sexta-feira, 21 de julho de 2017

GP 2017 - Brasil 3x1 Holanda

torcida bloqueio seleção brasileira feminina de vôlei

Se o desempenho do bloqueio brasileiro contra a Bélgica já tinha sido excelente, o que dizer deste contra a Holanda? Foram 20 pontos, o dobro dos pontos feitos pelas holandesas.

A relação saque e bloqueio tem ditado o ritmo do Brasil em quadra. Desta vez, não foi diferente, mas a seleção teve alguns pontos positivos a mais na comparação com as últimas atuações.

A defesa e o aproveitamento dos contra-ataques melhoraram. A postura brasileira, de modo geral, foi mais agressiva e impositiva o que, me parece, desnorteou um pouco as holandesas. 

************************************  

O ponto de desequilíbrio, para as duas equipes, foi o passe. A Holanda sofreu com o saque brasileiro durante quase toda a partida. Muitas vezes o problema até não esteve diretamente no passe, mas na pouca habilidade da Dijkema em trabalhar com a bola que vinha fora da sua posição. A levantadora “matou” suas atacantes com bolas baixas, o que ajudou bastante o bloqueio brasileiro.

Por outro lado, o Brasil também sentiu dificuldades na recepção no terceiro e no início do quarto set. Natália teve momentos ruins no fundamento, principalmente na posição em que a Rosamaria fica mais exposta, ao centro da linha de passe e ao lado da Natália. Não só para cobrir a Rosa como em outros posicionamentos, Natália e Suelen estão batendo um pouco a cabeça para se entender e saber quem deve ir na bola.

Foi esta queda no passe que tirou o Brasil do terceiro set e quase comprometeu o quarto. Se a Holanda não tivesse dado alguns presentes para a seleção, não sei se o Brasil teria encontrado uma brecha para reagir no set.

Mas o importante é que, no fim, reagiu, tendo até a própria Natália como personagem das viradas e contra-ataques fundamentais para a recuperação brasileira. Foi importante que tanto ela como a Rosamaria e a Tandara tenham respondido bem no ataque já que o jogo brasileiro esteve muito concentrado nas pontas. 

************************************ 

É bem provável que este cenário se repita contra os EUA, só que nossas atacantes das pontas deverão encontrar maior dificuldade em colocar bola no chão, pois as norte-americanas tem maior volume. 

A melhor resposta brasileira será, além de ter paciência na definição, também apresentar-se bem na defesa. A partida contra a Holanda e o dia de treino e estudo que haverá antes do confronto no domingo dão a esperança de que o Brasil pode realizar isto bem.

Falando em EUA, na outra partida do grupo, o time norte-americano venceu a Bélgica por 3x1.

************************************ 


Resultados da 1ª rodada do 3º turno do GP: 

Grupo G 
Sérvia 3x0 Rússia

China 3x1 Japão 

Grupo H

Itália 3x1 Turquia

Tailândia 2x3 Rep. Dominicana

 ************************************ 

Deem uma conferida nesta entrevista com a Thaisa, na ESPN:
Thaísa conta seu drama: ‘Ver minha perna definhando é assustador’

17 comentários:

Cas disse...

Uma coisa curiosa/engraçada sobre a transmissão do jogo pela globo: O narrador já tem umas frases meio prontas pra descrever as jogadas e as coisas que acontecem no jogo, daí na inversão de 5x1 ele falou que era pra aumentar a altura do bloqueio, acho que tá tão acostumado a mandar essa frase sempre que tem inversão que não se ligou que não era o caso, já que tava saindo a Roberta e entrando a Monique, que é bem mais baixa.

L. Mesquita disse...

BOA NOITE CAS! Concordo contigo, acho que a maioria dos narradores são péssimos e adotam muitos clichês, sem entender na realidade do que estão falando, dão pitacos inoportunos, trocam os nomes das jogadores, enfim muito leigos no vôlei... Em relação ao jogo, achei a SUELEN fundamental no volume de jogo da seleção brasileira, tanto no passe, quanto na defesa e nos levantamentos quando a levantadora defende. SUELEN dá muito mais segurança ao time que a improvisada GABIRU. Outra que também passa mais confiança ao time, mesmo estando no banco, é MACRIS. Todas as jogadoras conhecem a qualidade e o talento da MACRIS devido ao seu histórico de confrontos na Superliga e uma inversão do 5x1 com uma MACRIS inspira muito mais confiança do que uma inversão com NAIANE... Espero ver MACRIS mais tempo em quadra nas inversões do 5x1 contra os EUA. Gosto da ROBERTA e da MACRIS e também da FABÍOLA. Considero essas 3 levantadoras as melhores do Brasil na atualidade.

Robstter disse...

Laura parabéns pelos seus comentários, são sempre pertinentes e sensatos. Agora falando do jogo, gostei da atuação da seleção hoje, todas sacaram bem, se posicionaram bem e estavam mais ligadas que ontem. Ainda falta efetivar as jogadas com as centrais, está certo que não temos mais Fabiana e Thaisa que passavam por bloqueios triplos, mas nossa realidade é outra e temos que nos acostumar a isso. Não entendo o ze não usar a Mara, se é para testar, que teste ela. Gostei também do fato de que varias vezes quem ia bloquear na saída era Natalia ou Rosa, e Tandara na entrada. E o mesmo aconteceu na defesa com Tandara e Rosa se invertendo. Isso já é uma mudança incrível se tratando de ZRG. Eu ainda preferiria fazer uma linha de passe com 4, mesmo sem nenhuma especialista em passe. E sobre a capitã, não vejo nenhuma jogadora do grupo atual com esse perfil, a que mais se encaixa seria a Adenizia.

Lucas Gadelha disse...

Não sei se é impressão minha, mas a Natália está pegando uma "fatia" muito grande da quadra na recepção, não acha Laura? Nesse particionamento, a líbero deveria ter mais responsabilidade no passe. A Natália que sempre foi coberta nesse fundamento, tanto em clubes como na seleção, agora está tendo que cobrir. Talvez isso é que esteja impulsionando esses erros grotescos que aparecem do nada. Digo isso, porque em vários momentos ela fez recepções perfeitas e depois começava a quinar. Apesar da derrapada no terceiro set, achei-a mais segura nesse fundamento hoje. Ainda acho uma temeridade tê-la como ponteira de preparação, mas se o Zé Roberto quer assim, fazer o quê? Na defesa, ao meu ver, ela deu um show. Baixou uma japonesa nela que pegava tudo. No ataque, ela foi bastante eficiente também. Tá pegando a bola muito alto.
Roberta, mais uma vez não me agradou. Ela foi melhor hoje, mas simplesmente não a vejo como titular de seleção.
Rosamaria, está cada vez mais segura no posto de titular. Muito bem no ataque, na marcação do bloqueio e no saque.
Adenizia, hoje, é uma das melhores bloqueadoras do mundo, sem dúvida. Sua velocidade no deslocamento lateral é ncrível, bem como sua leitura de jogo.
Carol, evoluiu dos primeiros jogos para cá. Acho que ficar no banco, fez ela acordar para a vida. Contudo, depois de assistir Boskovic ignorando o alto bloqueio russo, não sei se ela terá sobrevida contra times de estatura elevada.
Espero morder a minha língua, mas não acho que o Brasil passe pelos EUA amanhã. Gostaria que o time passasse para a fase final para jogar contra os grandes e ir "engrossando o couro".

Laura disse...

Lucas, tenho a mesma impressão, mas confesso q não foquei mto nisso. Antes a Rosa ficava mais exposta. Acho q a Natália ganhou mais responsabilidade nas últimas duas temporadas no passe, tanto no Rexona como no Fener, mas sempre tinha com quem dividir melhor a quadra. Acho q ela está bem sobrecarregada nisso e tem cometido uns erros, como vc disse, grotescos.

Robstter, obrigada, seja sempre bem-vindo! Tb gostaria de ter visto a Mara jogar no GP. No fim, já nem reclamo mais da falta de testes pq fica meio repetitivo. E como o Brasil se complicou na última semana, imaginei q o Zé, para esta, não ia mesmo fazer mais nenhum teste.

Cas, hahaha. Bah, a gente ouve umas bobagens às vezes.

Anônimo disse...

Já me pergunteisobre a Mara. .creio que ele deva utiluza-la no Sul americano na Colômbia em agosto.

Luiz Felipe disse...

Cheguei a pensar que o Brasil, após a vitória contra a Holanda, estivesse classificado para as finais (top-6, China incluída por ser sede) com sua quinta colocação e seus 15 pontos, já que o Japão, em sétimo lugar, com 11 pontos, no máximo chegaria a 14 na última rodada.

O "problema" é que o primeiro critério de classificação é número de vitórias. Brasil e Japão têm hj cada um 5v e 3d. Se, na última rodada, o Brasil perde dos EUA (por qq placar) e o Japão ganha da Rússia (tb por qq placar), o Japão rouba a colocação do Brasil em virtude do número de vitórias (6v contra 5v) apesar do Brasil terminar fatalmente com maior número de pontos. Claro, se o Japão perder da Rússia, pouco importa o resultado Brasil vs. EUA - já estaremos classificados.

Se o Brasil perder para os EUA e o Japão vencer a Rússia, em tese, teríamos ainda uma última chance de classificação. Nesse caso, a Holanda precisa perder para a lanterna Bélgica, sem conquistar nenhum ponto, e o Brasil precisaria pelo menos do tie-break para conquistar um ponto contra as americanas. Assim Brasil e Holanda terminariam ambos com 5v e 4d, mas o Brasil teria 16 pts contra 15 das holandesas, pegando a última vaga para as finais.

Anônimo disse...

Rafael disse:
Há uma implicância com a Roberta, porêm mais uma vez fez ótimo jogo. Além de excelentes saque, defesa e bloqueio, ela acertou o tempo de bola da Rosa e Tandara, tanto que a Rosa está pontuando muito e quando errou foi por culpa dela e não do levantamento. Ademais, a Roberta é excelente jogadora tática, cumpre fielmente as ordens dos técnicos. O que falta ainda é jogar mais com as centrais, o levantamento está irregular, seja a de 1o tempo da Carol, quanto as "chinas" da Bia e Ade.
O Luiz Roberto é ótimo narrador, mas não é do ramo, por isso deu esse fora. Por outro lado, a Fabi deu um show nos comentários. Ela foi precisa, inclusive quanto ao posicionamento da Su, na posição em que ela era a rainha. A Sheila ainda tem que se soltar mais, mas tendo sido a primeira vez, tambem foi muto bem.
Vamos torcer no domingo.
Abrs Laura e demais.

Kaike Lemos disse...

O Brasil jogou bem , mas teve defeitos principalmente com Rosamaria e Natalia no passe. Rosamaria ajudou pq atacoum muito bem e ajudou sacando. Tandara tem que ter mais paciencia. Zé Roberto na hora do 5 x 1 devia colocar a Edinara e não Monique , não só por causa da altura , é que a Edinara consegue passar pelo bloqueio com mais facilidade. Ade e Carol PAREDAOOO! A Holanda so tomou toco.

edsantos disse...

pois é infelizmente estou torcendo contra, espero que o brasil nao classifique, só para mostrar que o ZRG fez besteira e o elenco é ruim, nosso jogo ta chato de ver,classificar pra tomar pau nas finais ? , dar vexame ? melhor voltar pra casa,com esse time nanico e com tandara , natalia e adenizia nao vamos pra lugar nenhum,vou torcer para o JAPAO vencer a RUSSIA e o brasil levar pau dos EUA

L. Mesquita disse...

LAURA, LUIZ FELIPE e amigos... Recomendo a vocês assistirem no YOU TUBE à batalha épica que foi JAPÃO 3X2 SÉRVIA, ao meu ver o melhor jogo de 2017 até agora, um confronto entre duas formas totalmente opostas de jogar voleibol, uma batalha de velocidade, habilidade e muita defesa contra altura, foça e potência. Pelo o que o JAPÃO jogou contra SÉRVIA, que é um time melhor que a RÚSSIA, acho praticamente impossível as japonesas perderem para as russas nesse Domingo. Portanto, se o Brasil quiser se classificar, é necessário que vença os EUA. Os EUA entrarão em quadra contra o BRASIL com a vaga já garantida, talvez isso possa favorecer o Brasil, quem sabe???

Pop On Air disse...

A Holanda eu nao vejo como essa grande selecao que alguns falam, as duas centrais, inclusive a Djkruff q ao meu ver é supervalorizada, sao precarias no ataque e bloqueio, a Belien parece uma pelucia atacante e a outra so ataca china lenta e sem potencia, a Plak ao meu ver é um diamante q precisa ser lapidada, ja jogaram ela como se ja estivesse pronta, muito afobada e quer resolver tudo na força alem de sempre estar acima do bloqueio. O que vejo nas jogadoras brasileiras que estao atualmente é que nao tem mais atletas de alto nivel e referencia na posicao,como tinha no ciclo passado, podem falar da idade mas ja sabemos casos de jogadoras novissimas que ja chamam a responsabilidade como a Ting Zhu e Boskovic, falta isso aqui levadora de piano, a comissão tecnica prefere fazer um conjunto c jogadoras mediana do que pegar uma, duas, trea jogadoras e dar oportunidade dela se tornarem alto nivel.

Mantronix Inc disse...

Onde esta a Sloetjes ?

L. Mesquita disse...

Gostei muito desse jogo SERVIA 2X3 JAPÃO, dessa batalha de 5 sets, dois estilos totalmente diferentes, duas formas de jogar voleibol muito interessantes: FORÇA X HABILIDADE, ATAQUE X DEFESA, BLOQUEIO X EXPLORADA DE BLOQUEIO, SAQUE PESADO X PASSE PERFEITO, ALTURA X AGILIDADE. Esse foi o tempero desse jogaço que foi SERVIA 2 X 3 JAPÃO. Duas escolas totalmente opostas: o time mais alto e forte contra a equipe mais baixa e habilidosa. Um jogo muito bonito de se ver e, ao mesmo tempo, didático... Quem não viu, vale a pena ver no YOU TUBE!!!

Jess disse...

Não sei se está machucada ou se foi poupada.. acho que a 2* opção

Guilherme Andrade disse...

Valeu pela dica L. Mesquita, não acompanhei, vou dar uma conferida... Eita que o Japão está começando o ciclo olímpico com tudo, se não puder ganhar o ouro quer pelo menos fazer bonito dentro de casa em 2020... Com essa vitória do Japão, o Brasil está na corda bamba, tem que vencer amanhã as americanas para ir para a fase final...

Lucas Gadelha disse...

Situação do Brasil ficou ainda mais difícil. Vitória atípica do Japão sobre a Rússia nessa madrugada por 3x2. Holanda dificilmente perde para a lanterna Bélgica.