terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Luizomar quer estar em Tóquio 2020


João Pires/Fotojump
Luizomar de Moura acompanhou de perto os Jogos Olímpicos do Rio. Nas partidas do vôlei feminino, ele foi presença constante no ginásio. Em Tóquio 2020 ele quer novamente marcar presença, só que dentro da quadra.

O atual treinador do Osasco irá assumir o comando do Peru. A meta é classificar seleção feminina para a Olimpíada de 2020. Luizomar substitui o também brasileiro Mauro Marasciulo, que comandou o Peru entre 2015 e 2016. 
*******************************

O perfil de Luizomar se encaixa bem com o grupo bastante jovem que a seleção peruana tem no momento. Ele tem mais de uma década de trabalho nas categorias de base da seleção brasileira e fez parta da formação de muitas atletas nacionais.

Luizomar sabe trabalhar com as jovens e deve, pela sua experiência, conhecer bem o material humano que terá a sua disposição. Não tenho dúvidas de que poderá contribuir para uma melhora técnica das atletas e, até, consequentemente, de desempenho do grupo.

No entanto, a meta da classificação para 2020 é bastante ousada. Apesar de ter uma jogadora fora de série, caso da atacante Leyva, o Peru precisa passar por um amadurecimento enquanto time.

Falta rodagem em disputas mais profissionais e de maior exigência. Notou-se isso quando a seleção peruana disputou o Pan de 2015 e o pré-olímpico de 2016 - ainda que nesta competição tenha surpreendido alguns favoritos. Bastante jovem, jogou como tal. Ou seja, errou bastante e teve dificuldade de manter o ritmo de jogo e concentração.

*******************************
Não sei se em quatro anos o Luizomar consegue levar o grupo a fazer esta ultrapassagem para a “vida adulta”, tornar uma equipe com potencial em forte candidata a uma vaga olímpica. Até porque a seleção peruana precisa, antes do mundo, reconquistar espaço na América do Sul, disputando com a Argentina (a atual) e a Colômbia (uma pretendente) o espaço de segunda maior força do continente.

Por isso, acho que o Luizomar terá mais um papel de armar as bases para o ciclo seguinte, 2021-24. Quem sabe ali, com um treinador com perfil mais competitivo e ambicioso, o Peru torne a vaga olímpica uma realidade. 

*******************************
Mesmo com a nova função, Luizomar não deixa o comando do Osasco. Ao menos não nesta temporada. 
Conciliar time e seleção não é novidade alguma, as funções podem ser bastante compatíveis a depender do profissional e das equipes envolvidas. Mas seria uma boa oportunidade para a Nestlé pensar em colocar o Luizomar em segundo plano, em uma função mais de gestão, na próxima temporada.

5 comentários:

Joffre Neves disse...

Se o Peru fosse esperto dava pra conversar com o Spencer Lee,mais confiável.

L. Mesquita disse...

1.LUIZOMAR está acostumado a trabalhar com elencos CAROS e ESTRELADOS,mesmo assim não tem conseguido conquistar os títulos que o REXONA com um elenco mais modesto que o NESTLÉ vem papando atualmente,será que com o ELENCO limitado do PERU ele terá SUCESSO???
2.No PERU ele não terá as SÉRVIAS como desafogo nas horas críticas...
3.A experiência com categorias de base é uma coisa,lá a missão dele é fazer a seleção adulta voltar a ser vencedora.
4.Será que essa não seria a deixa para a NESTLÉ efetivar o SEPENCER LEE como técnico principal e deixar o LUIZOMAR como assistente?
5.Com exceção de Ângela Leyva,não detectei na seleção peruana nenhum grande talento comparável às lendárias Denise Fajardo,Miriam Gallardo,Rosa García,Gabriela Pérez del Solar,Cecilia Tait,Gina Torrealva e Cenaida Uribe.Ou seja,faltam peças de reposição para formar uma nova geração vitoriosa como ocorreu até o início dos anos 1990.
6.Será que LUIZOMAR tem a capcidade de tirar LEITE DE PEDRA desse time???
7.Vale ressaltar que a modesta equipe do RIO DO SUL,à época dirigida pelo SPENCER LEE foi ao PERU e conseguiu dar uma surra de 3x0 nas PERUANAS dentro da casa delas,que estavam se preparando para o PRÉ-OLÍMPICO SUL-AMERICANO com o time COMPLETO.O RIO DO SUL ainda estava desfalcado de suas GRINGAS titulares:Mimi Sosa e Tatiana Rizzo, que estavam com a Argentina, em preparação para o Pré-olímpico Sul-americano.Isso só pra vocês terem a noção da pobreza do elenco peruano.

Yano o Chato disse...

Eu acho que a tendência é que o Luizomar abra espaço para o Spencer. Um cara que quase infarta em quadra não iria acumular duas funções dessa forma. Acho que as coisas fluirão assim (espero).

Outra coisa, fiquei aqui devaneando com meus carneiros. Essa informação só apareceu depois que o Bernardo saiu e o novo técnico foi definido. Será que em algum sonho o Luizomar achou que poderia ser ele o técnico da seleção masculina? Ou eu que fumei cocô?

L. Mesquita disse...

É certo q sonhar não custa nada, mas ser técnico da masculina seria um sonho pra ele e um TREMENDO PESADELO para os outros...

L. Mesquita disse...

Os peruanos acompanham a Superliga e estão com um pé atrás em relação ao desempenho do Luizomar com o time caro do NESTLE e a limitada selecao peruana:" Con respectivamente a Luizomar, creo que los hinchas de Brasil tienen en contra de el, es que ya hace varios años, se le han montado los mejores y mas milylonarios planteles del Sollys Nestle (Osasco) y no ha podido ser campeon de la Superliga, perdon si fue campeon el 2011/2012 pero debio haber sido campeon mas años.". Ou seja, num mundo globalizado, não dá pra tapear muita gente.