Copa dos Campeões: o último desafio

Começa nesta madrugada o último compromisso da seleção brasileira na temporada,  a Copa dos Campeões. O Brasil defende o título contra cinco seleções: China, EUA, Rússia, Japão e Coreia. 

Vamos ver como cada adversário brasileiro chega ao torneio?

China
A China mantém a base que disputou o Grand Prix, mas tem, como novidade, o retorno da oposta Zeng, que esteve no Mundial de 2014, mas ficou de fora da Rio 2016. Chama a atenção as 3 levantadoras no grupo das 14 jogadoras.

Levantadoras: Ding Xia, Yao Di e Diao Lin-yu
Opostas: Gong e Zeng (volta do Mundial)
Ponteiras: Zhu , Zhang e Liu X.
Centrais: Yuan, Yan Ni, Zheng e Wang
Líberos: Li Lin e Wang
 
EUA
Depois de um Grand Prix de testes, os EUA vêm refoçado para a Copa dos Campeões com a base do time vencedor do bronze no Rio. Mas o Kiraly não deixará de lado a sua parcela de experimentações: na posição de oposto, duas novatas estão à disposição; e para líbero, ele testa ponteira de origem Megan Courtney,.

Levantadoras: Lloyd e Lauren Carlini 
Opostas: Drews e Aiyana Whitney 
Ponteiras: Larson, Hill, Bartsch-Hackley e Kingdon 
Centrais: Akinradewo, Adams e Gibbemeyer 
Líberos: Courtney e Wong

Rússia
A Rússia também chega ao torneio com suas principais estrelas. Goncharova e Kosheleva voltam ao time depois de disputarem o classificatório europeu para o Mundial no início do ano. Com elas, retornam Shcherbam e Kosianenko. Essa última, a levantadora, chegou a ser descartada para este ciclo pelo treinador Kuziutkin bem no início da temporada. Porém, para azar da seleção, ele voltou atrás.

Levantadoras: Kosianenko (Pankova), Filishtinskaya 
Opostas: Goncharova e Voronkova
Ponteiras: Kosheleva, Shcherban, Parubets (Ilchenko), Frolova e Sperskaite
Centrais: Koroleva (Zaryazhko), Fetisova, Evdokimova e Efimova
Líberos: Kryuchkova e Tretyakova

Japão
O Japão traz algumas novidades, como é o caso da oposta Horikawa, mas mantém a base do time que alcançou resultados surpreendentes no Grand Prix e foi campeão do Asiático. Ainda não poderá contar com a oposta Nagaoka e a ponteira Koga, ambas se recuperando de lesão.

Levantadoras: Tominaga e Miya Sato
Opostas: Risa Shinnabe e Mari Horikawa
Ponteiras: Yurie Nabeya, Yuki Ishii, Mami Uchiseto e Rika Nomoto
Centrais: Nana Iwasaka ,Erika Araki, Haruyo Shimamura e Mai Okumura
Líberos: Inoue e Kobata
 
Coreia

A Coreia, convidada pela FIVB para o torneio, vem com um time bastante renovado, inclusive em comparação com o que disputou o Grand Prix. A principal ausência, é claro, é da Kim. Ela e mais algumas outras jogadoras descansam para o classificatório asiático que acontece ao final do mês. Um grupo de novatas vai ocupar as posições de ponteira e de levantadora. Hwang, oposta, e Su Ji Kim, central, trazem um pouco de experiência ao time.

Levantadoras: Lee Jae-Eun e Lee Goeun
Opostas: Hwang Minkyoung, Ha Hyejin
Ponteiras: Lee Jaeyeong, Yoo Seoyeun, Choi Subin e Jeon Saeyan
Centrais: Kim Su Ji, Kim Yuri, Han Sooji e Jeong Siyoung
Líberos: Na Hyunjung, Kim Yeongyeon 
 
***********************************

Os jogos do Brasil: 

05/09  - 00h40 – Brasil x Rússia

06/09 - 00h40 – Brasil x China

08/09 - 7h15 - Brasil x Japão

09/09 -  3h40 – Brasil x Coreia

10/09 - 2h40 – Brasil x EUA

Comentários

PAULISTA MMA disse…
Nenhuma emissora vai transmitir???
Laura disse…
Não... :( Só o canal da Fivb no YouTube.
Kamila Azevedo disse…
Japão e Coréia não devem fazer frente contra o Brasil. Os jogos mais difíceis tendem a ser contra os EUA e a China. Não assisti ao jogo contra a Rússia, mas acho que a vitória era esperada, principalmente porque o time russo, faz tempo, não dificulta a vida do Brasil.
Ganhamos da Rússia mais uma vez sofremos com o passe é mais uma vez o bloqueio e o saque nos salvou 18 blocs e 12 Aces . Laura pq Adenisia não está nesse grupo . E gostei da virada no terceiro set kkkkk 23 x 19 já não estava acreditando mais
L. Mesquita disse…
VINTE E CINCO A DOZE!!!
Vocês sabem o que significa fechar um jogo dando uma SURRA de 25x12???
Todo mundo RECLAMA da altura das nossas jogadoras, mas o que adianta altura sem técnica???
As abelhinhas brasileiras deram essa surra humilhante de 25x12 nas GIRAFAS RUSSAS...
Ultimamente o Brasil tem tido dificuldades somente com as habilidosas asiaticas, pois contra a altura das EUROPEIAS, as abelhinhas brasileiras tem tirado de letra!!!
TORNEIO de PONTOS CORRIDOS é dificílimo e o placar desde a primeira partida importa muito, ganhando um set de 25 x 12 já põe uma grande vantagem no saldo pontos!
Was disse…
Excelente virada no 3* set. 23x19 contra e o time foi buscar um incrível 23x25. E o tal "Mokcri" da Eslováquia, 1* árbitro da partida, quase fez o Zé sofrer um infarto pela não marcação de dois toques no levantamento russo..