domingo, 4 de junho de 2017

As favoritas fizeram seu papel - menos a Holanda


Neste domingo terminou o classificatório europeu para o Mundial de 2018. Rússia, Itália, Turquia, Azerbaijão e Alemanha se juntam à Sérvia como representantes do continente. 

 

Dentre as classificadas, sentem falta de alguma seleção? Pois é, a Holanda terá que recorrer à “repescagem” para conquistar o seu lugar.

Holanda não consegue classificação para Mundial 2018 de vlei feminino

Com uma campanha irreparável, o Azerbaijão não perdeu um set sequer. O time liderado pela poderosa atacante Rahminova (recém contratada pelo Fenerbahce) bateu a semifinalista olímpica Holanda e garantiu sua vaga.

A Holanda, com o time completo, fracassou na sua primeira empreitada sem o comando de Giovani Guidetti. Na última partida, no confronto direto com o Azerbaijão que decidia a vaga, a dupla Sloetjes e Buijs decepcionaram com aproveitamentos de ataque baixos.

Do outro lado, a jovem Samadova e a veterena Mamadova complementaram o show de Rahminova, acionada 48 vezes. O Azerbaijão teve um desempenho bem mais regular na recepção e no bloqueio. A Holanda, depois de perder o primeiro set, se desestruturou. 
 
**************************

Pela Turquia, o ex-treinador da Holanda, Guidetti, conseguiu a vaga para o Mundial de forma sofrida. A classificação veio numa vitória de 3x2 na “final” do grupo contra a Bulgária. No tie-break, o time turco ainda levou um grande susto ao não sustentar a vantagem de 13-6 e ver o adversário encostar num 14-13. 
 
Já a Itália teve que disputar a vaga do seu grupo com a Bélgica. Venceu por 3x0 com placar apertado e sustentado basicamente pela atacante Egonu. Primeiro sucesso do novo comandante da azurra David Mazzanti.

Por último, Vladimir Kuzyutkin retornou ao comando da Rússia e garantiu a passagem ao Japão. Usou uma escalação diferente a cada partida, mas sem nenhuma grande novidade. A surpresa do grupo ficou por conta do segundo lugar da Grécia, desbancando a Croácia que, depois de dois mundiais seguidos, fica sem chance de conquistar a vaga.

**************************

Holanda, Bulgária, República Tcheca, Grécia, Bélgica e Eslovênia agora se encontram em agosto para o segundo e último classificatório europeu. Ao contrário do que escrevi semana passada, o primeiro e o segundo colocados vão para o Mundial.

Assim fica mais tranquilo para a Holanda não fazer vexame e ficar de fora do torneio. Porém, se comer mosca, vai ter que suar para bater algumas das outras seleções, principalmente a Bulgária que vem com uma dupla poderosa de ataque (Nikolova e Vasileva), num estilo de jogo semelhante ao Azerbaijão, vilão que postergou a classificação holandesa.

Para a República Tcheca, somente com metade da boa dupla de atacantes Havlickova e Havelkova (essa ainda em processo de recuperação de uma lesão no tendão de Aquiles que aconteceu em janeiro), a missão de retornar a um Mundial ficará difícil.

5 comentários:

L. Mesquita disse...

Nossa, como tem mulher ALTA nesse QUALIFICATÓRIO EUROPEU!!! A melhor performance foi das GIRAFAS do AZERBAIJÃO, as GIGANTES Natalya Mammadova de 1,96m e Polina Rahimova de 1,98m, com ataques, saques e bloqueios poderosos, não deram qualquer chance de reação a HOLANDA de SLOETJES, PLAK e BUJS... GUIDETTI fez falta à HOLANDA, agora no comando da TURQUIA, conquistou seu primeiro objetivo, classificando a TURQUIA ao MUNDIAL, após derrotar a BULGARIA de RABADZIEVA, NIKOLOVA e VASILEVA num jogo duríssimo por 3x2.

Yano o Chato disse...

Essa Rabadzieva é bizarra, só tem nome.

Gente, quantas vagas são essas para a Europa? Muitas, não? Deveria ter uma divisão um pouco mais proporcional aos continentes.

Anônimo disse...

Concordo ter mais as vagas da Europa. Uma para a América do Sul está bom demais! Para a África nem tinha que ter. Imagina ver Camarões, Peru, Argentina......Nível baixíssimo.

Jess disse...

Boa Tarde!

Já estava imaginando que a Holanda não passaria do Azerbaijão, mas não esperava que iriam levar de 3x0..


Laura, faz um post sobre a lista de convocadas pro Grand Prix, e o que vc achou dela.. :)

L. Mesquita disse...

Concordo YANO, as vagas estão assim DESIGUALMENTE distribuídas:
1 ANFITRIÃO: JAPÃO 🇯🇵
1 CAMPEÃO MUNDIAL: EUA 🇺🇸
2 ÁFRICA: a definir;
2 AMÉRICA DO SUL: a definir
6 AMÉRICA DO NORTE E CENTRAL: a definir;
8 EUROPA: AZERBAIJÃO 🇦🇿, ITALIA, RUSSIA, TURQUIA 🇹🇷, SERVIA, ALEMANHA 🇩🇪 e duas a definir;
4 ÁSIA E OCENIA: a definir.
As vagas são distribuídas desigualmente, mas a MAIORIA DAS MULHERES ALTAS GIGANTES estão na EUROPA e na REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴.
O caso da REPÚBLICA DOMINICANA é muito interessante, esse país é um celeiro de mulheres altas, fortes, com BRAÇÃO, PERNÃO e com GLÚTEOS AVANTAJADOS que mal cabem dentro do UNIFORME... Inclusive é esse recheio especial que faz o UNIFORME da REPÚBLICA DOMINICANA 🇩🇴 ser o mais bonito do vôlei feminino. As DOMINICANAS apesar de serem altas, não são desengonçadas, elas têm o corpo muito bonito TORNEADO E COM MUITAS CURVAS...