sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Sufoco contornado

Rexona-Sesc 3x1 Genter Bauru

Foto: Alexandre Loureiro/CBV

O Bauru não incomodou o Praia Clube nem o Osasco no primeiro turno da Superliga, mas pelo jeito gosta de complicar a vida do Rexona. No reencontro do segundo turno, o time paulista conseguiu novamente conquistar um set das cariocas. E olha que poderia ter levado dois, se no primeiro set não tivesse se atrapalhado com a boa sequência de saques da Drussyla. 

Até gostaria de poder dizer que a boa atuação nos dois primeiros sets foi total mérito do Bauru, mas não seria 100% correto.

É verdade que o time, mesmo sem uma recepção perfeita, conseguiu trabalhar com bolas velozes, virar com facilidade e complicar o passe adversário. No entanto, o Rexona colaborou para que o jogo do Bauru fluísse nos dois primeiros sets ao apresentar um saque fraco e bobear defensivamente.

O bloqueio do Rexona não conseguia sequer encostar nos ataques do Bauru. Ataques que mal apresentavam variações: eram bolas na ponta e deu. Atrás, Buijs comia mosca na defesa. Tanto que a entrada da Drussyla no lugar da holandesa foi fundamental para que a equipe, além de virar e vencer o primeiro set, melhorasse o saque e o fundo de quadra, exatamente os aspectos que faltavam para o time crescer e encurralar o Bauru. 


*********************************

O Bauru joga muito certinho e redondo quando não sofre qualquer pressão. No momento em que o adversário coloca maior agressividade no saque e trabalha mais a bola, o time se desestrutura e começa a cometer erros em sequência. Se as falhas não são na recepção, são no ataque. A equipe perde a capacidade de trabalhar a bola no ataque e confiar no seu bom sistema defensivo.

Na partida desta quinta-feira, o Bauru cometeu uma enxurrada de erros: 35. Contra qualquer equipe esse número, além de assustador, compromete o resultado. Contra o Rexona, sempre comedido nas falhas, nem se fala. 

*********************************

O Rexona ainda apresenta fragilidades na recepção, o que não tem poupado nem a líbero Fabi. Não duvido que Drussyla, mostrando cada vez mais segurança quando entra, tome o lugar da Buijs para que o time reforce não só o passe como também a defesa. 

A Roberta está ainda naquela de altos e baixos. Continuo achando que precisa melhorar a qualidade dos contra-ataques e aprimorar a china com a Jucy e as bolas de meio fundo em busca de maior regularidade. 


******************************

Embora tenha ganhado com folga os dois últimos sets, o que o Rexona apresentou na vitória contra o Bauru não foi um bom voleibol. Mesmo assim, é curioso como o time passa sempre a confiança de que irá ou manter o bom desempenho durante a partida ou, como foi o caso contra o Bauru, se recuperar no placar. 

De outras equipes do mesmo nível, a expectativa é contrária. Fica sempre aquela desconfiança sobre até quando o time vai conseguir manter o ritmo ou se será capaz de reagir num momento de desvantagem.  

Ainda que com problemas sérios a resolver, o Rexona consegue ser menos suscetível a tropeços e resultados inesperados do que seus principais adversários. E fica difícil ameaçar a liderança isolada carioca na SL.

7 comentários:

Rodolpho Francis disse...

Bauru é muito ruim. E ainda tem gente que pediu a Thaisinha na seleção. No Bauru a unica que se salva é a Castilho e a Bruna. Mari só merece entrar nas inversões mesmo. A Rivera esta tão pesada que o seu alcance no bloqueio é menor que o da Tonkom. Juma é aquela coisa, hora ta ruim, hora ta péssima. Nem falo nada das centrais. Eu torço pro Rexona, mas quando ele não esta jogando eu torço pro Bauru, e esperava um jogo equilibrado entre essas duas equipes mas não aconteceu. Do outro lado a Monique mostrou que é uma jogadora extremamente regular. Ela não é de carregar um time nas costas, mas quando tem atacantes que ajudam, ela consegue ser a bola de segurança. Variou muito o ataque(deu uma aula, na verdade). Gabi mostrou que tem bola pra ser titular da seleção, as centrais e a Fabi são sempre regulares. Ponto negativo do time foi a Anna e a Roberta.

Joffre Neves disse...

Miha com 30kg a mais,de cadeira de rodas e um dedo quebrado na mão direita joga muito melhor que a Buijs em boa forma.

L. Mesquita disse...

Não acho que o time do BAURU seja ruim,acho que BAURU tem um bom elenco com muito boas jogadoras,porém,considero o time mal dirigido.KWIEK parece perder o controle do time no decorrer do jogo e fica meio sem saber o que fazer.O mesmo acontecia no controle da Rep.Dominicana.Quantas vezes já vi a Rep.Dominicana começar um jogo bem e tomar a virada.Acho que a Rep.Dominicana foi a seleção que mais perdeu jogos no tie break nos últimos tempos.Pelo elenco que tem era para o BAURU,mesmo que não vencesse,fizesse jogos mais duros contra seus adversários do TOPO DA TABELA.Não sei se e´desânimo ou perda de fôlego ou descontrole emocional,mas terminar um jogo perdendo um set de 25x14 jogando em casa não dá né?

Joao Ismar disse...

Vi poucos jogos do Bauru nesta SL e todos que eu a vi a Bruna esteve péssima. Aí vejo o comentário do colega e outras anotações em alguns sites falando das boas atuações da oposta e eu fico tipo: "oi?". Será que sou eu que estou sendo injusto com ela? Acho o Bauru um time MUITO mal formado, com exceção da libero o time não tem titulares e reservas definidas, é um grupo bastante homogêneo com jogadoras medianas, aí na hora da decisão as jogadoras não tem "capacidade" ou confiança pra colocar a bola no chão. Não adianta ter cinco ponteiras no elenco e não ter confiança em nenhuma delas seja pra passar ou pra atacar. Pior que isso é só ver as Sérvias no banco pra Gabi e Paula no Osasco. :(

L. Mesquita disse...

João Ismar,em relação em ver as SÉRVIAS no banco pra Gabiru e Ana Paula Borgo é realmente IMCOMPREENSÍVEL!!! Só mesmo na cabeça do LUIZOMAR... O mesmo serve pra CAROL ALUBQUERQUE no banco quando DANI LINS começa a falhar. já no BAURU,acho que o problema maior é de condução do time e não tanto das jogadoras.

L. Mesquita disse...

A POLÕNIA,o país mais apaixonado por vôlei na EUROPA,e a delegação brasileira que foi à FIVB na SUÍÇA discutiram a criação da Super Cup Finals. A competição envolveria os vencedores das Supercopas da POLÕNIA e do BRASIL. Na primeira conversa, a ideia é fazer o jogo feminino em território polonês, com o masculino sendo disputado no BRASIL. Os times poloneses mais fortes na atualidade são,no FEMININO:Chemik Police E MKS Dąbrowa Górnicza e no MASCULINO:Zaksa Kędzierzyn-Koźle,PGE Skra Bełchatów E Asseco Resovia Rzeszów.

L. Mesquita disse...

Depois de 2 tie-breaks seguidos contra o NESTLÉ o PINHEIROS estava irreconhecível ontem! As atacantes do PINHEIROS errando muito.Porém, o que motivou o erro das atacantes do PINHEIROS foi o festival de tocos do MINAS.O grande diferencial da partida foi o PAREDÃO do MINAS que matou o jogo no bloqueio.Foram 12 pontos diretos no bloqueio do MINAS contra apenas 5 do PINHEIROS sendo que MARA com 7 pontos de bloqueio marcou mais pontos que o time todo do PINHEIROS.MARA,HOOKER e ROSAMARIA foram os maiores destaques da partida.