quarta-feira, 30 de novembro de 2016

E o Brasília aprontou mais uma


Dentil/Praia Clube 0x3 Terracap/Brasília
 
Quem diria que depois daquela derrota feia para o Rio do Sul e com uma sequência de jogos difíceis pela frente o Brasília iria se recuperar assim tão bem?

Com o time da capital federal não tem meio termo. Na derrota e nas vitórias, tudo é 3x0. O mais recente deles contra o Praia Clube, vitória que o levou para a segunda colocação, desbancando exatamente o time de Uberlândia.

É bom fazer a ressalva de que o Praia Clube teve dois importantes desfalques. Álix e Fabiana, contundidas, não jogaram. E, é claro, fizeram muita falta, principalmente a norte-americana. Com um passe ruim, a equipe sentiu falta de uma bola mais decisiva como a da Álix. 

*******************************
 
Mas isso não diminuiu em nada o mérito do Brasília, que fez o seu papel com perfeição. Primeiro, teve um bom saque, explorando as posições de intersecção entre as passadoras. Aí foi uma jogadora atrapalhando a outra e uma insegurança na entrega do passe que desestabilizou o jogo do Praia.

Em segundo lugar, teve ótimo volume de jogo, deixando o já pouco eficiente ataque praiano impaciente.

Para finalizar, a Macris teve uma estratégia de distribuição bastante objetiva, usando as jogadas de maior distância com bolas de velocidade. Mexeu bem com as suas opções de ataque e, consequentemente, com a marcação do Praia.

Como resultado, tivemos todas as atacantes virando bem, com exceção da Andreia. A Amanda tem mostrado qualidade na definição dos pontos como não se viu na temporada passada. Acredito que ela está crescendo com o time e, principalmente, com a Macris que tem a servido com bolas aceleradas.

Mesmo com os problemas de recepção que volta e meia apresenta – e que permitiram a aproximação do Praia em algumas parciais -, o Brasília consegue manter as opções de jogadas com as centrais sempre vivas. Vivian e Roberta tem participação ativa e importante nos jogos tanto no ataque como no bloqueio. E isso fez falta na temporada passada. O Brasília consegue, assim, definir um estilo de jogo, coisa que passou o campeonato de 15/16 sem alcançar. 
 
*******************************

O Brasília tem sido a boa surpresa desta edição e, com estes resultados, começa a embolar o topo da tabela. Quem deve se preocupar com isso, principalmente, é o Minas, que pode ter suas pretensões na fase final comprometidas pela demora dos seus reforços e pelo bom momento do Brasília.

O consolo do Minas é que, ao contrário dele, há pouca margem para o Brasília crescer. Um potencial de evolução, além do passe, é a utilização da Andreia, que tem estado completamente deslocada nas partidas. E não só no ataque. Vê-se pouco dela no saque e no bloqueio, por exemplo. Se nenhuma resposta vier da oposto, não há nenhuma grande arma no banco de reservas do Brasília. Terá que continuar a se valer do conjunto que tem sido a sua principal força até então. Mas será suficiente para bancar as primeiras colocações da SL?

*******************************
 
Sobre o Praia, o fato de a Michelle ter sido o principal (pra não dizer o único) desafogo do time no ataque traduz bastante a dificuldade da equipe na partida. Claudinha pouco pôde contar com as centrais pela dificuldade do passe e Ramirez, voltando a jogar após contusão, não rendeu. O time ficou muito amarrado ofensivamente e não conseguiu pressionar de maneira regular o Brasília em outras frentes.

Assim como comentei sobre a partida contra o Sesi, acho preocupante a maneira como o Praia responde sob pressão. Ele se desestrutura muito fácil às primeiras falhas de recepção. E é um parto fazer a equipe se estabilizar novamente. 

12 comentários:

Joffre Neves disse...

Confesso que estou surpreso principalmente a respeito dessas 3 rodadas onde o terracap-Brasília venceu fácil o Osasco-Nestlé,Camponesa Minas e o Dentil-Praia clube...O que está havendo com a Andrea ??Pelo menos três temporadas onde não joga 1/10 do que sabe !

Guilherme Sartor disse...

Para o lugar da Andréia ele deveria colocar a Sabrina, que já voltou de contusão e joga muito bem com bolas aceleradas, além de saltar muito. Ontem ela entrou e no primeiro ataque já pontuou e muito bem, por sinal. Eu já estaria apostando nela.

Jess Bonfim disse...

Brasilia, o Leicester da superliga..

Acho esse técnico do praia fraco;

George disse...

Pelo pouco tempo no comando time, acho que o Anderson tem futuro como treinador. Tem um time bem interessante nas mãos e vem surpreendendo, sem a Paula como maior pontuadora. Único time que conseguiu surpreender taticamente elas foi Rio do Sul e através do saque, talvez seja esse o caminho.
Quanto ao Praia, os desfalques foram decisivos, mas não creio que tenham sido a razão principal pela perda. 8 aces de Brasilia. Isso mostra que o passe esteve todo desencontrado, isso que Ellen é melhor no fundamento que a Alix. A Claudinha tem feito um esforço sobrenatural pra chegar nas bolas, devia ganhar uns pontos a mais na eficiência por isso hahaha, coitada!

L. Mesquita disse...

A base do ELENCO do TERRACAP/BRASILIA é a mesma da temporada passada, a verdadeira GRANDE MUDANÇA foi a CONTRATACAO do CAMPEAO OLÍMPICO ANDERSON p/técnico. O Brasília tem excelentes jogadoras em todas as posições a começar pela LEVANTADORA MACRIS, eleita seguidas vezes a MELHOR DA SUPERLIGA e que novemente lidera o ranking. A MUSA PAULA PEQUENO, a cria do Bernardinho AMANDA, as centrais VIVIAN e ROBERTA já faziam parte do elenco passado. SILVANA como libero tá ARREBENTANDO, parabéns! Na verdade, o Brasília joga com 3 centrais, a ANDREIA ajuda muito no bloqueio e atua como uma terceira central. Gentem, é opção tática do Anderson jogar com 3 centrais, até porque a MACRIS tem categoria suficiente para jogar rápido com essa tatica de 3 centrais. Não cobrem da Andreia jogar como uma oposta clássica, pq esse não é o estilo dela. O importante é que a tática das 3 centrais tem dado certo e o Anderson, com isso, ganha em BLOQUEIO e VELOCIDADE! Se ele quiser jogar com uma oposta CLASSICA num esquema tático tradicional basta por a SABRINA que é uma excelente oposta. Laura, o Minas não tem que se preocupar com o Brasília não,pois o Brasilia tá é muito melhor que o Minas. A verdadeira briga do Minas será pela QUARTA COLOCAÇÃO contra OSASCO e BAURU. As 3 primeiras posições serão disputadas por REXONA, Praia e Brasilia. Já a quarta e última vaga das semifinais ficará entre BAURU, Osasco e Minas, com o Fluminense correndo por fora como AZARÃO...

L. Mesquita disse...

Técnico ganha jogo SIM!!! A declaração da central Roberta diz TUDO: – Nossa concentração tem sido essencial para esse momento. Estamos obedecendo as táticas propostas pelo Anderson e isso tem dado resultado. O dia a dia da nossa equipe é muito positivo e os resultados estão aparecendo, disse Roberta após ser eleita a MELHOR DO JOGO! Já o PRAIA tem um elenco excelente, mas tem que acertar esse PASSE, sinto a MICHELLE sobrecarragada cobrindo metade da quadra, as outras passadoras têm que ajuda-la!!!

L. Mesquita disse...

Pra falar a verdade nua e crua, a situação do MINAS é pra lá de RIDÍCULA, ao passo que REXONA, Brasília e Praia já têm seus 18 pontos, o Minas tem míseros 8 pontinhos... Já são 10 pontos de diferença!!! Desse jeito até a QUARTA posição passa a ser um milagre...

Eduardo Almeida disse...

Com certeza a grande diferença do time na temporada é o técnico.
Acho que o Anderson depois de anos como atleta do Bernardo e auxiliar do Paulo Coco, conseguiu achar um caminho de comando interessante e o grupo segue a risca o plano tático.
Focado em jogar com saque forçado nas deficiências e acreditando numa distribuição de jogo mais equilibrada, faz até a Paula Pequeno jogar mais solta, sem necessidade de virar tanta bola.
Mérito para sistema defensivo e recepção. A Silvana me surpreende como líbero em mudança de posição e ao mesmo tempo, o Anderson ainda sabe meticulosamente o momento de usar a líbero reserva na partida.
Macris super a vontade com as centrais e acho que a Andrea acompanha muito bem o time sim, tanto na opção de terceira central, mas crescendo no desempenho com as bolas de desafogo. Jogar com um ex-oposto pode ter sido a experiência que precisava para aprimorar a passada nos ataques de saída e fundo meio. Já considero uma grande evolução se comparado ao desempenho nas últimas temporadas. Da mesma forma, espero que a opção de inversão com a Sabrina se consolide, embora não acho que as opções de levantamento no banco (Michelle e Beatriz) não oferecem segurança num momento de pressão no jogo.
Muito bom ver a Amanda desenvolvendo no jogo o que certamente só a comissão do Rexona via nos treinos. O trabalho físico deve estar mais intenso, refletindo na potência dos ataques. Ela voltou inclusive a sacar bem, o que não aconteceu a temporada passada inteira.
Espero que não seja só uma fase e que o grupo se mantenha, mesmo com a pressão aumentando a cada nova vitória. Não será por falta de torcida.
Aliás, é só com o Brasília, ou em todos os times que temos tido vários jogos fora de casa e poucos com a própria torcida ainda? Os brasilienses merecem ver de perto o desempenho da mulherada em quadra!!!

Rodolpho Francis disse...

A Andreia jogou bem APENAS nessa ultima partida. Por vezes, nas partidas anteriores, me esquecia que ela estava em quadra. Contra o Praia eu me surpreendi com a vontade que ela esta dando as passadas e achei até que atacou bem. Virou algumas bolas. Agora... Que saudade daquela Andreia que foi a melhor atacante da Superliga 13/14(salvo engano) Estou doido pra ver o embate entre Criatura e Criador (Bernardo x Anderson) a expectativa é de um jogo equilibrado.
Falando do Praia, gostei que a Michelle chamou o jogo e mostrou que sem ela na recepção o time praiano pode ser pior. Isso é para os que pedem a gêmea no banco. kkkkk
Ellen esteve horrivel e só não foi pior que a Carla e Malu que terminaram de enterrar o time.

Laura disse...

É verdade, Guilherme. Esqueci-me que o Brasília tem a Sabrina, q pode ser uma boa opção.

Mesquita, a Andreia pode não ser oposto clássica, mas certamente poderia estar mais "dentro" do time, até pelo q vimos dela no Pinheiros. Como o Rodolpho falou, teve partidas que mal se lembrava que ela estava em quadra. Agora, pode ser mesmo que a briga do Brasília seja com o Osasco lá pela 3ª e 4ª colocações. O Minas está muito atrás, tem muito a recuperar.

Também pensei durante a partida sobre o mérito do Anderson nesta evolução do Brasília. Vê-se que os resultados alcançados não foram mero acaso e o time está com outra cara - ou melhor, tem uma cara - na comparação com ano passado. Torço para que este bom trabalho se confirme e tenhamos aí mais um bom técnico no mercado.

Eduardo, O Brasília, em sete rodadas, jogou apenas 2 dentro de casa. É o único time com este desequilíbrio gigante. A vantagem é q conseguiu resultados positivos contra equipes fortes fora. No returno terá a força da sua torcida para repetir o resultado.

Alysson Barros disse...

Essa Andréia é a maior enganação dos últimos anos. Com Bernardo ela foi pro lugar que merece: banco. Quem foi contrariar ele? Talmo, que afundou o SESI junto com essa oposta de meia tigela que só sabe bater china e olhe lá.

Aí agora o Brasília ganha apesar dela. Se tivessem uma oposta decente...

Enfim... Torcendo pra esse time seguir forte na pegada. Já temos cinco times competitivos, apesar de todos os problemas, mais o Pinheiros, Rio do Sul...

Torcendo sempre para que a Superliga melhore.

Gustavo disse...

É a festa de arromba do "penetra", esperávamos que o Brasília fosse ser o melhor dos médios mas eles já obtiveram metade do número de vitórias do ano passado e são candidatos a chegarem ao menos às semifinais mantido o atual nível (calendário ajuda, grande maioria dos jogos que faltam são em casa) também um bom exemplo da importância de uma boa levantadora que eleva a qualidade do elenco, Macris lidera as estatísticas de levantamento por uma boa margem e isso tem se traduzido em quadra, inúmeras vezes as atacantes apareciam livres, com vários bloqueios chegando quebrados.

Grande trabalho do Anderson também, tem sido um ótimo pupilo do Bernardinho, assentou o time baseado no principal ponto forte da PP4 (seu excelente passe), mas sem sobrecarregá-la tanto na recepção como no ataque em virtude do ótimo desempenho da Amanda em ambos os fundamentos.

O que ainda me dá dúvidas em relação ao Brasília é o banco, percebo que o Anderson usa pouco as reservas. Nem digo no sentido de repetir escalação, mas elas entram bem pouco mesmo, só uma reserva do Brasília fez mais de 10 pontos na SL, tem jogos que ele nem faz inversões (embora pode ser exatamente com o intuito de manter a Macris em quadra o máximo possível, dada sua importância pro time), mas eu acho que ganhariam testando a Sabrina no lugar da Andréia, que é uma jogadora bastante limitada (basicamente uma central-oposta que só bate china) e a única das atacantes que tem sido consistentemente abaixo da média em todos os fundamentos.

No Praia, mais um jogo em que o descontrole tomou conta da equipe no primeiro ace do Brasília, abriu a porteira (visto que o Praia levou 8 no jogo, mesmo número do jogo contra o SESI, mas em um set a menos) e a partir daí Tássia e Ellen só mandaram pedradas na direção da Claudinha, pior que quem tava virando no ataque era a Michelle, a principal passadora, que ficou extremamente sobrecarregada. Gosto da Ellen como jogadora, nas poucas chances que teve nessa SL ela tem sido bastante efetiva no ataque, mas fez um jogo esquecível e arruinou o passe praiano.