Imperfeito, mas com os três pontos

Sesc-RJ 3x0 Fluminense

Drussyla Rio de Janeiro Bernardinho
Foto: Erbs Jr/Sesc-RJ

Depois do tropeço do Osasco, era para o Sesc ter entrado em quadra vacinado para enfrentar o Fluminense. Mas não foi o que aconteceu. O time de Bernardinho sucumbiu ao melhor fundamento tricolor, o saque, e teve que correr atrás de uma desvantagem de sete pontos (8x1) para vencer o primeiro set.

O cartão de visitas do Fluminense, ao menos, fez com que o Sesc acordasse para a partida e evitasse qualquer susto maior. Respondeu ao adversário também com um bom saque - explorando o ponto fraco tricolor, a recepção - e aproveitando o seu bom trabalho de bloqueio, defesa e contra-ataque.

Mesmo assim, o Sesc não deixou de sofrer pressões do adversário, principalmente quando o Flu estava ao saque. Drussyla teve alguns problemas de recepção que recolocaram o tricolor na partida. 
***********************************

Roberta parece se sentir mais à vontade para usar as centrais, inclusive nos contra-ataques. Kasiely tem feito seu papel no passe deixando para Monique e Drussyla carregarem os ataques pelas pontas. Aos poucos, o Sesc forma a sua cara com as peças que têm à disposição. Peña começa a treinar na próxima semana e vai ser uma opção importante para o Bernardo. Mas acho que tão cedo ele não muda esta composição com Kasiely, Drussyla e Monique para não expor ainda mais um fundamento que tem dado dor de cabeça ao time carioca. 

***********************************
O Fluminense segue tendo que lutar contra si antes mesmo de lutar contra os adversários. Quando encaixa o passe, a equipe ganha velocidade e outro brilho no ataque. Mas estes momentos são raros. O bloqueio deu uma melhorada nos dois últimos jogos assim como o saque, mas ainda precisa percorrer um certo caminho para se tornar um time em que o sistema defensivo compense o ofensivo e chegue a ser uma qualidade realmente competitiva. São muitos erros ainda e contra-ataques mal aproveitados.

Comentários

Sergio disse…
Laura, esqueceu de falar da falta de respeito da RedeTV com o telespectador, pois no final do terceiro set, simplesmente saiu do ar para entrar o futebol. Sinceramente, onde está a CBV que não ver isso, e o patrocinador desse horário que deixou de mostrar sua marca por simples incompetência dessa rede de televisão.
Victor disse…
Rede Tv se mostrou semelhante a outras emissoras que desrespeitam o voleibol. Realmente foi uma ilusão: além de transmissão de qualidade questionável, eu acho que a interatividade passou um pouco da conta, muita conversa e pouco jogo.
PS: Bernardo reclamando do microfone daquela forma foi ridículo. Já tem várias superligas que a regra é poder pedir pra tirar o microfone uma vez por jogo e ele continua se achando o presidente da Superliga. Ele é um profissional exemplar, super campeão e tudo mais, mas soltar um "A partir de agora não vai ter microfone" foi demais, se achando muito.
Em relação ao jogo, mais do mesmo. Fluminense sempre no quase. Quando conseguia embalar uma boa sequência, o passe complicava. Mas acho que essa sequência difícil vai ajudar a engrossar o time e prevejo evolução.
Sergio disse…
O problemacdo microfone foi que o pessoal coloca em cima, quase que no rosto. Falta de noçao. Se vc ver ele pede varias vezes para subir com o microfone e nao é atendido
Lulu disse…
Imaginem se o Fluminense apronta e o jogo não fecha em 3 x 0. Agora já sabemos que a transmissão lá é por tempo com o jogo encerrado ou não. Fora as interrupções para entrevistas e aquela ridícula tela dividida com aquele comentarista que se acha mais importante que a partida.
Laura disse…
Pior que esqueci mesmo de comentar!

Os fãs do vôlei têm tantas histórias de desrespeito q vou te contar... Imagina fazer isso q fizeram com o futebol? Inaceitável, né? Pois pro vôlei deveria ser tb. E a CBV, q deveria defender o esporte, é cúmplice deste desrespeito. A impressão q tenho é q ela acha um favor as emissoras passarem o esporte e aceitam qq coisa sem reclamar. Uma mentalidade q permanece do Ary Graça, q faz de tudo para o esporte se adaptar à TV.

Não dá para entender pq começaram o jogo as 15h se já havia programação para a série B às 16h30. É mais comum uma partida durar pelo menos 1h30. Já começaram com uma margem apertada.
Sergio disse…
Laura, sinceramente se eles colocaram a grade do volei para 15:30 foi a pedido da TV, e não faz o menor sentido no final do jogo falta 8 pontos para concluir (coisa de 8 minutos) eles simplesmente cortar para ver o inicio de jogo do futebol. O futebol que espere. Simples assim. A CBV deveria chamar a atenção desse tv amadora. Se não tem competência para manter um jogo de volei então que libere para que passe online
Laura disse…
Sim, Sérgio, estou falando da RedeTv ter colocado neste horário. Até pq nos outros sábados os jogos foram as 14h, se não me engano.
Sergio disse…
Pelo que entendo de emissora de tv, eles colocam um programa que dá mais audiência no horário anterior para que no programa seguinte tenha audiência. Acho que eles querem pegar as pessoas que gostam de volei para ver futebol. Como a maioria das pessoas que gostam de volei são pessoas de familia, que podem conviver com adversidade, o futebol é excludente. Imagine só se você ver duas torcidas no mesmo espaço e sem separação em um jogo de futebol, é IMPOSSÍVEL. E a pior coisa é saber que o esporte coletivo que mais ganhou torneios e campeonatos no Brasil foi volei. É o segundo esporte mais visto no país, e as grades de tv insistem em passar programas reprisados de futebol do que um bom jogo de futebol, acho que se as tv's passassem mais jogos de volei, me atrevo a dizer, que em um fulturo próximo o país não seria mais o país do futebol e sim do voleibol.