Esquentou

A quinta rodada elevou a temperatura de uma Superliga que andava bastante morna.   

O Osasco, para manter a tradição, tropeçou feio contra o Brasília. Levou 3x0 numa partida em que, curiosamente, seu ponto forte, o ataque, foi totalmente engolido pela relação saque-defesa do adversário.

E foi superado, inclusive, pelo ataque de Brasília, que não é dos mais inspiradores desta SL. Isso foi possível porque, além dos méritos defensivos, o time de Anderson Rodrigues - ao contrário do que aconteceu com o Rio do Sul - conseguiu manter um ritmo acelerado na montagem do ataque. Assim, Macris manteve todas as opções de ataque “vivas” e a central Vivian foi a que melhor tirou proveito, sendo a maior pontuadora da partida. 

***************************

Se não conhecêssemos o histórico do Osasco até que poderíamos dizer que foi apenas uma noite ruim. Mas nós sabemos como é difícil confiar neste time sem que as lembranças dos últimos anos nos venham à mente. 

Eu achei que mesmo com os sustinhos que passou em algumas partidas, o Osasco tinha começado melhor esta temporada e chegaria mais “inteiro” para enfrentar Rexona e Praia. Agora fica a dúvida se o time saberá se levantar do tropeço mais forte ou, como nos anos anteriores, mais debilitado. 

***************************

Outro time grande que sofreu na quinta rodada foi o Praia Clube. E olha que ele pegou o vice-lanterna da competição, o jovem Sesi.

Estava lamentando que o SporTV tinha programado para transmitir duas partidas do Sesi,  exatamente contra os líderes da SL enquanto tínhamos jogos mais interessantes para assistir. Mas o Sesi me surpreendeu positivamente e fez a disputa valer a pena de assistir.

Poderia dizer que o Praia é que surpreendeu negativamente, mas o problema que o time mostrou em quadra não foi nenhuma novidade: o passe. O mesmo fundamento que tinha funcionado tão bem na partida anterior, nesta foi um desastre. E, pior, a Michelle, que deveria ser um ponto de segurança na recepção, foi muito mal.

O mérito do Sesi foi saber não só identificar esta fragilidade como conseguir manter uma regularidade no saque para aproveitá-la ao máximo. Soube também fazer a troca de bola com qualidade e sem se precipitar. Claro que aqui e ali cometia alguns erros bobos, dentro daquilo que se espera de um time jovem, mas, ainda assim, controlou melhor suas falhas do que o experiente Praia Clube.

E isso é que foi decepcionante na equipe mineira. O Praia acusou o golpe todas as vezes em que foi pressionado. Se não fosse uma sequência de saques da Wal, explorando a também irregular recepção do Sesi, o jogo teria ido para o tie-break. 


***************************

O Picinin, a meu ver, demorou em utilizar a Ellen no passe as vezes em que isso foi necessário. E a Claudinha, como já falei em outro post, nestes momentos mais críticos tem que deixar de querer ser genial e simplificar.

Mas, o mais importante, o Praia tem que aprender a sair do aperto sem baixar a guarda do jeito que baixa. Sim, tem uma questão técnica do passe, mas tem também um ponto emocional que o time não consegue superar. Se responde assim contra o Sesi, imagina como será contra o Rexona. 

***************************
 
A rodada “quente” ainda foi completada pelas parciais apertadas da vitória do Rexona contra o Pinheiros e pelo sufoco do Minas para vencer o Rio do Sul. 
O time mineiro teve na Mara a sua melhor atacante, jogando como oposta. Mas mesmo assim, pelo que se lê das estatísticas, o Minas ainda está penando para colocar a bola no chão. Fora que a Rosamaria tá sendo mais acionada do que Gamova em seus áureos tempos na seleção russa. 

***************************

Os resultados da 5ª rodada:

Terracap/BRB/Brasília 3x0 Vôlei Nestlé/Osasco

Sesi-SP 1x3 Dentil/Praia Clube

Pinheiros 0x3 Rexona

Rio do Sul/Equibrasil 2x3 Camponesa/Minas

Genter Bauru 3x0 Fluminense

Renata/Valinhos 0x3 São Cristóvão Saúde/ São Caetano

- O Bauru venceu bem o Fluminense, mostrando que o meio da tabela vai ser bastante embolada. Pra mim, este trio de ataque carioca é insuficiente para ajudar o time a ser mais competitivo. 


Comentários

Jess Bonfim disse…
Rexona mais uma vez ganhará a Superliga com um pé nas costas.. ah nao ser que o praia consiga trabalhar bem a parte emocional, pq elenco tem..

Osasco é uma piada... sem comentários, e não é porque perdeu pro Brasilia, mas pq a gente já conhece, e já sabe o que vai acontecer... Espero que queime minha lingua, mas vontade de ver os jogos nenhuma..

Parabéns pelo blog.. Sempre imparcial, ao contrario de outros..
Yana Souza disse…
Para o Praia ganhar a liga bastaria ter uma recepção eficaz, coisa que ta claro que não tem... quem sabe uma zebra.. ti até vendo o Praia na frente do Rio ai começa a mesma ladainha de sempre: a recepção começa a falhar. Este filme já passou..
Gustavo disse…
Essa rodada foi ótima pro Rexona, mesmo que os 3x0 sobre o Pinheiros tenham sido mais complicados que o resultado final aparenta, comparado com os rivais...

Não tinha muitas pretensões quanto à Praia X SESI mas acabou sendo um bom jogo, nenhuma vantagem era suficientemente segura, Praia conseguiu os três pontos mas a impressão que ficou é que o SESI poderia ter ganhado qualquer um dos os sets disputados, acabou perdendo pela horrorosa recepção que deu várias bolas de graça, a Tássia vinha bem nas estatísticas de passe mas dado o histórico dela era de se desconfiar que a Michelle tava escondendo suas fraquezas, Michelle jogou mal ontem e o passe do Praia afundou junto, vão ter pesadelos com o saque do SESI.

Ridículo o Osasco, primeiro desafio de nível maior e tomam 3x0 nas costas com direito a Silvana Viva Vôlei, cansado do trio Luizomar, Pani e capitã Gabiru, é muita âncora pra um time só, como queria o Spencer treinando esse time, mas a gratidão eterna com o paizão não deixa. Meu maior temor é a Nestlé cansar também, poucos patrocinadores tem dado tanto suporte a uma equipe como eles, mas os resultados não vêm e quem aguenta tanto vexame?

Imperativo vencer o Fluminense, dado que já estão atrás do Brasília e se o Minas ressurgir, é mais um incômodo.
George disse…
Também tinha ficado desanimado quando vi que seria Praia x Sesi, pq como bom pisciano já imaginei que ia sofrer junto com as gurias do Sesi. Graças que foi um jogo bonito de ver.
O passe do Praia foi o calcanhar de aquiles do time. Em compensação, o time paulistano finalmente começou a jogar como time. Óbvio que a Lorenne irá se sobressair, mas eu destaco outro fator pela visível melhora delas, a Isabela Paquiardi. Ela é a mais velha do time e quem tem mais experiência (até mesmo já jogou pelo time mineiro) e, na minha opinião, é quem deu mais consistência pro time. Elas tem tudo pra crescer bastante ainda. Gosto da Geovana como levantadora, mas acho que ela pode emagrecer um pouco mais ainda pra melhorar a mobilidade dela.
George disse…
Sobre Osasco: é o time da insegurança. A Dani não passa segurança pra ninguém, ela é a cara desse time.
Jess Bonfim disse…
Mesmo filme todo ano Yana..

George, o que desmotiva tb é o Lulu fazer SEMPRE as mesmas mudanças, tirar a Tijana ou a Tandara e colocar a Gabiru, não tira a Dani nem por decreto, quando a Carol entra é so na inversão.. EXAUSTA, não sei como a NESTLE nao desistiu ainda, todo mundo sabe que o problema não é o time, é o tecnico..