segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Derrotado, mas com um retorno importante

O Brasil perdeu o primeiro amistoso que fez com os Estados Unidos neste domingo, 3x0 (25-21; 25-14 e 29-27). As seleções ainda fizeram um set extra, com formações alternativas, em que o Brasil saiu vencedor por 25-22.

A novidade na escalação do time titular brasileiro ficou por conta da Gabi no lugar da Rosamaria. Apesar de estar no grupo no Sul-americano, ela não chegou a ser relacionada e a jogar o campeonato. Portanto, o amistoso foi a primeira partida que a ponteira jogou desde a final da Superliga.

A Gabi é um retorno importante para a seleção, ainda que seja difícil que ela recupere o seu melhor desempenho a tempo da Copa dos Campeões, com tão poucas partidas para ganhar ritmo. Mas, se ela conseguir dar maior segurança ao passe brasileiro e liberar a Natália para o ataque, o time já ganha um maior equilíbrio. 
 
**********************************

Pela descrição da partida, o Brasil jogou o tempo inteiro atrás dos EUA. Teve momentos bons no bloqueio, mas, em geral, teve dificuldades na marcação do ataque norte-americano, principalmente da oposto Drews, maior pontuadora do encontro com 18 pontos.

O Brasil jogou com Roberta, Tandara, Gabi, Natália, Bia, Carol e Suelen. Os EUA entraram com Lloyd, Drews, Larson, Hill, Akirandewo, Adams e a líbero Courtney.

Nesta terça (29), acontece o segundo amistoso, às 23h30 (horário de Brasília).

3 comentários:

Kamila Azevedo disse...

Brasil perde na hora em que pode perder. Acho importante que as meninas peguem a seleção norte-americana completa antes de um torneio como a Copa dos Campeões, porque isso mostra as fragilidades do time brasileiro e em que aspectos a comissão técnica pode trabalhar pra melhorar o time. Vamos esperar para ver como será o segundo amistoso entre as equipes, para vermos se teremos alguma diferença no placar.

Yano o Chato disse...

Hoje o maior problema da seleção americana parece ser o técnico. Não gosto do estilo dele de comandar nas partidas. Morre no manual, não faz nada diferente. Não instrui nos tempos, ficando só no discurso motivacional. Nem adianta a quantidade de atletas que tem nas mãos.

L. Mesquita disse...

Amistoso é amistoso, o próprio nome diz "AMISTOSO", pra mim não quer dizer nada perder amistoso...
Pra mim o BRASIL pode perder TODOS OS AMISTOSOS possiveis, pois o objetivo deles é dar ritmo de jogo e fazer testes...
A verdade VERDADEIRA é que os EUA é freguês em finais olímpicas!!!
Quem dera toda final olímpica fosse contra as FREGUESAS AMERICANAS...
A grande dificuldade recente do BRASIL tem sido contra as ASIÁTICAS, EUA não é problema...