segunda-feira, 13 de março de 2017

Vai encarar?


Nesta semana começam as quartas de final da Superliga 16/17. Vejam os embates que teremos entre as maiores pontuadoras de cada equipe:


Rexona-Sesc (1º) x Pinheiros (8º)

A importância de Monique para o Rexona vai além dos seus ataques decisivos. A função que exerce no fundo de quadra é fundamental para manter a característica de jogo do time carioca de muito volume e trabalho de bola. É, talvez, juntamente com a Gabi, a cara do Rexona. Não por acaso a ausência das duas na partida contra o Praia Clube tenha desfigurado o time.

A Bárbara, por sua vez, carrega a responsabilidade de ser a jogadora mais experiente pelas pontas, mesmo tendo assumido a posição de oposto há pouco mais de três anos. Tem carregado o time no ataque, mas a exigência sobre ela a cada partida é pesada, o que faz com que perca o poder de decisão ao longo do jogo. 


Vôlei Nestlé (2º) x Fluminense (7º)

Esta é a Superliga do retorno para a Tandara. A passagem pelo Minas nem pode ser considerada. A Tandara que vemos no Osasco é com a qual nos acostumamos a ver durante todos estes anos. A carregadora de piano e resolvedora de pepinos. Com ela não tem meio termo. E isso às vezes pode levar a alguns erros em momentos decisivos. 
A Renatinha já foi uma Tandara. O desgaste e a idade diminuíram o poder de definição da oposto, mas, em uma equipe ofensivamente fraca, Renatinha é o desafogo. Para a levantadora Pri Heldes, deve ser um alívio tê-la como opção em quadra. 


Praia Clube (3º) x Brasília (6º)

As duas maiores pontuadoras do Praia Clube são Walewska e Fabiana. Só isso basta para se perceber a importância das centrais na equipe, ainda mais numa temporada conturbada para a Álix, referência do ataque praiano ano passado. Apesar de enfrentar uma temporada mais difícil, a Wal tem conseguido manter a mesma média do ano passado tanto no ataque como no bloqueio. Uma regularidade que, vamos combinar, não é comum ao Praia Clube.

A Amanda é a surpresa positiva da temporada. Com um perfil de jogadora de preparação, é a principal pontuadora e atacante do time. Numa equipe sem uma oposto com poder de definição e uma Paula sem o mesmo fôlego de antigamente, Amanda se virou em duas para suprir as necessidades do grupo. Sai desta Superliga bastante valorizada. 


Camponesa/Minas (4º) x Genter Bauru (5º)

A Rosamaria foi para a reserva nas últimas rodadas da Superliga, mas continua, disparada, a maior pontuadora do Minas. Fruto do excelente início de campeonato que fez, quando, inclusive, carregou o ataque mineiro antes do reforço da Hooker. Mesmo com a chegada da norte-americana e o deslocamento para a posição de ponteira manteve um ritmo bom no ataque e no bloqueio – fundamento em que só perde para as centrais entre as maiores pontuadoras. Ficou devendo aparecer nas partidas mais importantes. Quem sabe tem a oportunidade de consertar isso nos playoffs.

A Bruna, a exemplo da Amanda, só depois que saiu do Rexona é que mostrou seu valor. O treinador teve lá suas dúvidas no início da Superliga, testando Mari e ela na posição de oposto. Mas os números e os desempenhos falaram mais alto. Baixa para a posição, Bruna compensa com bom alcance, mas ainda falta maturidade para lidar com a pressão de decidir inerente a sua posição.

3 comentários:

Paulo Roberto disse...

O Osasco vai ter mais problemas pra passar por conta da sua instabilidade. Dependendo do emocional do Praia, já que veio daquela derrota pras reservas do Rexona, Fabizona lesionada, pode ser que o Brasília apronte alguma, mas falta ao time da capital poder de fogo. Rexona passa fácil. Minas e Bauru devem fazer o jogo mais interessante de se ver, mas acho que o Minas passa.

Sobre a sede da final achei meio mais do mesmo. Tudo bem que deve-se dar alguma destinação aos equipamentos do parque olímpico do Rio e etc e etc, mas sempre as mesmas praças. Pensei que esse ano um dos naipes poderia decidir em Manaus, já que houve alguns jogos da primeira fase no Amazonas. Uma pena, o vôlei segue concentrado no eixo Sul-Sudeste e num país de proporções continentais e de problemas sociais imensos também, poderíamos usar o esporte para algo além do entretenimento, além é claro de fomentar a descoberta de talentos em outros pontos do país.

Edu disse...

Entre Rexona x Pinheiros, acho que o time do Rio é favoritíssimo, porém o Pinheiros sempre engrossa o jogo contra o Rexona, isso já vem de muito tempo. Não entendo porque o técnico não coloca à Ju Nogueira como titular para dar um pouco mais de definição ao ataque, que só tem a Barbara como referência. O Rexona vem forte porque a Monique tá gastando bola e a Buijs vem crescendo absurdamente no ataque. Rexona x Barbara.

O Osasco é muito superior ao Fluminense em todos os fundamentos, acho que o que falta para o Fluminense é uma jogadora mais ofensiva, a Renatinha vem fazendo uma boa Superliga, mas ela não é nenhuma carregadora de piano. Mas, eu vejo o Osasco muito dependente da Tandara, mesmo tendo ótimas atacantes, parece que quando ela não tá bem, o time acompanha ela, com exceção da Bia, a ponta é um monstro no ataque. Tandara/Bia x Renatinha

Praia e Brasília, acho que vão fazer o jogo mais equilibrado dos playoffs, mas o Praia passa pelo seu arsenal no ataque, mesmo ele sendo irregular na competição. Mas o estilo de jogo do Brasília pode surpreender e muito. Como a Walewska é sempre regular, passa ano e o voleibol dela não caí, a Fabi pode não estar resolvendo, mas a gente conhece, a Alix e a Ramirez, se jogarem o que sabem, podem resolver! O Brasília tem um jogo que eu acho muito bonito de ver, graças a a Macris que é rápida e inteligente. A Amanda é a melhor jogadora da Superliga pra mim, pelo menos a mais regular, tá carregando o time. Walewska/Fabiana/Alix e Ramirez(se estiverem num dia bom) x Amanda/Vivian/Roberta.

Eu vejo o Minas bem mais favorito contra o Bauru. O Minas tem um elenco que eu considero o mais próximo do ideal, pena que não se encontrou, tem uma oposta como a Hooker, uma ponta como a Jaque, que entraram tarde, acho que esse é o maior problema do Minas, o elenco se forma muito tarde. Espero que a Rosamaria volte a jogar de maneira brilhante como ela foi na primeira fase e que a Naiane encontre o voleibol das temporadas passadas. A Thaisinha no dia dela, é difícil para-lá. A Bruna vem fazendo uma ótima temporada, sendo muito eficiente, a Castillo engole a quadra, teoricamente é o jogo mais acirrado, mas não vejo assim. O Minas deve passar. Minas(se jogar o que sabe) x Bruna/ Thaisinha.


Jess disse...

Acho que passam Rio, Osasco, Brasilia e Minas