Mais uma vez



 Rexona-Sesc 3x1 Dentil/Praia Clube - Final Sul-americano de clubes

Mais uma vez o Praia Clube sucumbiu ao Rexona. Mais uma vez o Rexona é campeão, desta vez do Sul-americano.

E olha que o Rexona deu chance, jogou mal durante uns 70% da partida.

Venceu o primeiro set mesmo entregando 12 pontos em erros – o que é muito para qualquer equipe é gigante para o time carioca.

Roberta só foi se encontrar no quarto set, quando o jogo estava dominado. Até aquele momento, porém, foram só bolas imprecisas. Não entendi, aliás, porque o Bernardo não optou pela Camila Adão no terceiro set como fez com a Mayhara no lugar da Carol.

Carol foi um bom símbolo do Rexona que esteve em quadra em boa parte da partida: hesitante, sempre no quase. Ataques com pouca agressividade, largadas sendo usadas demais, saques fáceis e erros bobos.

E mesmo assim, o Praia não conseguiu sobrar na partida, com exceção do segundo set. Por quê? Porque desperdiçou oportunidades de contra-ataque e devolveu, solidariamente, os pontos em erros que recebeu.

E não é nem a quantidade de falhas ou desperdícios que me refiro. É o momento em que eles são cometidos. O terceiro set escapou das mãos do Praia por isso.

Na hora final de um set decisivo, a Claudinha força mal um levantamento, a Ramirez isola uma bola, a Álix espirra um passe, a Fabiana toca na rede.

Pronto. Ali se vai mais uma chance do Praia finalmente vencer o Rexona.

No Rexona aconteceu o oposto. Na hora da decisão é que as coisas funcionaram perfeitamente. A defesa começou a pegar tudo quanto era ataque mineiro e as atacantes a definirem de primeira os contra-ataques.

Aí o saque da Jucy entra, a Monique vira tudo quanto é bola, a Fabi varre a quadra, a Gabi se vira mesmo com um triplo a sua frente.

Estão vendo a diferença? Quando apertou, as jogadoras do Rexona apareceram; as do Praia sumiram.
****************************

O Praia é bastante sensível à pressão, ainda mais quando enfrenta o Rexona. Fica difícil segurar o efeito cascata quando dois erros acontecem em sequência. O time se desmonta.

E como o Picinin tem um poder de motivação muito semelhante ao do Luizomar (ou seja, nenhum) e ninguém no grupo assume este papel, o Praia fica sem qualquer poder de reação.

O Rexona, que não tem nada a ver com isso, continua no alto do pódio - às vezes, até abusando da sorte - esperando alguém que consiga tirá-lo de lá.



Comentários

Anônimo disse…
Ótima análise, parabéns!
L. Mesquita disse…
Confesso que torci muito para o PRAIA até o TERCEIRO SET... Já no quarto set, perdi as esperanças quando a DEFESA do REXONA começou a defender praticamente TODAS AS BOLAS das atacantes do PRAIA e virar no contra-ataque! MONIQUE, FABI e ROBERTA foram monstros na defesa, ao contrário a defesa do PRAIA caiu de produção. O PRAIA estava falhando muito na cobertura do bloqueio e bolas pingadas do REXONA estava caindo todas no quarto set. PARTIDAÇA da MONIQUE que virou bolas impossíveis e de tudo quanto é ponto da quadra, além do que defendeu como uma líbero e sacou muito quebrando o passe do PRAIA. Pelo PRAIA, infelizmente acho que o time não teve a mesma paciência do REXONA de defender a bola, trebalhar o contra-ataque e evitar erros não forçados. CLAUDINHA foi mal, principalmente no quarto set e RAMIREZ começou a perder a cabeça, tanto que JU CARRIJO e MALU entraram e ficaram até o final do jogo. Até a ÁLIX caiu de produção, sendo substituída pela CARLA, que muito nervosa também não ajudou em nada... Uma pena a atuação do PRAIA NO QUARTO SET, elas perderam a cabeça com as bolas que não caíam na quadra adversária! Vou até dar um desconto pro PICININ, ele até tentou fazer alguma coisa, mas não deu certo as suas modificações no time... Acho que a CLAUDINHA foi displicente em algumas bolas do TERCEIRO SET em que o PRAIA estava na frente até o 17x16 e depois tomou a virada do REXONA, poderia ter mais capricho no levantamento com as DUAS MÃOS em vez de querer fazer gracinha querendo levantar com UMA MÃO SÓ, algumas bolas de uma mão só ficaram mal levantadas tanto para as ponteiras quanto para as centrais.
Chandler Bing disse…
Exatamente isso, Laura.
Na hora do aperto o Bernardo sabe mexer com os brios das jogadoras, dar uma chacoalhada, e por quê não umas boas broncas?! E daí elas acordam e jogam o que sabem.
Enquanto isso, no time do Praia, na do "vamo ver", na hora do aperto mesmo, que o time precisa mostrar que é um time, elas esmurecem. Sinto falta de ver uma Walewska assumindo a responsabilidade, chamando as jogadoras, incentivando, mas ela baixa a cabeça junto com as demais.
Rio errou, errou e errou mais um pouco e o Praia não soube aproveitar.

É difícil ser time grande se não tem psicológico pra ir além.
grievoblivioned disse…
Me pergunto como seria esse time atual do Praia na mão do Spencer, se ia deitar dessa forma vergonhosa. Ramirez está fazendo hora extra nesse time. Só fez asneira.
Yano o Chato disse…
"No Rexona aconteceu o oposto. Na hora da decisão é que as coisas funcionaram perfeitamente. A defesa começou a pegar tudo quanto era ataque mineiro e as atacantes a definirem de primeira os contra-ataques.

Aí o saque da Jucy entra, a Monique vira tudo quanto é bola, a Fabi varre a quadra, a Gabi se vira mesmo com um triplo a sua frente." Perfeito isso.

Parece que há 6 líberos em quadra no Rex. Monique beira os 100% de aproveitamento no ataque. E a cara de medo e decepção do Praia é flagrante. Teve uma hora no quarto set que me deu pena. Eu fiquei aqui torcendo pra acabar logo pra não ficar mais humilhante. Nem parecem Waleswka e Fabiana.

O cara foi botar Carla e fazer a inversão quando tudo já tava perdido. Com o Picinin o Praia só vai até aí mesmo. E tenho dito: Natasha no lugar de Fabiana. OUÇA (OU LEIA) PICININ! A alma do Praia é Natasha, a rainha do deboche. E ela deveria ser a capitã. Um dia vocês me darão razão.
Nao sei se foi só eu q achei isso, mas a situação era tão constrangedora no 4 set q o time do Rio ate hesitou em comemorar quando marcou o ultimo. Eu tava sentindo vergonha alheia assistindo aquilo. Parabens ao Rexona q é competente, bem treinado, forte pscicologicamente, joga pra ganhar sempre. Merece!
Laura disse…
Aretusa, tb senti isso. Meio q a Alemanha contra o Brasil no 7x1.

Yano, nao sou radical a ponto de achar q a Natasha deva jogar, mas acho q a Fabiana nao criou uma identificação com o Praia. Nao sei explicar direito, parece q ela não é do grupo.

Chandler, tb esperava mais da Wal. Não tanto nesta coisa de liderar no sentido motivacional, pq o perfil dela nao é esse. Mas mais para acalmar as meninas na hora da tensao e aparecer fazendo a parte dela bem feito, sem erros.
Joffre Neves disse…
Sabem por qual motivo a fabizona não está confortável ?

Simplesmente porque ela é de uma 'geração' digamos que quer vencer e não pensa em desistir.Esse elenco do praia no geral não tem essa gana que ela tem.Parabéns ao Rexona por mais um título mas saiba que não jogou bem,se fosse um time mais competente teria perdido.

Monique consertou muitos pepinos,queria ela assim na seleção.
L. Mesquita disse…
Gente alguns tao criticando a FABIANA, mas ela foi a MELHOR CENTRAL da FINAL ate o momento em que a CLAUDINHO comecou a RELAXAR NA PRECISAO DOS LEVANTAMENTOS e foi substituida pela JU CARRIJO. Tanto que pelas ESTATISTICAS, FABIANA e WALEWSKA foram as MELHORES CENTRAIS do SUL-AMERICANO. A SELECAO DO SUL-AMERICANO foi MONIQUE de oposta, ROBERTA de levantadora, FABI de libero, FABIANA e WALEWSKA de centrais, ALIX e ANGELA LEYVA de ponteiras, com GABI como a MVP DO TORNEIO pelo conjunto da obra. A queda de rendimento do PRAIA no QUARTO SET, comecou com imprecisao dos levantamentos da CLAUDINHA que comecou a levantar bolas muito baixas e espetadas, diminuindo as opcoes de suas atacantes e facilitando a defesa do REXONA, que principalmente com MONIQUE nao desperdicava contra-ataque. Na verdade, MONIQUE foi a rainha dos contra-ataques desse SUL-AMERICANO, muitas vezes ela mesmo defendia a bola que ela contra-atacava. Acho que PICININ demorou um pouco a tirar CLAUDINHA de quadra e inverter o 5x1 com JU CARRIJO e MALU no lugar de RAMIREZ. Na verdade, acho q ele estava esperando RAMIREZ ir pro SAQUE para inverter o 5x1, mas ate isso acontecer, o REXONA ia fazendo um ponto atras do outro. Mas pelo mesmo que atrasado o PICININ trocou a levantadora para tentar alguma coisa, atitude que o LUIZOMAR nao toma em relacao a DANI LINS. Luizomar prefere perder de 3x0 para o Minas a mandar DANI LINS pro banco...
Yano o Chato disse…
O Picinin foi péssimo sim. Não sabe sair do sufoco e usa mal o bom banco que tem. Se fosse o Bernardinho, mudaria o panorama do jogo sim com Carla, Helen, Malu e Ju Carrijo, que são boas jogadoras. E se a Claudinha tava mal, que a trocasse, oras.

Eu também concordo que a Waleswska poderia ter feito o dela bem feito. Ela joga muito mais do que jogou na final. Essas estatísticas não têm tanto sentido para um campeonato tão curto. Se houvesse mais jogos apareceria a diferença que a Juciele faz para seu time e ela teria sido a melhor central.

Para o Picinin: pela manhã treina o passe; de tarde manda todo mundo ir embora e só fica com a Claudinha e a Fabiana treinando as jogadas rápidas pelo meio e a china; de noite mandas as jogadoras para a terapia e ela vai fazer uma reciclagem sobre como mudar o jogo vendo uns vídeos do Bernardinho.
Yano o Chato disse…
Laura, o que você acha de replicar aqui a matéria do Voloch com o que o Vitorio Mediolli, presidente do Cruzeiro disse. Ou você poderia abrir um tópico semelhante. Muito pertinentes as coisas que ele falou. Acho que daria uma boa discussão. Eu mesmo não me canso de de lembrar de finais e decisões nas quais os árbitros roubaram para o Rexona. Geralmente esse Espicalrsky.

Pense com carinho.
L. Mesquita disse…
YANO, sinceramente, nao eh necessario que so ROUBE para o REXONA vencer... Prova disso foi essa FINAL DO SUL-AMERICANO contra o PRAIA, a final da COPA BRASIL contra o MINAS, que acabamos de assistir e toda essa CAMPANHA IMPECAVEL que o REXONA vem fazendo na SUPERLIGA. Nos que conhecemos de volei sabemos que o REXONA nao prrcisa de "AJUDA EXTERNA DOS JUIZES" para vencer. Acho CHORORO de perdedor se alguem afirmar que o REXONA precisa da arbitragem pra vencer... So pode ser mais uma do invejoso do VOLOCH. Apesar de ser torcedor do PRAIA, reconheco que o REXONA foi mais competente em TODAS AS FINAIS em que foi CAMPEAO, pq o REXONA eh um time que NAO DESISTE NUNCA! Ate contra os CLUBES EUROPEUS, que sao LEGIOES ESTRANGEIRAS REPLETAS DE CRAQUES INTERNACIONAIS, o REXONA conseguiu LUTAR ate o TIE BREAK... Em relacao ao MEDIOLI, concordo com algumas ideias dele: 1. FIM DO RANKING DE JOGADORES, pois esse ranking NAO AJUDA EM NADA, SO ATRAPALHA a montagem dos times e EXPULSA PATROCINADORES E JOGADORAS da SUPERLIGA, que vao para o exterior. 2. O campeonato deveria ser organizado pelos CLUBES tal qual a NBB. 3. A GLOBO nao deveria decidir se o VOLEI VAI SER TRANSMITIDO OU NAO pela TV e pela INTERNET!
Joao Ismar disse…
L. Mesquita, vamos deixar o espírito torcedor de lado, nos sabemos que a arbitragem sempre favorece os grandes e os árbitros tem mais medo do Bernardo do que da Cbv. Óbvio que o Rexona não precisa de ajuda da arbitragem, nem precisou para vencer o campeonato, mas de forma geral é difícil ver algum árbitro errando contra o Rexona, acontece (aconteceu n final) mas é muito mais comum o contrário. Lembro de uma semifinal contra o Minas que foram 9 erros a favor do Rio e um contra, inclusive tem um vídeo de YouTube com isso. Independentemente da qualidade do time, e isso não diminui o mérito das meninas e da comissão, mas a arbitragem é tendenciosa.
Yano o Chato disse…
L. Mesquita, você simplificou demais a discussão e a reduziu ao exemplo que citei do Rexona. A questão é maior do que isso, envolve todo o vôlei brasileiro e até o mundial: o favorecimento de alguns times e técnicos.
Eu concordo que o Rexona não precise de ajuda para vencer, mas esta ajuda frequentemente é dada, e é recebida sem reclamação. Não é chororô de perdedor meu, até porque não torço para time algum, só gosto de vôlei.
Você também se prendeu também às últimas conquistas do Bernardo, mas isso vem de mais de uma década.
Acompanho também a superliga masculina e sempre o Sada Cruzeiro é prejudicado. Os times de São Paulo são sempre favorecidos. Na semana passada o árbitro "errou" mais de 6 pontos contra o Montes Claros, a favor do Campinas, decidindo o jogo.
O jogo deveria ser decidido pelas jogadoras e não pelos árbitros. Se não há o recurso do video check para revisão dos lances, eles deveriam ter uma postura mais humilde e ser menos rápidos em definir os pontos, consultando o segundo árbitro e bandeirinhas. São geralmente arrogantes e ainda dão cartão amarelo e vermelho para quem reclama de uma injustiça. Isso tem que acabar.

Não me lembro se foi no classificatório da Ásia, ou Copa do Mundo ou classificatório mundial, onde a Tailândia perdeu a vaga para o Rio num erro do funcionamento do tablet que deveria ser acionado pelo técnico para pedir tempos e fazer substituições. Houve um engano e a Tailândia tomou pontos ou cartão vermelho, não me lembro, perdendo depois o set e o jogo. Assim as japonesas se classificaram para os jogos olímpicos do Rio e a Tailândia que muito mais merecia não veio. Por erro do árbitro. As japonesas ficaram constrangidíssimas ao final da partida no cumprimento na rede.
É disso que estou falando. Um clube pode perder patrocínio e encerrar suas atividades devido a erros da arbitragem. Você tem todo o direito de discordar de mim, mas por favor não reduza a discussão, que é bem ampla, ao Rexonas. Não estou falando de Rexona. Falo de algo maior.

Joao Ismar disse…
Segue o link do vídeo que comentei. https://youtu.be/PVWOSXHfbIE
Yano o Chato disse…
João Ismar, parabéns pelo vídeo. Nada como uma documentação em imagens para comprovar o que é dito. E é justamente disso que falo. Isso é constante, há muitos anos, especialmente em jogos eliminatórios. Vou tentar achar outros vídeos e lances assim.
E vendo o vídeo me lembrei de que a Fabi é a mais desonesta de todas. Obrigado por cooperar.
grievoblivioned disse…
Existe algo de muito errado quando um dos técnicos dos times que estão jogando solta impropérios dos mais variados a deus-dará, xinga e assedia todos os que estão trabalhando, TRABALHANDO, durante as partidas e ninguém fala nada, ninguém faz nada e a mídia que está cobrindo acha bonito e ficam todos os comentaristas rindo dos ataques de histeria do cidadão.
Joffre Neves disse…
No próprio jogo entre rexona e minas na copa do brasil tiveram lances favoráveis ao minas que foram dados ao rexona ainda...A mais honesta era a natália mesmo.
L. Mesquita disse…
Ah sim Yano! Eu tinha entendido que o REXONA ganhava titulos com ajuda da arbitragem... Mas agora que vc explicou melhor, concordo contigo que os arbitros tem a tendencia de favorecer OS PATROCINADORES E TIMES MAIS FORTES! Em relacao a TAILANDIA, elas foram prejudicadas em 2 pre-olimpicos seguidos em 2012 e 2016. Outra equipe que eh muito favorecida pela FIVB, ARI GRACA, eh a RUSSIA que vinha jogando DOPADA acobertada pelo ARI GRACA, o OURO MASCULINO DE LONDRES deveria ser do BRASIL e tambem desconfio muito que o MUNDIAL FEMININO de 2010 as rissas ganharam dopadas!!!
Yano o Chato disse…
grievoblivioned, eu também sempre achei estranho esta tolerância com xingamentos aos árbitros, às atletas adversárias e as próprias atletas. Afinal todos ali estão trabalhando, não só o dito cujo. Nunca entendi isso. Ele quer apitar o jogo e manipular tudo.
L. Mesquita, você tinha entendido certo, o Rexona ganha com ajuda da arbitragem também. Mas não é só isso.
L. Mesquita disse…
Sera, tbem, que os arbitros nao querem ir embora mais cedo pra casa e favorecem o time mais forte para a partida terminar mais rapido, ja que a tendencia era o time mais forte vencer mesmo??? Se for, isso eh uma GRANDE PIADA, KKKKKKKK!!!
Antonio disse…
Acho que o lado torcedor está muito exacerbado em alguns. Não considerando as Organizações que comandam o esporte e seus grandes esquemas de gestão, apenas falando exclusivamente do desenrolar das partidas em si e considerando apenas os profissionais envolvidos nessas, penso que todas as equipes que jogam em casa tendem a ser beneficiadas por mais erros de arbitragem a seu favor do que contra, pelo simples motivo do ambiente emocional reinante nos ginásios. Não havendo vídeo check e com as altas velocidades das jogadas, lances que geram dúvidas por estarem no limite da capacidade de observação, mais frequentemente são decididos a favor de quem grita com mais intensidade. Todo mundo que pratica esporte sabe que é assim. No calor do jogo, o normal de qualquer atleta é optar, inicialmente, por pedir que a decisão da jogada seja favorável a seu time. Alguns, depois da marcação, reconhecem a verdade. Daí a afirmar que algum atleta ou algum clube é mais desonesto do que o outro, vai uma grande distância. Ultimamente, só me lembro de ter visto o jogador Hevaldo, do volei de praia, corrigir duas vezes a arbitragem, no mesmo set, que havia marcado bola fora no ataque da dupla Pedro Solberg e Guto, afirmando que houve toque no bloqueio dele próprio, ou seja, pediu que fosse retirado o ponto a seu favor e desse para os adversários. Etapa de Maceió, semana passada. Transcrevo ainda, um comentário feito por um leitor em outro blog e sobre outro assunto, que cai muito bem para algumas considerações anteriores feitas nesse tópico, "Tem sido difícil para aqueles que por razões diversas não gostam do Bernadinho ou do Rexona-Sesc encontrarem motivos para alegria. Afinal, o técnico teve o time por ele treinado e considerado fraco campeão olímpico. Já o Rexona foi novamente campeão da copa do Brasil, do Sul Americano e é líder na superliga. Aí vem um post deste e aproveitam para destilar um ódio difícil de compreender. Vamos lá: qual foi o campeonato ganho pelo Rexona que foi decidido por erro de arbitragem? Será a arbitragem a responsável pela sequência de títulos do vôlei deste clube? Penso que na verdade estes títulos tem origem em TRABALHO DURO. O time treina, estuda e seu técnico jamais o deixa acomodado. É um grupo de ótimas jogadoras, dedicadas ao extremo e que jogam com humildade. Não gritam na cara das adversárias; não fazem caras e bocas quando bloqueiam ou fazem um ponto importante. Conhecem suas limitações e CONFIAM NO SEU LÍDER. Aliás, um líder que liderou uma seleção que ganhou TRÊS MUNDIAIS SEGUIDOS, participou de QUATRO FINAIS CONSECUTIVAS DE OLIMPÍADAS, ganhando DUAS MEDALHAS DE OURO. Ainda assim tem sua competência questionada. É quase "persona non grata"na Federação Internacional de Volei e não conseguiu junto à CBV emplacar seu auxiliar como técnico na seleção e é chamado de protegido. Difícil, muito difícil de compreender. ".
MINEIRIM disse…
Ando desmotivado a assistir jogos do Praia Clube, principalmente contra o Rexona. Não aguento olhar mais para cara de pânico da Tássia, o descontrole emocional da equipe. O problema nem é somente perder, é perder sem dignidade, de cabeça baixa. Praia clube não consegue sequer levar o jogo para o 5º set e isso sim me assusta. Sinceramente não sei se mudanças de atletas mudariam o quadro, porém mesmo com a contratação da Fabiana eu não tinha boas expectativas com a equipe, por conta de duas peças chaves, líbero e levantadora. Tássia não consegue segurar a onda em uma equipe que pretende ser campeã e muito menos consegue passar tranquilidade para as ponteiras. TÁSSIA É MUITO INSEGURA. Talvez Claudinha não tenha tanta culpa, mas fato é que o emocional dela é facilmente abalado o que parece fazê-la perder toda técnica e discernimento na sua distribuição. Até Naiane muito mais jovem sente menos pressão. Com relação ao Picnini eu sinto pena.
Sergio disse…
Joao;Yano, vamos lá mostrasse o jogo com o Minas, há 1 anos atrás (correto?), recentemente o Rexona jogou com o Minas e houve 3 erros da arbitragem claríssimo que o arbitro preferiu dar ponto para o Minas, o mais flagrante foi uma bola que passou por dentro ele deixou seguir.
Outro jogo que não faz muito tempo (semi-final primeiro jogo) contra o Osasco, Gabi ataca uma bola dentro da quadra (dois metros) e o bandeira e o arbitro marca bola fora e o Osasco ganhou o primeiro jogo.
Então o arbitro não favorece só o Rexona,ele erra para os dois lados. Não vejo isso como favorecimento, vejo como erro que devem ser evitados, pois quando erram fazem para os dois lados.
Acho você e João TORCEDOR DO OSASCO!
Eu torço pelo Rexona, e acho choro de perdedor, quando começam a fazer esse tipo de comentários.
A arbitragem tá ruim para todos amigo. Agora se o seu time não tem técnico para resolver o problema no banco, infelizmente o nosso tem.
Laura disse…
Yano, acho forte chamar uma jogadora de desonesta, ainda mais neste lance da Fabi em q a bola é bastante duvidosa. E como o Antonio falou, no calor do jogo e na rapidez das jogadas, acho q elas nem registram mtas vezes o q aconteceu. No instinto, cada um puxa para o seu, o q é normal.

Isso, obviamente, não invalida a discussão e a crítica sobre a arbitragem que costuma, como tb comentou o Antonio, beneficiar os grandes e os times da casa. Tampouco sobre o Bernardinho, que adoora apitar o jogo. Nossa arbitragem é fraca para aguentar um cara como ele no ouvido, na pressão.

Mas não acredito que haja alguma coisa deliberada para ajudar um ou outro time. Acho q é do jogo, do ambiente, da pressão, do despreparo. E, sendo assim, é claro que a CBV deveria ser mais ativa e rígida para corrigir estas injustiças e amenizar os efeitos delas nas partidas. O video-check na Olimpíada nos mostrou qtos erros e quão decisivos a arbitragem comete normalmente.

Segundo dirigente da CBV em entrevista ao BV, a entidade vai investir no video check para a próxima temporada. Tomara q dê certo e seja usado principalmente na fase decisiva.

Só para contrariar vcs, falando em tantos erros de arbitragem decisivos que ajudaram o Rexona, eu fui me lembrar exatamente de um que prejudicou seriamente o time carioca. Foi na semifinal da SL passada, no primeiro jogo em Osasco. Uma bola muito dentro da Gabi q foi marcada fora. Era final do 3º set, daria vantagem ao Rexona no placar. Minha memória espontânea é péssima, mas lembro desse lance pq me foi parecido ao da Garay nas quartas contra Rússia. Os dois erros mto grosseiros.


Sergio disse…
Exatamente Laura, quando o Rexona é prejudicado, elas simplesmente vira a chave e vai para o proximo jogo. Não ficam reclamando na imprensa, nem colocando no youtube o erro. Bernardo fala que o cara errou, e parte para a próxima, simples assim. E nesse lance que você falou, a Camila, indica bola dentro, quando ver que o bandeirinha marca fora ela automaticamente muda na indicação. (ela também é desonesta, claro que não, ela instintivamente foi pelo time que ela joga.
Joao Ismar disse…
Laura, neste mesmo jogo teve uma bola idêntica da Carcaces que foi marcada fora, salvo engano no primeiro set ainda.
Sérgio, eu disse que a arbitragem favorece os grandes, em especial o Rexona. Eu me lembrava desse jogo em participar contra o Minas e sabia da existência do vídeo. Quando a arbitragem erra contra o Rio elas simplesmente dão segmento ao jogo, mas a arbitragem erra pouco contra este time se levado em consideração as marcações a favor, por isso elas não ligo e não colocam vídeo no YouTube. Imagina um árbitro errando 9 pontos contra o Rexona? Será que a comissão não ía nem ligar? Será que a torcida não ía colocar vídeo do ponto no YouTube?
Por fim, não acredito em desonestidade das jogadoras, a arbitragem é paga p apitar, ninguém tem que se acusar não. Alguns erros a gente até admite, mas a arbitragem no Brasil está precisando urgentemente de uma ida ao oftalmologista.
L. Mesquita disse…
SÉRGIO, vc foi cirúrgico, perfeito no seu comentário em relação ao quanto um erro de arbitragem afeta o time do REXONA e afeta a maioria dos demais times! Quando o erram contra o REXONA, o Bernardinho não deixa que as altetas PERCAM A CABEÇA DENTRO de quadra e isso influa no jogo delas. Provavelmente, BERNARDINHO deve deixar bem claro nos treinos do REXONA que o único que tem o DIREITO DE PENSAR EM ERROS DE ARBITRAGEM é ele, o TÉCNICO, e que as jogadoras tem que JOGAR e esquecer qualquer erro de arbitragem para que isso não afete seu desempenho. Já no PRAIA CLUB, vejo que qualquer erro de arbitragem fazem algumas jogadoras PERDEREMA A CABEÇA e expressar isso dentro de quadra durante o jogo, afetando seu desempenho. Chegou ao ponto de a TÁSSIA em um lance, chegar a CHUTAR A REDE, lembram? Acho que CABE AO TÉCNICO deixar bem claro às JOGADORAS: ESQUEÇAM OS ERROS DE ARBITRAGEM E JOGUEM VOLEIBOL QUE É A FUNÇÃO DE VOCÊS, SE ALGUÉM TEM QUE SE PREOCUPAR COM OS ERROS SOU EU, O TÉCNICO, E NÃO VOCÊS JOGADORAS, VOCÊS TEM QUE JOGAR BOLA!!! Acho que esse é um grande DIFERENCIAL do REXONA em relação aos outros times: as jogadoras se concentram no jogo, independente do placar adverso, dos erros de arbitragem etc... Isso faz com que muitas vezes elas consigam recuperar sets praticamente perdidos.
L. Mesquita disse…
LAURA, depois reclamam que o VÔLEI não tem espaço em TV ABERTA!!! Vocês sabem porque na última QUINTA-FEIRA,16/02/2017,às 21:55h,nós tivemos que assistir na REDETV,RENATA VALINHOS x SESI em vez de CAMPONESA MINAS x NESTLÉ??? Vocês NÃO VÃO ACREDITAR!!! Pasmem, foi o NESTLÉ que bateu o pé e não aceitou a transmissão do jogo pela REDETV!!! No início de JANEIRO, a REDETV, interessadíssima em transmitir CAMPONESA-MINAS X NESTLÉ, solicitou a troca de data do jogo de SEXTA para QUINTA-FEIRA para poder transmiti-lo ao publico amante do vôlei, a CBV aceitou, o CAMPONESA-MINAS aceitou, porém, a NESTLÉ NÃO ACEITOU jogar na QUINTA às 21:55h e insistiu em jogar na SEXTA às 20:00h SEM TRANSMISSÃO PELA TV!!! Resultado: tivemos transmissão de RENATA VALINHOS X SESI em vez de MINAS X NESTLÉ, absurdo!!! Depois só reclamam da CBV, mas esse LUIZOMAR E O NESTLÉ também não COOPERAM EM NADA!!!Bem fieto a NESTLÉ ter levado uma surra do MINAS por 3x0!!! A mesma coisa aconteceu no MASCULINO, e o levantador BRUNO REZENDE desabafou no TWITER:"Bom dia a todos.Hoje temos um jogão pela Superliga aqui contra Taubaté… 7 campeões olímpicos em quadra… e não teremos transmissão! Porém dessa vez a TV e nem a CBV tem culpa….a Rede TV ofereceu duas datas para a transmissão da partida e o diretor de Taubaté não aceitou...". Se a REDETV faz sua parte e tenta transmitir as MELHORES PARTIDAS e as EQUIPES não colaboram, então não adianta reclamar que o vôlei está nas mãos da GLOBO... A REDETV é única TV ABERTA que tem aberto espaço para o VÔLEI, mas EQUIPES como a NESTLÉ e TAUBATÉ tem jogado contra a REDETV e aos telespectadores em geral...
Laura disse…
Mesquita, não dá para entender mesmo. Aí não tem como reclamar depois da falta de divulgação.O que será q eles têm contra a RedeTV?

Boa notícia: a CBV vai transmitir via internet Vôlei Nestlé e Praia Clube, às 19h30.
Haroldo Caldas disse…
Acompanho há muito tempo este blog e o faço com grande interesse e admiração. Não somente pelos excelentes posts da titular do blog, mas também pelo excepcional nível daqueles que usualmente emitem suas opiniões aqui. Meus sinceros parabéns a todos que aqui colaboram para este espaço tão agradável. Quanto ao assunto aqui discutido, o colega Antônio já citou acima, de forma correta, o que penso e manifestei no blog do “ódio visceral pelo Bernardinho.” Depois de analisar tantas teorias de conspiração pelo sucesso do Rexona não encontro outra explicação que não TRABALHO DURO E BEM FEITO. O time é um conjunto que age como uma engrenagem, sabendo suas limitações e CONFIANDO EM SEU LÍDER. Nos tempos técnicos as jogadoras recebem orientações pontuais sobre o que fazer. A Anne é orientada de forma que entenda e não através de mímica como parece ocorrer com algumas estrangeiras de outras equipes que não falam português. E o famoso destempero do Bernardo, que tantos prejuízos já causaram à sua imagem, parece-me hoje muito mais uma questão de fama do que de fatos. O tempo o tornou muito mais tranquilo e sensato. Por vezes ainda se excede, mas não mais do que outros técnicos. Além disso, mostra muito mais carinho e paciência com as jogadoras. O Rexona poderá perder a Superliga? Claro. O Minas será um adversário perigosíssimo em uma eventual semifinal. O Praia pode aprender a confiar em si próprio. E mesmo o Nestlé, se deixarem o Spencer Lee mais atuante, poderá surpreender. O que posso garantir é que o Rexona jamais perderá por falta de esforço e trabalho. Não com estas jogadoras. Não com o Bernardo
Chandler Bing disse…
Haroldo falou sobre as orientações do Bernardo nos tempos técnicos, de forma clara e que todos saibam o que fazer.
Outro técnico que tem essa mesma característica, e que particularmente adoro o seu trabalho, é o Spencer Lee, que eu queria muito que estivesse à frente de Osasco, por exemplo, no lugar do Luizomar. Spencer é um cara bem tranquilo, que orienta bem as atletas, e consegue aproveitar o melhor de cada uma, exemplo disso foi o excelente trabalho que o mesmo fez com o limitadíssimo RIO DO SUL na última temporada. Espero de verdade que ele assuma uma equipe, um cara como ele é desperdício sendo auxiliar, uma vez que tem muitos técnicos fracos por aí.