sábado, 15 de abril de 2017

Enfim, o finalista!


Semifinal - 5º jogo

Rexona-Sesc 3x1 Camponesa/Minas

Foto: Marcello Dias/Inovafoto/CBV

Os torcedores do Rexona já estão acostumados com a sensação, mas a classificação para a 13ª final consecutiva deve ter vindo com um gostinho muito especial. Afinal, o Minas valorizou demais a conquista carioca com uma série semifinal equilibrada e emocionante - e a qual tivemos o privilégio de acompanhar. 


******************************

É bem verdade que o jogo final da série foi o menos qualificado. As duas equipes erraram demais. 


Coloco parte destas falhas na conta do desgaste natural pela sequência de jogos. Os dois times também tiveram que arriscar e agredir mais para fugirem da marcação um do outro.

Mas a outra parcela destes erros teve origem na afobação, na precipitação. E a principal vítima disso foi o Minas. 


O Rexona, com um excelente volume de jogo, exigiu uma paciência gigante do adversário. Só que o Minas não conseguiu ter a tranquilidade (e, por vezes, a qualidade) necessária para trabalhar a bola e fazer o jogo render.

É que desde o início da partida o Minas esteve com dificuldades de definição no ataque, por vezes porque o passe não funcionava legal, em outras porque o levantamento era ruim ou mesmo o golpe final era desperdiçado.

Somou-se a isso a pressão do bloqueio e da defesa do Rexona e o resultado foi um Minas atrapalhado, que atropelava etapas e não conseguia dar sequência a seus bons momentos na partida. 

******************************

Falando assim, parece que foi um passeio carioca. Não foi. Acho que o Rexona teve muito mais comando da partida, mas no segundo e terceiro sets o Minas esteve bem equilibrado e ameaçou a estabilidade das donas da casa. Foi quando conseguiu mexer com a recepção carioca, segurar a Gabi no bloqueio e fazer rodar o ataque com Rosamaria e Hooker.

Mas dois sets não são suficientes para bater o Rexona. Acho que nesta partida ficou bastante perceptível a diferença de uniformidade e de acabamento de jogo entre o Rexona e o Minas. O conjunto mais harmônico e menos oscilante levou a vaga para a final. 

******************************
 
O Minas, por mais equilibrada que tenha tornado esta série, não chegou ao seu auge na Superliga. Disputou as semifinais ainda em busca da maturidade, muito por conta da demora por definir e trabalhar o time titular.

Teve numa posição-chave para o seu crescimento um ponto instável, a levantadora Naiane, e sem uma salva guarda suficientemente qualificada. Ficou também dependente de uma adaptação complicada da Rosamaria como ponteira passadora. A insegurança no passe afetou não só o time como também o rendimento dela no ataque, acredito.

Agora, se formos observar, o Rexona tinha estes mesmo problemas pontuais ao chegar à semifinal, talvez em menor grau. Uma levantadora irregular e um ponteira passadora que causava grandes prejuízos no passe. O time - ou melhor, o Bernardinho -, como sempre, conseguiu dar a volta por cima e minimizar ou compensar estes problemas.

Não é à toa que, na sua 20ª temporada, chega a sua 15ª final de SL. 

******************************

Pê esse:

- Esta semifinal deve ter sido a partida em que mais vezes a Hooker foi bloqueada nesta SL.

- Depois desta série, fica difícil aceitar uma final de jogo único... 


33 comentários:

Anônimo disse...

Concordo com você, Laura. Esse foi o jogo mais esperado, e menos jogado. O time do Rio ganhou sem emoção alguma. Espero que tenhamos uma belíssima final.

Yano o Chato disse...

O Rio tem muito mais time, mais grupo mais conjunto. Estão acostumadas a esses momentos. Tem Bernardinho e tem Fabi. Fabi faz muita diferença em quadra. Diferença que Jaqueline não conseguiu fazer lá. Parece que não tá bem fisicamente, não saltou nada. Pontou quase nada no ataque, uns 3 ou 4 pontos. Muito pouco para ajudar o time.

Conseguiram marcar Gabi em alguns momentos, mas Jucyele tava inspirada hoje, como de costume, e segurou o jogo.

O Minas erra demais e em momentos decisivos. Nem parecem profissionais. Erra saque, tudo cai na quadra do Minas, na do Rio, nada. Leia tá péssima.

Sem mais o que dizer pois você pontuou tudo muito bem Laura.

Vamos a grande final. Agora a Tandara vai achar uma marcação decente em sua diagonal, tanto no bloqueio como na defesa. Quero ver se ela vai pontuar tanto por ali. Esse vai ser o ponto para desestabilizar osasco.

Rodolpho Francis disse...

Impressionante esse time carioca. Da gosti de ver as meninas jogando. Monique deu uma Aula de como uma oposta deve se comportar, defendeu bolas importantes, sacou muito, virou algumas jacas da Roberta e pegou TODAS as largadas do Minas. Roberta tem concentrado muito o jogo na Gabi, e por vezes ela esta sendo bem marcada. Agora é colocar a cabeça no lugar e enfrentar o Nestle. Tem tudo ora ser um jogao mas acredito que o rexona ganhe de 3 x 1. To doido pra esse mundial de clubes começar. Mesmo perdendo o Rio faz otimos jogos contra os gigantes europeus.

Sergio disse...

Excelente analise.
Alguém vai reclamar da arbitragem desse jogo?
Que o arbitro sempre favorece o Rexona?

L.MESQUITA disse...

Laura, eu, acho que deveria ser adotado o modelo da CHAMPIONS LEAGUE, um jogo de IDA e um jogo de VOLTA, com a disputa de um GOLDEN SET, se necessário, em vez de play-offs melhor de 3 ou melhor de 5.

Jess disse...

Achei esse jogo muito feio...
Parabéns ao Minas pela série e parabéns ao Rio por conseguir reverter a vantagem mineira..

La vem mais um Rio x Osasco é ja e sabemos o campeão (espero ser tombada)

P.S: Esse foi o pior jogo que eu vi da Gabi

Sergio disse...

Parabéns pelas palavras, esse texto representa realmente o que foi essa serie, esse jogo.
Agora voltando a parte das reclamações, o que vão dizer as pessoas que insistem que os árbitros na dúvida favorecem o Rexona?
Será dessa vez que vão se render ao conjunto do Rexona, ao excelente trabalho feito pela comissão técnica?
Ou vão culpar mais uma vez os árbitros que não deram bola dentro no ataque de Drussyla, ou toque no bloqueio no ataque de Monique, ou na invasão de rede de Carol Gataz?
Dessa vez espero que não tenham choro.

Joffre Neves disse...

Injusto agora é o praia club ficar em terceiro lugar da superliga enquanto o minas levou a série para o quinto jogo contra o favorito a final.

Fica uma dica ao Minas : monte um time antes e mude esse pensamento de respeitar o rexona,quando não respeitou venceu duas vezes na casa dele.

Se o bernardo for esperto,é melhor só ter um plantel brasileiro.Depois de Branka e Pavan,nenhuma estrangeira foi bem e depois alguma outra jogadora tinha que resolver o pepino.

Pop On Air disse...

Rosamaria caiu muito de rendimento desde o returno da Superliga, ela afundou a recepção do time e no ataque comprometeu demais com seus inúmeros erros, a Daroit deveria ter tido mais oportunidades, já que fez um bom Primeiro turno e foi bancada com a chegada da Jaque.

Anônimo disse...

Impressão minha ou a Juciele ta deixando a equipe? Creio que o próximo time do Rio vira muito fraco, e a ótima comissão técnica não será o suficiente pra levar o time a mais uma final. Triste ver essa crise que esta acabando com o vôlei brasileiro.

HAROLDO CALDAS disse...

Primeira partida ganha pelo Rexona: Destaque Gabi. Segunda partida: Drussyla; Terceira partida: Juciely. O Rexona é um time que divide bem as responsabilidades. Ontem marcaram muito a Gabi e forçaram o saque quase sempre em cima dela. Aí vem a Drussyla com um ótimo desempenho e a JUCY simplesmente IMPRESSIONANTE, virando as bolas necessárias para marcar os pontos. É um conjunto muito forte, dirigido por uma comissão técnica extremamente competente.Destaco especialmente Juciely, uma das jogadoras que mais admiro no nosso voleibol. Admiro como atleta, pois embora não sendo muito alta, possui uma velocidade impressionante e uma leitura de bloqueio que poucas jogadoras tem. Sua bola "china" é a melhor da superliga. Também a admiro como pessoa. Reparem quando ela dá um daqueles "tocos" clássicos, em que a bola volta quase no pé da atacante. Ela toca o solo quase que já virada para as companheiras, nunca adotando uma postura de confronto com a atacante. Em segundo já está recomposta e concentrada para o próximo lance. Que acompanhou sua entrevista emocionada após o jogo não pode também deixar de se emocionar com suas lágrimas e sinceridade no amor à equipe e a suas companheiras, com quem dividiu todo o mérito de sua atuação. Grande jogadora. Melhor ainda ser humano. Ainda uma outra observação: todo ano fala-se que a Fabi está ficando velha, que não é mais a mesma, etc. Contudo, nos momentos de decisão ela sempre aparece como protagonista. Parece gostar de decisão, de pressão, de cobrança. Ainda a vejo como a melhor líbero brasileira.

Anônimo disse...

Verdade, Sergio. Vi muita gente criticando o Rio devido os erros da arbitragem. Em outras palavras, falaram que o Rio ganha através do apito amigo. Vi vários erros contra as cariocas nesse quinto jogo, e ela não reclamavam, não se abalavam. Mas tem gente que diz que o time ganha na pressão. Que pressão mesmo? Rio chega á final com muita moral. Desgaste? Talvez. Mas chega forte depois desses cinco jogos.
Concordo com o amigo Joffre quando refere-se ao plantel brasileiro. A gringa não mostrou ao que veio. Acho a Drussila mais forte que ela em todos os fundamentos. Vi em um site que o Rio tem interesse em uma jogadora do São Caetano, Ednara, mas não sei se é verdade.
Ps: Não torço para o Osasco, mas é gratificante a gente ver um patrocinador renovando com a equipe. O que falta na nossa liga é isso. Vejo muitos criticando que a liga brasileira, mas la fora tem marcas de peso investindo nos times, coisa que aqui não tem. Espero uma super liga bem mais equilibrada para o próximo ano.

HAROLDO CALDAS disse...

Jofre, concordo que é possível montar um plantel brasileiro fortíssimo, mesmo com as regras de 7 pontos, especialmente agora que não há limite na soma. O que jogou a Drussyla nestas partidas a credencia a ser titular na próxima edição da superliga. Imagine contratar a FABIANA para a próxima edição. Seria um belo reforço. Para trazer uma jogadora estrangeira com alto salário, tem que ser muito boa. Se me permite um delírio, meu sonho como torcedor do Rio, no caso d euma estrangeira, seria o time fazer uma proposta e contratar a Hooker. Teria o time um tipo de jogadora que, como já disse em outra oportunidade, gosto muito: A derrubadora de bolas, desafogo sobretudo quando a coisa tá difícil, o passe não sai e o time tem que virar. Utilizando o termo comumente usado pelo meu filho, o time ficaria "sinistro."

Laura disse...

Joffre, acho q poderiam continuar com a pontuação na fase classificatória, ao menos para determinar as posições de quem cai na mesma fase.

Mesquita, eu não sou mto fã do golden set. Quer dizer, a depender do primeiro jogo, o segundo pode ficar mto sem graça. Prefiro estas séries melhor de 3, 5.

Pop on Air, eu sempre achei q só com Rosamaria e Hooker é q o Minas poderia ambicionar chegar à final. Mas nestes jogos de semifinal, fiquei em dúvida se a Pri Daroit não teria sido uma melhor opção, pelo menos em alguns momentos dos confrontos. Acho q o Paulo Coco demorou em algumas partidas para colocá-la.

Tb tive uma sensação de despedida na fala da Jucy ao final...

HAROLDO CALDAS disse...

Na contramão da maioria dos colegas não acredito que o Rio terá um time fraco na próxima edição. Primeiro porque tenho dúvidas se o SESC será o único patrocinador do time ou apenas o patrocinador Master. Segundo porquê o nome BERNADINHO agrega valor a qualquer produto anunciado por ele e por suas equipes. Seu nome é associado a COMPETÊNCIA, DETERMINAÇÃO E SUCESSO. A cessão de sua imagem pode trazer recursos importantes para o time. Além disso, sabemos, ele ODEIA PERDER. Não deverá ficar omisso na busca destes recursos para montar uma equipe bem competitiva.

Cesinha disse...

na minha observação o minas ontem já entrou no jogo de cabeça baixa , elas apostavam tudo no jogo de terça sofreram um revés na confiança e se não fossem os apagões dá Roberta no terceiro set teria sido 3 x 0 o minas errou 30 vezes é o Rio 23 observei tbm Monique com enorme dificuldade de virar bolas ela fez apenas 10 pontos no minas mesmo muito marcada a Hooker vai fazer muitos pontos mais o resto do time não ajuda Rosa sentiu quando a torcida começou a pegar no pé dela é chamar de pipoqueira o que de fato ela é , Mara é muita gritaria e pouca bola gataz até se esforça mais só tem aquela bola já marcada a Jaque tbm baixou a guarda enfim para eliminar o Rex tem que jogar acima dá média sempre em alta rotação

Camilla Paiva disse...

Ótima análise, Laura. Acho que o minas deixou muito a desejar ontem, respeitou demais o Rexona, tava apático em quadra no início do jogo e principalmente, errou DEMAIS. Não tem condições de começar jogos decisivos com um apagão, não passando dos 15 pontos. Foram muitos contra ataques desperdiçados e erros bobos, saques sem objetividade nenhuma. Só a leia deu inumeros "golpes de vista" errados, fora as bolas que eram defensáveis e ela, em momentos de indecisão com Jaque, deixou passar. Foi péssima essa temporada da leia. A Jaque foi outra que jogou muito aquém. Tá certo que ela está como jogadora de preparação, mas uma ponteira não conseguir fazer mais de 5 pontos na partida, não está certo, pra fazer um ponto levava 3 bloqueios. A Rosamaria tem muito futuro e o que amadurecer ainda. Parece que perde a calma, se afoba, fica impaciente. A Naiane é outra que passa pelo mesmo problema. Quanto a uma despedida da juciely, se for verdade será uma pena, até pq ela é A central do rio. A Carol fez um campeonato muito apagado. Em relacao a final, acho muito provavel dar rio, embora o osasco esteja com um time muito bom. É um absurdo uma final ter apenas um jogo. Era pra ser uma série de 3.

Was disse...

Muito bom esse blog. Há tempos procurava algo parecido.
Que na final Tandara mão de marreta faça a diferença (apesar de saber que o rio irá fazer uma marcação muito forte pra cima dela).

Sergio disse...

Não entendo alguns comentários, primeiro começaram que o Rexona ganhou por conivência da arbitragem, agora porque o Minas respeitou demais o Rexona, entrou de cabeça baixa, etc, etc, etc. Não vi um comentário (da torcida oposta) falar que o Rexona apresentou um volei de segurança, com marcação segura, e sabedor do que tinha que fazer em quadra, afinal aprendeu a lição quando foi derrotado duas vezes seguidas para o Minas. No terceiro jogo, o Rexona não perdeu porque jogou ruim, perdeu porque o Minas foi melhor, ponto. Mas sinceramente as pessoas tem que analisar de acordo como foi o jogo. O Rexona, apresentou um volei bem melhor nesses dois últimos jogos, simples assim.

Anônimo disse...

Fiquei pensando aqui: a mudança pra melhor de 5 jogos não foi boa para o Minas. Se fosse naquele sistema antigo o Minas estaria na final.

Jess disse...

Concordo Sérgio.. o Rio ganhou por que soube marcar os pontos fortes do Minas.. méritos pro time carioca..

Como falei os dois times estão de parabéns

Julio César disse...

O Rexona ganhou esse jogo no primeiro set do Jogo 4, quando chegou a abrir 12 a 1. Ali a confiança do Minas foi pro brejo e não voltou mais.
Quanto ao quinto jogo, o Rexona mostrou que é um time, na melhor acepção da palavra. Diferente do Minas, que quando a Hooker não vai bem, simplesmente inexiste no ataque! Rosamaria e Jaque levam uma avalanche de bloqueios até conseguirem pontuar.

P.S 1: posso queimar minha língua, mas Rosamaria definitivamente não pode jogar como ponteira, fica muito insegura. Rende bem mais como oposta.

P.S 2: A instabilidade da Naiane é algo jamais visto na história do voleibol! Como ela consegue ser, simplesmente, a melhor em quadra no jogo 2 e já no jogo 4 vai tão mal ao ponto de sair do jogo!? Incrível...

P.S 3: Fabi é f##a!!!! Toda libero que tiver começando deveria ver uns vídeos dela. Melhor libero da história!

Sergio Roberto Santos disse...

Resumindo. O Rio não teve méritos nesta vitória segundo você

Cesinha disse...

Sérgio gosto muito dos seu comentários porque vc diferente de alguns fala o que realmente aconteceu no jogo , quando eu disse que o minas veio de cabeça baixa foi porque realmente o Rex impôs isto foi mérito do Rex do qual sou torcedor que eu não acreditava que perdesse 3 jogos seguidos fosse quem fosse o adversário , se relembrar o jogo 3 escapou nos detalhes visto que o Bernardo não iria permitir mais detalhes desfavoráveis , pra terminar o minas pós salto alto antes da hora é o que se viu nos jogos 4 e 5 foi um time bem cascudo nesses mata mata e um principiante querendo fazer história

Jess disse...

Naiane deveria ir pra um time menor, acho que seria bom pra ela

Será que existe algum torcedor brasileiro que seja "Hater" da Little Fabi? Essa mulher é um mito..

Sergio disse...

Cesar, obrigado pelo elogio. Rambem concordo que o bernardo deu uma aula nesses foi jogos. Não vi o minas inferior vi o Rexona melhor. O minas fez o que pode. A diferença dos técnicos é que as jogadoras confiam plenamente no bernardo. E quando ha uma parada tecnica não o vejo motivar e sim falar o que elas devem fazer. Essa é a diferença entre ele e os demais

Sergio disse...

Concordo em partes com você jess, porem vejo a Ana verde e para melhorar ela tem que passar pelo Rexona, duga-se Bernardo. Acho que ela sendo treinada por ele, tenho certeza queela vai crescer muito

Jess disse...

Sergio, sim.. sim..Ela e a Rosa iriam deslanchar nas mãos do Bernardo..

L. Mesquita disse...

BERNARDINHO eh um SER MUTANTE, sempre se reinventando, foi o que ele fez nessa SEMIFINAL, quem achou q o REXONA seria PRESA FACIL em MINAS apos 2 derrotas consecutivas no RIO, nao conhece o MUTANTE BERNARDINHO!!! Quem achou que na Olimpiada o BRASIL seria ELIMINADO pelo SUPER-TIME da FRANCA com o FENOMENO NGAPETH, nao conhece o MUTANTE BERNARDINHO!!! BERNARDINHO soh nao pode lutar contra DOPING, quando uma RUSSIA DOPADA em LONDRES virou o jogo e ROUBOU o OURO por 3x2. Claro, os RUSSOS tnham energia ILEGAL para a virada: DOPADO ateh eu!!!

George disse...

O Minas começou muito aéreo nos dois últimos jogos e viu um Rexona muito agressivo, foi entrar no jogo apenas no 3º set (em ambos jogos), enquanto o time carioca foi consistente o jogo inteiro. Esse último jogo porém foi o mais feio de assistir - apesar do 13x1 do anterior - devio a grande quantidade de erros não forçados. Só eu ou a Monique esteve mal ofensivamente nessa semi?
Podem falar o que quiserem, mas, pra mim, o nome desses dois ultimos confrontos é apenas um: Drussyla. Foi a jogadora mais constante. Duvido que a Anne passaria a mesma segurança que ela. Não fiz a contagem exata, mas acho que ela passou quase 90% das bolas A pra Roberta e no ataque foi muito consistente.
Quanto a Roberta, fez uma distribuição exemplar. Mas as bolas de primeiro tempo só acerta na china mesmo, não sei se por culpa das atacantes (duvido muito). Agora, ela tem o toque mais feio da SL, que horror!
Entro no coro e também achei que o tom da Jucy foi de despedida do time. Ano passado também tinha notado isso nela, mas seguiu no time.

Laura, concordo plenamente contigo quando o assunto é a quantidade de jogos da final. Essa semi provou que final em 1 jogo só é um desperdício total!

Jess disse...

George, pelo que falaram, parece que a Jucy se divorciou..nao sei se o tom foi pq ela estava/esta se divorciando, ou se tem haver com a despedida do time..

MINEIRIM disse...

Laura, excelente comentário, como sempre. Parabéns viu.

O problema do Minas, você já havia dito outras vezes e disse hoje, e compartilho da mesma opinião, demorou demais a ser formado e isso prejudica no entrosamento. O Minas poderia ser campeão se o time tivesse começado o primeiro turno juntos, ou no mínimo ter chegado a uma final.

Agora vejo que com a derrota muitas pessoas começam a atirar nas jogadoras como se as mesmas não tivessem um passado. Léia por exemplo fez uma temporada muito ruim e prejudicou sim o time, mas a mesma esteve na Olimpíadas por mérito, no momento ela era a melhor e é muita injustiça julgarem isso em virtude dessa temporada. Jaqueline esteve no fundo de quadra praticamente sozinha, acho que cumpriu bem seu papel dentro das possibilidades, ela rende mais no ataque quando esta em sua melhor forma, o que não é o caso. Levantadoras muito jovens tais como Naiane não conseguem segurar a marimba rsrs. Já a Rosamaria sinceramente não consigo entender.

Anônimo disse...

A RUS foi OURO em LONDRES por méritos. Eles tinham uma esquadra de jogadores sensacionais.Atletas renomados,potentes, campeões e que amam o voleiball. A Vitória ou melhor a virada histórica em cima do Brasil se deu pela genialidade do técnico Alekno que mudou a posição do central Muserskhiy. O BRA esteva ha 1 pt do OURO, mas os russos souberam ser frios e virar o jogo. Não foi nenhuma substancia proibida que fizeram os russos tornarem-se campeões. Na Olimpíadas do BRA,no jogo contra a FRANÇA,o BRA teve sorte e 2 erros consecutivos dos franceses no final do set deram a vitória a seleção brasileira. Na final contra a ITA, um erro do novato levantador italiano fizeram o BRA ganhar o 3 set. Foi bom, o GIBA ter acusado os russos,a partir de agora o BRA vai enfrentar um plantel muito mais aguerrido e batalhador. FRA e RUS vem aí! o BRA jamais será Campeão em Mundiais e Olimpíadas. Muserkhiy esta voltando a boa forma!