Barueri, a quinta força da Superliga

Hinode Barueri 3x0 Fluminense

Foto: Gaspar Nobrega/Inovafoto
Fluminense e Barueri têm, desde o primeiro turno, brigado pela quinta colocação. Até poucas rodadas atrás, quem ocupava a posição com certa tranquilidade era o tricolor carioca, que colecionava bons resultados contra os favoritos e confirmava a superioridade contra as demais equipes. Já o Barueri, sofria para conseguir fazer o seu jogo valer até contra os time menores.

Pois o cenário está se invertendo nestas últimas rodadas e o confronto direto entre Flu e Barueri reforçou a tendência. 

********************************************

O Flu sentiu demais o mau momento da Thaisinha nas duas últimas partidas contra Sesc e Barueri. Ela está totalmente descalibrada no ataque. A Renatinha apareceu bem para compensar a “ausência” da colega, mas não tem sido suficiente para que o time se torne mais combativo. Fazem falta a agressividade e o saque da Thaisinha e uma maior variação ofensiva para a equipe.

O Flu, que costuma ser o desafiante, o adversário corajoso e aguerrido contra os grandes, se viu preso e acuado pelo aspirante Barueri.

A chegada da Lloyd deu outro ritmo ao time do Zé Roberto. As bolas podem não estar na mais perfeita precisão ainda – o que é natural -, mas dão agilidade à equipe que tanto penava para virar uma bola sequer.

Neste jogo, o Barueri manteve o ataque fluindo pelas pontas com a Jaque e a Skowronska, que começou como titular no lugar da Edinara. A polonesa não usou toda a potência e força que tem, mas somente o alcance e o jeitinho foram suficientes para desnortear uma desconcentrada defesa carioca.

Aí esteve uma das decepções do Flu nesta partida. O time não conseguiu responder de forma consistente na defesa e no saque. O Barueri, por sua vez, teve um enorme volume de jogo, retomando um dos seus pontos fortes que haviam se perdido do meio para o fim do primeiro turno.


Ou seja, recuperou aquilo que fazia bem no início da temporada (volume, bom bloqueio e saque) e acrescentou, desde a chegada da Lloyd, maior poder ofensivo. 


********************************************

Com a vitória, o Barueri se firma na quinta colocação com uma partida e seis pontos a mais do que o Flu. Restam três jogos para encerrar o returno, dois deles complicados: Vôlei Bauru e Praia Clube. A sequência é mais difícil do que a do Fluminense que enfrenta os lanternas Valinhos e Sesi, além de São Caetano e Pinheiros.

A vantagem é boa, mas pode ser que o Barueri não consiga se manter na quinta colocação. Mesmo assim, do ponto de vista atual, a perspectiva sobre o potencial da equipe paulista nos playoffs é bem melhor do que a do Flu, que tem muito pouco no que se agarrar para crescer.

Comentários

Paulo Roberto disse…
Excelente análise Laura, mais uma vez.

Eu realmente não esperava que fosse acontecer ainda na fase classificatória, mas chegada da Loyd realmente deu outra cara ao Hinode, até a Jaque melhorou. As perspectivas aumentam quando a agente ainda leva em conta que a Thaísa ainda pode agregar valor ao meio de rede.
JC disse…
Mais uma vez, concordo muito com sua análise, Laura. Estou vendo o Hinode com muito mais chances de surpreender nos playoffs, em especial em relação à qualidade do banco. As duplas Skowronska/Edinara, Lloyd/Naiane, Suelle/Érika, sem contar o possível retorno da Thaísa, possibilitariam ao ZRG fazer substituições com mais confiança se algo não der certo com o time titular.

Quando ao Fluminense, não acho legal jogar apontar um só culpado, mas realmente não consigo gostar da Thaisinha. No início da temporada, pelo menos era eficiente no ataque e agressiva no saque viagem. Agora, não está correspondendo ofensivamente e continua com o passe sofrível... Ao meu ver, Clarisse deveria ser a titular. Afora isso, a equipe titular é forte, mas o banco deixa a desejar - com exceção da central Larissa que às vezes entra bem, as demais jogadoras são jovens e não impressionam.

Por fim, vou confessar que estou na torcida pra que o Hinode firme a quinta colocação e dê trabalho (ou mesmo elimine) o Minas nas quartas.