Rodada para manter a invencibilidade

Sesi-SP 0x3 Dentil/Praia Clube
Sesc-RJ 3x0 Vôlei Bauru
Bernardinho Drussyla
Foto: Hélio Melo/ Sesc RJ

Já era de se esperar: Praia Clube e Sesc não deixaram pontos pelo caminho da oitava rodada da Superliga. Garantiram a invencibilidade no campeonato com vitórias sobre Sesi e Vôlei Bauru, respectivamente. O compromisso do Praia foi mais tranquilo. 

O time não teve sua superioridade ameaçada em nenhum momento. Com a Ellen como titular no lugar da Amanda, continuou com um trio forte de ataque pelas pontas. E residiu no ataque a maior diferença entre as equipes. O Sesi, como já se comentou no Papo, tem uma eficiência baixíssima neste fundamento. E os números finais do jogo reforçam a discrepância: o Praia fez 42 pontos de ataque enquanto o Sesi pontuou somente 19 vezes. 

*********************************

A missão do Sesc para conseguir o 3x0, por sua vez, foi um pouco mais complicada – pelos menos nos dois primeiros sets. A irregularidade no passe tem colocado o time muitas vezes em apuros na SL. Contra uma equipe como o Vôlei Bauru, que tem um ótimo bloqueio, a dificuldade na virada de bola fez com que o Sesc perdesse algumas boas vantagens que tinha aberto no placar durante o jogo. 

Mas, como é de costume, nas horas finais do set, o Sesc se alinhou e não perdeu a oportunidade. Muito bom ver a Jucy de volta às quadras (ela já tinha jogado os dois primeiros sets na rodada anterior contra o Brasília) e sendo uma bola de segurança para a Roberta. Ainda mais numa partida em que a Monique esteve bem marcada e a Drussyla teve que segurar a maior responsabilidade pelas pontas. Aliás, Peña, que pode ser uma opção para quando o ataque carioca travar, fez sua estreia no Sesc ao final do terceiro set. Na rápida passagem em quadra, marcou um ponto de ataque e mostrou problemas na recepção. 

Sem a Paula, o Vôlei Bauru não teve opções para tentar mudar o jogo e melhorar sua força ofensiva. A Juma, acertadamente, explora o quanto pode as suas centrais, mas fica difícil segurar uma partida quando as pontas não respondem. A saída de ataque pelas está muito concentrada na Palacio. Da Dayse não se espera mais do que tem apresentado, mas e a Helô? Aquela passagem no Rio do Sul foi uma exceção?

Comentários

Sobre a Helô, sim, acho que aquele ano em Rio do Sul foi uma exceção, lá ela carregou o time, mas desde a saída de lá não parece ser a Helô que conquistou muita gente. Se ela voltará a ser aquela jogadora decisiva não sabemos, mas que pelo menos melhore, pois fazer em 3 sets, 4, 6 pontos, não dá.
Valnei Correa disse…
Para o praia o que vai ser determinante para saber o nível que está os duelos com osasco e Rio, times que nos finais de sets tendem a ser muito forte, enquanto isso o Minas grande aposta da maioria pode acabar a rodada 10 pontos atrás do líder,uma certa incompetência.
Obs:Munique só tem jogado em jogos sem grandes pressões,ou vai começar a decidir ou vai bancar o Rio já jogou com 3 ponteiras e dá facilmente pra fazer com peña.
Cesar Nascimento disse…
alguém aí sabe informar em qual site eu consigo ver o ranking das pontuadora da superliga feminina porque no site da cbv está desatualizado ainda aparece o do ano passado
Laura disse…
Valnei, não sei... Monique teria que jogar muito mal mesmo para o Bernardinho tirá-la do time titular, ainda mais sem a Gabi. Ela é referência técnica, tem bastante fundo de quadra, é bem a cara do estilo de jogo do Sesc.

Cesar, este é o link: http://superliga.cbv.com.br/melhores-atletas-fem

Não sei pq mudaram o modelo de exibição das estatísticas, que era bem completo. Não gosto deste, que, por sinal, é o mesmo usado pela Liga Turca. E, por enquanto, não se tem a relação das estatísticas por equipe.
Cesar Nascimento disse…
obrigada Laura mais não achei nada atualizado só tem as maiores pontuadora da última edição da superliga infelizmente ninguém se importa com os amantes do vôlei ! valeu
Laura disse…
Ué, estranho. Aqui para mim aparece atualizado. Tenta abrir em outro navegador, talvez dê.