Montreux: o primeiro torneio

Brasil estreia no Montreux volei feminino

O Brasil começa nesta terça-feira a disputa do Montreux Volley Masters, seu primeiro torneio na temporada.


No Grupo B, a seleção brasileira enfrenta os seguintes adversários:

06/06 - 13h45 – Brasil x Polônia

07/06 – 16h15 – Brasil x Alemanha

09/06 – 13h45 - Brasil x Tailândia

O Brasil leva para a Suíça as jogadoras que estiveram no amistos contra a República Dominicana, com exceção da central Bia, machucada, e da líbero Léia, que pediu dispensa. Com isso, Gabiru foi convocada para o lugar da líbero.


Resta saber se o Zé Roberto vai antecipar os testes com ela jogando na nova posição durante o Montreux ou se Gabiru fará somente figuração.





******************************

O Montreux costuma ser a oportunidade para as seleções fazerem testes e darem rodagem internacional para as novatas. Nesta edição não será diferente.

A Polônia chega ao torneio sem a sua jogadora mais experiente e internacional - e que esteve presente no classificatório europeu -, a oposto Tomsia. Em compensação, leva a levantadora Wolosz, a capitã com experiência de Mundial e que já há alguns defende a seleção.

De qualquer forma, será uma Polônia majoritariamente jovem e inexperiente. Destaque para a meio de rede Kakolewska, que é bastante utilizada no ataque, além de ser ótima bloqueadora e sacadora. Aos 22 anos, foi o destaque da sua seleção no classificatório, apesar do mau desempenho do time.

Recém-classificada para o Mundial de 2018, a Alemanha aproveita o Montreux para testar algumas de suas novatas. Assim, a veterana levantadora Hanke nem viajou com o grupo. A experiente ponteira Brinker, no entanto, estará lá. Vamos ver se entrará em quadra para equilibrar o time e fazer dupla com a jovem oposto Lippman, que se saiu bem no classificatório.

A Tailândia também não irá com força máxima. Poupa as suas estrelas Tomkom, Sittirak e Kanthong.


******************************


No Grupo A, que conta também com Holanda, Argentina e Suíça, a China vai com o time B, composto por uma maioria de jovens na sua primeira experiência na seleção principal. Complementam algumas velhas conhecidas que fizeram parte da seleção campeão olímpica no Rio, caso da ponteira Liu e da oposto Xiangyu Gong. Nem precisa dizer que a Lang Ping não acompanha o time...

Não tenho informações sobre o elenco da Holanda. Mas está aí uma seleção que, depois do insucesso no classificatório para o Mundial de 2018, poderia aproveitar o Montreux para ajustar o time principal  e evitar maiores vexames em agosto, na última chance de conquistar a vaga para o Japão. 

Comentários

L. Mesquita disse…
A FINAL deve ser CHINA 🇨🇳 X TAILÂNDIA 🇹🇭 novamente, NOOTSARA TOMKOM não veio, porém as levantadoras Pornpun Guedpard e Soraya Phomla são de altíssimo nível. A TAILÂNDIA é o maior celeiro de boas levantadoras do vôlei atualmente, as levantadoras tailandesas são muito técnicas, precisas e criativas, o problema da TAILÂNDIA é de BLOQUEIO, pois as atacantes são técnicas, mas não tem alcance de BLOQUEIO .
Corellian disse…
As datas dos jogos do Brasil estão considerando Maio, ao invés de Junho.
Laura disse…
Opa, corrigido! Obrigada!
Jess disse…
É bom não subestimar nenhum adversário, mas acho que dá pra seleção ganhar.. levando em conta os desfalques em outras seleções..

Mas se perder tb não ficarei surpresa..