Um set é pouco para abalar o Praia Clube

Dentil/Praia Clube 3x1 Vôlei Nestlé



Pelos últimos jogos que fez, era difícil imaginar que justamente o Vôlei Nestlé conseguiria tirar a invencibilidade do Praia Clube na Superliga 17/18. Pois não conseguiu mesmo. Pelo menos a equipe do Osasco impôs a primeira derrota de um set ao time mineiro no campeonato.

Desta vez, não se pode dizer que o Luizomar não tentou mudar a situação que, logo no primeiro set, se mostrou bastante adversa para o Osasco. Até que, para o padrão do treinador, ele foi bastante corajoso. Entrou no segundo set com uma formação diferente, deslocando a Tandara para oposta e jogando com Leyva e Mari PB como ponteiras. No mesmo set, substituiu a Fabíola pela Carol Albuquerque – ao meu ver, corretamente.

As modificações não chegaram a liberar a Tandara para o ataque da forma que poderia se esperar, mas foram importantes principalmente para estabilizar o passe. Tandara estava pressionada e não respondia bem no fundamento. Além disso, a Carol parece ter um entrosamento com a Leyva melhor, uma bola mais adequada para a atacante que foi crescendo ao longo do jogo e se tornando um nome importante para o ataque paulista.

Mas as substituições não mudaram o problema que atormentou o Osasco durante toda a partida e que atormenta durante toda a temporada: a inconstância, traduzida principalmente pelo excesso de erros. Tudo o que havia sido conquistado nos segundo e terceiro sets foi por água abaixo no quarto, com o time paralisando pelas falhas de recepção e de ataque.

A falta de paciência no ataque, aliás, tem sido uma característica do time desde a temporada passada e neste jogo foi um ponto de discrepância em relação ao Praia que trabalha muito mais cada bola atacada.

O Praia tem replicado, de certa a forma, a escola do Bernardinho e do Rio de Janeiro, apostando muito no seu volume de jogo e no pouco desperdício de ataque. Nem sempre consegue manter um padrão, mas contra o Osasco esta qualidade e paciência na recuperação de bola e armação dos contra-ataques foram fundamentais para a vitória. 
***************************************

O melhor momento do Osasco foi no terceiro set quando encaixou bons saques e o bloqueio e a defesa conseguiram ler melhor a distribuição da Claudinha. Gostei da partida da levantadora que, percebe-se, tem uma estratégia de distribuição bem estruturada, ao contrário do que acontecia nas temporadas anteriores em que as escolhas das jogadas eram aleatórias e resultavam naquela confusão que víamos em muitas partidas. Muito provavelmente, está bem melhor orientada pela comissão técnica.

Contra o Osasco, houve dois momentos em que a Claudinha relembrou um pouco as suas panes, insistindo em jogadas desnecessárias, mas, de forma geral, fez uma partida muito segura. Agora, não dá para negar que a Ananda, sua reserva, fica muito mais à vontade e tem mais qualidade para trabalhar com as centrais. Nota-se a fome de bola que Wal e Fabiana têm para atacar e contribuírem mais no jogo do Praia.

Por enquanto, os inúmeros recursos que Garay, Fawcett e Amanda mostram a cada jogo têm sido suficientes para manter o Praia lá no alto. Mas que o time poderia ser ainda mais rico de repertório, não tenho dúvida. 

***************************************


A expectativa agora, é claro, é o confronto com o Sesc, que está engasgado na garanta do Praia desde sempre. Como já havia comentado no post sobre o jogo contra o Minas, o Praia me parece mais maduro e preparado emocionalmente para encarar as pressões que na temporada passada o abatiam. Além de ter, é claro, muito mais recursos técnicos para fazer frente a qualquer equipe. Pelo que mostrou até agora, desta vez ele é o time a ser temido.
 

Comentários

L. Mesquita disse…
Gostaria de ver ANANDA de titular no lugar da CLAUDINHA, FABIANA é a melhor atacante da Superliga nas estatísticas e tem que ser sempre acionada!
Pop On Air disse…
O problema do Osasco é que as jogadoras sao instáveis e oscilam muito, ai vc pensa so eh repetir essa formacao c a tandara na saida e levia de ponteira nos prox jogos, ai a levya caga nobpasss e afunda tudo. Eh um jogo bom e outro pessimo, levya fez 14 pontos mais errou um bocado e Tandara idem.
L. Mesquita disse…
Gostei da formação Mari, Leyva e Tandara, foi só a primeira vez que Luizomar usou essa formação e mesmo assim sem iniciar o jogo com ela. Espero que nas próximas partidas seja usada mais essa formação.
Anônimo disse…
Foi bom para o Praia perder esse set. Impressionante como a imprensa adora essas coisas, ficam martelando isso e acabam criando uma obrigação da equipe ser perfeita.
O praia se desconcentrou no terceiro set, Claudinha com o passe na mão fez algumas escolhas erradas e depois disso o passe desandou. Apesar disso, a vitória do praia nunca esteve ameaçada. Boa partida da Tandara, boa partida da Leyva alternando erros bisonhos e bolas incríveis, ótima partida da Carol. Do lado do praia, Claudinha foi bem em grande parte da partida, mas acho que a sua precisão não é boa fazendo as atacantes terem que se virar pra rodar a bola, sorte do praia que conta com grandes atacantes. Garay joga muita bola, Fawcett está surpreendendo, Walewska é a bola de segurança da Claudinha, Amanda sentiu um pouco jogar contra uma equipe grande e deu uma rateada no começo, mas acabou muito bem o jogo. A única que ficou abaixo foi a Fabiana, no que dependeu dela foi muito bem, mas foi subaproveitada pela levantadora o que é um desperdício. Só atacou efetivamente quando entrou a Ananda.
,
Rafael Grapper disse…
O que tá acontecendo com a Fabíola? mais um jogo ruim dela pelo Osasco. No 4º set o Ruinzomar deveria ter feito a inversão 5x1 muito antes mas senti que ele não queria colocar a Fabíola no jogo, preferiu queimar uma substituição com a Nati. A Fabíola em forma é superior a Carol, mas hoje eu deixaria a campeã olímpica iniciando as partidas como titular.
Pop On Air disse…
A Fabiola no Feminino equivale ao Marlon no Masculino, é uma levantadora que tem a bola redonda e só isso, bolas altas e lentas nas pontas, não tem velocidade, joga o basicao mesmo, e pouco aproveita as Centrais, não inova. Acho a Carol melhor que ela
Ao meu ver, as panes que aconteciam no praia, eram em parte culpa da comissão técnica, bem como de algumas jogadoras. Hoje o Praia tem Garay, Fawcett e continua com uma dupla de centrais excelentes, que na minha humilde opinião são, ao lado da Thaísa, as melhores centrais que o Brasil já produziu. Na temporada passada a Alix infelizmente não conseguiu jogar o que havia jogado na temporada 2015-2016, quando foi a maior pontuadora, por causa de sucessivas lesões e a Ramirez não carrega piano sozinha, além de ser inconstante de um jogo pra outro. A Claudinha nesta temporada está muito bem, diferente da anterior - nunca vou esquecer aquela pipe que ela tentou com a Ju Carrijo - quando fazia essas escolhas aleatórias e muito erradas em certos momentos, como você disse Laura. Vamos ver como elas se comportarão diante do Sesc, mas fazer frente à elas, isso com certeza conseguem.
Cesar Nascimento disse…
o praia jogou muito bem , mais como todos os outros times sofre com o passe ,Garay quina Suelen não inspira confiança o que faz jogar com bolas impinadas ontem a Nicole e Garay foram bem mais será assim até o fim da temporada,o Osasco tem que improvisar tandara de oposto porque as duas opostas simplesmente são pipoqueiras a Paula só grita e só joga contra o Pinheiros Lorene já entra no jogo com cara de derrotada , outro erro do Osasco foram tantos de ficar enfrentando um bloqueio pesado teve uma sequência de 4 pontos seguidos de bloqueio a leyva é uma atacante forte mais precisa saber escapar de bloqueio não pode vir pra baixo toda hora , vamos ver como esse time imbatível como diz a imprensa se consegue vencer o time do Rio lá o buraco é mais embaixo né
Camilla Paiva disse…
O praia me parece ser o time que pode, finalmente, tirar a hegemonia do Rio de janeiro depois de tantos anos. É bom ver como o time parece mais amadurecido e seguro, como você apontou em sua análise, Laura. O praia do ano passado tremia nas bases quando em desvantagem. O que me chamou muita atenção nessa partida foi a linha de passe do Osasco (sofrível) e como a Bia ta apagada no ataque. Não acho que ela tenha feito boas atuações. Do lado do Praia o time me parece muito bem afinado. Até a Amanda tem virado bola, pro desespero de um comentarista blogueiro acolá. As centrais dispensam comentários e a Fawcett e garay tão jogando muito. Me parece o time a ser batido. Estou ansiosa pelos próximos confrontos do praia com minas e Rio.
Anônimo disse…
César Nascimento, se conforme com a Superliga do Br. Aqui não estão as melhores do mundo, e sim as melhores que nosso mercado pode acomodar. Dentro desse mercado o Praia é o que tem as melhores peças no time titular.
Unknown disse…
E o animador da torcida cornetando a Tandara, que patético. Será que o regulamento permite isso?
Alysson Barros disse…
Patético é como a torcida osasquense "fanática" sempre tratou as adversárias, aí na hora que têm tratamento igual ficam pelos cantos choramingando e se vitimizando. Hipócritas.
Jess disse…
Ele não está reclamando da torcida, está reclamando do animador da mesma, o q é bem diferente
Camilla Paiva disse…
Nossa, que besteira esse auê todo porque pegaram no pé da Tandara. Pressionar e "secar" o atleta faz parte de qualquer esporte. Agora querem ditar ate o modo como torcem e se doem com o grito de "saca na fulana". Tá osso.
Anônimo disse…
Animador é funcionário do clube, não deveria incitar a torcida contra algum atleta e sim fazer guiar a torcida nos cantos. No mínimo antiético da parte dele e espero que o praia tome providencias.

Agora, a torcida pegar no pé da atleta e ressaltar uma deficiência dela é muito normal, desde que não use palavras ofensivas!

Abraço
Junior Torres disse…
"ao contrário do que acontecia nas temporadas anteriores em que as escolhas das jogadas eram aleatórias e resultavam naquela confusão que víamos em muitas partidas."

obrigado por dizer isso! nunca vou esquecer a bola de fundo com a Ju Carrijo. de qualquer forma, jamais vou entender a moral que ela tem de ser titular mesmo depois de uma sequência de temporadas com aproveitamento de razoável para baixo.