Nenhum ponto a menos

Dentil/Praia Clube 3x1 Hinode Barueri


Superliga vôlei feminino

O Barueri bem que tentou, ameaçou, mas não adiantou. Não houve quem tirasse um ponto sequer do Praia Clube neste primeiro turno de Superliga 17/18.

Se nem Minas, Osasco e Sesc haviam conseguido a façanha, era difícil acreditar que o Barueri, na última rodada do turno, seria o responsável por roubar algum ponto do líder do campeonato. Ainda mais se levássemos em conta o histórico recente de más atuações da equipe paulista.

Pois o Barueri surpreendeu e fez uma disputa bastante equilibrada com o Praia até a metade do segundo set. Foi, neste período inicial, aquele adversário chato que vimos no Paulista e no começo da SL, de trabalho de bola e de bloqueio forte. O Praia, por sua vez, sofria com a pressão do Barueri no saque e, apesar de estar bem no bloqueio, bobeava no fundo de quadra em bolas defensáveis. Das partidas que pudemos acompanhar, provavelmente esta foi a que pior começou. 


************************************

O problema é que o Barueri não teve força o suficiente para fazer frente ao líder por muito tempo. Já no segundo set o time paulista voltou a apresentar dificuldades na virada de bola, problema que vem o perseguindo desde sempre. Edinara esteve muito bem marcada o jogo inteiro e Suelle, que tinha sido um importante desafogo no primeiro set, começou a ficar mais pressionada pela marcação mineira. A ótima passagem da Natasha no saque no segundo set acabou por complicar ainda mais a já difícil missão paulista de atacar, desestruturando completamente a sua linha de passe.

Aliás, não entendo como a recepção de um time que tem Suelle e Jaque como ponteiras passadoras seja ainda um ponto tão frágil. Para completar o problema ofensivo neste confronto, Naiane não fez uma boa partida. Faltou visão em alguns momentos para fugir do forte bloqueio do Praia. E me parece que a bola da Edinara ainda não está bem afinada. Além disso, o Zé Roberto mexeu pouco para tentar mudar a história do jogo. Ou melhor, não apostou em substituições definitivas, apenas em inversões ou trocas momentâneas, quando poderia ter investido nas entradas de Ana Cristina, no lugar da Naiane, e da Sara, no lugar da Edinara. 





O mesmo não se viu do outro lado da quadra, com o discípulo do Zé Roberto, o Paulo Coco. Ele fez uma boa troca no levantamento no segundo set. A Ananda melhorou a distribuição do time, principalmente nos contra-ataques, que cresceram de qualidade a partir do terceiro set. Dali em diante é que se viu um Praia mais na sua praia (com o perdão do trocadilho), com muito volume de jogo e boa armação de contra-ataques.

Mostrou recursos para compensar a dificuldade ofensiva com um bloqueio muito forte (que deu de goleada no Barueri, 17x5). Mas, mesmo assim, o time mineiro ficou devendo um desempenho melhor e mais seguro, principalmente no passe. Não foi uma atuação que traduziu da melhor forma a campanha realizada até agora.

Comentários

Anônimo disse…
O jogo em si foi muito bacana, o time do ZRG jogou tudo que podia no primeiro set, marcou bem o praia e dificultou a recepção das mineiras. O Praia jogou mal o primeiro set e perdeu, quando jogou um pouco melhor não deu chance para o Hinode. As mineiras pareciam bem cansadas, deu pra perceber as jogadoras com movimentos pesados. Preparação deve estar pesada visando a parada de natal e ano novo.
L. Mesquita disse…
Eu, particularmente, preferiria a ANANDA dd titular, já que a considero mais corajosa e focada que a Claudia.