Inabalável

Camponesa/Minas 0x3 Rexona-Sesc
(20-25; 19-25; 18-25) 
Foto: Orlando Bento/MTC

O Rexona conquistou mais uma daquelas suas vitórias que, pelo placar, parecem fáceis, mas que são, na realidade, fruto de muito trabalho e aplicação tática. 

O Rexona engoliu o Minas em todos os fundamentos, mas venceu o jogo a partir do seu sistema defensivo. É só ver o desempenho do bloqueio carioca, por exemplo. O Minas é quem domina o fundamento nas estatísticas da Superliga, mas quem brilhou na partida foi o Rexona. 

Foi com o bloqueio e o ótimo volume de jogo que o time conseguiu frear o ritmo acelerado em que o Minas começou o duelo. Ali o Rexona não só controlou o ímpeto mineiro como colocou o jogo em suas mãos. Cadenciou a partida trabalhando o ataque e o contra-ataque com paciência e deixando a afobação e os erros para o adversário, como sempre faz. 

*******************************

Dificilmente o Minas conseguia colocar uma bola de primeira na quadra carioca. Mas para o Rexona também não foi fácil pontuar direto no ataque. A diferença é que o time de Bernardinho, além da paciência no trabalho de bola, teve atacantes muito mais decisivas.

Gabi e Monique souberam explorar o bloqueio e as brechas da defesa mineira com perfeição. Tiveram muito mais êxito do que a Buijs, que usou muito mais sua força do que habilidade. O Minas não soube marcar as variedades de golpes e recursos da Gabi, em mais uma partida de destaque.

Roberta colocou todo mundo para jogar e não teve que se preocupar com o passe. Já o Minas teve momentos ruins na recepção, principalmente em boas passagens da Carol no saque. 

*******************************
O Minas mais uma vez ficou naquele troca-troca de levantadoras para, no fim, nenhuma delas conseguir colocar a Hooker na partida. E a norte-americana também não se ajudou muito com algumas bolas bobas desperdiçadas.

A Naiane sem dúvida faz um jogo mais distribuído (não exatamente equilibrado) e sabe jogar com velocidade, o que faz com que a Jaque e a Rosamaria se encaixem melhor no jogo. Mas tanto o jogo dela como o da Karine foi muito bem lidos e marcados pelo Rexona.

Como se vê, a vida do Minas não foi nada fácil. Precisou correr atrás de acertar os seus problemas de ataque ao mesmo tempo em que tentava se defender da ofensiva carioca e, tudo isso, sem que o adversário desse uma brecha sequer. Por mais que o Rexona tenha cometido mais erros do que de costume, as falhas não vieram em sequência. O time sempre se recuperou muito rápido às raras quedas na partida.

E esse é o grande desafio para o Minas. Em plena semifinal, o time ainda busca alcançar a regularidade e um nível de jogo “bom”, que não é o suficiente para bater o Rexona. Se a missão já era difícil antes da série começar, agora, com uma derrota em casa, é quase impossível.

Comentários

Julio César disse…
Até que gostei do jogo, eu já imaginava que o Rexona fosse vencer essa partida, mas achei que o Minas levaria ao menos um set.
O Minas é muito dependente da Hooker, o que acaba tornando escassas as opções da Naiane. A Jaque só levou toco atrás de toco. A Rosamaria não é nem de longe a jogadora de meses atrás, raramente consegue pontuar. Uma andorinha só não faz verão, não contra o Rexona.
Além do mais, como já era de se esperar, o Rexona defendeu absurdamente bem no jogo de hoje, fez inveja até à seleção japonesa.
Quanto à série de jogos, pra mim já era para as mineiras, a esperança era o Minas vencer hoje para almejar algo. Só torço para que esses dois próximos jogos sejam equilibrados.
Chandler Bing disse…
Troféu Viva Vôlei dado à Gabi, mas na minha opinião quem realmente merecia nesta partida era a Roberta.
Gostei muito do jogo da levantadora do Rexona, ela simplesmente tava defendendo todas as bolas da Hooker, muito bem posicionada, fazendo com que, óbvio, sua confiança fosse lá para o alto e distribuísse o jogo com maestria.
As bolas foram levantadas no tempo certo, colocou as Centrais para atacar bolas de 1° Tempo com velocidade e simplesmente sacou muito, quebrando por diversas vezes a recepção do Camponesa.

Acho que o Paulo Coco não fez bem em trocar Naiane por Karine. O jogo da Naiane tava mais redondo, as bolas pra Hooker estavam em melhores condições. Depois que ela foi pro banco e voltou, simplesmente voltou perdida.
L. Mesquita disse…
Rexona passou como um TRATOR humilhando o Minas diante da torcida mineira! A minha probabilidade de 1000% para o Rexona se concretizou. A diferenca entre HOOKER E MONIQUE eh q a HOOKER eh uma excelente atacante de BOLAS BOAS, mas tem dificuldade de trabalhar bolas MAL LEVANTADAS, ficando no bloqueio ou batendo pra fora, ja MONIQUE tem mais habilidade e repertorio pra se virar com blas mal levantadas.
Anônimo disse…
A Leia se inspirou numa mosca morta ontem. A mulher não tinha semblante, aliás tinha, de uma pessoa morta, sem ânimo, parece q estava jogando forçada. Depois da metade do segundo set ela resolveu se inspirar numa barata tonta. Corria a quadra toda e não pegava uma bola, um pinga, uma defesa não dava um passe na mão. #LeiaMorta. A Naiane achou que o jogo não tinha começado, que estava no aquecimento de rede com Hooker. Só levantava a bola pra ela. Hooker defendia uma bola la na arquibancada, estava deitada no chão tentando se levantar, mas Naiane jogava a bola pra ela.
Jess disse…
Esse time do Rio é MUITO bem treinado.. como falei a única chance que o Minas tinha para engrossar o jogo era quebrando a linha de passe.. mas..

Roberta tava pegando quase todas as diagonais da Hooker..

Parabéns ao Rio.. e espero um jogo melhor na próxima partida..
Laura disse…
Bem lembrado, o q a Roberta defendeu não tá no gibi. Hooker não conseguiu crescer mto por conta tb da marcação dela e do time. Roberta ainda foi bem no saque e no levantamento.
L. Mesquita disse…
O RDICULO do MARICHEV deveria ter visto esse jogo do Rexona de ontem e parar de falar besteiras sobre o volei feminino!
Excelente análise.
Antonio disse…
Suas análises sobre os 2 jogos de ontem retratam muito bem o acontecido.
O Rexona/Sesc-RJ fez sua melhor partida na temporada no quesito técnico. Na parte tática, um show de estudo e aplicação perfeita do combinado em relação ao jogo do adversário.Trabalho minucioso e perfeito do Bernardo e Comissão Técnica do clube. Temos que considerar, ainda, que o Camponesa-Minas é um ótimo time em valores individuais, provavelmente, superior até ao Rexona/Sesc-RJ. Falta um pouco de espírito de equipe e mais entrosamento tático. Psicologicamente, está muito dependente da Hooker, que como dito anteriormente em comentário do L. Mesquita, é uma fenomenal atacante de bolas bem levantadas, mas cai bastante se não for assim.
No outro jogo, a partir do segundo set, o bom, mas também instável time do Volei Nestle/ Osasco, não precisou jogar. Bastava a bola passar para o outro lado, seja por ataque forte, meia-força ou apenas largadas, que caia na quadra do Dentil-Praia. Parecia jogo de profissionais contra iniciantes no esporte, todos os gestos técnicos e básicos eram mal executados pelas jogadoras do Praia. Condição psicológica zero. Realmente vergonhoso o desempenho. Individualmente e completo, com Fabiana e Waleuska, o time tem muito potencial. Na prática, desaba emocionalmente assim que enfrenta alguma dificuldade.
Ander disse…
O Minas passou vergonha ontem. O Rio fez uma excelente partida.Realmente tá ficando chato essa Superliga... Só dá Rio...Temo q com essa hegemonia toda daqui a alguns anos diversos patrocinadores deixem seus clubes na mão... Parabéns a Excelente partida dá Gabi...A Hooker no final parecia que estava discutindo com a Karine ou reclamando sobre o time...
L. Mesquita disse…
Ja que RANKING so da REXONA, vamos apoiar as jogadoras que entraram com PROCESSO NA JUSTICA DO TRABALHO pra se livrarem desse ranking! Elas nao nao podem ser ESCRAVAS desse RANKING! A LEI AUREA ja assinada ha muito tempo pela PRINCESA ISABEL! Pela LIBERDADE DE TRABALHAR NO CLUBE QUE QUISER sem a restricao de ranking: EU APOIO!!!
Cleber disse…
Se Roberta for a nova levantadora da seleção... estamos muito mal mesmo. Até o toque dela é feio, sem classe. E parece uma mosca morta.
Jess disse…
Acho a Roberta muito fraca levantando.. sempre dá dois toques.. quero na seleção nao
L. Mesquita disse…
Jess e Cleber a Robertinha tem seu valor, vcs tao pegando um pouco pesado com ela... Mas podem ficar tranquilos: Fabiola fez uma ARTROSCOPIA, mas voltara FIRME E FORTE pra selecao!
Joffre Neves disse…
Também acho a Roberta fraca,a diferença é que ela está em um time que resolve.Se ela estivesse no Praia os erros seriam triplicados.
Chandler Bing disse…
Diferença da Roberta está no seu técnico, que mastiga o jogo pra ela, não a deixa relaxar, se perder no jogo, o que eu acho que falta para os outros técnicos.

Com a Dani Lins o Bernardo fazia a mesma coisa, em nenhum momento deixava de pegar no pé dela para que ela se superasse. Enquanto que na seleção o Zé gritava pra ela "EU VOU TE TIRAR", no clube o Bernardo extraía o melhor dela e pedia que ela se acalmasse.

Não gosto de algumas atitudes do Bernardo, assim como a maioria, mas temos que concordar que ele faz uma diferença absurda na vida de um(a) jogador(a) de vôlei que quer melhorar como atleta.
Yano o Chato disse…
O Rio sacou e defendeu demais, além de bloquear. Tudo caía na quadra do Minas. Leia jogou muito mal. Mas acho que as levantadoras estavam levantando muito mal para a Hooker. Ela passou muitas bolas de graça e não virou outras porque os levantamentos não tinham qualidade. Parece que as levantadoras brasileiras têm dificuldade de empinar bolas. Lembrem da Dani Lins com a Carcáces, que luta. Quando a Hooker ganhou aqui foi jogando com a Fabíola, que parece ser a única levantadora que sabe por bolas altas do Brasil.
A Naiane não consegue. Jaque podia aparecer mais.

Agora só para pontuar. O árbitro, o mesmo de sempre, Espicarlsky, não marcou um ponto de toque no bloqueio que daria ao Minas o empate no fim do primeiro set. Além disso deixou vários 2 toques passarem da Roberta. Também marcou uma invasão por baixo que não existiu acho que da Rosamaria.

O Minas paga o preço de se estruturar apenas no fim do campeonato. Não tem a mesma consistência do Rio e suas 7 jogadoras-líbero.
Sergio disse…
Não vejo isso. Ela coloca todas para jogar. Se fosse fraca. Michele, Jucy, Gabi, teriam muitas dificuldades de virar as bolas. Pois precisam que sejam rápidas.
Sergio disse…
Lembro que fabiola tava jogando no nestle com o time selecionável e mesmo assim perdeu para o Rexona.
Ander disse…
Concordo com o seu comentário Joffre....
Jess disse…
Concordo Joffre..

Diferença dela.. é pq é comandada pelo melhor técnico do mundo.. EU não queria ela na seleção não..
Jess disse…
A grande diferença de quem joga no Rio.. é que elas são comandadas por um técnico de verdade..
Yano o Chato disse…
Sérgio, o que isso tem a ver com o que eu disse? Eu citei a Fabíola que jogou com a Hooker no ano em que o Osasco ganhou e que ela levanta bem bolas altas. Você citou o ano em que a Fabíola perdeu com a seleção no Osasco.

O que tem a ver uma coisa com a outra?
Ah, e só pra destacar, neste ano que perdeu, a oposta era a Sheilla, jogadora de bola rápida, com quem a Fabíola nunca adquiriu entrosamento conveniente.
HAROLDO CALDAS disse…
Repito os comentários que já fiz sobre a Roberta: É uma levantadora que tem algumas ótimas qualidades. Ela é alta, o que atenua em muito o prejuízo no bloqueio, tem uma noção de defesa acima da média (vide último jogo), saca bem e distribui de forma equilibrada os levantamentos. O único problema que vejo é a certa imprecisão em muitos levantamentos. Tem que melhorar neste aspecto. Contudo, devemos lembrar que a titularidade veio para ela há pouco tempo e que já houve progresso. Há algum tempo atrás a bola china com a Juciely não saía de jeito nenhum e hoje está bem mais precisa. É, de certa forma, um Bruninho de saias. Um conjunto de qualidades que faz dela uma jogadora versátil e útil a qualquer time.
Sergio disse…
Não Yano, citei o jogo que Fabiola jogava com o time do Osasco (seleção), Jaque, Thaisa, Fabiola, Fernanda Gary, Camila Braite, lembra em 2013? Tava citando o jogo em São Paulo quando o Osasco abriu 2x0 e perdeu por 3x2 para o Rexona. Quem era levantadora era Fabíola.
Sergio disse…
Concordo com você Haroldo.

Yano,

Ter toque de bola refinado não quer dizer que saiba distribuir bem jogadas, que sabe defender bem, que joga para o time, uma jogadora tem que ter todos esses aspectos para estar em uma seleção, pois reune não apenas uma qualidade mas sim um conjunto. Veja quem lidera o racking de maior pontuadora, de melhor defesa, de melhor passe, não quer dizer que seja um super time.
MINEIRIM disse…
O Minas tem pagado caro pelos atrasos na montagem do elenco. Hoocker e Jaqueline são ótimas jogadoras, porém não fazem milagre em um time sem entrosamento. O Minas não possui levantadora para ganhar superliga e a expectativa criada em cima da Naiane foi exagerada e precoce demais. Do outro lado tem um Rio super entrosado que mantém uma base com 1 ou 2 mudanças de peças por temporada aliada a uma comissão técnica que beira a perfeição, além é claro de jogadoras de qualidade e aplicadas. Paulo Coco não tem peças de reposição interessantes, e Rosamaria infelizmente foi uma decepção, se ela tivesse como na fase classificatória o jogo teria sido melhor. Esse ano irá dar Rio de Janeiro novamente....