Vamos falar de coisa boa?



Dentro e fora do âmbito esportivo, 2016 nos deu muitos motivos para desejar o seu fim logo. Mas para não nos despedirmos com ressentimentos, vale a pena lembrar que o ano foi palco para alguns grandes jogos de vôlei feminino. Por isso, o Papo de Vôlei escolheu 5 partidas que marcaram o ano de 2016.

São eles (em ordem cronológica):


Vôlei Nestlé/Osasco 3x2 Rexona – 1ª semifinal da SL 15/16 

Depois de dez finais, pela primeira vez Osasco e Rexoxna se encontraram numa semifinal da Superliga. Isso, por si só, já seria marcante. Para melhorar, a partida foi acirradíssima. Sobre o Osasco pairavam enormes desconfianças, mas o time da casa fez naquela noite a sua melhor atuação no campeonato. Anulou a Natália, obrigou o Bernardinho a trocar de levantadora e ainda contou com uma Carcaces inspiradíssima.

Foram voltas e reviravoltas no placar, provocações e um clima quentíssimo de decisão que somente a maior rivalidade do vôlei brasileiro poderia oferecer.

Quer relembrar? Veja o vídeo aqui e comentário do Papo aqui


Rexona 3x1 Dentil/Praia Clube - Final da SL 15/16
 

A primeira final de SL do Praia Clube, a 15ª do Rexona. Como se vê, o desafio para o time mineiro era enorme e ele não deixou a desejar. Ameaçou de verdade a hegemonia carioca numa partida de alto nível que poderia ter acabado, tranquilamente, no quinto set.

O duelo final era para ter um ingrediente a mais: o encontro das duas melhores atacantes da competição, Álix e Natália. Mas só a norte-americana, na sua primeira temporada no Brasil, se destacou. Do lado carioca, Monique e Gabi compensaram a falta da colega, reforçando aquela máxima de que o conjunto é a maior estrela do Rexona.

Quer relembrar? Veja o vídeo aqui e comentário do Papo aqui
 

China 3x2 Brasil – Quartas de final da Olimpíada 2016 


Ok, este jogo, por seu resultado, está tranquilamente também nos piores momentos do ano. Mas, temos que admitir, foi um jogão. Seja pela emoção da disputa até o último ponto seja por tantas histórias que contemplou em seus cinco sets. Teve o primeiro set arrasador do Brasil, a virada chinesa nos dois sets seguintes e a recuperação brasileira no embalo da torcida no quarto set. Sem contar as mexidas de Lang Ping que renovaram a seleção chinesa e as mexidas tardias (e as não mexidas) do Zé Roberto que nos fizeram (e nos fazem até hoje) imaginar como teria sido se algumas peças tivessem sido utilizadas no tempo certo. Foi triste, mas foi muito bom.

Quer relembrar? Veja o comentário do Papo aqui



Sérvia 3x2 Estados Unidos – Semifinal da Olimpíada 2016 

A Sérvia não apresentou o melhor vôlei dos Jogos, mas teve uma capacidade de superação incrível, inclusive nesta semifinal quando provocou uma reviravolta no tie-break. Não deixou de acreditar nunca, bagunçou a recepção e, por consequência, a organização do adversário. Teve na Mihajlovic uma líder inspiradora e na jovem atacante Boskovic a sua força de decisão para chegar na sua primeira final olímpica. 

Acho que esta partida representa muito bem o que foi o time da Sérvia nos Jogos e muito do que esta edição da Olimpíada representou ao vôlei feminino. O que era para ser o final de um ciclo olímpico acabou por ser, na verdade, a introdução do próximo. Estes Jogos sinalizaram uma nova era, com forças ousadas e corajosas como Sérvia, China e Holanda dando uma arejada no cenário mundial e deixando seleções como Brasil, EUA e Rússia com muito a questionar sobre seus trabalhos.

Quer relembrar? Veja o comentário do Papo aqui

 
Eczacibasi 3x2 Casalmaggiore - Final do Mundial de Clubes
 

Apesar de ser no início da temporada, o Mundial de Clubes de 2016 proporcionou uma porção de partidas emocionantes e super disputadas. Escolhi esta final como poderia ter escolhido o jogo do Rexona contra o Eczacibasi ou mesmo contra o time italiano. Ou então a semifinal entre os times turcos ou a vitória do Volero contra o Vakifbank.

Ok, pode-se questionar a qualidade deste embates, que realmente não foi das mais altas. Esta final mesmo teve um Eczacibasi abaixo do que poderia apresentar. Mas o fato de equipes com menores investimentos terem enfrentado de igual para igual as seleções mundiais que se tornaram os clubes turcos deixou empolgante a competição.

Na decisão, o Casalmaggiore amenizou o estrago que o arsenal ofensivo do Eczacibasi poderia fazer bloqueando e defendendo muito. E o Eczacibasi respondeu com a Kosheleva brilhando na hora decisiva.

Quer relembrar? Veja o vídeo aqui e comentário do Papo aqui


 
********************************
  
Obrigado a todos que compartilharam com o Papo de Vôlei estas partidas e tantas outras durante o ano de 2016. Nos encontramos no próximo ano para mais uma jornada! FELIZ 2017 !!!

Comentários

Joffre Neves disse…
Imfelizmente não consigo mais ver essa partida entre Brasil x China não pelo resultado em si mas pela despedida das gênias Sheilla e Fabi da seleção.O depoimento pós jogo aos choros é algo quem me dói bastante.
Mantronix Inc disse…
Feliz 2017 p/ vc Laura e p/ todos q participam do Blog.

ps: Eu não consigo entender pq todos jogos olímpicos de vôlei do Rio 2016 no youtube estão micados com tela reduzida e com enfeite de bolas pelos cantos. Lamentável.
Cas disse…
Mantronix Inc,
Esses vídeos ainda não podem ser postados, quem tem os direitos sobre eles derrubam assim que são postados, e eles são encontrados por reconhecimento de imagem, não só pelo titulo do video. Por isso que eles precisam ser postados desse jeito, com tela reduzida, com algumas imagens na frente, pra dificultar o reconhecimento automático. Tem muitos videos desse tipo no youtube que são espelhados também por esse mesmo motivo. O video normal em qualidade boa só deve ter quando o próprio canal da olimpíada postar. (Mas ta demorando mesmo pra isso acontecer)
George disse…
Laura,

Apenas como correção, a jovem sérvia é a Boskovic.

Concordo com todos os momentos, foi um ano de muito voleibol.
Esse formato do Mundial, já mudaram tanto e nunca realmente dá certo.
Todos os clubes não conseguem se preparar de acordo. Até mesmo ganhando, o Eczacibasi deixou a desejar.
Que essa SL nos reserve surpresas, como a chegada do Praia na final em 2016.
Yano o Chato disse…
Taisinha arrasando, bloqueando mais que as "gigantas" da superliga.

http://globoesporte.globo.com/sp/sorocaba/volei/noticia/2017/01/com-thaisinha-convocada-bauru-se-reapresenta-de-olho-em-maratona.html#esporte-volei
L. Mesquita disse…
O ruim disso tudo é que o Zé permaneceu no comando da seleção... Vamos ter panela de novo e essa chatice ineficiente de "CICLO OLÍMPICO".Técnico ganha jogo e a LANG PING provou isso!A China não era a seleção com as MAIORES ESTRELAS da OLIMPÍADA,mas era a seleção que tinha a técnica mais inteligente!Ao meu ver a seleção de GIGANTES da SÉRVIA era a seleção que reunia o maior número de talentos individuais aliadas à altura das jogadoras.Craques PORRADEIRAS com grande poder de ataque,saque e bloqueio como a BRANKICA MIHAJLOVIC,TIJANA BOSKOVIC,JELENA NIKOLIC,JOVANA BRAKOCEVIC,STEFANA VELJKOVIC,JOVANA STEVANOVIC,MILENA RASIC,TIJANA MALESEVIC todas orquestradas pela talentosa levantadora MAJA OGNJENOVIC.Enquanto isso a grande craque da CHINA era a TING ZHU.Assistindo ao baixo nível técnico dos jogos do CAMPEONATO CHINÊS,denunciados pelo GEORGE,se reforça mais ainda a TESE de que quem ganhou a OLIMPÍADA foi a técnica LANG PING.Por exemplo,a CHINA perdeu feio o primeiro set para o Brasil,mas LANG PING destruiu o estático Zé,fazendo as substituições necessárias e mudando a estratégia do jogo enquanto o Zé inerte tinha medo de tentar alguma coisa... Enfim,no masculino,também ganhou o MELHOR TÉCNICO,O BERNARDINHO,pra mim a grande final foi o JOGO BRASIL 3X1 FRANÇA 25–22, 22–25, 25–20, 25–23,um jogo duríssimo que devido aos tropeços inesperados de BRASIL e FRANÇA contra ITÁLIA e EUA,fizeram com que quem perdesse o último jogo da fase de classificação fosse eliminado.A FRANÇA,CAMPEÃ EUROPEIA-2015 e CAMPEÃ DA LIGA MUNDIAL-2015,dos craques Jenia Grebennikov,Antonin Rouzier,Benjamin Toniutti,Kévin Tillie,Earvin N'Gapeth,Kévin Le Roux,Pierre Pujol,Nicolas Le Goff e Nicolas Maréchal era a equipe FAVORITA a fazer a final com o Brasil.O Jogo mais difícil do Brasil na Olimpíada foi mesmo contra a França,mais difícil que o 3x0 contra a RÚSSIA na semifinal e que o 3x0 contra a final contra a Itália na final.