sábado, 25 de fevereiro de 2017

Dentro da expectativa


Terracap/Brasília 0x3 Rexona-Sesc

Felipe Costa/Ponto MKT Esportivo
  
Foi 3x0, mas, mesmo com todas as suas limitações, o Brasília fez um confronto muito mais equilibrado com o Rexona do que o Praia Clube em todos os jogos desta temporada.

Faltou maior controle dos erros e maior frieza nos momentos decisivos do segundo e terceiro sets para o Brasília vencê-los.

Mas é bom ver que o time, depois de um início de returno ruim, recuperou aquela combatividade contra os grandes. Não o suficiente para batê-los, como aconteceu no primeiro turno, porque o time chegou ao seu limite. Mas ao menos está lá para incomodar.

E, na verdade, desde o início foi este o objetivo do Brasília. As vitórias contras os favoritos no primeiro turno acabaram por criar uma expectativa além daquilo que o time poderia dar. O que o Brasília apresentou contra o Rexona é mais condizente com o elenco que se tem em mãos no momento. 
 ******************************

Aquilo que mais diferencia o Brasília na Superliga é também o que o torna bastante vulnerável. As jogadas com as centrais são a sua maior força. Macris tem facilidade para acionar Roberta e Vivian, sempre com velocidade, o que torna, normalmente, os pontos de ataque garantidos.

O problema é que há pouco além disso. Quando recebe um saque curto, como fez o Rexona algumas vezes na partida, Macris perde esta opção. E sem as centrais, cai peso demais sobre Amanda e Paula.

Por mais que a Amanda esteja em uma temporada especial e a Paula possa ter seus jogos inspirados, o poder de fogo pelas pontas do Brasília só chamusca, não queima. Principalmente se comparado às equipes do top 4.

Fica difícil pegar um Rexona, por exemplo, que conta quase sempre numa mesma partida com Monique, Buijs e Gabi decisivas. Talvez até por isso, a levantadora Roberta tenha diminuído o ritmo das bolas com a Jucy e Carol. As ponteiras estão dando confiança de que ela precisa.

A bola com a Jucy é mais arriscada e nem sempre está bem afinada, já a Carol não tem passado a segurança necessária. A Carol não tem tido uma boa temporada. Nas últimas partidas, tem segurado o braço no ataque e esteve perdida naquilo que é sua especialidade, o bloqueio. 

 ******************************
Voltando ao Brasília, quem sabe não esteja no banco do Rexona um reforço para a próxima temporada: a Helô. Com uma oposto “de verdade”, o Brasília teria outro fôlego no ataque pelas pontas. Desde a temporada passada, falta alguém para esta posição.

Mas isso é para o futuro (ficamos na torcida para que o projeto continue, né. Aqui nunca se sabe...). 
Até o final desta SL, se o Brasília conseguir manter o nível de jogo que apresentou contra o Rexona, terá feito a sua parte.

20 comentários:

Joffre Neves disse...

Acho que Macris deveria ter acionado outra jogadora invés da Andrea no final de set,tinha virado poucas bolas e faltou consciência no jogo.Roberta não foi bem e a substituta dela no jogo,Larissa,é boa jogadora desde osasco...Volto a repetir : Tem sabrina no banco pra quê ? A Barbara da temporada passada ainda era melhor que a Andrea,uma oposta que ficou no meio de rede alguns momentos do jogo e com a roberta na saída de rede pra poder virar bola é inaceitável,que feio...Teria muita vergonha,Buijs hoje só quinou um passe,se virou muito bem no ataque e nos poucos passes que fez foi bem,no final de set ela deu um passe muito bom pra o ataque com a jucy na china.Ainda era melhor ter a natalia mas deu uma melhorada,Rexona vacilou em uns 3 lances em que paula pequeno atacou bolas fora da rede e sem bloqueio,o mal das equipes brasileiras é que não aproveitam os vacilos que o Rexona dá,aí chegam as equipes européias e botam o Rexona pra a realidade.

Haroldo Caldas disse...

Uma coisa mencionada neste post e que tenho observado é a nítida queda de rendimento da Carol. Não somente no ataque, mas principalmente no bloqueio. Não sei se por causa de algumas lesões que ela teve recentemente ou se é uma fase um pouco ruim mesmo. O certo é que não tem sido aquela jogadora que estava voando no início da temporada e assustando todas as atacantes dos times adversários. Também não estou entre aqueles que desde já demonstram admiração e grande expectativa pela Roberta. Ela tem atributos como uma boa altura para uma levantadora (o que não causa prejuízo sensível para o bloqueio), além de defender bem e boa percepção na distribuição de bolas. Contudo, a precisão dos levantamentos me parece deixar muito a desejar. O que a Gabi e especialmente a Anne tem que se contorcer muitas vezes para bater nas bolas levantadas não é brincadeira. Além disso, a bola com a Jucy também não está legal. Mas tem tempo, ela é jovem, recentemente titular e poderá (assim espero) melhorar muito neste requisito.

Haroldo Caldas disse...

O comentário sobre a Helô é pertinente. Ela fez uma Superliga fantástica no ano anterior. É alta, forte e ataca muito bem. Assim que veio para o Rio acreditei e torci, como muitos, que ela se tornasse titular do time e elevasse um pouco a altura média da equipe. Só que esquecemos de combinar isso com a Monique. Ela está simplesmente “comendo a bola” nesta temporada. Na minha opinião é a mais regular jogadora do time e a melhor oposta da competição, no alto de seus 1,78m. Muito técnica, defende absurdamente bem e ainda ajuda no passe quando a coisa aperta liberando a Anne, manobra que já salvou o Rexona algumas vezes. Antes torci para que fosse perdesse a titularidade. Agora me rendo e a aplaudo.

L. Mesquita disse...

Jogaço!Equilíbrio total,as parcias falam por si:25x20,27x25,31x29!!!Uma bela partida de se assistir,principalmente,devido ao confronto do que eu considero as 2 melhores levantadoras da SUPERLIGA em termos de "DISTRIBUIÇÃO" de bolas:MACRIS e ROBERTA RATZKE.Acho que o fator de desequilíbrio da partida que pesou para o lado do REXONA foi na posição de OPOSTO,visto que MONIQUE é mais eficiente que a ANDREIA em todos os fundamentos.É bom mesmo que PRAIA e NESTLÉ briguem pelo SEGUNDO lugar na tabela,pois quem ficar em TERCEIRO cruzará com o BRASÍLIA,SEXTO COLOCADO,nas QUARTAS-DE-FINAL,já o SEGUNDO COLOCADO pega o FLUMINENSE,SÉTIMO.Convenhamos,é muito mais vantagem cruzar com o FLUMINENSE do que com o BRASÍLIA que é um OSSO DURÍSSIMO DE ROER.O BRASÍLIA pode muito bem desclassificar o TERCEIRO COLOCADO nas quartas-de-final,visto a instabilidade dos times do NESTLÉ e do PRAIA.

Laura disse...

Joffre, não sei tb por que esta resistência do Anderson com a Sabrina. Ela jogou contra o Minas, não sei se por opção mesmo ou se a Andreia foi poupada. Não se destacou, fez só 5 pontos. Mas fica difícil fazer uma comparação se nem durante as partidas ela é considerada como opção.

Haroldo, eu tb achei q a Helô pegaria a vaga da Monique, mas a gêmea tem feito mais uma grande temporada. Sobre a Carol, acho q é uma fase ruim por qual ela passa. Mesmo antes do afastamento por doença, ela não estava muito bem. Quer dizer, no ataque até que ela estava se saindo bem, mas no bloqueio e saque, suas especialidades, não estava grande coisa. Acho que ela não está conseguindo encaixar uma sequência de jogos com boas atuações para se recuperar, infelizmente.

Yano o Chato disse...

O problema da Carol tem nome e sobrenome: Desconcentração Anne Bujis.
Foi o mesmo que problema que assolou a Mari: Desconcentração Sheilla Castro.

Creio que as substituições pela Maihara deverão continuar.

MINEIRIM disse...

Acho que o Brasília já fez muito essa temporada. E é bacana de se ver como é esforçado o time, isso se deve muito à MACRIS também. Não tem como um equipe com baixo poder de ataque ir muito longe. Infelizmente Andrea acabou após aquela contusão quando ainda estava no Rexona,em seu lugar eu até encerraria minha carreira. Antigamente as opostas eram verdadeiras carregadoras de piano, hoje as ponteiras e centrais dividem um pouco a responsabilidade e diminui o peso da posição, porém Andrea (jogadora serena e que gosto muito de sua personalidade)não esta conseguindo nem fazer o mínimo, complicado. Com relação à Sabrina prefiro achar que os seus rendimentos no treino estão muito baixos. Anderson é um cara inteligente,não quero acreditar que em tão pouco tempo de técnico principal já tenha suas preferências não técnicas...

Rodolpho Francis disse...

Yano, não entendi? rs (Sobre Shari e Anne + Carol)

Yano o Chato disse...

Rodolpho, é um babado que tá rolando aí. A princípio parece que a Anne veio para aqui com a namorada, montaram apartamento e tal. Mas parece que agora ela está com a Carol. Eu também não acreditei quando soube, mas observando o comportamento das duas nos últimos jogos dá mesmo para perceber que há algo no ar. Reveja os últimos jogos e veja as comemorações das duas nos pontos e ao término das vitórias, depois volte para contar.

Love is in the air.

Joffre Neves disse...

Pois então agradeçam a Carol : Buijs deu uma melhorada no seu jogo,atacando mais,menos quinadas no passe...Carol agora precisa bloquear mais porque o ataque dela nunca lá foi essas coisas mesmo.

Esse ano tem tudo pra o Rexona levar novamente,se as duas separarem o lado pessoal ao profissional podem já ter a certeza de mais um título da superliga.

L. Mesquita disse...

CAROLANNE? Sera?

Cas disse...

Yano, então não era coisa da minha cabeça o motivo dessa desconcentração da carol... achei que eu que estava vendo demais.
No instagram da Carol tinha uma pessoa que aparecia sempre e que sumiu depois que a Anne chegou, inclusive a Carol apagou as fotos antigas com ela, só sobrou uma que tem os pais da Carol junto.
No instagram das outras jogadoras dá pra captar muitas coisas também, principalmente naqueles videos do stories, que elas postam sem se preocupar muito pq vai sumir depois.

Chandler Bing disse...

kkkkkkkk

Olha aí a galera por dentro dos bastidores. E eu que achei que a Carol ainda estava noiva da animadora de torcida.
Mas em comparação com SHARI, Mári "afubazou" depois do término da relação.
Enfim, de qualquer forma, a vida pessoal delas não é da minha conta. Que sejam felizes e joguem muito, pois todas são grandes jogadoras.


Mas em relação à fase ruim da Carol, o lado bom tem sido as boas atuações da Mayhara. Ela tem entrado muito bem... sempre achei ela um desperdício no banco, mas ela também tem seus motivos.

Yano o Chato disse...

Carolanne foi ótimo. Isso mesmo! Afetou a Carol negativamente a deixando com a lerdeza do amor. Em compensação a Anne melhorou a autoconfiança. Vejam as últimas comemorações e voltem pra dizer gente. Vocês vão ver. Fico deprimido quando não tem vôlei na TV. Tenho que ficar vendo repetido.

Sergio disse...

Por que sempre tem o lado pessoal nisso?
A Carol teve um problema que a tirou de jogos do rexona. Ficou fora de ritmo. Quando voltou teve outro problema na lombar. Jogando no sacrifício. Simples assim.

Yano o Chato disse...

Não tem que ter, Sérgio. De repente você está certo. Foi só especulação, e um pouco de humor. E fofoca, é claro.

Rodolpho Francis disse...

Mas que fez bem pra Anne, isso é fato. kkkkkkkk

L. Mesquita disse...

Definido em SORTEIO os confrontos dos PLAY-OFF's da CHAMPIONS: 1. VOLERO ZURICH X VAKIFBANK, 2. FENERBAHC X ECZACIBASI VITRA, 3. MODENA X DINAMO MOSCOW. O CONEGLIANO, como SEDE, ja esta classificado e aguarda os 3 vencedores desses confrontos para o FINAL FOUR. Eu estou torcendo muito para o VOLERO ZURICH de RYKLIUK, FABÍOLA e MARI-PB e para o FERNERBAHC de KIM YEON KOUNG, NOOTSARA TOMKOM e NATALIA ZILIO.

L. Mesquita disse...

So para reforcar a TESE que um dos grandes problemas da RUSSIA eh a FALTA DE LEVANTADORAS CRIATIVAS E TALENTOSAS, eh a CENTRAL EKATERINA ORLOVA que jogando com FABIOLA no VOLERO ZURICH vem sendo bastante acionada no ataque e ja terminou partidas como a MAIOR PONTUADORA DA EQUIPE. Se FABIOLA consegue por as CENTRAIS russas pra jogar, como dez no KRASNODAR e, agora, faz no VOLERO ZURICH, o que falta na RUSSIA sao levantadoras que nao sejam roboticas...

Chandler Bing disse...

L. Mesquita, Orlova é um tanto meia boca no ataque, mas compensa muito no bloqueio, mas mesmo assim Fafá coloca ela pra atacar. Se não me engano, ela é uma das melhores bloqueadoras desta edição da Champions.