Acima dos próprios erros


Vôlei Nestlé/Osasco 3x2 Rexona/Sesc

Depois da partida contra o Praia Clube, eu era capaz de dizer que se o Osasco abusasse dos erros novamente contra o Rexona, o jogo sequer iria para o tie-break, as cariocas matariam a parada em três ou quatro sets.

Ledo engano. O Osasco errou demais (29 pontos), mas mesmo assim saiu vencedor. O que apresentou em quadra foi suficientemente na medida para superar suas falhas e o instável Rexona. Não fossem os erros bobos e não forçados de saque e, principalmente, de ataque, o Osasco teria conquistado a vitória com mais folga. 
******************************

Isso porque, além de ter sido mais decisivo no bloqueio e no ataque, enfrentou um Rexona que teve que se reestruturar durante a partida. O duelo, aliás, me lembrou a primeira semifinal da SL 15/16 quando o Bernardinho teve que colocar a Roberta no lugar da Thompson para tentar que o time se encontrasse no jogo.

Desta vez, porém, a Roberta é que foi sacada depois de um segundo e início de terceiro sets ruins, pecando pela falta de qualidade nos levantamentos. A atuação da Roberta também foi comprometida pela falta de entrosamento com a Mayhara (que substituiu a Carol, adoentada) numa rede de duas atacantes, em que a central era fundamental para desafogar o ataque carioca.

Com Camila Adão, vieram do banco outros reforços para o Rexona: Helô e Drussyla. As duas deram fôlego ao ataque que estava com dificuldade de virar. A ponteira entrou bem mais segura do que nas outras ocasiões, sendo importante no ataque e no bloqueio. 
É verdade que a pressão do passe não esteve em cima dela, mas sim da Gabi, que esteve numa noite muito ruim neste fundamento. E acho que foi o passe o golpe fatal para o Rexona, o elemento que anulou os pontos de graça dados nas bobeadas do Osasco.

A recepção foi problema para os dois times, só que o Osasco conseguiu sair melhor das dificuldades que isso impunha com a Tandara decidindo no ataque. O Rexona perdeu o poder de decisão no ataque durante o tie-break enquanto o do Osasco só cresceu. 
******************************

No primeiro clássico Osasco x Rexona não faltou emoção ainda que a qualidade tenha tido seus altos e baixos. Ao mesmo tempo que vimos muito volume de jogo, rallies e belas combinações de jogadas também tivemos que assistir a bolas fáceis não defendidas, toques na rede e outros momentos que quebravam o clima da disputa.

Fica a expectativa de que, no próximo turno, vejamos um confronto de mais alto nível. Até lá, espero que o Osasco acrescente às boas atuações que vem fazendo na defesa e no bloqueio - e também ao seu poder de fogo - um melhor controle dos seus erros. Não desperdice tantas oportunidades e aposte no trabalho da bola porque tem qualidade para isso.

Para o Rexona, se os problemas na recepção e a inconstância da Roberta preocupam, ao menos ele sai do clássico com a certeza de poder contar com seu banco. Algo me diz que as meninas se farão bastante necessárias, principalmente a Drussyla já que a Buijs até agora não disse a que veio. Em toda grande partida, a holandesa tem deixado o time na mão. 

******************************
Demais resultados da 9ª rodada:

Camponesa/Minas 3x1 Dentil/Praia Clube

Pinheiros 1x3 Fluminense

Terracap/Brasília 3x0 Renata/Valinhos

Sesi 2x3 São Cristóvão Saúde/São Caetano

Rio do Sul 0x3 Genter/Bauru

- Uma pena que não tenha tido transmissão também do outro grande jogo da rodada, Minas vs Praia. Pelos placares dos sets, o Minas ganhou com segurança a partida, o que é um grande avanço para um equipe que tem tido um primeiro turno tão instável. Com o reforço da Hooker, o time parece estar mais equilibrado tanto na atuação dos fundamentos como das jogadoras. Do outro lado, o Praia tem sentido demais a falta da Álix.

Comentários

Rodrigo André disse…
Não podemos negar que o Osasco tem nos proporcionado emoções. É um time instável, mas tem bola pra brigar lá em cima. O Rio apostou em Roberta, e veremos se ela vai segurar a onda. Como é um time de conjunto, ela tem que ser precisa para conseguir o melhor de suas atacantes que não carregam pianos. Sobre o Praia, acho que se equivocou na montagem do elenco. Não soube gastar e reforçar o passe, que era seu ponto fraco. E com um time de jogadoras experientes, sofre com contusões, não consegue ter sequência. Eu teria dispensado Ramirez, e apostado numa oposto mais jovem, como Helo ou Barbara. Contratado uma libero mais segura. E feito um banco mais jovem tb Gastaria o mesmo, talvez menos, e estaria mais competitivo.
George disse…
Nestle parece que, finalmente, tem um time mais comprometido esse ano. Podem falar o que for, mas a Tandara vem voando esse ano e pronta pra resgatar a vaga dela na seleção. A Dani tem aqueles lampejos de levantamentos geniais e depois faz umas combinações erradas e desanda tudo novamente. Como torcedor que sou, vou elencar os pontos positivos e negativos do jogo de ontem:
*Negativos
- A Roberta está muito instável. Ontem achei q o Bernardo ia voar no pescoço dela hahaha
- O passe da Gabi é bem razoável, mas ontem foi sofrido de acompanhar.
- A Brait abusou dos erros. Uma quantidade de bolas defensáveis que ela não conseguiu entregar.
- Saraelen que era uma das esperanças de crescente da nova geração de centrais baixas, não lembra nem de longe a Sara que substituiu Ade e Thaisa na temporada passada.
- Mayhara muito abaixo do que a Carol poderia apresentar.
- Paula e Bjelica não funcionaram. A brasileira segue devendo em jogos importantes.
- Buijs é muito irregular, tem muito a crescer, mas no fim desse 1º turno, é a jogadora que mais fica devendo no elenco inteiro.
- Luizomar vai morrer abraçado na Gabiru. A Malesevic erra 1 passe, ele coloca a Gabiru em quadra (que erra várias seguidas) e não tira nem por decreto. A sérvia foi contratada para ser titular e, em 90% do tempo, entrega a bola na mão da Dani e tem sido bastante regular no ataque também.
*Positivos
- Tandara, mesmo sem treinar desde o jogo do Praia, foi pro jogo e teve uma apresentação brilhante.
- Helô fez um belo jogo, mostrando pro Bernardo que existe algo além de Monique.
- Drussyla fez uma partida mais consistente. Me lembrou um pouco a Gabi que bancou a Logan Tom algumas temporadas atrás.
- A torcida do Osasco cantou e vibrou o tempo inteiro. Dessa vez achei bem respeitosa, coisa que em algumas ocasiões eu não achava.

P.S: Só eu que vi todas as principais jogadoras do time indo comemorar a vitória com um grande abraço no Spencer?! Serão sinais dos novos tempos?
Paulo Roberto disse…
Osasco sendo Osasco. O time é o retrato fiel da levantadora e do técnico. A obsessão do Luizomar pela Gabiru, me lembra o ZRG com a Natália, deve haver alguma lei para que eles não tirem elas da quadra mesmo entregando um caminhão de pontos em erros pro adversário. A Roberta tem me surpreendido negativamente nessa temporada, parece que não está segurando a barra de ser titular do Rexona e pelas características do time como a Laura falou esse pode ser um fator decisivo para as pretensões cariocas. As líberos estiveram um pouco abaixo, principalmente a Brait que cometeu erros bobos.

Quanto ao Praia concordo com o Rodrigo o investimento não foi feito pensando em sanar as dificuldades já apresentadas na temporada anterior.

Bauru e Brasília surpreendendo e o Minas com potencial de crescimento com a chegada da Jaque e da Hooker; de repente ascendeu a esperança de termos um desfecho diferente dessa vez.
Gustavo disse…
Mesmo com tantos erros, foi definitivamente uma partida digna da rivalidade, mas até pelos apagões, em especial de Osasco, não tinha liderança segura.

Se Osasco vencesse, como aconteceu, falaríamos da Tandara, se o Rexona vencesse, do Bernadinho, a grande atuação dela pendeu a balança pra Osasco, mas as mudanças dele mantiveram o Rexona no jogo, Anne não foi bem, acabou entrando a Drussyla, que foi mais sólida, mas o que deu mais certo foi a saída da dupla Monique-Roberta, Helô assumiu bem as pontas no ataque e tomara que tenha mais chances, a Monique pode até ser uma jogadora sólida mas nunca irá além daquilo que já é hoje, diferente da Helô, já a entrada da Camilla Adão foi mais pelo jogo horrível da Roberta, lembrou os tempos em que o Bernardinho fazia isso com a Dani Lins quando ela dava pane, o problema mesmo é que Osasco acabou também por aproveitar todas as idas dela à rede pra atacar em cima dela sempre. Ainda teve o passe da Gabi, que falhou bastante, mas fora o desfalque da Carol, que reduziu a força do bloqueio, jogar com um time quase reserva não levou o Rexona a derrota, ainda mais pelo jogo ruim das titulares.

A exceção de tirar a Saraelen (que foi muito mal) pra entrada da Nati, Luizomar fez várias escolhas questionáveis, parecia que Paula e Bjelica tavam brigando pelo lugar no banco, não pela titularidade, Paula foi inconsistente, teve momentos bons, em especial no segundo set, mas aí foi parada no simples pela Gabi e sacada no 3º, entrou a Bjelica e não fez nada mas mesmo assim Luizomar continuou com ela durante o set inteiro, outros sets ela apareceu menos, sem contar as entradas da Gabiru pra "estabilizar o passe", só deu certo mesmo no tie-break, de resto ela levou ace em cima dela quando entrou pra substituir a Tandara no passe, passou bola de cheque quando substituiu a Malesevic e invadiu por cima quando Osasco tinha um contra ataque com a chance de passar a frente em um set. A Brait foi um caso curioso, ela cometeu cada erro grosseiro nos primeiros 4 sets, deixou umas bolas defensáveis passarem, aí defendeu até pensamento no tie-break.

O Praia tá sentindo demais a falta da Alix, ter as centrais que tem tem pouco adiantado quando as atacantes de ponta não viram, fora o passe, que segue inteiro nas costas da Michelle, Minas precisava dessa vitória, vão finalmente ter time completo mas a vantagem dos 5 primeiros é muito grande.

Felizmente o Sanca venceu o SESI, com os rumores de que o segundo pode fechar o time feminino, melhor que o primeiro siga na Série A, até pelo trabalho que sempre faz em promover novas jogadoras.

Interessado em Bauru x Brasília, dois times que estão 7-2, são duas das melhores equipes na recepção, no ataque Brasília é melhor e tem melhor levantadora, mas Bauru defende melhor, diria que o Brasília é favorito por ser mais balanceado no ataque, Bauru melhorou nisso mas ainda é bem dependente da Thaisinha e da Bruna.
Yano o Chato disse…
Por que o ze roberto não usa a tandara como ponteira? fica forçando ela a ser oposta, dando o prejuízo que dá. quando ela joga de oposta dá um monte de largadinhas cruzadas, que nunca caem. na ponta ela solta a porrada. e natália deveria sair da ponta e ir para a saída. o passe das duas é a mesma merda, mas nesse esquema elas virariam mais bolas, eu acho.
Joffre Neves disse…
Testaria Rosa e Tandara nas pontas e Natália na saída,juma ou nayane como titulares,Adê e Thaísa no meio de rede(caso a Thaísa não queira poderia ser a jucy) e Léia.
L. Mesquita disse…
Naiane na seleção??? Nunca!!! Tem MACRIS, FABIOLA E CLAUDINHA melhores q ela!!!!
L. Mesquita disse…
As dominicanas BRENDA CASTILLO E PRISILA RIVERA e a campeã olímpica Marianne Steinbrecher arrasam, Mari foi eleita melhor no jogaço entre BAURU E BRASÍLIA. Com esse resultado, BAURU assumiu a Vice-liderança, atrás apenas do REXONA na classificação da Superliga!!!
Mantronix Inc disse…
Spencer Lee além de um ótimo técnico é um querido. Formou muitas das jogadoras promissoras q estavam lá em quadra inclusive a Helô e a Paula Borgo, e uma curiosidade q poucos sabem, Spencer Lee faz parte da comissão técnica da Seleção Brasileira Para-olímpica de vôleibol sentado.

Eu tenho um olhar completamentamente divergente à escolhas de alguns técnicos:

O q Bernardinho vê na Mayhara??
O q Luizomar vê na Saraelen?
O q Zoran Terzić vê na Mari Paraíba pra deixar Carcaces no banco no Volero Zurich?
O q o Giovanni Guidetti vê na Gözde pra deixar a Hill no banco????

Me expliquem !

Obs: Acho q Ramirez esta apresentando tremenda dificuldade em passar pelos bloqueios.

Tássia quando jogava pelo Minas brilhava, mas desde a temporada passada apresenta uma queda na recepção e na qualidade de defesa, o motivo é uma icógnita, precisa ser estudado e identificado.

Saudades da Suellen.

George disse…
Mantronix, a Mayhara quando jogava no Praia era muito boa, nem de longe parece com a jogadora que estava em quadra contra Osasco. A Saraelen ano passado jogou muito bem e esse ano desapareceu, não entendi essa decaída. Bem como a Tássia que vem perdendo o jogo que tinha no Minas.
Nos jogos do Volero que eu assisti dessa temporada, a Mari sempre esteve no banco. Mas se estiver em quadra é pra estabilizar o passe, coisa que a Carcaces definitivamente não tem.
Quanto a Sonsirma no lugar da Hill, praticamente a mesma coisa... Só que a Sonsirma é mais regular, mas nos lampejos da Hill, ela coloca a turca no bolso. O Vakif é, com toda certeza, quem tem o melhor elenco turco (as jogadoras turcas... Sonsirma, Naz, Akman).
Ontem, assistindo ao jogo do Fener, percebi que o elenco turco é muito fraco. A líbero é bem ruinzinha, bem como as centrais. Sem a Kim, é só mais um time comum. Natália acabou salvando o time, mas ta longe da jogadora do Rexona.
Yano o Chato disse…
A Mayhara jogava muito bem mesmo no Praia. É difícil ser reserva o tempo todo e entrar assim e ter o mesmo rendimento que uma titular, ainda mais as centrais. Fora que ela não tem tanto entrosamento com a Roberta. Mas tenho certeza de que se ela fosse titular jogando todos os jogos seria bem melhor.
Particularmente, eu acho a Sonsirma bem mais completa e melhor jogadora que a Hill, também gosto mais do estilo dela.
Rodrigo André disse…
Se eu tivesse dinheiro para montar um time, as titulares seriam:
Macris
Walewska
Fabizona
Alix
Jaque
Helô
Brenda Castillo
Tec Paulo Cocco, Marcos K. Ou Bernardo.

Quanto as dúvidas, a Mari Paraíba é um colírio para os olhos...rs. Mayhara já foi melhor no Praia mas não era muito mais que isso não, é esforçada mas médiana, seria reserva em qualquer time bom. Me incomodam mais Gabiru, Saraellen, Andreia...hehe.