Valinhos não assustou o Sesc

Renata Valinhos/Country 0x3 Sesc-RJ
Ao contrário do seu arquirrival Osasco, o Sesc não passou por nenhum sufoco para vencer o Valinhos. A vitória foi construída basicamente pelo seu bom saque e nas dificuldades de recepção e virada de bola do adversário.

Valinhos, na tentativa de fazer pressão no saque, acabou errando demais neste fundamento e deixando o Rio ainda mais à vontade na partida.

Kasiely, que fez a sua primeira partida como titular, substituindo a Gabiru, fez uma partida segura na recepção e no ataque. Claro que o jogo não foi um grande teste para nenhuma jogadora do Sesc, cujo maior desafio foi manter a concentração e não baixar o ritmo da agressividade.

Mas os obstáculos a partir de agora tendem a ser maiores para Kasiely e o reduzido elenco do Sesc - que está no mercado à procura de uma nova ponteira. O time enfrenta o São Caetano e o Pinheiros nas duas próximas partidas. 


********************************

Pela fragilidade que Valinhos apresentou contra o Sesc, ficou inevitável se perguntar como o Osasco se complicou para batê-lo. Percebe-se como o time ainda é fraco em conjunto, tentando encontrar a melhor formação e entrosamento com as jogadoras que chegaram depois do Paulista.

É curioso que, desde quando chegou à Superliga há duas temporadas, o Valinhos sempre teve um elenco composto por nomes muito pouco conhecido e que despertavam pouco a atenção. Nesta SL, há jogadoras interessantes à disposição, mas a maioria ainda está no banco.

A jovem oposta Natália é uma delas. Entrou bem contra o Sesc no lugar da Mari Capovilla, que, com todo o respeito, não pode ser titular de uma equipe da SL principal. Outras jogadoras, que não renderam bem nas últimas temporadas, devem estar famintas por uma chance na equipe titular para buscar uma recuperação, casos da Ju Nogueira e da Sabrina.

Com levantadoras que não me parecem ter muitos recursos, o time vai precisar optar por um jogo mais simples pelas pontas e pelo meio, aproveitando a altura das suas jogadoras. Só que, no caso das pontas, o time precisa de jogadoras mais decisivas, o que não é a característica do trio titular da partida contra o Sesc (Paula Mohr, Nayara e Mari).

Comentários

Anônimo disse…
Alguém sabe a respeito da Jucy? Laura? Sou grande fã na jogadora, e creio ser a melhor central brasileira em atividade até o momento da contusão.
Sergio disse…
Alguém sabe dizer a respeito de nova contratação de ponteira? Sinceramente, o Bernardo demora muito em contratar. O time vai começar a pegar pedreira. São Caetano, Pinheiro, Bauro, Minas, Praia e Osasco. Precisa contratar logo para pegar ritimo de jogo com a levantadora.
Chandler Bing disse…
Confesso que não entendo o fato de Ju Nogueira estar no banco. Até mesmo a Natalia. Se as titulares fossem grande coisa, o que com todo o respeito não são, até que daria pra entender.
Não sei em que condições Ju Nogueira está, mas desde que jogou com o Spencer no Rio do Sul, eu achei que ela fosse ter mais oportunidades de jogar como titular, mesmo em outros times, só que não.
Anônimo disse…
A Natália jogou muito nem e merecia muito a chance de ser testada como titular, sendo nas inversões a Sabrina que o time contratou do falido Rio do Sul. A Vivian também atua melhor na saída de rede q no meio, no meio e2 sem expressão não bloqueia nem ataca bem. Acho a Paula Morh muito Boa, seria uma ótima chance pra ela reinscidir contrato e trabalhar com o Bernardo no Sesc. Teny de levantadora rende mais que de líbero.