GP 2017 - Brasil 3x0 Sérvia

Brasil vence Sérvia Grand Prix 2017 seleção brasileira vôlei feminino

A madrugada desta sexta-feira nos reservou uma bela surpresa. Não só o Brasil deu o troco na Sérvia no Grand Prix como fez sua melhor partida na temporada.

É verdade que, tecnicamente, a seleção mostrou dificuldades em alguns aspectos, sobretudo na recepção. Mas levando-se em conta a qualidade do adversário e a postura que o time teve em quadra, dá para dizer que foi a melhor apresentação brasileira até aqui. 

*********************************

E se pode colocar na conta da Amanda a virada de atitude – e do jogo, por consequência – do Brasil na partida. O primeiro set se encaminhava para uma repetição do primeiro confronto entre as seleções na rodada anterior.

Ainda que o Brasil não estivesse tão ameaçado no saque e até tenha conseguido manter razoavelmente a sua virada de bola, a Sérvia jogava muito mais à vontade. Não sentia pressão no saque e, nas poucas trocas de bolas que o set permitiu, invariavelmente levava vantagem.

Até que a Amanda entrou para sacar e mudou a situação. A ponteira Busa e a líbero Pusic, que até então jogavam com a maior segurança no passe cobrindo a Mihajlovic, começaram a se atrapalhar. O bloqueio brasileiro apareceu e recolocou o time na partida.

A partir daí, o Brasil foi muito mais agressivo, uma postura que havia faltado no primeiro jogo. Para melhorar, o bloqueio, comandado pela Adenízia, encontrou a marcação na Mihajlovic e a tirou da partida – literalmente.

E aqui vai um aparte: nunca fui muito fã do entusiasmo da Adenízia em quadra, mas a energia dela, que começou como titular esta partida, deu ânimo a uma equipe que andava bastante apática. 


*********************************

A Sérvia reagiu no terceiro set com a entrada da levantadora
Antonijevic que, com um passe um pouco melhor, conseguiu dar uma acelerada nas jogadas. Abriu vantagem, mas novamente o Brasil buscou a recuperação no saque, primeiro com Roberta, depois com a Amanda.

E ofensivamente a seleção conseguiu se sair bem das armadilhas que armava contra ela própria com passes fora da rede. A Roberta não conseguiu efetivar a primeira bola, mas manteve a distribuição equilibrada e as atacantes, desta vez, fizeram o uso de outros recursos na definição. Natália esteve muito bem neste sentido, abrindo mão da força e optando pela categoria quando necessário. 

*********************************
O Zé Roberto optou para começar a partida pela Drussyla, Adenízia e Gabiru nos lugares de Rosamaria, Carol e Suelen, respectivamente. Adenízia, como já falei, deu um up no espírito da equipe e fez a diferença no bloqueio. Gabiru foi discreta, apareceu melhor defensivamente.

Drussyla manteve seus altos e baixos, com jogadas ou recepções exemplares alternadas com erros um tanto grosseiros. Parece que ela se sai melhor no mais difícil e peca nas jogadas mais fáceis. Mas, assim como foi com a Rosamaria, ela foi perseguida no passe e, de modo geral, saiu-se melhor ao pelo menos conseguir colocar a bola pra cima e não travar o jogo brasileiro.

*********************************

Demais resultados da 1ª rodada do 2º turno:

Grupo D

Japão 3x1 Tailândia

Grupo E

EUA 3x1 Turquia

China 0x3 Itália

Grupo F

Rússia 3x1 República Dominicana

Holanda 3x0 Bélgica

Comentários

Anônimo disse…
Eu acho que com a Drussyla em quadra a Natália joga muito mais solta, sem tanta responsabilidade pra passar, já que a Rosamaria não passa nada de quadra.

-Luis
Joao Ismar disse…
Melhor jogo da seleção na temporada, mas ainda não parece a seleção brasileira, principalmente porque as jogadas com centrais estão bem escassas. Surpreendentemente a Gabi se saiu bem no teste, melhor na defesa do que no passe, mas quase não sacaram nela. Apesar de ter virado bola de segurança, Tandara ainda (des)equilibra com a quantidade de erros, alguns inclusive não forçados, isso me deixa mais preocupado ainda porque não temos um nome forte para a saída de rede. A briga entre Bia e Adenizia para fazer a dupla com a Thaisa vai ser interessante, sem esquecer da Jucyele; É um Grand Prix para fazer testes, mas como apenas China e Sérvia vieram com os times completos (mas só devem jogar com força máxima na fase final) não dá para termos uma noção exata da realidade das outras seleções.
Jess disse…
Boa Tarde!

O que a confiança não faz, depois da bela virada no 1º set (graças a Amanda), Brasil começou a jogar solto, e as coisas foram fluindo naturalmente..

P.S¹: Até que enfim a Natália conseguiu virar as bolas; Roberta está melhorando, mas precisa acertar essa bola no meio; prefiro a Rosamaria ao invés da Drussyla..

P.S²: Adenizia muito melhor que a Carol, além de ter bloqueado muito, ainda contagiou o time (queria que ele pelo menos testasse a Mara);

P.S³: Em toda seleção parece que o treinador tem uma jogadora preferida, Como é que a Antonijevic é banco da Zivkovic?

Ansiosa (curiosa tb) pra ver o Brasil jogando contra as Americanas
Kaike Lemos disse…
Brasil fez uma excelente partida, mas teve alguns erros que irei destacar: 1- A Drussyla errou bastante o passe, 2- Brasil tomou aquele ponto de toque por uma desatencao. Os destaques: Ade e Bia PAREDÃOOO! Natalia e Tandara muito bem na virada de bola. Vcs perceberam, a Naiane deu uma pequena melhorada. Semana que vem a GLOBO vai mostrar os jogos contra a Belgica, Holanda e EUA.
L. Mesquita disse…
BIA MELHOR EM QUADRA, sem dúvidas!!! Estou adorando o entrosmento ROBERTA-BIA, as duas estão se entendendo e rendendo frutos no ataque brasileiro! DRUSSYLA melhor companheira para a NATALIA do que a ROSAMARIA, como a própria LAURA observou DRUSSYLA consegue se dar bem nas bolas mais complicadas, e também defende muito. ROSA no jogo em que o Brasil perdeu pra SERVIA, e DRUSSYLA nesse jogo que o BRASIL ganhou também da SERVIA, foram, ambas, caçadas no passe, porém DRUSSYLA tem uma garra enorme pra virar a bola do passe ruim que ela deu, ela parece assumir a obrigação de consertar no ataque um passe dela que não foi perfeito.
L. Mesquita disse…
BIA MELHOR EM QUADRA, sem dúvidas!!! Estou adorando o entrosmento ROBERTA-BIA, as duas estão se entendendo e rendendo frutos no ataque brasileiro! DRUSSYLA melhor companheira para a NATALIA do que a ROSAMARIA, como a própria LAURA observou DRUSSYLA consegue se dar bem nas bolas mais complicadas, e também defende muito. ROSA no jogo em que o Brasil perdeu pra SERVIA, e DRUSSYLA nesse jogo que o BRASIL ganhou também da SERVIA, foram, ambas, caçadas no passe, porém DRUSSYLA tem uma garra enorme pra virar a bola do passe ruim que ela deu, ela parece assumir a obrigação de consertar no ataque um passe dela que não foi perfeito.Menção HONROSA especial para a AMANDA!!! AMANDA foi a responsável direta pela vitória no primeiro set! E isso foi muito importante para a CONFIANÇA DO TIME e um REFORÇO PSICOLÓGICO para o resto da partida!!! Talvez, se o BRASIL perdesse o PRIMEIRO SET, tivesse se abatido e tomado mais um 3x0 da SERVIA, acho que o disputadíssimo PRIMEIRO SET influenciou muito o resto da partida!!! Muito Obrigado AMANDA!!!
L. Mesquita disse…
O revezamento de LIBEROS entre THALES HOSS e TIAGO BRENDLE deu muito certo na seleção masculina, visto que a ideia do RENA DALZOTO para substituir o SERGINHO, libero aposentado da seleção, foi a melhor possível. Renan DALZOTO foi muito bem em seu primeiro torneio no comando da seleção, chegando já a uma FINAL e conquistando a PRATA. Mas do outro lado tinha um GÊNIO DO VOLEIBOL, o maior jogador que eu já vi jogar, o tal do CRAQUE NGAPETH... Que não deixou o BRASIL ser campeão, mas o trabalho do RENAN foi belíssimo, principalmente na SOLUÇÃO para os liberos, méritos todo do RENAN na sua aposta! Na seleção feminina, nada impede de o mesmo acontecer... Pois jogando com ponteiras não muito especialistas no passe, SUELEN fica muito SOBRECARREGADA, quando AMANDA está em quadra, Suelen até respira, mas com ROSA e NATALIA, SUELEN fica sobrecarregada, seria interessante a outra libero revezar com a SUELEN, deixando a SUELEN mais no passe e a outra na defesa... Só acho que o ZE poderia ter levado uma LIBERO que atuou na função na SUPERLIGA, como JU PAES ou LAIS VASQUEZ, mas como levou a GABIRU ADAPTADA, que a use para desfogar a SUELEN!!!
Lucas Gadelha disse…
Foi uma vitória importante, especialmente no primeiro set, mostrando poder de reação contra a seleção mais forte do mundo na atualidade. Não me iludi com a boa atuação da Natália. Repito: é visível o seu desânimo e cansaço físico. Ela não está a vontade com a função de capitã. Não é o perfil dela. Não acredito que ela vá render mai que isso na competição.