Caiu o invicto

Dentil/Praia Clube 2x3 Sesc-RJ


vôlei feminino Bernardinho Fabi Rio de Janeiro

E caiu a invencibilidade do Praia Clube na Superliga 17/18. O algoz? O de sempre, o Rio de Janeiro.

Impressionante como o Sesc consegue ressurgir do nada durante uma partida – capacidade que estava esquecida nos últimos tempos. Estava dominado pelo Praia no terceiro e quarto sets e, de repente, voltou jogando o seu melhor na partida.

Porque, apesar de ter vencido os dois primeiros sets, a equipe carioca só teve uma atuação realmente convincente no tie-break. Nos dois primeiros sets teve muito mérito na agressividade do saque e na qualidade das jogadas entre Roberta e Gabi nos contra-ataques, mas o Sesc se valeu muito da fragilidade do Praia no passe, com a Amanda e Ellen cometendo erros demais nesta função.

Nos dois primeiros sets, o Sesc já mostrava os problemas de definição na virada de bola que tanto o têm atormentado ultimamente. Deu pontos demais em falhas de ataque e demonstrou certa impaciência na troca de bola. Quando o Praia estabilizou a recepção e ganhou força de ataque com a Carla como titular ao lado da Fawcett, os problemas do Rio ficaram mais evidentes. 

******************************************


Tem sido difícil o trabalho ofensivo carioca nesta Superliga. O desfalque da Monique poderia ter sido um empurrãozinho para o time achar, de repente, uma formação mais assertiva ofensivamente. Mas Peña, como oposta, teve um jogo de altos e baixos. Já Drussyla continuou sobrecarregada na função passe-ataque e Gabi acabou por ser, assim como na final do Sul-americano, a bola de segurança da Roberta.
 
Menos mal que, no tie-break, o time tenha reencontrando por alguns instantes aquele vôlei que o caracteriza de maior cuidado na elaboração das jogadas, poucos erros e de volume de jogo. 

******************************************

O Praia fez um caminho de idas e vindas durante a partida e acabou se perdendo justamente no tie-break.

Depois de um início muito ruim, conseguiu se reerguer no terceiro e quarto sets, quando encontrou, mesmo desfalcado de Garay e Wal, aquele equilíbrio entre a agressividade e o cuidado no trabalho de bola que tem sido seu jogo na SL. Mas no tie-break, voltou a falhar no passe e a cometer erros no ataque.


******************************************

Comecei o post falando da capacidade de reação do Sesc no tie-break. É sempre admirável ver como o time se reergue e como ele é forjado para decisões (e como me surpreendeu o fato de isso não ter aparecido na final do Sul-americano, por exemplo).  

No Praia, no entanto, acontece o contrário.

Não quero fazer aqui um auê pela perda da invencibilidade, ainda mais numa partida da fase classificatória e em que o Praia se encontrava desfalcado de duas importantes jogadoras. Mas a questão é que o time tinha, no aspecto técnico/tático e moral, a partida nas mãos e justamente no tie-break voltou a se desmontar.

Talvez se tivesse perdido por 3x0, acometido pelas inúmeras falhas na recepção, seria melhor. Ao menos poder-se-ia dizer que foi uma noite ruim, atípica. Mas o que aconteceu, com o time, se perdendo no tie-break - ou seja, na hora decisiva -, infelizmente, acaba por ser recorrente. É por essas e outras que a dúvida quanto a capacidade de decisão do Praia permanece.

De qualquer forma, mesmo derrotado e com mais um rodada para acontecer, o Praia se garantiu como líder da fase classificatória da SL. Acho que a sua superioridade durante este período em relação às demais equipes é incontestável. Porém, neste ano, as vitórias apertadas contra times medianos e a derrota na Copa Brasil mostraram que o Praia pode estar mais ao alcance das outras equipes do que os pontos da classificação demonstram.

Comentários

Mantronix Inc disse…
As cariocas entraram mordidas com a perda do sul-americano e a vaga p o Mundial de Clubes, apesar d eu nao confiar na Claudinha, ela fez uma ótima partida. Mas sem Garay e Walewska o time perde em bloqueio, poder ofensivo, saque, passe, ou seja, praticamente em todos fundamentos.
Agora o q eh a Carla na rede? A porta de entrada da maioria dos ataques do Rio.
Valnei Correa disse…
O praia perdeu na hora certa, depois da classificação em primeiro, porém fez reacender o jogo carioca, me pareceu muito com o quinto set contra osasco na final da superliga passada, o Rio entrou muito bem e anulou o time adversário, me agrada muito a formação com peña,apesar da mesma errar mais,ela é mais forte no ataque não perde viagem, gabi e Drussyla devem ser titulares nas pontas, gabi vem melhorando, Drussyla é capaz de fazer uma linda jogada e errar feio na bola seguinte, porém me inspira mais confiança que peña na ponta, roberta resolveu acertar levantamentos, tem melhorado muito na precisão.
Mineirim disse…
Tem me chamado muita atenção a falta de imparcialidade do Marco Freitas. Quando o juiz erra a favor do Rio: " É muito natural, jogada difícil, errar é humano, o juiz não teve culpa" Quando o erro é contra o Rio: " É um absurdo, o juiz está influenciando diretamente o resultado, desestabilizou a equipe, é inadmissível." É realmente uma falta de respeito o que a mídia faz tanto no voleibol quanto no futebol.
Alysson Barros disse…
Considerando que o Praia jogou sem a Wal e sem a Garay, além de não ter passe praticamente o jogo inteiro, considero o resultado satisfatório, muito porque assegurou a primeira posição e isso que importa no fim das contas. Ellen e Amanda juntas simplesmente não rola. Vou destacar o que achei de legal e ruim no jogo:

1) Gabi, pra mim, começou mal, ao ponto de sacar na companheira. Ri muito! Mas a plasticidade do seu ataque é de encher os olhos, o movimento é perfeito e belo. Depois ela arrebentou! Única jogadora do time carioca que não tenho certo asco. (se bem que nada se compara ao que as jogadoras osasquenses e sua torcida mal educada provocam).

2) Monique contundida ou bancando e de castigo depois de peitar e dar as costas ao onipotente Bernardo? Fica a dúvida.

3) Aliás, que sujeito asqueroso esse. Piora cada vez mais. Seu comportamento à beira da quadra é inapropriado e inaceitável.

4) Amanda e seus movimentos bizarros de ataque é, principalmente, saque. Pra mim são gestos técnicos incorretos.

5) Carla se vira no ataque. E muito bem, apesar de ser baixa. Mas também não pode passar de jeito nenhum.

6) Fawcett divosa, destruiu tudo no quarto set, pena que errou no momento crucial no tie-break.

7) Fabizona é muito lerda e desengonçada. É inacreditável sua incapacidade de chegar na bola ou colocar ela pra cima. Não precisa ser exímia defensora, mas caramba! A bola cai inúmeras vezes na frente dela e não é capaz de esboçar o mínimo de reação. Prejudicou demais o time nesse aspecto, perdi as contas de quantas vezes isso aconteceu ontem - como sempre acontece, aliás.

8) Ellen toqueira e quinadora. Só é titular na cabeça de blogueiro frustrado.

9) Suelen segue bem na defesa, fez uma boa partida.

10) Hélio Griner (outro escrito de marca maior) discutindo com Jucyele é o retrato desse time carioca atualmente.

Enfim... Se o Praia estivesse com a força máxima não creio que teriam perdido a partida. Garay faz muita falta!
l.mesquita disse…
Bom Dia Laura e amigos!
Pois eu vou reiterar o que já venho dizendo desde o primeiro turno. Liderar fase de classificação não quer dizer nada para a conquista do título!
O Nestlé em nenhum momento esteve perto da liderança da fase de classificação e já acumula os títulos de CAMPEÃO PAULISTA e CAMPEÃO da COPA BRASIL.
O MINAS também em nenhum momento esteve perto de liderar a fase de classificação e acumula 3 títulos sob o comando de STEFANO LAVARINI: CAMPEÃO da GATORADE CUP(no Peru), CAMPEÃO MINEIRO e CAMPEÃO SUL-AMERICANO.
Enquanto isso, o PRAIA CLUB foi VICE MINEIRO e VICE DA COPA BRASIL e continua tremendo contra o SESC na reta final.
O Minas trocou NAIANE por MACRIS e trouxe da ITÁLIA STEFANO LAVARINI e já mostrou grande evolução de temporada passada para cá!
O NESTLÉ se reforçou com FABÍOLA e renovou com a CAMPEÃ OLÍMPICA CAROL ALBUQUERQUE.
O PRAIA contratou ANANDA... Mas insiste em Claudinha de titular... Muito bem na fase de classificação, mas quando o bicho pega... Resumindo: O PRAIA NÃO SERÁ CAMPEÃO DA SUPERLIGA!!!
Não vejo um CLUBE sendo CAMPEÃO DA SUPERLIGA com CLAUDINHA como o CÉREBRO DO TIME. Mas ela é a culpada? Não! A culpa é da comissão técnica!
L.MESQUITA disse…
Agora o PRAIA enfrenta o HINODE em BARUERI. A liderança do PRAIA está garantida na fase de classificação, afinal, nenhum outro time pode chegar aos 58 pontos. Porém, isso faz do PRAIA favorito contra o HINODE? Ainda mais jogando em BARUERI? E com THAISA, SKOWRONSKA e JAQUELINE em condições de jogo?
Pois é, o PRAIA pode ser líder da fase de classificação e chegar aos play-offs com 2 derrotas seguidas para o SESC e o HINODE... O fato é que essas partidas não tem valor nenhum em termos de classificação, a não ser o valor psicológico, principalmente para a confiança da Claudinha que já não costuma ser tão estável assim...
Laura e amigos, essa Terça-feira não foi nada BOA para os INVICTOS!!! Teve queda de invictos na CHAMPIONS LEAGUE também!!! De forma FULMINANTE o VOLERO ZURICH, da ponteira brasileira SAMARA(ex-NESTLÉ) acabou com a invencibilidade do ALBA BLAJ na última rodada da fase de classificação da CHAMPIONS LEAGUE por 3x0 com direito a 25x09 no último set. A base do VOLERO é SÉRVIA, com a OPOSTA ANA BJELICA, a levantadora ANA ANTONIJEVIC e a líbero SILVIJA POPOVIC, ou seja, o time é SUÍÇO, mas quem manda ver são as SÉRVIAS, que por sinal estão jogando muito e darão muito trabalho no MUNDIAL...
Cesar Nascimento disse…
bom dia ! eu li em outros blogs que a culpa foi da Ellen ! aí eu pergunto desde quando a Ellen tem passe ? ontem além de quinar as bolas ela virou toqueira logo foi minada pelo saque acelerado do Sesc aliás o Osasco já havia usado essa estratégia na copa Brasil e o praia não teve chance ontem a mesma coisa , mais estava sem a Wal e sem a Garay e daí , sem passe acho que só no espiritismo como fez a Nicole no quarto set que até dá posição um a bola dela caia brincadeiras a parte o problema de todos os times é que nenhum deles tem uma linha de passe segura isso é fato ! Drussyla tá muito mal principalmente no ataque quando não toma tocos mata pombos e tem comprometido o rendimento do time ontem Roberta lembrou que a jucy joga no time dela e Mayara até de peito fez ponto de uma forma geral foi um bom jogo apesar dos quase 30 pontos de erros do Rio pelo menos compensou no ataque ! só uma observação estão dizendo que Monique discutiu com Bernardo mais antes do tempo técnico ela havia discutido algo com jucy na rede quando ela foi para o Bernardo parece que ela estava falando algo sobre a arbitragem aquele dia ela estava bem insatisfeita com os erros de arbitragem por isso não posso afirmar a tv não mostrou o momento exato só quem estava no ginásio e prestou atenção pode dizer com convicção se foi com o Bernardo ou com a arbitragem
Anônimo disse…
Cesar, bom dia!

Exatamente, a discussão foi com a Jucy, no momento de bloqueio. A Jucy cobrou algo que a Monique não gostou. Não houve briga com o Bernardo. Não estou 100% certo, mas esse ano a Superliga vai ser do Osasco ou do Minas/SESC, acho que o Praia morre na praia. Quanto a formação da equipe do SESC, acho pouco provavel que a Monique fique no banco para penha, Drussyla ontem esteve muito bem, como sempre, no fundo de quadra. Gabi ainda precisa de mais tempo para adquirir ritimo.
Laura disse…
Volnei, bem lembrado. O quinto set lembrou o da final da SL do ano passado.

Cesar, pois é, a Ellen não é das mais confiáveis no passe. Achei o início da partida da Amanda, de quem se espera mais qualidade no passe, pior. Depois q voltou do banco, melhorou.
George disse…
Só eu achei bem estranha essa "contusão" da Monique depois do que aconteceu no último jogo?
E aquela discussão da Jucy com o Helio Griner?
Tem algo de estranho rondando o time.
Anônimo disse…
George, bom dia!

Acho que você está procurando chife na cabeça de peixe.
Anônimo disse…
Eu vi o jogo, e a princípio ficou parecendo que ambos os times queriam perder (talvez o Praia para evitar Osasco numa possível semi, e o Rio para evitar o Minas, que tem sido seu algoz). De qualquer forma, eram dois times mexidos em relação às suas formações ideais.
Não senti grande esforço dos técnicos. Paulo Cocco até alterou as ponteiras, mas não tirou Claudinha para tentar Ananda. Bernardo talvez "castigando" Monique.
Acho que as semifinais serão muito equilibradas.
Tenho a impressão de que o time que estiver mais "inteiro" fisicamente, com menos desfalques, pode ser o campeão da Superliga. Praia com Garay, Fabiana, Wal é muito melhor. O Rio depende de Gabi, Jucy em boas condições. Osasco se perder Tandara, por exemplo, já era. O mesmo do Minas sobre a Gattaz.
Enfim, vamos ver quem chega melhor lá na frente.
Fernando disse…
O resultado foi bom para os dois times. O Rio recupera um pouco da moral, depois de ter perdido 2 vezes seguidas para o Minas e o Praia marcou o ponto que precisava pra assegurar a 1ª colocação.

Além disso, foi bom o Praia perder agora. Entrar nos play-offs com a obrigação de manter a invencibilidade seria um peso a mais, que talvez fizesse o time entrar pressionado. Essa derrota, mesmo que desfalcado de 2 das suas melhores jogadoras, acende um sinal amarelo para deficiências que o time vem apresentando e que foram mascarados pela tal "invencibilidade".

O Praia tem o desafio de efetivar logo a ponteira que jogará ao lado da Garay. Esse troca-troca entre Ellen e Amanda não dá certo. Eu apostaria na Amanda, pois com ela o time compõe melhor e as demais atacantes ficam mais soltas pra jogar. A Ellen não tem compensado no ataque sua fragilidade no fundo de quadra.

No Rio, Drussyla tem sido a grande fraqueza do time. Não é nem sombra daquela jogadora da temporada passada. Instável no passe, toma vários bloqueios e ataca muitas bolas pra fora. Melhor a Peña que também é instável no passe, mas que pelo menos tem uma característica de atacante de força, diferentemente das demais atacantes que são mais técnicas.

O Bernardinho é um técnico espetacular. Mas, já tá ficando chato. Todo jogo ela começa a berrar com a arbitragem na beira da quadra. Acho que ele pensa que vai ganhar o jogo no grito. Até as jogadoras do Rio ficam desestabilizadas com tanta cena.

Agora, o Praia dessa vez encontrou uma jogadora que gosta de jogar contra o Rio. A Fawcett foi novamente a grande jogadora do Praia na partida. Errou alguns ataques no tie-break por mérito do bloqueio carioca que fez uma marcação forte em cima da americana, que já vinha sendo o destaque do time, virando bolas impossíveis.

Essa é, com certeza, a Superliga mais equilibrada dos últimos tempos. Nos play-offs tudo pode acontecer. Jogadoras importantes voltando, times crescendo na reta final da fase classificatória. Vai pegar fogo!!!
MArcos Pontes disse…
Vi o jogo e achei que apesar da vitória o Rio não merece muitos elogios não. O Praia sem Garay não é ninguém, e não porque ela é um fenômeno( joga muito), mas sim pq sem ela o praia simplesmente desmonta na sua linha de passe. Um 3x0 ou um 3x1 seriam placares que poderiam ser considerados muito bons para o Rio, mesmo porque estavam jogando a liderança contra uma equipe desfalcada de duas das principais jogadoras da equipe na competição.
Gostei de ver a Drussyla segurando o passe com certa consistência, Roberta fez um jogo bom, não vi todo aquele brilho que o Marco Freitas gritou aos quatro cantos.
Em relação ao Praia, repito, sem a Garay o time desanda. Amanda está sem confiança, apesar de ter conseguido dar a volta por cima durante a partida. Já Ellen pelo amor de Deus. Não passa e não tem leitura de jogo, tomou toco atras de toco e não parou de errar até sair da partida, até a Mari Casemiro seria mais útil do que ela. Carla entrou muito bem, e arrumou um pouco o passe. A entrada pontual da Laís também teve bons resultados, coisa que o Paulinho já deveria ter utilizado a muito tempo. Fabiana, coitada, quando a bola vinha era jaca, realmente está sendo subaproveitada na equipe.
Rodolpho Francis disse…
Ela fala pro Bernardo: A bola ta curta, eu to to tentando dizer isso pra você e fala (não da pra entender), olha a Roberta na defesa. Apesar disso eu acho que ela volta pro time titular mas a Peña é uma alternativa pra quando o time precisar de mais potência no ataque.
Anônimo disse…
Vejo muitos comentários referente ao jogo e todas as vezes são os mesmos comentários, o RJ não jogou bem, foi o outro time que deixou ele ganhar. E quando o time ganha do RJ é que o time jogou melhor que o RJ. Sou torcedor do SESC, UNILEVER, REXONa resumindo RJ, mas quando o time adversário ganha, nós torcedores não colocamos a culpa no nosso time que NÃO JOGOU, pois se não jogasse seria WO, com exceção do penúltimo jogo da superliga com o Minas, quando realmente a equipe não disse para que veio, os demais o time perdeu porque o outro time jogou melhor. E quando o time perde um jogo por influência da arbitragem, digo isso, pois no Sulamericano teve e muita influência, o que não teve nenhum comentário a respeito, mas tudo bem. Ai vem o jogo contra o Praia, e o time do Praia estava sem a Garai (pessima no passe) e Val (ótima central, uma das melhores da Superliga) e o rexona sem Monique, com Gabi ainda pergando ritimo de jogo e Jucy ídem, mas os comentários são: O Praia perdeu porque o time estava sem duas titulares, ora, o SESC jogou o primeiro turno e parte do segundo sem 2 titulares, ou não?. Voltando ao SulAmericano, muito vão dizer que estou falando bobagem, mas vamos ao que interessa:
PRIMEIRO SET
SESC 23 X 22 MINAS, bola pega no bloqueio do Minas, seria? 24x22. com a rede de 3 no SESC, não estou dizendo que iria ganhar o set mas tinha uma larga vantagem. (ERRO 1)
3 SET
SEGUNDO SET
SESC 25 X 22 MINAS, Se não houvesse interferência no primeiro set seria 2 x 0 para o SESC, mas se não conta.
TERCEIRO SET
SESC 23 X 25 Minas,
QUARTO SET
SESC 25 X 15 MINAS. Para quem sabe contar não preciso dizer mais nada.
Alguns vão dizer é choro de perdedor, não estou chorando, estou passando, pois o blog, do qual estimo muito, não falou nada a respeito. Gostaria muito que houvesse uma imparcialidade, mas vejo que não há.
Finalizando, gostaria de parabenizar a equipe do Minas pelo resultado e que tenha sorte com os arbitros no mundial.

E dizer que só há duas torcidas de volei no Brasil:
As que torcem para o RJ e as contra.
Cesar Nascimento disse…
anônimo bom dia ! vc disse tudo , se tratando de Sesc ! todos os treinadores são sem educação salvo o lavarini , mais só o Bernardo é mau caráter , em resumo vc está certo , e campeão será ou Sesc ou Osasco
Alysson Barros disse…
Superliga passada, se bem me lembro, na semi entre Minas e Rexona, a arbitragem favoreceu p time carioca. Essa mesma arbitragem já favoreceu o time em inúmeras oportunidades. O padrão costumava ser: na dúvida, ponto carioca. Agora, com certo ineditismo, começam a “favorecer” os outros times e dá-se início, sim, à choradeira. Hipocrisia no mais elevado grau.

Fora a babação de ovo de comentaristas como Marco Freitas, Leila, Hilma, que são carioquíssimos e não fazem nem questão de esconder. Alguns narradores , como Sérgio Maurício, também. As transmissões desse time são sempre vergonhosas - especialmente nas finais transmitidas pela Globo. É de enojar. Por que os torcedores desse time que nunca se posicionaram sobre isso?

Por fim, Bernardo é sim mal caráter. Os demais técnicos podem não ser todos exemplos de boa educação (como Paulo de Tardo), mas se não são, é tudo influência e escola deste senhor lunatico, que foi quem começou com esses showzinhos à beira da quadra. E a cariocada adora, principalmente a mídia. Entretanto, ninguém age como ele. Quer sempre ganhar pontos no grito e no assédio e isso desde sempre. Merece cartão vermelho em todas as partidas e não tem um juiz corajoso o suficiente para peitar as loucuras desse senhor. Desde quando xingar as pessoas é sinônimo de estar com a razão - mesmo que esteja? Perde toda e qualquer credibilidade. É simplesmente patético.

Menos hipocrisia, torcedores cariocas. Vocês estão na iminência de perder essa sequência de títulos. E isso não é ruim não. É bom para o voleibol brasileiro, que deveria ter projetos estáveis e cada vez mais contar com times competitivos.
Anônimo disse…
Amigo anônimo torcedor do SESC RJ assim como eu! Sou torcedor do Sesc também, mas temos que reconhecer que o MINAS foi superior e mereceu a conquista do Sul-americano, levamos uma surra do Minas no tie break e sem ajuda nenhuma do juiz. Logo no tie break, onde o SESC costuma jogar bem, assim como jogou contra o Praia. Porém, contra Minas, fomos presa fácil para o Minas. Méritos do Lavarini que sabe duelar com o Bernardinho. Se arbitragem errou, errou para os 2 lados. Mas no tie break, não vi nada quee de pudesse contestar d a arbitragem. Portanto, sejamos justos, mesmo sendo torcedor do SESC e fä do Bernardinho, reconheço que o Minas de Lavarini foi melhor no Sul-americano.
Kaike Lemos disse…
O outro ate agora n aceita que perderam o Sulamericano de Clubes. Se o Rio fosse ao mundial passaria vergonha, pelo baixo investimento nesta temporada. Ontem vi uma Ellen = Andreia. Uma Claudinha correndo igual a louca, uma Roberta brincando de levantar, uma Gabi e Fawcett jogando o fino da bola e uma DRUTOCOSSYLLA que toco que ela tomou pra Amanda. Só n foi melhor do que o da Mara na Carol.

Playoffs ( Quartas de final )
Osasco x Barueri: Tandara e Bia terao a dificil missão de carregar o Osasco, Barueri jogara no conjunto com a Thaisa,Skowronska e Jaqueline com o jogo acelerado da Lloyd.

Minas x Flu: Minas ta com a moral la em cima e vai no jogo criativo da Macris , Gattaz e cia. Flu vai ser aquele Thaisinha e Renatinha.

Praia x Pinheiros: O time de Bruna Honorio tera a dificil missao de parar Garay e as centrais do Praia que estão em otima fase.

Rio x Bauru: Tiffany x Rio de Janeiro, se Bauru ganhar vai cair tudo em cima da Tiffany. Rio vai naquele conjunto sem individualidades.
Jess disse…
Bom dia

Isso mesmo anônimo, no volei só tem torcida do Rio, os outros times não tem torcida e as pessoas torcem sempre contra as cariocas..😏
Luiz Felipe disse…
Tem torcedor do SESC/RJ que não suporta mais a freguesia para o Minas e prefere passar vergonha... Quanta falta de humildade e distorção da realidade... A era do Bernardinho operando a arbitragem acabou, ainda bem. E, aliás, como também acabará um dia o SESC/RJ.

Enquanto o SESC/RJ nada mais é que um "projeto", por essência efêmero, o Minas é um clube, uma instituição. Junto com o Pinheiros, o principal clube-instituição desportivo (não-futebolístico) do Brasil.
Anônimo disse…
Falta de humildade, não sei. Vamos lá Quantos campeonatos de Superliga o time RJ tem?
Somando os títulos dos outros times, quantos tem?
Passa o RJ?
Então vamos lá, baseado nas perguntas o RJ é sim o time que todos querem ver perder. Pois o RJ tem mais campeonato que todos os outros times que fazem parte da superliga.
Outra coisa, chamar alguém de mau caráter, a pessoa tem que ter uma evidência, tem? Se não é melhor não falar besteira. O técnico do Praia soltou um PALAVRÃO em frente as câmeras do SPORTV, ninguém falou nada, se fosse o Bernardo a casa cairia. Sinceramente quanta gente hipócrita. Outra coisa, freguesia, quantas vezes o RJ venceu o minas e quantas vezes o minas venceu o RJ? Se foi mais, então o freguês é o RJ senão, vai outra pergunta, quem é o freguês?
Ro disse…
Olha só, eu não sou de comentar, mas eu queria contra argumentar esse Alysson Barros, não me leve a mal cara, mas você foi muito infeliz nesses seus argumentos, então quer dizer que pelos "supostos" erros a favor do Rio no passado, dito por você, agora podem errar contra o time carioca a vontade, é engraçado pra mim porque o erro mais grosseiro que eu me lembre foi justamento contra o RIO, na semi Osasco e Rio naquele lance com a Brait, e aí, a Brait é mau caráter? Você fala de hipocrisia, mas o seu texto todo, vou até usar o termo que você usou, é hipocrisia no mais elevado grau. Cara, você é um ressentido.
Anônimo disse…
Senhores, na semi vai haver video check. Sendo assim vai ter que jogar vôlei. O juiznao vai influenciar. A nao ser marcar dois toques ou outra loucura que o juiz inventar
Kaike Lemos disse…
A Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) anunciou, nesta quinta-feira (01.03), a criação do Canal Vôlei Brasil, que será hospedado no site oficial da entidade. Em parceria com a NSports, a CBV irá disponibilizar a transmissão via web, a princípio, de 60 jogos da Superliga Cimed masculina e feminina 2017/2018 e também da temporada 18/19. A estreia do canal será já nesta sexta-feira (02.03) com a partida entre Hinode Barueri (SP) e Dentil/Praia Clube (MG), às 21h30, no ginásio José Correa, em Barueri (SP). CBV FEZ UMA COISA QUE PRESTA FINALMENTE! AGORA SO FALTA VIDEO-CHALLENGE pro campeonato todo.
Alysson Barros disse…
Chega de carioquismos e de osasquismos Por um novo frescor, de mudança, nessa Superliga.

E aulas de interpretacao contra analfabetismo funcional e leitura dinãmica pros brasileiros em geral.