sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

A rodada que separou as mulheres das meninas


Vôlei Nestlé/Osasco 3x0 Genter Bauru

Ontem tivemos o encerramento do primeiro turno da Superliga 16/17. Primeiro turno que foi atípico, ao menos quando se trata da tabela de classificação. Não me lembro nas últimas temporadas termos tanto equilíbrio entre o segundo e quinto colocados, cujas posições só foram definidas na última rodada.

Porém esta última rodada acabou por assentar as coisas nos lugares com os quais já estamos acostumados e separar as meninas das mulheres. Ou seja, separou aqueles times que são aspirantes daqueles que realmente tem estofo para brigar pelas primeiras posições.
 
*************************************

O Bauru bem que deu alguns sinais de que poderia equilibrar a disputa com o Osasco, mas ficou só no ensaio. O poder ofensivo do time caiu juntamente com a queda de qualidade da recepção. As jogadas de primeiro tempo com as centrais, que tanto foram importantes no primeiro set, acabaram por ser cada vez menos frequentes e a concentrar o jogo pelas pontas.

Ficou difícil fugir do bloqueio e da excelente defesa de Osasco, que, inclusive, trabalhou com bem mais qualidade a construção dos contra-ataques, desperdiçando muito poucas bolas e sendo comedido nos erros.

Kwiek optou por começar com a Rivera no lugar da Mari Cassemiro exatamente para garantir um passe mais qualificado. Mas a dominicana, além de não ser assim tão especialista no fundamento, não colaborou no ataque, limitando ainda mais as opções da Juma. Por isso me surpreendeu a demora do treinador em colocar a Mari na partida para tentar alguma reação. 

*************************************
 
Do outro lado, a linha de passe do Osasco esteve segura em boa parte da partida e contou com alguns alívios de pressão com os erros do Bauru de saque, principalmente no terceiro set. Assim, o Osasco adotou uma estratégia de ataque muito parecida com aquela dos bons tempos de Thaisa e Adenízia, quando o jogo passava obrigatoriamente e frequentemente pelas centrais.

Os papeis foram muito bem feitos pelas novas protagonistas do meio de rede. Bia tem feito uma temporada de destaque, se firmando como opção de segurança para a Dani no ataque e sendo decisiva no bloqueio. E a Natália Martins assumiu a titularidade sendo bem mais participativa do que a Saraelen.

É de se lamentar que a jovem Saraelen não tenha conseguido se firmar como titular, mas a Natália deu uma opção de velocidade pelo meio muito importante e que funcionou muito bem contra o Bauru. A central, sem dúvida, merecia o Viva Vôlei que foi dado pelos torcedores à Tandara. 

*************************************
 
Tivemos nesta partida um cenário bastante parecido com o do Praia vs Rexona. Uma equipe se impôs através da agressividade do saque, do volume de jogo e do aproveitamento do ataque. A outra se intimidou, se perdeu em erros e não encontrou forças para responder à altura.

A diferença, é claro, é que o Osasco enfrentou um time mais limitado e sem grandes ambições. Apesar de ter capacidade para mostrar mais do que apresentou no confronto com Osasco, o Bauru tem feito uma campanha, até o momento, mais do que satisfatória e dificilmente ela sairá desta trajetória. Para ir além nesta temporada, o Bauru precisaria de mais recursos individuais ou de encontrar pelo caminho favoritos em crise de identidade.

Definitivamente não foi o caso do Osasco, que fez valer de forma muito explícita a sua superioridade. Mas poderá ser o do Praia se ele não se recompor deste primeiro turno bem mais ou menos que fez, encerrado de forma vergonhosa contra o Rexona.

Aliás, o segundo turno será a hora da verdade para o Praia e para o Minas. Ali saberemos se eles vão se juntar ao Rexona e ao Osasco no grupo das “mulheres” ou vão ficar com as “meninas”
do Bauru e de Brasília, aquelas que querem, mas ainda não estão entre os grandes.
*************************************
 
Demais resultados da 11ª rodada

Sesi-SP 0x3 Fluminense

Terracap/Brasília 3x2 São Cristóvão Saúde/São Caetano

Rio do Sul 1x3 Pinheiros

Camponesa/Minas 3x0 Renata Valinhos


- Acho que a magia do Brasília acabou. A não ser que consiga liberar o ataque pelas pontas, dificilmente conseguirá fazer frente aos grandes como fez no primeiro turno, mesmo jogando a maioria das partidas em casa.


*************************************

FELIZ NATAL A TODOS!!!

31 comentários:

L. Mesquita disse...

Acho que ao contrario de Brenda Castillo que jogou uma partidaça, a DOMINICA PRISSILA RIVERA enterrou o time do BAURU contra o OSASCO. As garotas NESTLÉ caçaram RIVERA no saque, foram 22 saques em cima da RIVERA até KWIEK substituí-la pela MARI CASSEMIRO. RIVERA veio para contribuir não só no passe como na POTÊNCIA DE ATAQUE, mas ontem estava perdidinha e não rendeu em nenhum dos 2 fundamentos, as falhas de RIVERA acabaram por prejudicar o resto do time do BAURU, que fez um bom primeiro set,mas caiu de produção até fazer um terceiro set medonho! Pelo NESTLE, NATÁLIA jogou muito e, realmente, merecia o VIVA-VOLEI,as SERVIAS também foram muito bem. Agora espero ver como vão se portar na COPA BRASIL, torneio mata-mata. Os confrontos serão no início de Janeiro:
Rexona-Sesc (1º) x Fluminense (8º),Vôlei Nestlé Osasco (2º) x Pinheiros (7º),Terracap/BRB/Brasília (3º) x Camponesa Minas (6º),Genter Vôlei Bauru (4º) x Dentil/Praia Clube (5º).

Rah Silva disse...

Alguém podia me dizer onde que está a segunda levantadora do Bauru, Letícia Kwiek? Ou ela foi contratada so p completar o plantel do time kkk
Acho q Kwiek podia ter colocado Mari na ponta junto com Casemiro e Thaisinha na Saida pra ver se da Rock pq falta recepção nesse time, fora q eu n consigo confiar na Juma, muito menos na Angelica.
Caso do Praia é preciso rapidamente efetivar atacantes que derrubem bola, e a recepção, Tassia mto criticada até por mim deu show no jogo contra o Rio mais falta organização no Praia. Ellen é de fases então melhor sempre começar com a Carla que é mais efetiva no ataque sempre, e outra dica quando a Claudinha não ser liga ao time põe a Ramirez como levantadora pq ela tem talento. Queria mto ver o Pinheiros e o Minas acima de Bauru e Brasília.

L. Mesquita disse...

Rah, a Ramirez tem feito os levantamentos geralmente quando a Claudinha defende... Em Cuba ela atuava como levantadora também, é verdade, mas acho que o problema do PRaia não está no levantamento...

Raimundo Aoki disse...

Praia, Brasilia, Bauru e Minas estou torcendo que um deles ganhe SL. Espero que esses técnico não esteja pensando em tragetoria satisfatória.

grievoblivioned disse...

Bauru começou muito bem. Pena que arregou - como o Praia.

Brenda divando no primeiro set. Aliás, todas elas jogaram bem, até começar a dar pane geral.

Essa Paula Borgo é só isso? Pani Lins já teve Bia e Natália antes no SESI pra jogar pelo meio, me pergunto por que não rendeu como agora.

Eu sempre torço contra Rexona e Nestlé, porém torcer não adianta, né? Parece que os outros times não acreditam que possam ganhar.

Apesar de vocês estarem zoando o colega Raimundo - e considero besteira ficar achando erros em textos alheios de internet, que cada um se preocupe com o seu - meu pensamento é igual ao dele.

Quero os times citados semi-finalistas e que dois deles avancem às finais. Chega de mesmice.

Joffre Neves disse...

Gostei,foi um bom jogo pra o Nestlé-Osasco.Faltou ousadia nesse jogo para o Bauru,poderia jogar a thaisinha na saída e a mari na entrada como alguém já disse,poderia ter dupla mari no passe e a bruna na saída,bruna de ponta no lugar da rivera e mantinha a thaisinha e Mari...Faltou coragem pra mudar cedo.

L. Mesquita disse...

Boa Tarde, Raimundo Aoki! Creio que todos os técnicos desses times que vc citou desejam, e muito, serem Campeões da Superliga, porém o grande obstáculo é o Campeoníssimo Bernardinho. O grande diferencial do Bernardinho é saber MOTIVAR o time e, principalmente fazer as mudanças na HORA CERTA. O Bernardinho sabe lidar muito bem com as peças que tem no banco. Ao contrário, os outros técnicos parecem não ter a mesma agilidade do Bernardinho para fazer a leitura do jogo e modificar a estratégia para virar um set! Quantos sets vcs já viram o REXONA atrás do placar e, no final, conseguir virar o set? Esse é o grande mérito do Bernardinho: conseguir mudar a estratégia dentro do próprio set p/evitar perdê-lo, Isso o faz tão vitorioso. O Anderson, técnico do Brasília, fez o time crescer muito em relação à temporada passada e,ao meu ver, ele tem que testar outras jogadoras na posição de oposto e deixar a Andreia para a inversão do 5x1, já que ela é uma jogadora mais de REDE q de fundo de quadra. Gostei o Anderson ter testado a jovem oposta Leticia, isso quer dizer que ele está buscando uma solução. O Praia, por exemplo, se tiver maior concentração acao no passe, se torna um time perigosíssimo, visto que o potencial d ataque de suas centrais Fabiana e Walewska é enorme. BAURU precisa que Rivera entre no ritmo das demais jogadoras ou então jogar mesmo com Mari Cassemiro ou Bruna no seu lugar. Desses q vc citou, vejo o MINAS com menor possibilidade de vencer o REXONA, pois enquanto BRASÍLIA, PRAIA e BAURU tem excelentes levantadoras MACRIS, CLAUDIA e JUMA que podem fazer muita diferenca num jogo, o MINAS está com NAIANE que é uma levantadora MEDIANA e se encontra num nível abaixo dessas 3 citadas acima. Não é impossível, acredito que BRASÍLIA, PRAIA ou BAURU possam vencer,sim, o REXONA numa final, mas pra isso as jogadoras tem que estar CONCENTRADISSIMAS e os técnicos tem que fazer a leitura do jogo pelo menos perto da sagacidade do Bernardinho. Vamos ver como essas equipes se sairão na COPA BRASIL, que pode ser uma prévia dos play-offs da Superliga...

L. Mesquita disse...

Pra falar a verdade, nunca vi o Praia Club com um elenco tão forte quanto esse. Em relação ao time que foi VICE na temporada passada o Praia está mais forte. Tem o elenco mais forte da Superliga e tem tudo para conseguir bater o REXONA. Já vi FABIANA, WALEWSKA, ELLEN e CARLA serem decisivas em outras Superligas e jogando por outros times, tem ainda a segurança da MICHELLE que uma jogadora que erra pouquíssimo e comanda o fundo de quadra. Tem tambem a INVERSÃO com MALU e JU CARRIJO, que pode e DEVE ser mais bem explorada e usada. Enfim, o Praia tem varias alternativas a serem exploradas. Se eu fosse o Picinin, trabalharia à exaustão a CONFIANCA dessas jogadoras no PASSE... Vamos treinar muito esse passe, pois com as levantadoras e as atacantes que tem o Praia tem,sim,time pra ser CAMPEÃO, basta acreditar é trabalhar duro pra isso!

L. Mesquita disse...

Minha seleção de 14 jogadoras do primeiro turno seria:
Levantadoras:Macris/Brasília e Claudinha/Praia
Líberos:Brenda Castillo/Bauru e Fabi/Rexona
Opostos:Monique/Rexona e Bjelica/Nestlé
Centrais:Bia/Nestlé,Juciely/Rexona,Walewska/Praia e Fabiana/Praia
Ponteiras-passadoras:Gabi/Rexona,Paula Pequeno/Brasília,Thaís Mariely/Bauru,Michelle/Praia
Técnico:Bernardinho.
.

Joffre Neves disse...

Sugestão : Que tal um post sobre atletas da seleção ou não que estão nas ligas estrangeiras ? Acho importante saber como estão as principais jogadoras a até menos prestigiadas como a Samara,Ivna...

Mantronix Inc disse...

Laura,

Não concordo quando vc põe Brasília e Bauru no mesmo saco, no time de " meninas".

Acho q Brasília, com o elenco q tem, sim ,foi uma surpresa, ou melhor, uma Zebra.

Mas Bauru tem um elenco com potêncial para brigar com os favoritos, principalmente se Kiwek tiver a lucidez de tirar a RIVERA do ataque e substituir pela BRUNA. O time vai crescer com certeza.

Alguém sabe quando começa o returno?

George disse...

Acho que a melhor opção segue sendo Bruna na saída. Desloca a Mari pra entrada e veja como fica o passe, acho que vale o teste. Melhor do que eu vi da Rivera nesse jogo com certeza deve ficar.
Quanto ao Osasco, se ajustou, e está jogando redondinho.

Minhas ressalvas (tristes):
Saraelen perdeu (na bola) a titularidade, o que é uma pena, achava ela com um potencial enorme, mas acabou não vingando quando teve a titularidade nas mãos. Veremos se não recupera o status.
Paula Borgo está recebendo um caminhão de oportunidades e até agora só se saiu muito bem no paulista. Tomara que volte a ser a pontuadora do campeonato.
Valquiria pode (e deve) render mais que isso. Ao contrário da Sara, não tem substituta a altura no banco.

George disse...

Mantronix, recomeça dia 07/01.

L. Mesquita disse...

Mantronix concordo contigo na parte q o elenco do BAURU é muito bom, capaz de bater de frente com todas as equipes, mas, em parte, em relação a Rivera. Acho q o PREPARADOR FÍSICO do BAURU deve fazer um trabalho específico com ela para perder peso, porque ele tem um potencial de bloqueio, passe e ataque maior q o da Bruna, além do que o saque dela é muito bom. Só acho que o Kwiek deve ser mais que rápido nas substituicoes, e se Rivera não estiver rendendo, deve tira-la mais rápido de quadra. Acho válido testar a Bruna na ponta,sim, isso se ela não compremeter no passe. GEORGE, acho q a condição de Mari STEINBRECHER ir para o BAURU era jogar de Oposta, ela sacrificou-se como ponteira pra fazer a vontade do Ze na selecao. O Ze q acabou queimando ela depois. Acho q Mari não topa mais jogar de ponteira.

Joffre Neves disse...

Bruna era ponteira e foi adaptada pelo Bernardo no Rexona,ou seja : a mesma pode se sair bem na ponta depois de anos ! Basta tentar,o que não pode é deixar uma jogadora em um momento péssimo em quadra por um longo tempo e não tentar reverter a situação.A rivera é uma boa jogadora mas acho muito complicado a mesma adquirir a melhor forma física há dois anos.Talvez melhore porém em 2014 ela estava muito mais magra e ajudando muito em todos os fundamentos,seu ganho de peso inesperado foi exorbitante.

L. Mesquita disse...

Galera não tem ninguém aí animado pra COPA BRASIL não? Vai ser o PRIMEIRO TÍTULO INTER-CLUBES a ser definido logo agora em JANEIRO... Quero ver se o equilíbrio do PRIMEIRO TURNO se repete na COPA BRASIL. Será que o REXONA será campeão? Ou alguém vai derrubar o favorito? Espero que seja um ótimo torneio e que tenhamos surpresas positivas, não é mesmo? Vale lembrar que ELLEN e o PINHEIROS foram boas surpresas na COPA BRASIL-2015 conseguindo superar o favoritismo do REXONA... E agora em 2017? Quais são suas apostas???

L. Mesquita disse...

O Rio do Sul demitiu Fernando Bonatto que,ao contrário de Spencer Lee não conseguiu classificar a equipe para a COPA BRASIL, pois sequer ficou entre os 8 primeiros colocados desse turno, a direção catarinense anunciou como técnico Pedro Castelli Filho, que já foi por duas vezes auxiliar técnico do Rio do Sul. Com Spencer o Rio do Sul era praticamente imbatível jogando em casa, lembram-se?

Mantronix Inc disse...

Obrigado George.

George disse...

Aproveitando que deu pausa na SL, assisti alguns VT's de outros campeonatos: chinês, italiano, turco...
Alguns comentários:
O campeonato chinês é um festival de 2 toques.
Os jogos são um festival de erros e bolas extremamente altas.
Os times que tem estrangeiras tem as jogadoras mais fracas. São raros os rallies.
A Carrillo tá jogando muito! A Mihajlovic é aquela instabilidade o jogo todo, hora crava a bola e em outra isola. Robinson tá mediana e a Lowe toda hora acaba sendo substituída por uma chinesa pq não vira bola, mesma coisa da Murphy. A Hodge tem se virado bem, acho que de todas americanas é a única que está rendendo. A Pavan segue na mesma e a Havelkova tá indo bem também.
Dos jogos do italiano que eu vi, os times são bem alternados.
E do turco, só tem 3 times bons. E, mesmo assim, acho o Fener um time normal esse ano.

Alexssander Nascentes da Silva disse...

O Vôlei Nestlé ao parece, ao menos nesse jogo contra o Genter Bauru, mostrou segurança e não apresentou aquelas oscilações que atormentam os torcedores.
Bia - melhor central do primeiro turno, motivada e em excelente forma.
Nati Martins - veio pra ficar de titular; infelizmente a Saraelen ficou pra trás.
Paula Borgo - Se ela não abrir o olho vai ser banco pra Bjelica e fica a dúvida se o Brasil pode contar com ela como oposta na seleção.
Malesevic - melhor partida dela até agora, pode crescer muito mais.
Tandara - apesar de erros de passe, vira quase tudo no ataque, está numa fase excepcional.
Camila Brait - parece que está voltando a grande forma de antes.
Dani Lins - receio dela não acompanhar o crescimento da equipe com as opções equivocadas de levantamento e bolas baixas. Sou mais Carol Albuquerque de titular.

Laura disse...

George, onde vc viu os jogos do campeonato chinês? Quero ver se consigo me atualizar e dar uma assistida nestes outros campeonatos. Até para seguir a sugestão do Joffre de um post sobre as jogadoras brasileiras no exterior.

L. Mesquita, acho que esta Copa Brasil tem potencial para ser a mais equilibrada de todas. Não sei se teremos uma surpresa do nível do Pinheiros de 2015, que seria algo como o Bauru ou o Brasília ganhar, mas não duvido que Minas ou Osasco conquistem o título.

Mantronix Inc disse...

Mesmo Dani Lins sendo a melhor levantadora da SL e fazendo mágica, (apesar d achar q ela sobrecarrega a Tandara d+), e se continuar desse jeito Tandara vai terminar a SL com no mínimo uma tendinite no ombro, torço pq não. Roberta fazendo o feijão com arroz; passe A bola pelo meio, passe B ou C, bola alta na ponta na maior distância, sem mistério, ela consegue levar o Rexona novamente ao pódio.

L. Mesquita disse...

Laura,pelo que o GEORGE relatou do que viu dos Campeonatos Chinês,Italiano e Turco,parece que a Superliga está melhor de assistir que não seja pela técnica,mas pelo equilíbrio desta temporada.Concordo com o ALEKSSANDR e o MANTRONIX,a DANI LINS anda sobrecarregando demais a TANDARA,o que pode ser cômodo para ela como levantadora,mas que não é bom nem para a Tandara nem para o resto do time.Concordo que a CAROL ALBUQUERQUE de titular seria melhor opção.

L. Mesquita disse...

Laura,pelo que o GEORGE realatou dos Campeonatos chinês,italiano e turco parece que melhor mesmo é assistir à Superliga,não é mesmo?Concordo com ALEKSSANDR e MANTRONIX:CAROL ALBUQUERQUE seria melhor opção de titular que DANI LINS que sobrecarrega TANDARA,cômodo p/ela como levantadora mas ruim p/TANDARA e o resto do time.

Alysson Barros disse...

Queria saber em que mundo a Pani Lins é a melhor levantadora da Superliga.

George disse...

Laura, tem um cara que posta vários jogos. Assisti na tv em casa e não gravou aqui, depois acho e posto.
De fato, esperava bem mais do campeonato chinês. Bem mais! São jogos de força, onde raramente tem rally, pq a defesa é quase inexistente. E não estou falando de 1 time ou 1 jogo, foram em todos os VTs que assisti.
Ontem assisti Besiktas x Eczacibasi. A levantadora Nilay, do Ecza, é terrível. As bolas, que raramente chegam boas pra ela, os bloqueios chegam duplos. A Thaisa só recebe bola com bloqueio duplo. A Kosheleva recebe umas bolas tão altas que nem sei como não batem no teto. Já no Besiktas, improvisaram a Rousseaux no passe, e foi um festival de aces nela, coitada.

Procurei jogos da Garay no Guangdong e não achei nada, então não sei como ela está, nem a quantas anda o time.

Assisti 2 jogos do campeonato russo e é de chorar, nem tem como comparar com os outros. Os times principais, Kazan e Moscow, estão muito abaixo esse ano. A Garay faz muita falta pro Moscow e o Kazan tá muito estranho depois da saída da Gamova.

Mateus CS disse...

Também concordo em relação a Dani Lins sobrecarregar algumas jogadoras. Se não me engano, no jogo contra Bauru, ela tinha levantado apenas uma bola para a Malesevic até o 3º set, e olha que o time estava entregando pelo menos passe B nas mãos dela. Independente de ser uma jogadora de preparação ou não, apenas uma ação em dois sets é muito pouca coisa. Ela sobrecarrega a Tandara (mesmo estando em uma fase excepcional) e acaba deixando o jogo previsível, sempre com bloqueio montado pra cima dela.

Mateus CS disse...

Também concordo em relação a Dani Lins sobrecarregar algumas jogadoras. Se não me engano, no jogo contra Bauru, ela tinha levantado apenas uma bola para a Malesevic até o 3º set, e olha que o time estava entregando pelo menos passe B nas mãos dela. Independentemente de ser uma jogadora de preparação ou não, apenas uma ação em dois sets é muito pouca coisa. Ela sobrecarrega a Tandara (mesmo estando em uma fase excepcional) e acaba deixando o jogo previsível, sempre com bloqueio montado para cima dela.

Mateus CS disse...

Com o fim do turno, podemos concluir dos 6 primeiros:

1º - Rio de Janeiro / Rexona SESC: sempre mais do mesmo, no bom sentido da palavra. Favorito disparado mesmo não apresentando um grupo tão forte quanto nas temporadas anteriores. O Rio dá chances e mais chances aos adversários, mas não sei o que acontece com eles que não conseguem aproveitar. Parece que já entram conformados com a derrota. O Rio tem maturidade suficiente pra reverter placares adversos, haja visto as frequentes viradas durante os sets. Elas não se abatem. E Bernardinho representa a definição de time vitorioso.
2º - Osasco / Vôlei Nestlé: apesar dos apagões característicos das osasquenses, acho que essa temporada o time resgatou algo que fazia tempo que perdera: a GARRA e a GANA por vencer. Apesar das deficiências claras no passe e alguns problemas de levantamento, o time se mostra com muita vontade dentro de quadra, vendendo caro o ponto para os adversários. Acho também que essas meninas estão mais "leves", com um relacionamento melhor entre si, característica que grupos anteriores não apresentavam. O que preocupa no time é a falta de comando técnico, muitas vezes perdido em quadra, como, por exemplo, a insistência do Luizomar na entrada da Gabiru para qualquer erro que uma passadora cometa, além da incapacidade para reverter situações adversas (instruções que beiram o ridículo).

3º - Brasília: como a Laura disse no início da Superliga, acho que o time já apresentou o que tinha de novidade para essa temporada. Não acredito que elas consigam surpreender novamente os grandes. O meio de rede está excepcional com as experientes Roberta e Vivian, pois Macris (mais uma vez fazendo um ótimo campeonato) arrisca qualquer levantamento de passe B e C e elas correspondem. O problema do time é a falta de peça de reposição, pois um dia que os extremos da rede estejam ruins (como aconteceu com Amanda e Paula nas últimas rodadas), não tem um desafogo para virar, pois nem considero Andreia uma oposto, já que não vira bola nenhuma. O que será que aconteceu com essa menina?

Mateus CS disse...

4º - Genter Bauru: entre as novidades positivas, o time do interior de SP é o que mais acredito. Tem as melhores peças de reposição e um técnico muito competente no banco, sem falar da Castillo que dispensa apresentações e faz o que quer no fundo de quadra. Thaisinha também vem muito bem. Recuperando o físico de algumas jogadoras, acho que o único problema fica na questão do levantamento, pois conta com duas jogadoras extremamente jovens e que podem sentir a pressão numa fase decisiva de campeonato.
5º - Praia Clube - a decepção dessa primeira fase. O maior investimento disparado e um retorno que, até o momento, envergonha o patrocinador. Como muitos já citaram, o problema do time é a linha de passe e isso vem desde a temporada passada. É um desperdício você contar com Walewska e Fabiana e não poder utilizá-las. Se o time já mostrava que seu problema era a recepção, por que não investir em jogadoras que suprissem essa necessidade? Tassia me lembra outra líbero, Michele Daldegan. Muito fraca na posição. Carla e Elen nunca foram exímias passadoras, o ponto forte de cada uma sempre foi o ataque. Dito isso, culpa da comissão técnica que não montou um time melhor do que o da temporada passada. Falando nisso, os tempos técnicos do Piccinin são tão ruins, se não foram piores, que os do Luizomar. Vôlei feminino é muito imprevisível e eu posso queimar minha língua, o Sesi nos mostrou isso em 13/14, mas se continuar desse jeito o time não passa das quartas.
6º - Camponesa Minas: uma grande incógnita. Com os reforços da Jaque e da Hooker, muita coisa pode mudar e o time pode aprontar pra cima dos que estão a sua frente. Vejo a Naiane um pouco abaixo do que rendeu nas temporadas passadas, principalmente com as jogadas de meio. Só faz a china com a Gattaz e a Mara passa praticamente em branco. Se quer chegar à final, tem que começar a rodar bola pelo meio e perder a síndrome Ju Carrijo, com medo de levantar para certas posições. Rosamaria dando show também.

Feliz ano Novo para você Laura e para todos do blog. Abraço!

Joffre Neves disse...

Feliz ano novo pra todos.