quinta-feira, 13 de abril de 2017

Quando o improvável acontece

O improvável, às vezes, acontece. Até com uma frequência maior do que imaginamos. As semifinais da liga turca são um exemplo.

Numa chave, o Galatasaray, quarto colocado na fase classificatória, eliminou o líder e atual campeão Vakifbank. Venceu a primeira partida por 3x0 e garantiu a vaga para a final na derrota por 3x2.

Bem menos estrelar que o poderoso Vakif, o Galatasaray fez com que o seu conjunto se sobrepusesse às individualidades do adversário. Com um passe regular e o bom trabalho da levantadora turca Alikaya, fez, nas duas partidas, um jogo ofensivo bem mais equilibrado do que o Vakif.

O Vakif esteve bastante dependente da Zhu e à mercê da bipolaridade da Sloetjes, o que o fez sentir ainda mais a má qualidade da sua recepção. 


**********************************

Na outra chave, mais um duelo entre Fenerbahce e Eczacibasi. Aqui, pelo equilíbrio, era difícil acontecer alguma coisa inesperada. Mas aconteceu. Duas, aliás.

A primeira foi o Eczacibasi, na partida de ida, vencer por 3x0 sem contar com a Kosheleva e a Boskovic (a sérvia ficou no banco, a russa nem foi escalada). Com o desfalque da Thaisa, podemos dizer que entrou em quadra um mistão, o suficiente para bater um Fener com a Kim pressionada no passe e sem render bem no ataque.

No segundo jogo, o Fener deu o troco e venceu por 3x1. A decisão foi para o golden set e aí o que parecia impossível aconteceu.

O Fener virou o set em que perdia, primeiro, por 13x7 e, depois, 14x10. Fez um trabalho defensivo muito bom, segurando a Boskovic no bloqueio (destaque para a central Eda) e chegando nas largadas da Larson e Adams (largadas provocadas por maus levantamentos da Ognjenovic, por sinal). Além de contar com a Kim, desta vez, enchendo a mão e resolvendo com coragem os contra-ataques.

Eczaciabsi Vs Fenerbahce é o clássico desta temporada. Os times se encontraram em três eliminatórias (Copa da Turquia, Champions e campeonato turco) e, em nenhuma delas, faltou equilíbrio e emoção. No âmbito nacional, o Fener levou a melhor. Faltou o mais importante, a Champions.

**********************************

Fener e Galatasaray fazem, assim, uma improvável final da liga turca. Será que o resultado também será surpreendente?

13 comentários:

George disse...

Ambos confrontos com resultados surpreendentes, duvidava muito da capacidade desse time do Galatasaray. Muito mesmo. Achei que seria um time fadado a ser coadjuvante em tudo que disputasse, principalmente no turco. Achei, inclusive, que quem iria pra semi seria o Bursa e não eles. Porém, é aí que eu vejo porque gosto tanto do vôlei. Com um jogo consistente e bem estudado, anularam o ótimo jogo (mas um pouco deficiente sem a Rasic) do Vakif e só não ganharam as 2 partidas de 3x0 porque no 3º set do 2º jogo já estavam classificadas para a final, deixando times mistos em quadra.
Quanto ao outro jogo, preciso fazer alguns comentários: - o que aconteceu com a Kim? No momento atual, acho a Natália mais importante que ela, tem virado muito mais bolas inclusive. - a líbero do Fener é muito ruim no passe. Nas defesas tem se virado bem, mas no passe só via a Tomkom correndo de um lado pro outro. - a Ognjenovic não conseguiu se acertar com as centrais em nenhum momento da temporada. As bolas com a Thaisa e a Adams sempre muito ruins. - a Baladin tem muito a evoluir, eu esperava bem mais dela nessa temporada.
Acho que o campeão turco será, novamente, o Fener. Mas vamos ver como se comporta o Galata, afinal, depois de derrotar o Vakif acredito em tudo.

p.s.: Laura, tu não comentou, mas acho que os melhores jogos estarão na disputa do 3º, entre Vakif e Eczacibasi, uma vez que quem perder está fora da Champions em 2018.

Jess disse...

Que delicia de Final..

Apesar de achar surpreendente e eliminação do Vakif (pela campanha - Não assisti os jogos), fiquei mais passada com a "deitada" do Vitra.. Como abre 14x07 e leva a virada no Golden Set? Por isso que o esporte é maravilhoso..

Torcendo pro Fener levar

Jess disse...

13x07*

Laura disse...

George, verdade. Este fato me escapou! Um dos grandes ficará de fora do principal torneio da Europa.

A Natália, do q tenho acompanhado, tem sido mais regular do q a Kim, q está numa temporada abaixo. Talvez seja um esgotamento natural pelo tanto q ela rendeu nos últimos anos em clube e seleção.

l.mesquita disse...

É uma pena esse timaço do FENERBAHCE estar fora do MUNDIAL DE CLUBES... Com certeza será a ausência mais sentida!

Rafael Pais disse...

O Fener agradeça à Eda, que fez 4 ou 5 blocos seguidos no tie. Como joga essa central! E quando tinha que resolver, Kim vira duas bolas seguidas, as mais importantes do campeonato. Uma menção tb à Grotheus, que entrou, passou e defendeu, num momento ruim da Natália e excelente da Bosko no saque. Bosko e Maja ruins no final, se perderam.

Lucas Gadelha disse...

Confesso que imaginei que a temporada da Natália na Turquia seria tão apagada como foi a de Paula Pequeno e Mari. Alguém achou que uma jogadora baixinha(em um campeonato que que as grandes jogadoras tem mais de 1,90m) de 1,83m poderia jogar em alto nível e de igual para igual com nomes como Kim, Kosheleva, Boskovic, Thaisa, Larson, Sloetjes e cia? Eu que não era particularmente fã, menos ainda depois do fiasco da Rio 2016, confesso que ela calou a minha boca. Está voando no ataque! É a melhor defensora do time. E mesmo o passe, seu fundamento mais fraco, tem apresentado resultados expressivos. Por exemplo, na sua equpe, ela só perde para a Grothues em eficiência. O que eu ainda percebo na Natália é o emocional oscilante. Em partidas decisivas ela tende a cometer erros bisonhos por ansiedade e nervosismo. Fora isso, está se apresentando como uma ponteira world class. Concorda ou discorda, Laura?

Deivid disse...

A Natália tem que começar como oposta e treinar nessa posição ou virar ponteira e treinar nessa posição, esse negócio de ponteira falsa atrapalha o desenvolvimento dos fundamentos, teve um período que ela estava passando e defendendo melhor, pois com a seleção estava treinando, assim a jogadora não consegue produzir o seu melhor voleibol, quanto ao turco estou muito feliz que o Galatasaray conseguiu ganhar, pois no turco os três times tem dominado nos últimos anos, quanto ao Fenerbahce que jogadora Raçuda a Eda, ela e a Kim são imbatíveis são a cara do Fener, Natália em comparação com Paula e Mari está rendendo bem mais, comparando com Garay tem um rendimento semelhante, agora os times estão movimentando nos bastidores com altos investimentos, Teremos provavelmente 6 times com potencial na próxima superliga Rio, Minas, Praia, Osasco, Barueri e Bauru são time que vão brigar por títulos, Pinheiros deu uma caída e o Fluminense está aumentando o investimento este ano, uma incógnita é o Brasília.

Laura disse...

A Eda é bem a cara do Fener mesmo. Comandou a virada no golden set.

Lucas, concordo com vc. Tinha muita curiosidade de ver como a Natália iria se sair e o saldo é positivo. É bom q ela tenho ido com esta idade, já com uma bagagem técnica consolidada, para ganhar experiência e ritmo de decisão. Pq, como vc falou, o grande defeito dela são estes erros em momentos comprometedores. Aqui ela destoava (para melhor) pelo poder de ataque. Lá fora, destoa pq tem se mostrado uma jogadora completa, não é só ataque. E isso ela leva aqui do Brasil, da sua formação e do campeonato. Pelos comentários que vejo, apesar de não ser mt renomada entre as estrangeiras, ela deve sair bem valorizada depois desta temporada.

Sergio disse...

Laura, boa noite!

Creio que você tenha visto o jogo, você viu o levantamento das duas jogadoras em todo jogo?
Muito parecido com o de Roberta, muita bola rodando, e não vi ninguém falando que seria dois toques. Por que será?

L. Mesquita disse...

Porque nao sao 2 toques! Roberta nunca teve problema com arbitros internacionais. Se fosse 2 toques, Bernardinho e Ze Roberto, que ja foram levantadores e treinam Roberta no Rexona e na Selecao, ja teriam corrigido a Robeta. Se Bernardinho e o Ze nao corrigiram a Roberta, eh pq nao sao 2 toques!!!

Sergio disse...

Isso mesmo. Concordo com você.

Anônimo disse...

Natália é a melhor defensora, segunda melhor passadora e maior pontuadora na liga turca da equipe do Fener atualmente.