Inspiração no passado


Semana passada o treinador Talmo de Oliveira relembrou, na sua conta do Twitter, o título sul-americano conquistado em 2014 pelo Sesi.


Naquela época, o Sesi vinha de uma recuperação incrível. Com um início de Superliga ruim, terminou o primeiro turno na sétima colocação. Melhorou seu desempenho no segundo turno e sua classificação no campeonato e, neste meio tempo, ficou com o vice campeonato da Copa Brasil ao perder a disputa para o Osasco.
 
Sesi e Osasco voltaram a se enfrentar na final do Sul-americano. E desta vez, o resultado foi este que o Talmo celebrou na sua timeline. 

Na SL 13/14, o Osasco estava invicto no campeonato e líder absoluto. A perda do título sul-americano acabou se refletindo na SL. Quem não se lembra da eliminação do super time osasquense nas semifinais para o mesmo Sesi?

O Sesi não tinha ganho – e até hoje não ganhou – o campeonato paulista ou algum título nacional. O primeiro troféu a entrar na coleção foi logo um de status internacional - e que ainda o garantiu no Mundial de Clubes daquele ano do qual saiu com a terceira colocação.


*****************************

Será que o Praia Clube e o Picinin conseguem se inspirar na trajetória do Sesi para a disputa do Sul-americano 2017 que se inicia nesta terça? 

Ou o fato de que, para emular o Sesi, o Praia terá que superar um obstáculo chamado Rexona (e Bernardinho) - e não Osasco (e Luizomar) - destrói qualquer aspiração?


Comentários

Luis Eduardo disse…
Laura, Bom dia. Prazer acompanhar tuas opiniões coerentes e relevantes neste universo do voleibol brasileiro. Bom, sobre o Praia não ter conseguido ainda vencer o Rexona, acho muito mais um aspecto emocional. Parece-me que as jogadoras do Praia encaram com naturalidade a freguesia imposta pelo time do Bernardinho sobre o time do interior mineiro. As jogadoras não parecem se importar muito com as partidas e até as próprias jogadoras do Rexona parecem saber o final de cada partida: mais uma vitória para o time da capital fluminense. Por mais que em alguns momentos o clássico Rio de Janeiro e Osasco não tenha tanta importância em termos de classificação ou pontuação, percebe-se nitidamente que a vitória é algo que as duas equipes querem muito. Significa muito para elas vencer o adversário. O que não se percebe do lado mineiro da quadra (com exceção da Ramirez que coloca o coração na quadra).
Naquela época, o Sesi acreditou que tinha time para vencer o Osasco e assim o fez. Lutou e alcançou. Venceu a semifinal contra o Osasco e avançou à final da Superliga com méritos.
Atualmente, o Praia tem um plantel inclusive superior àquele que outrora desbancava a hegemonia Rio e Osasco, mas parece estar bem onde está: Acostumado a figurar e não a ser o protagonista.
L.MESQUITA disse…
O PRAIA tem no papel um elenco mais forte e individualmente jogadoras mais experientes e mais rodadas que as do REXONA. O investimento do PRAIA é para ser CAMPEÃO e não VICE. Apesar de ser HEXA-CAMPEÃO MINEIRO consecutivo em cima do CAMPONESA-MINAS, o PRAIA acumula TRÊS VICE-CAMPEONATOS seguidos perante o REXONA em 2016: Superliga,Copa Brasil e Supercopa. Ou seja, em finais, o MINAS é freguês do PRAIA e o PRAIA é freguês do REXONA. Se o PRAIA tivesse a mesma garra, CONCENTRAÇÃO e determinação que tem em finais contra o MINAS, também contra o REXONA talvez esse histórico pudesse mudar. O fato é que o PRAIA tem um time melhor que o do REXONA e vai chegar uma hora que essa história vai mudar... Creio que um dia o PRAIA vai deixar essa frqguesia de lado, talvez possa ser nesse SUL-AMERICANO!
L. Mesquita... Discordo totalmente de vc... O praia não é mais forte que o Redoma não... Basta vc comparar o jogo individual de cada... Monique por exemplo da show na Ramires, a Gabi detona com a Michele e a Ana é muito mais decisiva do que a Alix... A líbero Fabi e muito superior a Tassia, a levantador Claudinha e bem mais irregular do que a Roberta... Para mim apenas as meios de rede de equilibram... Fora que o banco do Praia e bem irregular tb... Rio tem o time mais forte da Liga...
Rodolpho Francis disse…
Rodrigo esta certíssimo. O Praia não é mais forte que o Rexona. Quanto as centrais, concordo que jogaram muito em 2008 e 2012(no caso da Fabiana), mas a Jucy e a Carol estão numa fase muito melhor que as duas tanto no ataque quanto no Block. Nas demais posições o Rio tem larga vantagem
L. Mesquita disse…
Espero que os 4x0 do PARIS SAINT GERMAIN em cima do BARCELONA sirva de INSPIRACAO ao PRAIA CLUB! O PSG costumava ser FREGUES do BARCELONA, mas uma hora a HISTORIA MUDA... Nao adiantou MESSI, SOARES, NEYMAR e CIA... Algum dia o resultado muda!
Chandler Bing disse…
Este time atual do Praia Clube vive uma situação parecida com a do SESI da época, ou seja, com exceção da posição na tabela, é um time muito criticado pela falta de resultados positivos diante do Rexona, por exemplo, tanto que deram o velho bordão ao time: "Nadam, nadam e morrem na praia".
Eu já disse isso em comentários anteriores e volto a repetir aqui, uma hora ou outra, assim como o SESI naquele Sulamericano, o time do Praia vai acordar pra vida, pois tem time pra isso, basta acreditar, e vai fazer um jogo duríssimo contra o Rexona, de quem vem perdendo consecutivamente.
O SESI daquela época, como bem lembrou a Laura, não só venceu o grande Osasco em duas grandes decisões (Sulamericano e Semifinais da Superliga) como também criou uma rivalidade com o time, fazendo com que os jogos entre essas duas equipes pegassem fogo. Com exceção de Rexona × Osasco sinto que falta isto na Superliga, os times entrarem mesmo com aquela vontade de vencer, jogos quentes, independente do adversário.
Rodolpho Francis disse…
Concordo Chandler, que uma hora isso vai mudar. Mas assim como o Praia, o SESI não tem nenhum título expressivo. Só o Sul-Americano(que nem é grande coisa). Mas precisamos de mais jogos no estilo Rio x Osasco, em que qualquer um pode ganhar e ambos demonstram isso dentro de quadra. Mesmo quando o Rexona jogou mal e teve que utilizar as reservas nessa superliga, notamos que as atletas que entraram queriam muito vencer.
Chandler Bing disse…
Né isso, Rodolpho?! As atletas quando são contratadas para esses clubes elas incorporam o espírito desse clássico, que como você bem destacou, qualquer uma das duas equipes pode vencer, independente do elenco que montaram.
Existem outros clássicos em que alguns jogos ficam quentes, tipo Pinheiros x Osasco e Praia x Minas, mas igual Rio × Osasco, infelizmente a gente não vê.

Espero que as meninas do Praia Clube realmente se incomodem com a atual situação do tipo e entrem pra vencer, pois pelo elenco que ambas as equipes tem, isso é jogo pra 3×2, basta o Praia acreditar e não amarelar.
Chandler Big... vou enumerar os pontos pelo qual o praia nunca vai ganhar do Rexona... Primeiro... a levantadora não é corajosa, quando tem de inverter uma bola da entrada para saída nunca faz isso, preferindo levantar para Michele que raramente põe bola no chão... Segundo a linha de passe não é confiável... Alix não passa nada, Ramires tem apagões.. Terceiro enquanto o Rio usa muito bem o bloqueio o Praia simplesmente enfrenta paredões levando vários tocos no pé... Infelizmente o Praia nunca vai ganhar do Rio com uma linha de passe desta... As meio do Praia só batem China o tempo todo, por isso são tão bem marcadas.. e Finalizando, as reservas que são acionadas não apresentam o mínimo de habilidade para fazer um fundo de quadra decente, bem como executar um ataque certeiro, errando vários passes e ataques em seguida... O Rio tem isso tudo que falta no praia e muito mais... abraços...
Chandler Bing disse…
NUNCA eu acho uma palavra meio exagerada, no esporte tudo pode acontecer.

Mas eu sou obrigado em concordar em relação à Claudinha. Aos que pedem ela na seleção, respeito, mas eu não vejo nada de especial nela, assim como não vejo em Macris (mesmo sendo "a melhor levantadora" da Superliga). Cláudia consegue ir da água para o vinho na mesma partida; faz lances legais e em seguida uma cagada.
Rodrigo, você falou sobre a linha de recepção do Praia, pra mim o maior prejuízo nisso tudo está na líbero, pois se ela se garantisse na recepção com a Michelle, dava pra deixar Alix livre para o ataque. Acho que o Praia perde muita coisa com uma líbero como a Tassia, que desde que trocou Minas por Praia Clube, nunca mais foi a mesma.
Este comentário foi removido pelo autor.