gostava muito desse blog, mas de uns tempos para cá tem muitos comentários fanáticos em defesa de um a jogadora ou time. Parece que aqui só serve se falar bem do Rio, do Bernardo, e da Tiffany....Quem comenta algo diferente é tachado de Transfobico ou que não entende nada de vôlei e das maravilhosas jogadoras do Rio que são as melhores pq são treinadas pelo Bernardo, tenha santa paciência,,,, espero que seja publicado
Kaike Lemos disse…
Yana a GORDA que vc diz é a melhor jogadora da SL. A Gorda é simplesmente a PATROA da Boskovic Rsrs. Tiffany é so mais uma! Levar vantagem? Todo mundo leva. Até a Thaisinha tem vantagem. Só joga ruim as lerdas.

Tomara que Bauru n vence as cariocas se n vai cair tudo na Tifgany.