Invencibilidade mantida

Pinheiros 0x3 Dentil/Praia Clube   
Fernanda Garay Fabiana
Foto: Daniel Vorley / ECP
Depois de conquistar duas importantes vitórias contra Bauru e Minas, era de se esperar que o Pinheiros fosse o primeiro grande obstáculo que o Praia Clube enfrentaria na Superliga. Mas a expectativa de que as equipes  pudessem fazer um confronto equilibrado foi frustrada logo no primeiro set, cujo placar foi um vergonhoso 25 a 7 para as mineiras.

O Pinheiros teve uma dificuldade absurda na virada de bola no primeiro set que se repetiu, num grau menor, nos seguintes. A entrada da levantadora Bruninha, assim como aconteceu contra o o Minas, deu um pouco mais de velocidade, mas não foi o suficiente para dar fluidez ao ataque paulista. Até porque o Praia Clube esteve desde o primeiro set com um bloqueio pesadíssimo para cima das ponteiras do Pinheiros que, volta e meia, cometiam o erro de enfrentar o paredão. O resultado, obviamente, foi muita bola voltando no pé.

Quando o Pinheiros entrou mais na partida, apresentando maior volume de jogo, o Praia Clube respondeu com tranquilidade na troca de bola, trabalhando sem afobação e sendo mais eficiente nos contra-ataques, principalmente com a Garay, numa noite bastante inspirada tanto no ataque como no bloqueio.

O que mais se pode destacar do Praia foi exatamente esta sobriedade e controle sobre o seu jogo, evitando erros bobos. A recepção não foi muito exigida, mas deu conta do recado na maior parte do jogo, deixando a Claudinha à vontade na distribuição.

Do outro lado, a recepção do Pinheiros fez suas levantadoras correrem a quadra toda. Pela segunda vez na SL, o Paulo de Tarso experimentou a Ivna como ponteira ao lado da Vanessa e, pela segunda vez, não deu certo.  O treinador acaba tendo que acionar Mari Casemiro ou Maira para consertar os estragos no passe, mas elas não são exatamente uma solução garantida para os problemas. E, desta vez, as substituições não deram a estabilidade que o time precisava para fazer seu jogo.

A equipe paulista até ensaiou algumas “entradas” na partida, em que parecia que ia equilibrar a disputa, mas os erros, principalmente de saque, quebraram a possibilidade de uma sequência mais regular. 

****************************************

Seria interessante ver como o Praia reagiria sob pressão, coisa que o Pinheiros não conseguiu fazer. Se de um lado foi bastante positivo o autocontrole e a agressividade que apresentou na partida, o histórico recente ainda nos faz questionar o quão firme o time mineiro está nesta sua postura e atitude quando se deparar com um desafio maior.

De qualquer forma, a invencibilidade foi mantida e três pontos importantes foram conquistados num campeonato em que adversários diretos do Praia, caso de Minas e Vôlei Nestlé, já deram seus tropeços. 

Comentários

Anônimo disse…
O saque e o bloqueio do Praia estão muito bons. O time apresenta uma disciplina tática, coisa que não tinha na temporada passada. Aquele negócio de ficar recepcionando com a oposta e escondendo ponteira do passe nunca deu muito certo. Essa formação tradicional é mais segura. O time vai ganhar ainda mais corpo quando a americana estiver recuperada e assumir a titularidade, pra dividir a responsabilidade com a Garay.
Anônimo disse…
Fê Garay sendo decisiva, Amanda bem no fundo de quadra e dando sua contribuição no ataque, Suelen bem nas defesas e Fabiana e Walewska bloqueando demais, tanto que ambas lideram o fundamento bloqueio nas estatísticas da CBV até o momento. O time tá bem organizado taticamente e vai ficar ainda melhor quando a Fawcett tiver jogando. Paulo Coco fazendo um bom trabalho.
Carlos Eduardo disse…
Galera,

Eu ouvi direito, ou o narrador do SPORTV comentou ontem, durante a transmissão, que a Fabiana retornaria à seleção feminina de vôlei? Como eu assisti ao jogo apenas da metade para o final, e não vi nenhuma repercussão na imprensa on line, optei por confirmar com vocês aqui.

Abraços!
Rodrigo André disse…
Gostei muito da pressão do Praia sobre o Pinheiros. A recepção em geral funcionou, apesar de algumas quinadas da Suelen. As ponteiras estiveram bem. Garay fez o que se espera dela, ser a jogadora de definição (afinal foi contratada para isso). Amanda me surpreendeu positivamente no ataque, achou bons espaços entre o bloqueio do time paulista. Carla não comprometeu. Sobre as meios de rede, foram muito bem no bloqueio, mas me preocupa o ataque. Parece que não tem mais o mesmo poder de definir de quando eram mais novas. E ficaram em alguns bloqueios.Mayhara, Boa e outras tem sido melhores nesse sentido. Vamos ver contra times mais fortes... Pelo menos o Praia vai fazendo o dever de casa e garantindo pontuação máxima contra os mais fracos, para não se complicar na classificação....
Laura disse…
Carlos, desculpa, não vou poder te ajudar, pois ouvi muito por cima. Acho q eles falaram meio em geral, das jogadoras que podem voltar à seleção, como a Garay.

Rodrigo, verdade, os ataques das centrais não foram bolas de segurança. Gostei tb da atuação da Amanda, mas acho q o essencial para a boa atuação dela foi o desempenho da Claudinha que a acionou nos momentos certos e levantou bolas bem à feição da atacante, mais rápidas.
L. Mesquita disse…
O time do PRAIA é EXCELENTE, time pra ser CAMPEÃO... No entanto, não confio na CLAUDINHA aue na temporada passada deixou o time na mão em momentos decisivos... Gosto do time, mas não da levantadora...
Anônimo disse…
L. Mesquita,
Com todo respeito, quem deixou o time na mão, foram o técnico e o passe, em especial com a líbero. Tire o passe da levantadora e tire as orientações que um mentor deveria passar à ela, e você estará tirando as armas dessa levantadora. Foi assim que vi a Claudinha na temporada passada, uma levantadora sem armas, mas não que ela tenha deixado o time na mão, pelo contrário, técnico e falta de passe deixaram ela na mão.
Carina disse…
Gostei de ver esse jogo, o Praia me inspirou confiança. A Garay esteve bem no passe, ataque e bloqueio, Walewska e Fabiana foram excelentes nos bloqueios. Paulo Coco está fazendo um excelente trabalho.