sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Europeu: Turquia e Azerbaijão completam as semi

Quartas de final

Turquia 3x0 Rússia 

campeonato europeu de vôlei feminino
Queria aqui explicar o resultado exaltando a Turquia , mas fica difícil ignorar o fato de que a Rússia tem muita responsabilidade pela própria derrota.

Principalmente o treinador. A Rússia desde o início do campeonato não tem uma levantadora titular. Filishtinskaia e Pankova se revezaram. Só o fato de a Pankova ainda estar no grupo já é um equívoco; usá-la como titular, então...

Nesta partida, Pankova foi a titular. Filishtinskaia demorou a entrar no segundo set e, quando foi chamada, o time já tinha desandado. Desandou principalmente porque o Ushakov resolveu tirar a Frolova e colocar a Voronkova no seu lugar para passar. Já não bastava a Kosheleva entregando pontos em erros de passe, somou-se a ela a Voronkova. A Rússia já tinha usado com maior sucesso esta formação no Europeu. A questão é que, naquele momento, não precisava fazer nenhum mudança. O placar estava empatado, a disputa equilibrada. A partir dali, dos erros em sequência na recepção, é que a Turquia disparou.

E o treinador não voltou com a Frolova até o final do terceiro set, quando o mesmo problema já tinha tirado a Rússia da disputa. Perdeu nos erros de passe, que não permitiam sequer a construção de uma bola decente alta na ponta, a vantagem que tinha construído na parcial.

O grande mérito da Turquia esteve principalmente em fechar o complicado primeiro set em que, no final, perdeu a vantagem que tinha construído. Nos momentos finais, a seleção turca estava com muito mais dificuldade em colocar a bola no chão. Precisou fazer um jogo de insistência e de forte trabalho defensivo, além de contar com erros russos, para fechar o set.

Com mais jeitinho do que força, a Turquia driblou o perdido bloqueio e a ineficiente defesa russa. O passe turco desta vez também funcionou melhor. O Guidetti fez uma aposta alta ao tirar no início do primeiro set sua principal atacante, a Neriman, e optar por uma jogadora mais de composição, a Önal. Ela e a Gödze dividiram melhor a responsabilidade no passe. A Naz conseguiu, assim, colocar as centrais para jogar. Mas pelas pontas, o peso ficou concentrado na jovem oposta Boz, que correspondeu. E isso foi uma grande diferença para a Turquia que, ao longo do campeonato, não encontrava nela nem na Uslupehlivan uma oposta de confiança.

A Rússia, a seleção que mais precisava usar esta temporada para se renovar, terminou parada no mesmo lugar. É um time que continua apostando mais na camisa e na superioridade física do que na tática e no conjunto. 


******************************

Azerbaijão 3x0 Alemanha

Mais uma partida de quartas que o equilíbrio passou longe.

O Azerbaijão acabou com a Alemanha no saque e fez da líbero Dürr a sua principal vítima. Foi pancada atrás de pancada de Mammadova e Rahimova tanto no ataque como no saque. 
Se o passe alemão já não tinha regularidade suficiente, o trabalho ofensivo da equipe ficou ainda mais prejudicado pela falta de qualidade da suas levantadoras. A Hanke, que começou a partida, não conseguia levantar duas bolas decente seguidas; e a Kemmsies parecia fazer escolhas aleatórias – e erradas – das jogadas. Ou seja, as atacantes de ponta sofreram.

Sem conseguir engrenar no ataque, a Alemanha só tinha a alternativa de tentar equilibrar a partida trabalhando bem defensivamente. Mas o saque se aproveitou poucas vezes da Mammadova e não afetou a segurança da líbero azeri; o bloqueio apareceu uma e outra vez, mas sem regularidade; e, no fundo de quadra, o time esteve bastante lento.

A agressividade do Azerbaijão acabou compensando muito, apesar dos erros um pouco além da conta que cometeu. 



******************************

Semifinais 

Holanda x Azerbaijão
A Holanda pode levar vantagem na velocidade de ataque e na agilidade defensiva. O Azerbaijão é um time um pouco lento e pesado. Mas se as azeris encaixarem o saque, as holandesas vão penar para fazer o seu jogo. A Holanda precisa de uma preparação mais redonda para seu ataque funcionar, o que não é o caso do Azerbaijão em que a Rahimova resolve a maioria dos abacaxis. 

Sérvia x Turquia
A Turquia pega mais um adversário de estilo oposto ao seu. Vai ter que usar as mesmas ferramentas que usou até agora, portanto: habilidade do seu ataque para superar os bloqueios gigantes e volume de jogo. Mas a Sérvia parece estar bastante segura, até agora, no seu principal ponto fraco, a linha de passe. Se ela der o mínimo de condições de jogo, a Boskovic resolve o resto. E a Sérvia tem ainda um saque forte que pode voltar a desestruturar o ataque turco. Meus palpites costumam ser bola fora (achei que a semi seria Rússia e Sérvia), mas acho difícil a Turquia passar.

7 comentários:

L. Mesquita disse...

Dá até NOJO de ver esse voleibol HORROROSO da RUSSIA. Até que enfim a TURQUIA tomou vergonha na cara, fez valer seu melhor jogo e deu um PÉ NA BUNDA dessas QUINADORAS DE PASSE direto pra RUSSIA... Vai jogar FEIO assim na RUSSIA!!!

L. Mesquita disse...

Graças à Deus, não houve zebra e ficaram para as SEMIFINAIS somente as MELHORES EQUIPES DO CAMPENATO de verdade!!!
As QUARTAS-DE-FINAL foram uma LAVADA, foram todos os jogos de 3x0 sem qualquer chance de recuperação para as equipes perdedoras, dessa forma RUSSIA, ALEMANHA, BELARUS e ITALIA foram LITERALMENTE ESCURRAÇADAS DO TORNEIO sem dó nem piedade!!!
A RUSSIA com esse volei FEIO, HORROROSO, RIDÍCULO, ULTRAPASSADO, da IDADE DA PEDRA já vai tarde!!!

Pop On Air disse...

As Pontas Russas deveriam ser Goncharova, Parubets e a Frolova, a Kosheleva da muito prejuizo na recepçao, e a Voronkova é um desastre... Logo logo esse novo técnico da Rússia vai rodar, entre e sai técnico e o jogo delas continua o Mesmo..

Gleidson Ferreira disse...

Creio que ao falar Brakocevic você quis dizer Boskovic.

Laura disse...

Sim, Gleidson. Obrigada! Faço sempre esta confusão, penso numa e escrevo o nome da outra... =P

Kaike Lemos disse...

Rússia está caindo cada vez mais. Se não se recuperar vai ser uma CUBA da vida. Turquia não passará pela Sérvia, a não ser que consiga procurar incansavelmente a Mihajlovic no saque e conseguir fazer as bolas da Boskovic amortecerem no bloqueio.

A Holanda deveria usar Dalderoop no lugar da Grothues que não esta rendendo no ATAQUE.

Voltando a falar da Russia, a Kosheleva da muito prejuizo no passe. A Kosianenko ta ruim e gorda o que atrapalha o deslocamento quando o passe não sai. A libero não defende quase nada. TIME RUSSO vai tomar muito SACODE ainda!

Kamila Azevedo disse...

Desde as aposentadorias de Gamova e de Sokolova que a Rússia vem numa descendente grande... Culpo pela má fase do time a falta de renovação no estilo de jogo do voleibol russo. No voleibol atual, não dá mais para apostar sempre em bola alta na ponta. O time está pagando caro por não jogar um voleibol mais rápido, com utilização das meios de rede e com um conjunto forte. Kosheleva está numa fase muito ruim da carreira, não é mais aquela de anos atrás e, além disso, não dá para contar com a PÉSSIMA Pankova. Essa levantadora tinha que ser esquecida. Espero que Startseva volte LOGO!