quarta-feira, 10 de maio de 2017

Atropelo turco

Vôlei Nestlé 1x3 Eczacibasi

Rexona-Sesc 1x3 Vakifbank


Rexona e Osasco perdem para times turcos no Mundial
Foram quatro sets, mas fica difícil não sair destes confrontos com a sensação de que os times brasileiros foram atropelados pelos turcos.

Resolvi fazer um único post porque as histórias dos embates entre Brasil e Turquia foram semelhantes. Tanto Eczacibasi como o Vakifbank deram de goleada no ataque e no bloqueio e foram beneficiados pela falta de um saque regular e agressivo por parte de Osasco e Rexona.

*****************************

Das partidas que acompanhei do Eczacibasi nesta temporada, não me lembro de outra ocasião em que as centrais tenham sido tão bem aproveitadas (e acionadas de tudo quando foi  maneira) do que contra o Osasco. A má recepção turca sempre inibiu estas jogadas, além de que a falta de um entrosamento mais preciso com a levantadora Ognjenovic deixou as meios de rede um tanto  desvalorizadas no repertório de ataque turco.

Pois contra o Osasco, Ognjenovic fez uma das suas melhores partidas numa temporada que, inclusive individualmente, não tem sido das mais brilhantes. Colocou todas as suas atacantes para jogar e recebeu, de todas, respostas muito positivas. Aliás, assim como aconteceu na derrota com o Volero, Larson teve um aproveitamento excelente no ataque.

E a Larson deveria ter servido de modelo ao Osasco. Faltou ao ataque paulista trabalhar melhor a bola, seja explorando o bloqueio ou mesmo recolocando a bola em jogo para a defesa turca. Tandara, Gabiru e Bjelica foram para o tudo ou nada e deixaram ali, em erros e bloqueios, pontos preciosos para o time.

Não foram poucas as oportunidades perdidas pelo Osasco em contra-ataques, o que poderia ter tornado a disputa mais equilibrada.

O Osasco sofreu com o saque pesado do Eczacibasi e não soube responder da mesma maneira. A regularidade do saque caiu nos dois últimos sets e, com a pressão da marcação do outro lado, o time foi recuando também na sua postura e na energia em quadra. 

*****************************

No outro jogo, o Rexona já entrou em quadra com uma postura tímida e um tanto assustada. O time parecia preso na defesa e muito pouco à vontade. Também, logo nos primeiros pontos deu de cara com um bloqueio pesadíssimo do Vakif que deixou a equipe desnorteada.

Drussyla foi o alvo preferido do time turco no saque, o que deu bastante resultado. No ataque, a jovem foi ingênua ao fechar os olhos e ir para baixo nos seus ataques com um bloqueio tão invasivo como o turco. Mas a ponteira mostrou força de reação e inteligência para, depois de tantos tocos tomados, melhorar a atuação.

Assim como o Osasco, o Rexona não soube responder da mesma maneira no saque. Nos dois primeiros e no último set, com exceção de uma e outra passagem da Roberta e da Carol, o saque foi uma mãe para o Vakif. Deu confiança à Hill que, quando mais exigida, respondeu bem no passe.

Acho que o terceiro set fez mais jus à qualidade do Rexona. Coincidentemente, foi o set que a equipe carioca venceu. Mas, o mais importante, foi o set em que o Rexona começou a fazer valer aquilo que sabe fazer bem. Mostrou volume de jogo, agrediu no saque e foi cuidadoso na realização das jogadas.

Este último aspecto, que tanto caracteriza o Rexona, fez muita falta ao time no quarto set, quando o time criou oportunidades de contra-ataque e muitas delas foram desperdiçadas pela falta de acabamento na armação das jogadas. Aí era um passe ruim, um levantamento baixo, um ataque para fora...

Faltou ao Rexona ser mais Rexona. Se tivesse sido, provavelmente o resultado final não teria sido diferente, mas o Vakifbank teria suado bem mais para conquistar a vitória.

*****************************

Pê esse:
- Tanta altura e tanta força sem utilidade alguma no banco do Rexona. Buijs e Helô tão sem moral alguma com o Bernardinho, né? E é de se compreender.

- O narrador Sérgio Maurício faz parte da história do vôlei no SporTV. Mas faz um tempo em que ele anda por fora do assunto, não é mesmo? Desde a Superliga está difícil ouvir tanta troca de nome e bolas foras.


*****************************

Resultados da rodada:

Grupo A – Hisamitsu Springs 0x3 Dinamo Moscou

Grupo B - NEC Red Rockets 0x3 Volero Zurich

Osasco e Rexona decidem a vaga nos embates com Volero e Dinamo, respectivamente. O confronto do Rexona é direto: quem vencer está classificado. O Osasco precisa bater o líder do grupo, o Volero e ainda brigar com o Eczacibasi no set average.

38 comentários:

Chandler Bing disse...

A impressão que ficou é que Osasco e principalmente o Rio poderiam ter belisca do 1 pontinho dos times turcos.
Dani Lins e Tássia voltaram a ser as mesmas da Superliga. Dani que foi super bem no 1° Jogo, neste não distribuiu com a mesma eficácia, ou seja, voltou com aquela velha e chata insistência com a mesma atacante, e desta vez nem foi a Tandara, que eu acho que poderia ter sido mais utilizada.

Pelo lado do Rio a impressão que deu é que o time não jogou o que sabia nos 2 primeiros sets, estava muito perdido, Drussyla levou 2 aces e 4 tocos, Monique e Gabi também não ajudaram. No 4° Set o time que vinha sobrevivendo com a ajuda de Jucy e Drussyla ficou bem marcado na bola china.

Mas e daí eu fiquei o tempo todo querendo que o Bernardo fizesse ao menos uma inversão do 5×1, pois pelo menos o Luizomar tentou, mesmo não dando certo ele tentou e tentou de novo. Bernardo nem isso.

Osasco terá uma verdadeira pedreira pela frente, Volero tá bem encaixado e se quiser pode eliminar o Eczacibaşi.

Rio se quiser passar pelo Dínamo de Moscou vai ter que sacar muito bem (em cima da De La Cruz), caso contrário, bye bye.

Eduardo Cesar disse...

Oi, eu vi os jogos ontem, e realmente parecia um jogo de uma equipe profissional contra uma equipe semi profissional, a impressão era que os times turcos estavam jogando uns 60% do que podem jogo treino e os times Brasileiros estavam jogando 100% e se matando em quadra.
Acho que nessa quinta e sexta serão os últimos jogos dos times brasileiros na competição, terão que jogar 100% e torcer para não ser um bom dia para a outra equipe.
Mas era esperado essa situação, afinal salário é investimentos dos times europeus é muito superior.

Sergio disse...

O que vi do jogo do Rexona Sesc, foi que passe B/C onde a levantadora não pode escolher (tem que ser nas pontas e altas sem velocidade), vi o Rexona precisando de uma jogadora definidora e alta, aquela feito a Canadense (lembram), pois é, o time conseguia muitas vezes defender mas na hora que precisava daquela atacante de bolas altas, não tinha, pois tinha uma Monique com 1.78m, excelente jogadora de levantamento rápido, e na Gabi 1.80, também excelente e também de bolas rápidas. Outra coisa, quando a Jucy estava na rede era uma excelente passagem, quando saia da rede e entrava a Carol o time levava uma enchurrada de pontos, até que Roberta tentou colocá-la no jogo, mas ela não ajudou. E o que dizer da Drussyla, não podemos crucificar pois é uma jogadora nova 20 anos, primeiro mundial, e com levantamento que muitas vezes deixava colada na rede, assim fica dificil. Mas o que vi na derrota do Rexona principalmente foi a linha de passe, o que foi aquilo, nunca vi uma linha de passe errar tanto quanto nesse jogo, errou Fabi, Drussyla, Gabi, não sobrou ninguém. Quando começou o quarto set até o 11 pontos, achei que a qualquer momento o Rexona iria deslanchar, pois estava jogando bem, ai veio um apagao e pimba 5 pontos do Vakifbank, ai foi só administrar e deixar o jogo rola, e terminou 25x15.
Se Bernardo almeja ganhar um dia o mundial de clube, ele tem que procurar duas jogadoras altas, acima de 1,90, pois só dessa maneira pode consegui chegar próximo a esses times que são verdadeiras constelações.

Anônimo disse...

Em relação ao saque, para mim já é um coisa enraizada no vôlei feminino do Brasil desde quando o Zé Roberto assumiu a seleção. Ele simplesmente "MATA" o ímpeto das jogadoras em fazer um saque forçado, tipo viagem....Lembro que Paula Pequeno sacava viagem, Jaqueline, a Gabi do Rio tinha um excelente saque viagem, e para quem acompanha o vôlei italiano, Adenízia está com um excelente saque viagem, coisa que ela nunca fez no Osasco e muito menos na Seleção, e tenho certeza, que quando convocada, e vai ser, acredito, ZÉ vai "matar" o saque viagem da Adenízia. Acredito que neste quesito, involuímos no vôlei feminino. Saudades de Patrícia Cocco, Ana Lucia e Ana Moser, tinham excelentes saques viagem. Hoje temos a Thaisinha e só. Será que temos que rever nossos conceitos? Caso contrário, vamos levar muita pedrada das adversárias!!!

Pop On Air disse...

Eu já acho que o Passe da De Lá Cruz eh bem melhor que o da Scherban. Sacaria de início na Scherban e depois caso precisasse iria em cima da De Lá Cruz. O jogo rápido do Rio pode ser algo bem útil, o Moscow tem um saque fácil de ser recepcionado.. Eh um jogo bem aberto.

Camilla Paiva disse...

Achei que as jogadoras, tanto do Rio quanto do Osasco sentiram muito nos sets quando o placar começou a fugir da mão delas. Os times ficaram batidos. Faltou maturidade também ao querer enfrentar os bloqueios altíssimos. Os ricos que a drussyla levou deram vergonha. Quanto a Tásia, achei que ela tava nervosa, assim como o resto do time, mas tem que ser dado um desconto pq o saque da boskovic e da demir eram verdadeiras bombas. Já os saques dos times brasileiros, como você bem disse, foram uma mãe. Queria até saber se as jogadoras daqui não treinam esse saque viagem, mais semelhante ao do masculino, pq num jogo desse nível seria fundamental um saque que ao menos dificultasse a recepção.

Luiz Felipe disse...

De se louvar a recuperação da Drussyla no terceiro set no jogo de hj, após duas primeiras parciais ruins. Se o Rexona fosse comandado pelo Luizomar, seriam tantas as trocas com a Anne Buijs que seria quase impossível uma recuperação no jogo tal como assistimos. Bom para Drussyla que vai ganhando "cancha".

Sergio disse...

Se o passe não chegar na levantadora, acho muito dificil o Rexona passar para a Semi, contudo se passar para a Semi, ai é outro campeonato. Vamos ver o que nos reserva. Mas volto a falar não acho o Bernardo obcecado por esse título, pois se estivesse, já teria duas jogadoras que podessem virar bolas altas e lentas.

Laura disse...

Chandler, tb achei q, em certos momentos, a Dani se esqueceu da Tandara e concentrou tudo na Bjelica. Fora q ela tem habilidade para, mesmo com um passe ruim, fazer as jogadas com as centrais. Faltou variação.

Acho que o Bernardinho ficou bastante encurralado nas opções de troca. Ela precisava de mais ataque (poderia ter tentado uma troca simples de oposto, por exemplo) ao mesmo tempo que precisava que o time entrasse com seu volume de jogo (coisa que só poderia acontecer com as titulares em quadra. Afinal, nem Helô nem Buijs acrescentam no fundo). Mas acho q ele demorou para tirar Carol mais cedo. Ela estava com um saque bom, mas muito fora da partida (mais uma vez).


Cesinha disse...

o Osasco não teve coragem de ganhar o jogo ou por o vitra para correr muito , perdeu o primeiro set por não acreditar ganhou o segundo fácil aí depois começou a sacar não passa a bola para o outro lado aí Adams que havia tomado toco dá Gabiru começou a fazer a festa , sobre o meu Rex foram 2 sets para esquecer a bola de segurança é a Jucy a Roberta não pode abrir mão disso , sempre que vc ela estiver na rede bola pra ela Gabi não está bem e não é de hoje Drussyla precisa parar de querer vim para baixo em todas Monique esqueceu a técnica que lhe é peculiar e quiz apelar para força , quando o time resolveu ter paciência pois o adversário em dificuldades começaram amortecer as bolas dá Zhu acho que se tiver calma e paciência dá para conseguir a vaga sim porque apesar do forte adversário de ontem não é coisa do outro mundo não ! o vitra não tem conjunto as jogadoras resolvem na força e no talento porque padrão não existe saraelen virou n bolas sem bloqueio e Dani não vc estava fazendo nada demais

Camilla Paiva disse...

Sérgio, o Bernadinho até contratou uma jogadora alta. A Anne tem 1.91, mas não faz nada direito em quadra, muito fraquinha. Aí fica dificil, pq não basta altura. A mulher não recepciona, não passa, ataca ruim e não bloqueia. Quero saber se haverá alguma contratação de peso pro Sesc que possibilitasse uma mudança nesse panorama difícil, quem sabe, pra um próximo mundial. Eu não acompanho assiduamente os jogos das ligas estrangeiras, mas deu pra ver como a nossa superliga tá com um nivel baixo.

Jess disse...

Osasco se fizesse uma forcinha ganharia do time turco.. Dani Lins conseguiu queimar todas as atacantes, fica difícil assim.. agora vai ficar improvável pegar a vaga.. #VoltaBrait

Já o Rio era esperado que perdesse esse jogo, apesar de ter se recuperado no 3* set.. a Drussyla não pode querer enfrentar bloqueio de europeias, perdi a conta de quantos tocos ela levou, e acho que o Bernardo deveria tentar a Buijs, como ele fez em um set, mas depois tirou e voltou com a Monique..

Sobre os próximos confrontos.. Sobre o Osasco sendo sincera, acho que só leva a vaga se o Volero fizer um jogo de comadres.. pela bola muito difícil passar.. e sobre o Rio, Acho o jogo do dínamo muito quadrado, se jogar com inteligência pode passar...

P.S:a Zhu só tem 22 anos, vai jogar mais umas 3 olimpíadas.. OH céus

George disse...

sobre o nestle: jogou bem os 2 primeiros sets e o rio os 2 ultimos.
O saque do ecza muito forte, minou tassia e gabiru (q errou varias bolas e seguia jogando). Bia muito apagada não se ajustou nunca ao ataque turco. e dani nem comento... até o Nalbert falou das 3 bolas seguidas pra gabiru!
No rexona, nunca vi uma jogadora levar tantos aces e tocos em sequencia. mas aí que reside a grande jogadora e Drussyla se redimiu e fez outros 2 ótiimos sets, tá de parabens!

Sergio disse...

Laura, acho que ele ficou encurralado pelo elenco montado esse ano, ele sempre, seja no masculino ou feminino apela para a inversão, o que não está acontecendo com camila/helo, isso se deve ao fato de Camila ter queimado helo, pois camila é muito ruim. Qual ponteira pode entrar no lugar de Gabi? Regis, de jeito nenhum, Anne muito menos. Qual banco o rexona tem que possa fazer frente com as titulares? Esse ano foi o ano para esquecer e que não volte a repetir o erro de contratar jogadoras erradas. Se não tem dinheiro suficiente, não pode contratar achando que toda hora pode consertar uma jogadora, a Anne não disse para que veio. A Camila foi um ERRO. Regis é gratidão, apenas isso, pois deixou de jogar faz muito tempo.

Jess disse...

Fosse a Malesevic que tivesse errado um passe já teria saido, mas a Gabi pode errar todas que continua jogando..Se a Bia não encontrou a Sindel imagina a Boskovic?

Antonio disse...

Laura,
Parabéns pelo post, descreveu, perfeitamente, o quê aconteceu nas 2 partidas e na narração do Sportv. Sem tirar nem por, exatamente, como vi as partidas.

L. Mesquita disse...

Laura e amigos do volei, a situacao do grupo B esta nas maos do VOLERO ZURICH... Se TERZIC quiser, ele pode desclassificar o ECZACIBASI da competicao! O VOLERO precisa ganhar apenas 1 set para ser primeiro colocado do grupo. Mesmo q o ECZACIBASI venca o NEC RED ROCKETS por 3x0, a situacao eh a seguinte: 1. Se o VOLERO perder de 3x1 para o NESTLE, classificam-se VOLERO em PRIMEIRO e NESTLE em SEGUNDO; 2. Se o VOLERO perder de 3x0 para o NESTLE, classificam-se NESTLE em PRIMEIRO e VOLERO em SEGUNDO; 3. Derrota do VOLERO por 3x2 ou vitoria por quaqluer placar contra o NESTLE, classificam-se VOLERO em PRIMEIRO e NESTLE em SEGUNDO... E aeh LAURA e galera? Vcs acham que o TERZIC vai querer derrubar logo de cara o ECZACIBASI e dar uma ajudinha ao NESTLE???

L. Mesquita disse...

Corrigindo na situacao 3, classificam-se VOLERO em PRIMEIRO e ECZACIBASI em SEGUNDO. Pensei uma coisa e escrevi outra...

Yano o Chato disse...

Esses jogos descortinaram o que digo da fraqueza de nossa superliga. Nosso campeonato é super fraco e o rexona só ganha tanto pela competência do bernardo e incompetência dos outros técnicos.

Nossas conquistas femininas se devem muito a um grupo excepcional de atletas, que já está acabando e não serão repostas a altura. Um destaque muito grande para Waleswska, Fabiana e Thaísa. De jogadoras muito técnicas, mas com alguma força física e altura. Associados à Sheilla, Fabi (melhores em suas posições no período) e Jaque, Mari, Paula e Garay, vivendo fases boas.

Infelizmente, não dá para o caminho de renovação da seleção convocar jogadoras com menos de 1,90. O futuro é acima dessa estatura. Gabi, Monique, Gabiru, Drussyla, Bia, Carol, etc., são muito boas jogadoras, mas não para nível internacional. Fora daqui a força e a altura superam a nossa técnica, que é maior que a dos outros times, de forma geral.

O massacre que vimos se deu a isso. Nossos times jogando no limite, e elas resolvendo na altura, passando por cima de bloqueio, batendo de cima para baixo e bloqueando tudo. Fiquei constrangido pelas nossas jogadoras. Drussyla achando que na marra iria passar.

Vamos amargar um tempo sem títulos na seleção. Isso é um fato. E temos que achar jogadoras altas no Brasil. Vejam o que aconteceu com a seleção masculina, altíssima. Uma exigência da modalidade. O Sada Cruzeiro, tricampeão mundial, média de altura de cerca de 2,oo metros.

Se não renovarmos na altura, nos tornaremos um novo japão, excelente tecnicamente, mas sem alance de ataque e bloqueio para fazer frente às seleções modernas.

Yano o Chato disse...

Sobre o jogo do Osasco.

Coitada de Tássia. 4 aces. Além de sofrer muito no passe, e em momentos decisivos. Me lembrou o praia.
Boskovic passando por cima do bloqueio.
Bia sentiu o jogo e pipocou mesmo. O levantamento a Dani também não está bom para ela.
Gabiru não mamou nada, ficou feio pra ela. Engraçada a cara de marrenta que fazia.
O time não mostrou nenhum poder de recuperação no terceiro set. Luizomar não tinha o que dizer é não sabia o que fazer. Nesse momento Dani Lins também estava distribuindo mal. Bijelica marcada e Bia pipocando. Perdeu o set.
No quarto set a recepção sumiu e o time começou tomando 7 a 2. Bjelica atacando reto, sendo defendida em todas. Gabiru e Bia pareciam não estar em quadra.
O time se perdeu completamente. Deveria ter tentado a Natália no lugar da Bia e a Malesevic no lugar da Gabi, já que a primeira tem mais experiência internacional. Quando botou a Malesevic, já era tarde e ainda tomou 2 aces da Boskovic, que continuou passando por cima o resto do jogo.
25 a 13 no quarto set. 12 pontos de diferença, além de dois 25 a 16 nos outros sets.


Yano o Chato disse...

Jogo do Rio:

Início igual ao de Osasco, tomando 4 a 0.
Drutocossyla achando que tava na superliga, jogando contra Osasco e Praia, indo pra baixo e tomando toco atrás de toco, além de errar muito no passe. Naquele momento achei que a Anne deveria entrar por estar mais familiarizada com o jogo europeu e ser mais alta. Mas Bernardinho escolheu perder o set com a Drussyla. Roberta demorou de botar Jucyele no jogo. Não jogou com as centrais, não acionou Gabi e insistiu com Drussyla.

No segundo set o time continuou sofrendo com o bloqueio do Vakifbank. Zhu passando por cima do bloqueio. Começou a dar pena da Drussyla, tanto no ataque como no passe. Bernardinho me surpreendeu tirando Monique, e não Drussyla. Não entendi. Naquela altura já tava humilhante com 19 a 10. Só Jucyele virava (quando recebia). Anne de oposta pisando na linha e atacando pra fora. Fim em 25 a 15.

Terceiro set com Drussyla. Por um momento eu achei que ele não se importava em perder; só queria dar experiência à Drussyla para ganhar a Superliga.
Só Jucyele jogando em alto nível, pontuando e bloqueando inclusive a Zhu.
Drussyla deu uma melhorada jogando mais no estilo de praia, com meias batidas e caixinhas. O jogo equilibrou um pouco, mas as jogadoras estavam com muita dificuldade de virar bolas. Maihara no lugar de Carol. Achei mesmo que a Roberta poderia ter utilizado muito mais a Jucyele. Eu teria dado 25 bolas para ela. Com a melhora da Drussyla o time se equilibrou e melhorou como um todo, ganhando o set.

No quarto set o jogo foi mais equilibrado, mas o time estava no limite. Não deu. 25 a 15

Nesse campeonato todos os dois toques passam. Aliás, tô achando o nível técnico bem fraco. Só força e altura. Até as japonesas errando diversos passes.

L. Mesquita disse...

Sera q se o LUIZOMAR fosse tecnico da SERVIA na Olimpiada Rio-2016, ele tiraria a MALESEVIC pra por a GABIRU no lugar??? Queria saber q tecnico do MUNDO, a nao ser o LUIZOMAR, que faria a MALESEVIC, medalhista de PRATA OLIMPICA e titular da SERVIA, bancar pra GABIRU??? Sera mesmo q LUIZOMAR pensa em ser CAMPEAO MUNDIAL com GABIRU de titular e MALESEVIC no banco??? Quem me explica isso??? Acho que nem FREUD explica!!!

Yano o Chato disse...

L. Mesquita, e ouvi dizer que ele vai naturalizar a Gabiru peruana, pra poder contar com ela no Japão 2020. Ela vai assumir a ponta juntamente com a Ângela Leyva. haihaihaihaiahiahiahihhuahuauhauhau




Falando sério, também não entendi. Eu tava crente que a Malesevic iria jogar. Conhece aquelas jogadoras, é mais alta e tem mais experiência nesses campeonatos. Talvez aqui a Gabi seja uma estrela e a sérvia, não. Mas lá a Malesevic ajudaria mais, com certeza. O Luizomar é louco. Não tem o que dizer nas dificuldades. Nem sempre é trocar e fazer inversão, mas ajustar, mandar não bater reto, buscar alternativas. O cara parece ser péssimo estrategista.

Chandler Bing disse...

Eu sou obrigado a discordar sobre a renovação da seleção com somente jogadoras acima de 190 cm. Primeiramente que aqui no Brasil você não vê essa quantidade de jogadoras acima de 190 cm dando sopa, ainda mais que joguem bem.
Não adianta querer ficar comparando com as seleções européias. Desde que eu acompanho vôlei (1994) as européias sempre foram altas e as brasileiras não tão altas.
Se formos pegar Pequim 2008, na seleção somente 4 jogadoras tinham de 190 cm pra cima: Mari 190 cm, Walewska 190 cm, Fabiana 193 cm e Thaísa 196 cm.
Em Londres 2012 foi ainda pior, eram somente Fabiana e Thaísa, as demais atacantes eram de 180 cm pra cima.

Eu realmente acho que abaixo de 180 cm não dá, tem que ser acima disso. E se formos pensar nas possíveis jogadoras para a renovação, a mais baixa é a Gabi com 180 cm.

Ou seja, falta material humano para tamanha exigência. No Brasil têm-se o péssimo hábito de toda jogadora alta ser meio de rede, com pouquíssimas exceções.

Wagner Geração disse...

Não concordo com as críticas em relação à Gabi de Osasco. Eu até acho ela bem mais jogadora que Malesevic, pontua mais e defende mais também. Problema é que a Dani Lins as vezes força o jogo e quer fazer dela o desafogo do time, o que não vejo ela fazendo com a Malesevic, por exemplo. Então cabe aí bom senso por parte da Dani e orientação da comissão técnica a ela em dizer que a função da Gabi é mais de preparação do que ofensiva.

MINEIRIM disse...

Aconteceu o esperado, pouco provável o contrário. Nos próximos duelos vejo o Rio com maior chance. B. de La Cruz caiu muito de rendimento, principalmente no passe, parece ter aprendido com as russas. Apesar do Dínamo ter uma das melhores atacantes da atualidade: Goncharova, não é o suficiente para amedrontar ninguém, o time ta sem passe e tem levantadoras limitadas. A tarefa do Osasco é bem mais complicada, o Volero tem maior repertório, tem uma oposta eficiente e alta e uma das melhores centrais do mundo.

Excelente sua lembrança Laura com relação ao narrador. Ele tem me irritado profundamente pela demasiada troca de nomes de jogadoras, chega a falar nomes que nem estão em quadra e dar pitacos sobre rendimento de algumas jogadoras como se acompanhasse o voleibol. É o retrato de como o SPORTV valoriza o voleibol.

Cesinha disse...

uma coisa que observei todo mundo crítica o toque da Roberta ! será que ninguém viu os festivais de levantamentos no mínimo suspeito ? acho que não só o da Roberta mesmo aqui no Brasil é sempre dois toques na Europa é bola de craque !

L. Mesquita disse...

O problema de altura do BRASIL nao eh facil de se resolver: nossas mulheres sao mais baixas por natureza! Nao da pra comparar a estatura media de uma brasileira com a estatura de mulher servia ou holandesa... Se vc for a Holanda ou a Servia, vc encontrara com facilidade DONAS DE CASA, MAES DE FAMILIA, enfim mulheres comuns do DIA A DIA, com mais de 1,80m... Ja no BRASIL, DONAS DE CASA com mais de 1,70m ja consideradas altas... Isso se reflete no esporte... Basta comparar a quantidade de jogadoras de 1,90m ou mais q temos nas selecoes de SERVIA e HOLANDA com a selecao BRASILEIRA... Altura eh sim muito IMPORTANTE, mas eh um problema DIFICILIMO de se resolver no BRASIL. Jogadoras como FABIANA, WALEWSKA e THAISA sao excecoes a regra... E mesmo assim, estao se aposentando da selecao... Nos resta contar com fenomenos como JUCIELY que compensam a altura com muita TECNICA e VELOCIDADE. BIA com 1,87m eh a nossa melhor opcao no meio de rede para substituir a Fabiana na selecao, nao chega a ter 1,90m, mas esta perto, e fez uma excelente Superliga.

L. Mesquita disse...

Amigos, algo esta me dizendo que TERZIC vai ganhar um SET para garantir o PRIMEIRO LUGAR do grupo B e depois deixara o NESTLE vencer por 3x1, nada me tira isso da cabeca, pois com esse placar o ECZACIBASI seria eliminado na fase de grupos mesmo que vencesse o NEC RED ROCKETS por 3x0... Por varias vezes TERZIC pos um time de jogadoras reservas no GRAND PRIX, antes das olimpiadas, nao duvido nada que ele ganhe um set com o VOLERO e depois mude o time e facilite a vida do NESTLE, a fim de eliminar o perigoso ECZACIBASI... Quesejam feitas as apostas...

Eduardo Araujo disse...

Gente vocês estão detonando a coitada da Gabi, lembro quando a mesma começou a jogar no Sollys, ela era líbero tem até uma foto da Jaque dando o troféu de MVP da partida para ela em uma das ocasiões que ela substituiu a Brait.
Pela altura, não da para esperar que ela consiga bloquear uma atacante Europeia, e para o ataque ela tem que ser utilizada como a Fabíola fazia, dando bolas com bloqueio quebrado ou sem bloqueio, não pode esperar que ela seja a bola de segurança do time, contra times europeus.
A culpa não é dela, o técnico manda entrar e ela vai fazer o melhor possível, mesma coisa a Dani resolve que uma jogadora de 1.68 seja a bola de segurança do time e levanta para ela, o errado é a levantadora e não a atacante.
Tanto o Osasco e o Rio foram montados e projetados para jogar uma SL.
Já os 4 times europeus foram montados e projetados não para jogar seus campeonatos regionais, já que esses na maioria das vezes tem limitações de estrangeiras, esses times foram projetados para jogar a Liga dos Campeões, que é um campeonato muito mais forte que qualquer torneio regional.
Para montar times capazes de encarar os times europeus não é só acabar com o ranking da SL, mas é necessário ter bala na agulha, ou seja muita grana para contratar grandes jogadores e com essa crise toda isso é quase impossível.

Anônimo disse...

L Mesquita tudo o que você disse sobre altura é bastante pertinente. É um problema difícil de resolver mesmo. No entanto, acrescento: nossos treinadores também não ajudam! Sou da opinião de que se uma jogadora é baixa, mas tem potencial, deve-se simd ar chances e investir. Porém as jogadoras altas deveriam ter as mesmas oportunidades. Exemplificando, o JRG vem falando atualmente de uma aposta de 16 anos que ele levou para o time dele. Fui ver a altura: 1,78. Se é bom tem que investir mesmo! Mas ele e outros treinadores não fazem o mesmo com as jogadoras mais altas. Jessica Lima, 16 anos e 2,02 não tem recebido a mesma atenção que a novata do time do Barueri. Há jogadoras do juvenil com mais de 1,90 com 18 anos que não tem recebido investimento. Há ainda o problema de toda jogadora mais alta ser treinada para ser central. Ou seja: existe o problema de material humano que você citou, mas nossos treinadores - incluindo aí os melhores - não tem ajudado.

Edu disse...

Eu também penso que isso pode sim acontecer, nossa para o time turco isso seria uma bomba

Edu disse...

Se eu estivesse no comando da CBV faria uma proposta para o Bernardo para ele treinar, as meninas pelo menos durante esse processo de renovação. Eu já acho que ele faz milagre com jogadoras de menos de 1,80, imagina com jogadoras mais altas e mais fortes.
Ele elevou o nível de jogadoras como a Natália, Jucely, Carol, Thaísa
Podemos não ter jogadoras altas mas que tem o mesmo alcance e força das européias, como Tandara, Natália, Garay
Ele pode elevar o nível de jogadoras como a Fran, a Mara que tem mais de 1,90 e são boas bloqueadoras, eu acho a Macris uma ótima levantadora, só precisa de um pouco mais de instrução, a Dani quando joga bem também faz e acontece, o problema é a posição de libero já que eu não vejo nenhuma a altura, só a Brait, mas a gente já sabe que talvez ela não volte
Pelo o que vi a Thaísa volta (graças a Deus)


Eu faria um time titular assim
A Garay e a Tandara como ponteiras passadoras e a Natália como falsa oposta
A Thaísa e a Adenizia, que fez uma ótima temporada, como centrais
A Dani ou a Macris como levantadora
O problema é a posição de libero, mas por falta de opções continuaria com a Léia.
Da pra formar um time ao menos competitivo logo de começo.

Mantronix Inc disse...

Concordo com quem acha q Gabi nao devia estar no time titular nesse MUNDIAL no lugar da Malesevich.

Esta sendo um festival de tocos nos times brasileiros. E uma diferênÇa de ponto boqueios nítida.

Este campeonato q não encaixa pra jogadoras como a Gabiru. Luizomar #fail again.

Estou achando o Vakif o melhor time até agora e o favorito p/ levar o titulo.

Eliezer de Souza disse...

A única certeza sobre os jogos de hoje, dos times brasileiros, rio ganha do Moscou. Já Osasco, aí depende do Volero, o time vem muito bem encaixado com essa formação. Rabadzhieva fazendo um belo fundo de quadra, Kenia e Oselia virando todas. Mas ainda sim Osasco tem chance, e vamos torcer para Malesevic entrar e não ser substituida no primeiro erro.

Haroldo Caldas disse...

Em algumas postagens manifestei minha opinião de que o Rexona, não obstante sua campanha e excelente volume de jogo, sentiria falta de uma jogadora "derrubadora de bolas". Isto não impediu a conquista da superliga, embora o Nestlé e, principalmente o MInas, quase tenham atrapalhado os planos de Bernardo. Esperava, assim como outros, (inclusive Laura em uma manifestação), que a Helô pudesse suprir esta lacuna, o que não aconteceu. O que vemos neste mundial? Na dúvida, bolas para Boscovic, Zhu, Slotjes e outras menos badaladas. Bola alta e que se virem pois é isto que se espera delas. Lembro que disse, por época das especulações, que o Rexona deveria abrir os cofres e contratar unicamente a Hooker. Poderia ser outra jogadora de características semelhantes. Vendo os jogos até agora realizados, penso que o Rexona (e mesmo o Nestlé) se tivesse tal jogadora, teria muito mais chances de ter ganho seus jogos ou ao menos fazer jogos muito mais disputados.

L.MESQUITA disse...

DAVID mais uma vez vence GOLIAS e o SESC RJ elimina as gigantes do DINAMO MOSCOW... Enquanto isso LUIZOMAR insiste em GABIRU, deixa a MEDALHISTA de PRATA OLÍMPICA no BANCO, e o NESTLE enfia o rabinho entre as pernas sendo eliminado do MUNDIAL... ÓBVIO!!! NUNCA que o NESTLE iria se classificar com GABIRU de titular e MALESEVIC no banco!!! Além disso, DANI LINS não sabe levantar bolas altas pra BJELICA, ela mata esse tipo de jogadora!!!

Mantronix Inc disse...

Acredito q o Rexona tem condições REAIS de bater o Volero na semi, as Girafas do Volero não têm volume de jogo, batem cabeça quando a bola pinga ou começa um rally. Gabi do Rexona tem mais recurso, técnica e força do q Gabiru, já não bastasse Luizomar deixá-la em quadra, teve Dani Lins insistentemente procurando acioná-la. Adorei a Malesevic encerrando a partida pro Osasco, Luizomar lembrou da vice-olímpica pra sacar, Malesevic devolveu a moral q recebeu do técnico com um cômico saque na rede, fim de jogo.

Que time estranho essse Dinamo de Moscow, Goncharova é uma jogadora q joga pra si, não puxa, não incentiva suas companheiras, (ok, mas de forma muito discreta), e nem lidera o time. As russas tinham q se ajoelhar pra Bethania de La Cruz, a mulher fazia os pontos nos momentos maia decisivos da partida. e recebia pouquissima moral das outras. Sem falar do técnico Panchenko q errou todos os pedidos de desafio, Maricheve (2).