Barueri fica para trás

Camponesa/Minas 3x0 Hinode Barueri

Foto: Orlando Bento/MTC
Não tem sido um final de turno fácil para o Barueri. Além dos resultados ruins que acumulou desde a sétima rodada, quando perdeu para o Fluminense, o time caiu de rendimento. Nem mesmo aquilo que vinha sendo sua força, o fundo de quadra, tem se mostrado bem.

Contra o Minas, adversário direto na tabela pela quarta colocação, o Barueri fez uma partida para se esquecer. Jogou mal desde o primeiro set pressionado pelo saque mineiro e sem uma recepção segura. A linha de passe, que deveria ser das mais fortes da Superliga, não tem dado o suporte que um time como o Barueri, mais técnico do que forte, precisa.

Para piorar, o time continua sofrendo com a falta de atacantes mais definidoras para fazer companhia à Edinara que, apesar de ser a única jogadora em quadra em condições de resolver abacaxis, não teve bom desempenho nesta partida. A oposta está com dificuldade de manter uma maior regularidade nesta temporada e suas parceiras têm ajudado muito pouco, mesmo porque não têm no ataque seu ponto forte. Contra o Minas, a Jaque esteve pesada em quadra, tanto para atacar quanto para se movimentar na defesa. 
************************************

O Minas, por outro lado, teve muito mais alternativas ofensivas. Mesmo com a Rosamaria bem marcada, encontrou saída pelas pontas com a Pri Daroit e a Hooker e pelo meio com a Gattaz. A Pri, aliás, tem crescido no ataque nestas últimas rodadas e ganhado mais protagonismo neste fundamento. O problema é que ela costuma sentir o peso dos momentos finais de set e nem sempre é uma bola de segurança para as horas de pressão.

Contra o Barueri isso não aconteceu, até mesmo porque o Minas conseguiu abrir boas margens no placar ao final de cada set. A equipe mineira penou um pouco no início dos sets para manter uma constância de saque e na virada, mas aproveitou as bobeadas do adversário para tomar o controle do jogo.

Teve o trabalho da virada de bola facilitado pela pouca agressividade do saque do Barueri, mas não se tira o mérito da segurança da linha de passe quase em toda a partida, o que possibilitou que a Macris tivesse todas opções de ataque à disposição. E o mais importante: trabalhou com muita qualidade os contra-ataques, com velocidade e muito agressividade nos golpes finais. 

************************************
Primeira vitória do Minas jogando em casa que, além dos clássicos contra o Praia e o Sesc, perdeu os dois primeiros jogos da SL para São Caetano e Pinheiros. Resultado importante para abrir distância do Barueri, se firmar na quarta colocação e se preparar para evitar novas surpresas desagradáveis no começo do returno que acontece ainda este ano. É fundamental para o Minas esta "folga" que terá nas próximas rodadas com adversários mais frágeis para afinar a formação e o entrosamento com a Hooker.

O Barueri enfrenta o Praia na última rodada e, salvo alguma surpresa, deve permanecer estacionado nos 18 pontos no primeiro turno. Isso pode significar a perda até da quinta posição, caso o Fluminense confirme o favoritismo contra o Sesi na última rodada. E logo depois o Barueri recomeça a jornada enfrentando Osasco e Sesc. Vai ser difícil para o time do Zé Roberto encontrar uma brecha para respirar e se reencontrar em quadra ainda este ano.

Comentários

Anônimo disse…
O Minas ainda tem muito a crescer, Macris se entrosando com Hooker e suas atacantes, Hooker cada vez mais pegando ritmo de jogo, se a Daroit manter o nível e a Rosa tem tudo pra chegar na semi. Não confio na Léia nem na Mara. Se eu fosse o ZRG eu há teria colocado a Skowronska para ao menos entrar nas inversões com Naiane, e Thaísa para sacar. Caso entrose rápido tem tudo pra dar trabalho ao Osasco para decidir quem irá pras semis. Osasco não há de viver de tradição. Tá jogando mal dms. E o problema tem 70% de culpa do técnico. Mais foi também erros de contratação a Ninkovic é um caracol chega da dor. Ju Mello é superior anos luz. A Vitoria do Praia de 3x0 no Sesc foi a melhor coisa do segundo turno. Méritos e parabéns.
L. Mesquita disse…
O CAMPONESA MINAS jogou apenas uns 70% do que pode e mesmo assim não deu qualquer chance ao BARUERI. Stefano Lavarini ainda tem a KAROL TORMENA à disposição se quiser melhorar o passe do time. Minas e Fluminense estão subindo de produção, ao passo que Barueri está em queda livre.
Francisco de Oliveira Neto

Será que vale a pena contar com a presença da Jaqueline em quadra ( sim a presença ) pois, da maneira na qual ela participa dos jogos, principalmente desse contra o Minas onde foi mera figurante. Esperávamos muito mais dela, por todas suas conquistas passadas. Não vi vontade alguma dela em participar do jogo, dessa maneira é melhor dar chances a meninas mais novas e com possibilidade de futuro.
Será que vale a pena contar com a presença da Jaqueline no tima ( sim, somente a presença ).
Não seria a hora de dar oportunidades a meninas mais novos e com possibilidade de futuro.
Jaqueline por tudo que conquistou em passado recente esperávamos mais jogo, entrega, sendo sim uma referência para o time, mas, não é isso que está acontecendo. Principalmente nesse jogo contra o Minas parecia que voce estava em quadra somente com o corpo. Ruim no passe e péssima no ataque.
Desculpa, mas foi o que vi.
Paulo Roberto disse…
Francisco, também senti a Jaque meu apática em quadra no jogo. Parecia que não queria estar ali. Muito provavelmente não está a vontade por conta da última lesão, mas vibrou muito pouco além de não receber muitas bolas (acho que por orientação técnica mesmo), se não me engano recebeu umas 5 bolas durante o jogo e pontuou apenas uma vez. No fundo de quadra continua com um padrão de excelência, tanto que os adversários evitam sacar nela.

Vamos ver como o ZRG vai organizar o time com a entrada da Thaísa e da polonesa.