A luta continua

Semifinal - 4º jogo

Camponesa/Minas 1x3 Rexona-Sesc
(12-25; 18-25; 29-27; 23-25) 


Foto: Washington Alves/Inovafoto/CBV

Poderia escrever o texto sobre o quarto confronto entre Rexona e Minas levando em conta somente o que aconteceu do segundo set em diante, que foi quando o Minas realmente entrou em quadra – ainda que, no início, sem ameaçar a superioridade do adversário. Mas o apagão do time mineiro no primeiro set diz muito sobre o resultado final.

Isso porque, além de ter perdido um tempo enorme para se encontrar na partida, o Minas perdeu a oportunidade de colocar o Rexona sob pressão, o que só foi acontecer realmente no terceiro set.

O time carioca conseguiu impor uma vantagem no início que o deixou mais seguro para o resto da partida.

Além deste aspecto emocional, o Rexona esteve muito melhor no passe do que nas duas últimas partidas. Roberta pôde colocar, assim, as bolas mais à feição da Gabi e da Monique. A levantadora não conseguiu, no entanto, colocar as centrais para jogar. Para a sorte do Rexona, as três ponteiras estiveram bem na partida, desafogando o ataque carioca com certa naturalidade.

De forma geral, o ataque mineiro sofreu mais para definir do que o carioca. Hooker esteve bem marcada na defesa, Rosamaria apareceu somente mais para o final da partida e só a partir do terceiro set é que as centrais começaram a ser acionadas, mas sem a frequência necessária. 

*******************************

Como alguns aqui sugeriram, Bernardinho lançou Drussyla na fogueira do time titular e a jovem se saiu muitíssimo bem. Não comprometeu na recepção e foi importante opção de força no ataque. Dividiu a responsabilidade com a Gabi nas duas funções. Isso foi fundamental para que a Gabi jogasse mais solta e tivesse uma atuação especial, com um aproveitamento de ataque excelente. 
 
Uma pausa para uma curiosidade: Lançar mão de um recurso do banco nos momentos finais do campeonato é uma espécie de tradição do Bernardinho. Como muitos lembraram nestes últimos dias, volta e meia uma jovem jogadora entra no sufoco e ajuda o time. Foi assim ano passado com a Roberta no lugar da Thompson e na SL 12/13 com a Gabi desbancando a Logan Tom, para citar os casos mais recentes. Mas tudo começou justamente no primeiro ano do Rexona na Superliga, edição 97/98. Na última partida da final, Bernardinho colocou como titulares Valeskinha e Raquel, iniciantes na época. O time, como se sabe, saiu campeão.

*******************************
  
Ao contrário do terceiro duelo, nem Rexona nem Minas tiveram atuações fortes no bloqueio. Só que o Minas sentiu mais falta do fundamento, pois, apesar de ter tido novamente um bom volume de jogo, teve mais dificuldade para aproveitar os contra-ataques, às vezes por uma confusão na armação, outras por erros das atacantes.

O bloqueio poderia ter compensado esta dificuldade, além de ter sido uma importante arma anímica para o Minas crescer e desestabilizar o Rexona. 

*******************************
Entrar em quadra quase que como um franco atirador deu mais certo do que carregar a responsabilidade de fazer valer a vantagem conquistada até agora nesta série. Pela lógica invertida destes confrontos, o Minas entraria em vantagem na sexta-feira por jogar fora de casa.

Só que acho que esta partida terá outro clima. Pela primeira vez para as duas equipes a partida é “mata ou morre”. Está tudo empatado e não há outra chance a se agarrar depois de sexta.

Já vimos o Minas com todo seu ímpeto e agressividade balançar o certinho Rexona. Portanto, não tenho como duvidar da capacidade das mineiras em desbancarem as cariocas fora de casa. Mas, também vimos o time carioca responder com controle e concentração ao perigo iminente de eliminação.

Por isso, neste ambiente de “ultimato” que teremos sexta, tendo a apostar na equipe carioca como vencedora. Acho que, pelo histórico e pela personalidade, o Rexona irá responder melhor ao desafio.

Comentários

Sergio disse…
Bom dia, Laura,

Foi um jogo bom de se ver, contudo ainda vejo o Rexona SESC, capenga em sua virada de bola, mas dessa vez entrou mais concentrado, e fez o jogo que sabe fazer, defendendo e contra-atacando com perfeição. Mas ainda vejo o Minas mas definidor, pois tem em hooker uma oposta que vira as bolas no momento de passe quebrado, ainda deposito 60% de chance do Minas sair vencedor, pois quando as ponteiras estão em um dia ruim, fica difícil, principalmente contra o Minas.
Yano o Chato disse…
Eu também aposto no Rexona. Pela tradição e experiência e pelo Bernardinho. O cara mostra porque é mestre. Primeiro lançou Drussyla, diferente, por exemplo, do Anderson que morreu com a Andreia. Acho que o trunfo do Bernardinho é a confiança em seu trabalho, saber que os treinamentos funcionam e as jogadoras aprendem. Assim ele confia em todas, conhece bem cada jogadora e sabe onde elas podem ajudar. Os outros times, não. A maioria não utiliza o banco com a naturalidade que deveria. São jogadoras profissionais também, que treinam horas por dia e ganham salário para isso, independentemente da idade que tenham. Assim, deveriam ser utilizadas.
O segundo aspecto que gostei do Bernardinho foi parar de ficar gritando e pressionando as jogadoras. As meninas jogaram muito mais calmamente neste jogo. A Roberta pode pensar melhor e fazer seu jogo de forma mais solta. Falando em Roberta, tá brabo seu toque de bola. Acho que 70% são dois toques. Os árbitros deixam passar. A bola china quase sempre é dois toques.

Pra mim foi o pior jogo. Muitos erros, especialmente do Minas. Uma dificuldade muito grande desse time para fazer pontos de ataque. E davam largadinhas e o Rio vinha e ponto com Gabi. Não conseguiram marcar a Gabi, que tava atacando na mesma diagonal. As jogadoras de ponta passando na marcação e as centrais indo junto ou chegando atrasadas com mão mole, como a Gattaz várias vezes. Às vezes parecia que a Gabi passava por cima da Mara.

O Minas sacou muito mal também, o jogo todo. Enquanto Jaqueline só recepcionou um ou dois saques, as jogadoras do Minas sacaram o jogo todo na Fabi, especialmente em momentos decisivos. Eu ficava me perguntando como era possível isso naquele nível. Acho muito errado isso. O técnico não deveria ter que falar tudo. São jogadoras experientes e sabem que não deveriam sacar na Fabi. O resultado era o passe perfeito e ponto para o Rio.

Do outro lado Leia está péssima, parecendo a Davis na final de Londres. Saca na Leia e já tem meio ponto garantido. Tá errando muitos passes e tá mal posicionada na diagonal. Não defendeu quase nada da Drussyla e da Gabi. Também deixa cair muitas bolas fáceis. Às vezes parece que tá fora do jogo.

A Jaque tem que aparecer mais para o ataque. Não dá pra uma jogadora da categoria dela tomar tantos bloqueios e atacar tanto para fora. No fundo de quadra ela tá bem.

Eu disse também que queria ver o Minas com a pressão de ganhar. Tá aí no que deu.
Acho que o time tem plenas condições de ganhar e acho que tem individualmente mais time que o Rexona, mas o Rex funcionam mais como time e tem mais experiência. Tá em aberto, com vantagem para o Rexonas.
Jess disse…
Gostei do jogo nos 2 últimos sets..Tb acho que agora o Rio é favorito, não por jogar em casa, até porque nessa serie não quer dizer nada, mas pq ganharam moral e tem o Bernardo no banco, embora o Minas tem SIM muitas chances, se conseguir colocar o emocional no lugar..

P.S¹: Quero muito que o Minas passe, mas fiquei revirando os olhos, quando vi que tinha gente reclamando da arbitragem, pelo amor.. Principal motivo dessa derrota do Minas, foi que só entraram no jogo no 2º/3º set.. SE tivessem jogado mais ligadas desde o inicio, o final PODERIA ter sido diferente..

P.S²: Quem diria que a Drussyla iria segurar a marimba?

P.S³:O que esta acontecendo com a Léia?
Haroldo Caldas disse…
Se no inicio da série alguém previsse que em quatro jogos os times visitantes sairiam vencedores eu diria que era louco. Surpreendente mesmo esta semifinal. Drussyla foi uma grata surpresa pois tinha dúvidas quanto ao seu desempenho quando ocupando uma vaga de titular. Seu passe não é uma maravilha, mas qualquer passe é melhor do que o da Anne. Defendeu muito, bloqueou razoavelmente e atacou com a potência necessária. Não amarelou. Porém, deve estar preparada para uma melhor marcação no próximo jogo pois não será mais uma surpresa. Também deixou a Gabi menos preocupada com a recepção e dividiu responsabilidade no ataque, fazendo com que nossa menina de ouro brilhasse uma vez mais. Não me arrisco a dizer o que vai acontecer no jogo decisivo. Tá difícil fazer previsão neste confronto. Uma providência importante adotada pelo Rexona foi transferir o jogo para a Arena da Barra. Primeiro porquê tira um pouco as lembranças das derrotas no Tijuca (as mulheres são mais influenciadas por isto, penso eu). Segundo, porque se o problema é jogar em casa, a Arena da Barra é o local mais neutro do país para uma partida de voleibol. A eventual pressão da torcida (que tem funcionado contra) é quase inexistente. Além disso, o Rexona fez boas partidas lá. Vamos ver. Creio que todos os participantes do blog estão roendo as runhas na espera deste jogão. É vôlei como gostamos: com pura emoção.
Anônimo disse…
Bom dia. Sem desmerecer o Minas, já esperava essa vitória do Rio. O Rexona tem mais conjunto, e uma melhor comissão técnica. Drussila entrou muito bem. Passa e ataca melhor que a Anne, acho que o Rexona deveria trazer apenas uma central e uma ponta definidora para a próxima temporada. Sobre o jogo, percebi que o Minas estava nervoso. Tem muita gente - até quem não torce para o Minas - apostando nelas. Não sei se é pelo fato de muitos não gostarem do Bernardinho, só sei que tenho visto em outros blogues muitas ofensas a jogadoras e comissão técnica do Rexona. Acho que rola muito clubismo, e a pessoa acaba perdendo o respeito.
Sobre a temporada da Léia, vejo que ela tem caído de rendimento, mas lembro dela jogando pelo Pinheiros, sem responsabilidade alguma. Lembro que a mesma cobria a quadra toda, e fazia altas defesas. Penso, que talvez ela esteja carregando uma responsabilidade muito grande, não só no clube, mas também por ter participado de uma olimpíada. Muitos criticam, mas é difícil definir o que se passa na vida do atleta. De uma coisa, eu tenho certeza: Ela é uma ótima jogadora, porém não vive uma boa fase.
Ps: Acho que se o Minas entrar com humildade e pé no chão, tem grandes chances de bater o Rexona, pois time elas tem pra isso.
Anônimo disse…
Jogão de vôlei... Rio e Minas são dois times de altíssimo nível. Colocar a culpa na arbitragem, é coisa de time fraco, coisa que o Minas não é. Arbitragem prejudicou os dois lados. A diferença é que o Rio costuma não se desestabilizar devido a esses erros. Espero um outro grande jogo na sexta.
L. Mesquita disse…
A diferenca eh o q o BERNARDO confia nas suas RESERVAS e passa essa confianca para elas. Eh muito importante para um RESERVA sentir q o TREINADOR confia nela e que ela esta entrando em jogo para fazer a DIFERENCA e nao para fazer FIGURACAO! BERNARDO treina muito bem suas reservas, principalmente no PSICOLOGICO, fazendo-as entender q elas sao tao importantes pra equipe como as titulares, Bernardo faz as reservas acrditarem q elas nao estao ali so para TAPAR BURACOS, mas que tem que ser decisivas quando entrarem em jogo. Ao contrario do PICININ que preferiu MORRER ABARACADO a CLAUDINHA, mesmo ele errando praticamente tudo, ao passar confianca na Ju CARRIJO. Resultado PRAIA eliminado dando vexame num set PATETICO de 25x11, fazendo a TORCIDA E O PATROCINADOR passarem vergonha com CLAUDINHA errando tudo e mais um pouco!
Yano o Chato disse…
A arbitragem da Superliga é um fiasco generalizado, tanto no masculino como no feminino. O Sada Cruzeiro vai comprar o video check para alugar à CBV.
Yano o Chato disse…
Jess, os erros da arbitragem em favor do Rio foi em momentos decisivos, acabando com qualquer chance de levar o set. Isso é tradição do Rio.
Anônimo disse…
Perfeito seu comentário Yano. Pensei a mesma coisa sobre a Leia estar fazendo cosplay da Davis. Ela caiu demais de rendimento, errando passes bobos e perdendo defesas fáceis. O povo fala da Tassia, mas a Leia tá pior que ela nessa reta final de Superliga.
A Rosamaria tem que aparecer mais pro jogo. Acredito que essa seja a chave pro time tentar vencer na sexta. Se ela não jogar bem o time não passará, pois a Hooker não vai conseguir levar o time nas costas.
A arbitragem deixou passar cada 2 toques da Roberta... Acho que os árbitros tem medo do Bernardinho. Só pode!
George disse…
Foi um jogo complicado de assistir nos 2 primeiros sets. Minas entrou no jogo muito pressionado pela torcida. Por exemplo, as bolas pra Rosa estavam vindo muito fora de tempo e a torcida queria que ela enfiasse a mão e ela optava por uma largada tranquila atrás do bloqueio. Acho que, nesse caso, a torcida mais atrapalhou do que ajudou. A Hooker esteve bem abaixo do que pode apresentar, parecia uma jogadora sem recursos, longe da atacante que todos conhecemos - e que reapareceu a partir do 3º set. Mas, eu credito a sobrevida do Minas no jogo à Rosa, que segurou o passe no finalzinho e pedia bola virando quase tudo. Fora que no saque, pressionou muito. Não entendi, aliás, todas as entradas da Fran pra sacar, sendo que quem esteve com o melhor saque era a Maiara, acho o saque da Tormena melhor que o da Fran até.
Preciso ressaltar 2 fatores negativos desse confronto: 1- o que está acontecendo com a Leia? O passe dela esteve sofrido. Por mais que ela estivesse ocupando mais espaço em quadra, não tem explicação a queda de qualidade. As levantadoras (tanto Naiane quanto Karine) tinham que correr atrás da bola o tempo inteiro quando sacavam nela. A Jaque entregou tudo na mão, mesmo ocupando quase o mesmo espaço e tendo que se preocupar com o ataque. Nem preciso comentar a quantidade de bolas que ela estava mal posicionada e não conseguia defesa. E, pra completar, umas defesas fáceis e ela espirrando bola pra todos os lados.
2- Gente, Roberta não tem como ser futuro da seleção. Alguém prestou atenção na quantidade de 2 toques que ela deu durante a partida? Eu que sou leigo via o movimento que ela fazia e via aqueles toques horríveis. A distribuição esteve impecável, mas não tem como deixar passar esse horror de toque na bola. Se tivesse um juiz com um critério mais bem definido, ela teria sido a nova Ju Carrijo com uns 10 2 toques na partida.
Os destaques da partida pra mim foram 3: Rosamaria, Gabi e Drussyla. Em termos de responsabilidade, acho que o destaque real-oficial foi a novata ponteira que entrou na partida para suprir a Buijs e teve um aproveitamento excelente, tanto no passe quanto no ataque.
Jess disse…
Yano, houve erros pra ambos os lados.. o que prejudicou o Minas foi ter entrado dormindo em quadra..

George, acho que se a Roberta não jogasse no Rio.. TODO jogo o juiz daria umas 10 infrações de 2 toques..tb sou leiga e muitas vezes vejo os 2 toques, no jogo dela..

Quero um bom jogo na sexta, Minas sem pressão joga melhor, espero que entrem ligadas no 220W, e que não haja polemicas com a arbitragem para ambos os lados...
Paulo Roberto disse…
Excelente leitura Laura e amigos do blog. Pesou o que falei no comentário sobre o último jogo: o emocional das mineiras e a habilidade do Bernardo de tirar leite de pedra.

Só gostaria de fazer algumas ponderações. Primeiro sobre os erros de arbitragem, embora não tenho sido decisivos pro jogo foram em demasiado nessa partida. Uma pena que o país atual campeão olímpico no masculino, maior vencedor do Grand Prix não tenha o vídeo check.

Se o futuro da seleção na posição passa por Roberta e Naiane realmente estamos em maus lençois. A primeira porque como o Yano falou acho que 70% dos levantamentos são dois toques ou condução, só não é marcado por que está num time grande e tem o Bernardo como técnico (embora seja um gênio, tem a péssimo hábito de pressionar a arbitragem). A segunda por ser extremamente insegura. Espero que ainda dê tempo de trabalhar essas questões nessas garotas.

Outro ponto que gostaria de comentar é a postura em quadra de algumas jogadoras. Sei que provações, gritar na cara às vezes faz até bem pro jogo, mas tudo tem um limite. Não sei ao certo o que houve, o que a Drussyla falou ali na rede (porque não é só a encarada, enquanto estão se preparando pra receber o saque as equipes conversam ali) mas ficou estranho que tanto a Hooker, como a Jaque mal cumprimentaram a menina ao final do jogo. Não estou defendendo nem um nem outro, mas vendo o jogo dava pra perceber uma marra na Drussyla compreensível, mas até certo ponto desnecessária. Sem contar, que a paixão dos torcedores está tomando conta das redes sociais de uma forma mais efusiva nesta temporada e, me parece que algumas jogadoras (e jogadores, tem acontecido no masculino também) estão entrando na onda demasiadamente.

Por fim, a estratégia do Minas passa por melhorar o passe e um saque mais eficiente. Como o Yano pontuou muito bem, o Rio sacou pouco na Jaque, enquanto que Drussyla e Gabi foram pouco pressionadas pelas mineiras. E com o passe na mão o Minas não pode abandonar as bolas com as centrais. A maioria das vezes em que as jogadas com Gattaz e Mara foram acionadas as bolas caíram. É uma arma que não pode ser desperdiçada.

Vejo o jogo completamente aberto. Um leve vantagem pro Rexona, mas não muito grande. Se o Minas entrar mais focado e concentrado sou mais Minas.
Joao Ismar disse…
Se a Angela Grass (não sei como é o sobrenome dela) apitar o último jogo. Roberta vai fazer uns 30 dois toques, não que ela já não tenha feito, mas vai ser marcado, já que a Angela é uma das mais criteriosas com o toque.
Chandler Bing disse…
Na boa, Drussyla tinha mais que afrontar mesmo. Rosamaria desde o jogo passado tá afrontando assiduamente, as vezes até de frente, e soltando mil e um VTNC's.
Ela e Rosamaria são da mesma geração, campeãs Sub-23 juntas e nessa seleção elas tem o hábito de afrontar.
Se a Rosa afronta de lá, a Dru tem que afrontar do outro lado também.
Drussyla atacou uma bola na diagonal e gritou de frente (não diretamente pra Hooker, foi mais pra defesa mesmo), no ponto seguinte Hooker vibrou de frente pra Drussyla.
No cumprimento na rede não vi nenhuma jogadora do Rio "evitar" a Rosamaria nos cumprimentos, mesmo depois de toda a marra dela. Isso é coisa de jogo.


Como eu disse, essa geração campeã Sub-23 realmente é cheia de marra: Rosamaria, Drussyla, Gabiru...


Quanto ao jogo, jogão. Sem mais.
Anônimo disse…
Yano, l também acho que a vitória do Minas depende muito dá Rosamaria jogar bem e dividir a responsabilidade com a Hooker. Porém ela tem horas q parece completamente desmotivada. Já a Léia, sem comentários.
Leandro
Sergio disse…
Estranho pois Roberta foi titular no mundial de clubes com juízes europeus e com a bênção de Ari, que é desafeto de Bernardo, e não vi nenhum juiz apitar mais que um dois toques de Roberta no torneio, eu disse, no torneio. Ela jogou o Grand Prix, em 2016, e nas horas que entrou não vi o juiz dar dois toques no torneio para ela. Ela tem um toque feio, isso é notório, mas dizer que é dois toques, ai já é ser torcedor d+. Ela jogou o Sul americano e os juízes ídem, sem dois toques. Sinceramente, é pegar no pé demais dela, apenas por ser jogadora do Rexona, se fosse do Minas, ninguém estaria com mimimi. E todas as vezes que o Rexona ganha, é sempre essa choradeira, o time se perdeu no momento que o juiz errou naquele ponto. No terceiro set, houve um erro grotesco do juiz, quando Monique sacou e a bola foi dentro e ele marcou fora.
Cesinha disse…
disse tudo Sérgio sobre a Roberta se ela jogasse no Valinhos ou se o Rex não tivesse ganho o jogo ontem ninguém estaria pondo defeito , mais o problema é que não aceitam que o time sempre ganha independente do elenco que tem é querendo eles ou não ela vai substituir a Dani é fato , porque só a Josefa é melhor que elas todas não quiser jogar mais , tem muitos bons comentários nesse blogs de pessoas com visão , mais tem uns tbm que não aceita o sucesso das pessoas ou equipes aí ficam desmerecendo , mais torcedor é assim mesmo !
Yano o Chato disse…
Paulo, eu vi que a Jaque mal cumprimentou a Drussyla, mas não entendi o por que. A Drussyla é bem marrenta mesmo, mas vejo como normal. A Rosa também é. E a Gabiru também, rs. Mas na moral, sacar na Fabi não tem lógica, é muito vacilo das jogadoras do Minas e do Paulo Coco. Pra mim a melhor estratégia é sacar na Gabi e não na Drussyla. A Gabi não pode jogar solta.

Também concordo que se fosse em outro time a Roberta teria mais marcados os seus toques. Se for mesmo aquela árbitra do cabelo lambido que o João Ismar falou, ela vai se dar mal.

Léia tá podre. Alguém tem que reposicioná-la em quadra e dar um choque nela pra ver se ela acorda.

Se o Minas for nessa pegada de ontem, o Rio vai passar o carro por cima. Ontem eu pensei que ia ser 3 a 0 em menos de 1 hora de jogo.
Laura disse…
Eu não tenho capacidade de identificar dois toques sem o replay, a não ser q seja muito grosseiro. Por isso me abstenho de comentar os levantamentos da Roberta, pois o q eu realmente vejo é somente um toque feio.

Outro dia o Giovani Guidetti compartilhou, como um apelo aos árbitros, um textinho no twitter sobre esta questão dos dois toques: https://twitter.com/Gio1315/status/847517387272466432/photo/1

Basicamente fala q não quer dizer q bola saia rodando ou saia torta das mãos do levantador que sejam dois toques. Achei interessante pq, na rapidez do lance, quem tá de fora às vezes se baseia nestas coisas para identificar os dois toques. E, na realidade, pode ter sido só um toque, mas mal feito.

Ps: Perdi a provocação da Drussyla, para falar a verdade. Agora entendi as vaias para ela qd foi anunciada como melhor da partida.
Laura disse…
Ah, eu não tive a mesma impressão que vc Yano sobre o saque em cima da Fabi e, por isso, fui conferir nas estatísticas. Ela foi a que menos recebeu, a com maior número de passes foi a Drussyla. Agora, houve mesmo momentos decisivos em q a Fabi, inexplicavelmente, foi o alvo do saque mineiro. E o Minas não colocou muito pressão sobre a Drussyla e a Gabi como nos últimos jogos.
Yano o Chato disse…
Laura, eu jogo vôlei e, modéstia a parte, levanto muito bem. Não é realmente a bola sair rodando ou a direção que a bola toma, se bem que geralmente quando a bola vai para uma direção errada ou gira, o levantador cometeu dois toques. O que determina os dois toques é o fato dos dedos não tocarem a bola ao mesmo tempo com uma mão tocando a bola antes da outra. Pra quem joga é fácil reconhecer, visualmente chama atenção e às vezes faz som diferente. O replay, pra mim, atrapalha. No replay não consigo ver bem os dois toques, mas na velocidade natural sim.

Quem quiser pode fazer em casa se tiver uma bola de vôlei. Deite no chão ou na cama, pegue a bola e vá fazendo levantamentos no mesmo lugar. Um mais alto outro mais baixo, tente fazer a bola tocar no teto. Com o tempo nós mesmos conseguimos identificar os dois toques.

Observe que a própria Roberta nunca reclama. Mas é claro que tem gradações: há dois toques mais flagrantes que outros e aí fica a critério do árbitro o que ele vai marcar.

Em nível internacional, a Alisha Glass é a rainha dos dois toques. Eu melhorei meu toque quando treinei com a bola de medicine ball de 5kg. Nunca mais meu toque foi o mesmo.

Laura, eu falei muito mais nos momentos decisivos sobre sacar na Fabi. Mas não olhe nas estatísticas. Reveja o jogo, se é que já não o fez. Você verá as jogadoras irresponsavelmente sacando na Fabi. Um saque fraco sem nenhum propósito.
Jess disse…
É pode ser só o toque dela que é feio e eu quase sempre acho que rola um dois toque (até pq sou leiga nesse assunto) , mas não é pq ela é jogadora do Rio, é pq não acho que ela seja nivel de seleção.. ao contrario da Gabi que acho muito boa..

Acho que tem muito mimimi com isso de provocação... Muita gente acha o maximo, quando o time provoca, e fica de birra quando é o adversario, na minha opinião tem que comemorar ponto SIM, da umas encaradas as vezes, isso faz parte.. e a Rosamaria é MUITO marrenta e se ela pode ser assim, o time adversario tb pode provocar..

Paulo Roberto disse…
Sobre a questão de provocação, afrontes e etc como disse no meu comentário anterior acho que às vezes é até necessário e dá um certo gostinho de ver a partida. Um pouco de marra não faz mal a ninguém, mas tudo em excesso é ruim. Mas como eu disse não é só isso, não é só a encarada ali na rede na hora do bloque, ou grito na cara quando passa por cima. A maioria das conversas e provocações as câmeras não mostram. Então, como não sei o que houve ao certo, não estou defendendo nem um lado, nem outro. Fato é que a Jaque e principalmente a Hooker não costumam ter a atitude que tiveram com a Drussyla na cumprimento da rede.

Sobre os dois toques eu tenho a mesma dificuldade do Yano em ver no replay. Sobre a Roberta, pode até ser uma pouco de implicância nossa, mas fato é que se ela estivesse num time menor com certeza seria mais marcado.
Chandler Bing disse…
Sinceramente, consegui achar a torcida do Minas mais chata que a de Osasco.
A de Osasco pega no pé das jogadoras, chama de burra, etc., mas ao mesmo tempo é a torcida mais bonita do voleibol brasileiro, não param um segundo de cantar, empurrar o time e também entendem de voleibol.
Torcida mineira a toda bola que era recepcionada de toque (saía os 2 toques, óbvios) eles gritavam reclamando, pra uma torcida tradicional e não saber que os 2 toques são permitidos na primeira ação é demais. No final ficaram chamando os árbitros de ladrões, que coisa feia, lastimável.
Paulo Coco ainda disse em um dos tempos técnicos que quando a arbitragem errava era sempre em favor do Rio, achei ridículo da parte dele também. Sendo que ele já fez este tipo de insinuação em uma entrevista quando comandava o Vôlei Futuro, dizendo que eles favoreciam a final Rio × Osasco.


P.S - Detesto o famoso "Ê Juiz VTNC...", independente da torcida que entoa esse canto, que pelo que vimos, é unânime. Onde o árbitro erra, a torcida canta isso.
Sergio disse…
Continuo achando que vocês estão tentando achar chifre na cabeça de burro, achar motivo para dizer que o arbitro foi conivente e fez o Rexona vencer, mas vi o jogo de novo hoje, e tudo que vocês estão falando, inclusive o ultimo ponto onde vi um comentário que Gabi invadiu a área dos três metros, não vi. Os erros mais grotesco que vi, foi no terceiro set, os demais, não vi erros que motivasse o Minas perder. Mas como alguns dizem são especialista em dois toques, por isso que falam com propriedade.
Laura disse…
Yano, é q vc falou q o Minas havia sacado o jogo todo na Fabi e eu não tinha tido esta impressão. A minha impressão era q a Drussyla, depois da chamada do Paulo Coco no primeiro set (acho), é que tinha sido a "perseguida" pelo Minas. Por isso fui atrás das estatísticas. Mas, como comentei acima, concordo com vc. Em alguns momentos decisivos, elas foram atrás da Fabi.
Sergio disse…
Provocação? Quem mais faz isso é Jaqueline, Hooker fez muito, a Rosamria. Agora quando termina o jogo, creio que deveriam esquecer, mas pelo jeito a senhora das convicções (Jaqueline) se acha, acha que só ela pode fazer, acha que só ela pode chamar a torcida e que o outro time tem que ficar calado, eu lembro da final entre unilever e osasco como ela se comportava em quadra. Mas para que estou falando (escrevendo) se a maioria são torcedores fanáticos e tinham certeza que a série terminaria ontem, até eu pensei, mas não aconteceu, não precisa fazer essas atitudes que achei mais inveja do que tudo, uma menina de 20 anos passando por cima dos bloqueio do Minas. A Hooker é outra dizer que ela é umilde, nunca foi, vai ser agora?
Sinceramente, me poupem.
Gosto deste site, mas começou a parecer com um blog que não entro mais.
L. Mesquita disse…
Laura, nao vejo 2 toques na Roberta, arbitros internacionais nao veem 2 toques na Roberta, arbitros nacionais nao veem 2 toques na Roberta, Bernardinho que ja foi levantador nao ve 2 toques na Roberta, Ze Roberto q ja foi levantador nao ve 2 toques na Roberta! Roberta ja disputou Mundiais interclubes como titular ou na inversao do 5x1 e nao teve problema com 2 toques. Disputou os Grand Prix 2015 e 2016 e nao teve problemas com 2 toques, ja foi treinada por Ze Roberto e Bernardinho, dois ex levantadores, que nao viram problemas de 2 toques nela. Entao pergunto: porque a perseguicao com a Roberta?
L. Mesquita disse…
Conheco a DRUSSYLA pessoalmente de jogar VOLEI DE PRAIA com ela, e posso garantir a voces: DRUSSYLA nao eh marrenta, pelo contrario, eh humilde, um amor de pessoa. Mas eh guerreira, se entrega mesmo no jogo. Agora nao pisem no calo dela, nao a provoquem, que aeh ela vira fera! Drussyla provocada joga MIL. VEZES mais. Longe de ser marrenta, Drussyla nao provoca ninguem! Se ela afrontou, foi pq alguem quis debochar dela ou tirar onda da cara dela... Talvez alguem do Minas a provocou primeiro, talvez a nojenta da Rosamaria... Se alguem provocar Drussyla pode deixar que ela responde na porrada e joga mais ainda, ela nao se intimida!
Unknown disse…
Laura, você não vai postar sobre a vitória de virada do Fenerbahce sobre o Eczacibasi hoje no campeonato turco? Eczacibasi ganhava de 14-10 e permitiu a virada para 16-14. Foi um jogaço!
L. Mesquita disse…
Acho que as ponteiras do MINAS JAQUE e ROSAMARIA nao engoliram ver uma menina que veio do banco jogar melhor q elas! Parabens pela raca Drussyla!!!
Laura disse…
Unknown, desculpe, marquei bobeira e não me dei conta de q os jogos eram hoje! Além desta virada incrível do Fener, o Galatasaray derrubou o Vakif. Vou ver se posto algo mais tarde.
Joffre Neves disse…
Jogo bom,série aberta.É disso que eu gosto!Pode ser que o minas nem vá a final mas valeu muito a pena acompanhar essas batalhas numa semifinal,fica uma dica : Final seria muito mais interessante em 5 jogos.

Ao minas bola pra frente e acredite que já fez um ótimo feito,pode ir a uma final sim.

Ao rexona : tem totais chances de ir a uma final e ser campeao novamente.Tenho quase certeza que o campeao da superliga sai dessa chave !
Junior disse…
Ai que bobeira! Sao atletas e querem ir p final! Faz parte do jogo!jaque hooker rosamaria carol jogo e jogo!
Yano o Chato disse…
Ok, Laura.

Gente, quem falou que a Gabi invadiu a linha dos três metros? Não li isso.
L. Mesquita, em nível internacional a Alisha Glass dá dois toques, mas também deixam passar. Quando aparece um árbitro rigoroso marca um pouco mais. Acontece.

Só quero dizer para os fãs e torcedores que se ofendem que os comentários não são pessoais, nem para as pessoas do blog, nem para as jogadoras. Também não torço para time algum. Só gosto de vôlei. Ah, torço para a seleção.
L. Mesquita disse…
Laura, o BAURU tah com apostando ALTO, tirou o escorpiao do bolso pra trazer a jogadora mias alta que ja atuou numa SUPERLIGA: eh a GIGANTE Brayelin Martínez, altissima e com a forca de uma CUBANA! Agora basta ter ponteiras passadoras q segurem o passe com a Brenda q esse time vai ficar perigosissimo!
Deivid disse…
Ainda sou mais Minas mesmo com inicio ruim de jogo, Rosamaria atrapalha muitos nos começos de jogos, deveria começar com Dairot e se essa estivesse ruim colocava a Rosa, Roberta rainha dos dois toque muito mais que Jú Carrijo só que esses ju era do Praia e os juízes deixam passam o Bernadinho voleibol clube, se o Minas tivesse levantadoras mais regulares ninguém ganhava delas e para os derrotistas o Minas pode até perder, mas eu acredito na vitória porque o jogo é ganho dentro de quadra, o Rio fez o que sempre faz estudou o time do Minas bem e o Minas não conseguiu marcar Drussila e Gabi sinceramente só ataca com passe na mão quando quebra e vem bola alta é sofrimento, precisamos de ponteiras que consigam atacar bolas altas, infelizmente só Natália e Garay atualmente, me preocupa essa renovação por isso.
Anônimo disse…
Tomara que os times venham fortes mesmo..
Deivid disse…
Aos defensores de Roberta, no mundial o toque estava menos sofrido que atualmente e pode ser que no mundial ela tenha errado menos, quanto a superliga que é o assunto da discussão, sim ela fez inúmeros 2 toques que não são marcados, teve um jogo que eu assisti eu contei 8 bolas que foram 2 toques o juiz apitou 2, uma coisa é ter um critério e deixa passar alguns 2 toques que é a desculpa inclusive dos narradores do Sportv, agora outra coisa é não apitar por ser o time do Bernardo, e o fato que no final as decisões são tomadas na dúvida para o Rio, isso é comum e já ocorre há muitos anos, comparando com o masculino o Cruzeiro quando joga principalmente no estado de SP sempre é garfado em alguma bola, se o jogo for contra o SESI então, enfim sabemos que o arbitro pode errar, o problema é quando ele erra bem mais para um lado. Torci para o Praia, agora sou Minas, precisamos incentivar outros patrocinadores a investir no esporte,quero outro vencedor, a mesmice atrapalha o desenvolvimento do esporte até mesmo para o Rexona que precisa melhorar para conseguir jogar bem internacionalmente.
Chandler Bing disse…
Lógico né... é o time do Bernardo, por isso ninguém vê.
Quem vê até pensa que o time só ganha por apito amigo. "Sejem menas", por favor.

As vezes a impressão que fica é que algumas pessoas deixaram o ódio que tem do Bernardo e/ou do time do Rio ofuscarem a partida em si.
Ou é o time que entra de salto, ou são as jogadoras que são arrogantes, soberbas, afrontosas, ou é o apito amigo que sempre favorece ao time.
Até pouco tempo se dizia a mesma coisa do Cruzeiro no masculino, até o dia em que a arbitragem prejudicou o time num jogo contra o SESI.
Cara, por favor, isso parece teoria da conspiração.


Levantadora irregular por levantadora irregular nenhuma se salvou nessa temporada. Foi um show de horrores, imprecisão e psicológico abalado.
Então se o Minas tivesse uma levantadora mais regular, também poderia estar na mesma situação (ganhando umas e perdendo outras), pois a recepção do time continua bem ruim.
Jess disse…
Só quero dizer para os fãs e torcedores que se ofendem que os comentários não são pessoais, nem para as pessoas do blog, nem para as jogadoras.[2]
Unknown disse…
Quem ganhar essa série entra na final com maior chance de levar o título. Porque o equilíbrio da série leva a uma experiência de lidar com uma pressão similar à da final.
Quem ganhar aqui, entra na final com mais gana de titulo.
É uma opinião pessoal, posso estar enganado.
O lado bom? Pra nós está bem legal ver o espírito de competição.
Yano o Chato disse…
Boa Jess.
Rodrigo Freitas disse…
Assisti a reprise do jogo ontem, sem nenhuma torcida, e acho que os seguintes aspectos deram a Vitória ao Rexona:
1. O Rexona jogou muito melhor do que nos dois jogos anteriores (meio caminho andado...)
2. Discordo das críticas à Naiane. Ela não comprometeu o time nos dois primeiros sets. Nem o passe, no geral, deixou a desejar. O que faltou foi as atacantes virarem bola no chão. Nem Hooker, Jaque, Rosa e Gattaz conseguiram virar bola no início do 1* set. A Naiane tentou com todas elas. Ou seja, ineficiência de ataque. A maioria dos passes foi A ou B no início do jogo... Realmente no 2* set o passe caiu de rendimento, mas afirmar que faltou levantadora e passe no 1* set é retirar totalmente a responsabilidade das atacantes.
3. No 4* set, nos últimos pontos, o Minas entregou o jogo quando a Karine escolheu a Mara para atacar. Foi a pior opção. O jogo estava empatado e o Rexona abriu 3 pontos de vantagem. A 1* opção tinha que ser a Rosa, que estava fazendo ótimo set e virando todas as bolas. Karine a deixou por como última opção... Aí já era o set...

Mas acho que está tudo aberto. Expectativa de ótimo jogo amanhã.
Cleber disse…
Não sei porque, mas acho que quem ganhar essa série sairá desgastado e com apenas 1 semana para treinar para final. Isso vai ser determinante.
Evandro Mallon disse…
O que vi e sinto muita falta nessa safra nova de levantadoras ( que vai desde Dani e Fabíola ate Juma), é a falta de criatividade das jogadas.

Cade a desmico, a between, bola rapida em dois tempos, a ''metro'' na ponta?
É tudo muito simples: ou é china, ou chutada no meio, ou chutadas nas pontas ou pipe. Não tem variação mais do que isso.
Lucas Rebouças disse…
Esse Blog é show,pessoas educadas,respeitando o ponto de vista do outro,muito bom!!!
Paulo Roberto disse…
Evandro isso é algo que eu falo já de algum tempo. Ganhamos Pequim porque o time era imbatível mesmo e um dos pontos que o tornava imbatível era que tínhamos uma infinidade de jogadas que funcionavam perfeitamente, além das que vemos hoje tinha todas essas que você citou. A Fabíola até que tentou variar um pouco mais nas últimas temporadas dela no Osasco quando era Molico ainda, mas não sei porque não continuaram com as variações.
Sergio disse…
Para aqueles que veem dois toques em todas as bolas, favor ver o jogo entre Ferner x Eczacibasi irão mudar de ideia.
Pessoal, isso é um bate papo sobre volei, uns concordam outros não, só respeitar.
Evandro Mallon disse…
Pois é Paulo Roberto, sinto saudades da época que tínhamos grandes levantadoras brasileiras e mundiais. Gratheva e Vassileviskhaia da Russia levantando aquelas bolas que quase batiam no teto, Lo Bianco e Cattiatorre com velocidade pela Italia, Takeshita com um leque infinito de jogadas no Japão e Fernanda e Fofão pelo Brasil juntando tudo isso numa jogada só.
Yano o Chato disse…
Evandro, como é a bola metro? Nunca vi.
Anônimo disse…
Boa noite, Laura e amigos do Blog. Primeiramente gostaria de parabenizar pelo belíssimo trabalho, e pelo dialogo sadio entre os amantes do voleibol. Laura, acompanho o blog há pouco tempo, futuramente você irá fazer postagens sobre o mercado para 2017/18 ou apenas comenta as partidas?
Desde já, agradeço!
Evandro Mallon disse…
Yano, é a bola em que o jogador de meio puxa ela e o levantador levanta ela logo em seguida pra ponta, tendo muitas vezes que o jogador de ponta dar uns passos pra dentro da quadra pra atacar ela. É uma bola muito rapida. Quem fazia semelhante a isso aqui é a Jaque, porém era uma metro mais lenta e longa.
Yano o Chato disse…
Evandro, não seira "mico" também conhecida como escada?
Laura disse…
Oi, Anônimo! Obrigada!

Sim, farei. Costumo esperar qd as coisas estão mais definidas, ainda há mta especulação.
Evandro Mallon disse…
Nao Nao Yano.... A Escada ou Mico a jogada acontece bem lá na ponta mesmo, a jogadora quase nao precisa se deslocar. A metro, a jogadora de ponta bem quase bater em cima da central. É um chute meio um pouco mais alta pra a jogadora de ponta poder bater logo em seguida de ter passada pela central. Tipo, seria uma desmico , só q em vez de a bola ser levantada pra cima, ela segue reto.
Yano o Chato disse…
Não conheço. Tem um link de algum vídeo?
Sergio disse…
Bela explicação evandro. Entendi perfeitamente. Yano visse o jogo do fener x vita?
Yano o Chato disse…
Não vi Sérgio. Infelizmente não vi. Se tiver o link manda que eu assisto.
Evandro Mallon disse…
Yano e Sergio, olhem esse video no minuto 1:50. É essa jogada.

https://www.youtube.com/watch?v=YBUmlhiGiaQ
Yano o Chato disse…
Evandro, assisti. Eu já tinha visto esta jogada, mas não sabia o nome. Valeu pelo link.
Ah, e já tinha visto este vídeo também.