O Rexona segue no comando

O Fluminense pode ter sido um carrasco no Carioca, mas foi uma mão amiga na Supercopa ao Rexona. Vocês devem estar se perguntando o que tem a ver o tricolor com a conquista de mais um título do Rio de Janeiro. Explico.

Quando entrou em quadra, o Praia tinha no seu histórico recente somente três amistosos. Enquanto isso, o Rexona carregava uma final super disputada – e perdida - contra o Fluminense. O Rexona chegou à decisão da Supercopa melhor preparado do que o time mineiro e mostrou isso nos dois primeiros sets. 

******************************
O Praia demorou a engrenar e a entrar no ritmo da decisão. Numa repetição da temporada passada, sofreu com os erros de recepção. Claudinha correu para lá e para cá atrás das quinadas de Álix e Tássia.As atacantes pouco conseguiram resolver na virada de bola, até porque o Rexona esteve com uma marcação de bloqueio fortíssima desde o início da partida.

A relação saque e bloqueio, aliás, foi o melhor do time carioca, que conseguiu ser mais regular que o Praia nestes fundamentos. Ofensivamente, o Rexona, apesar de também apresentar problemas no passe (em grau menor, é verdade) teve mais qualidade na virada de bola. Gabi e Buijs se viraram muito bem e fizeram o grosso dos pontos do ataque. Monique teve participação importante na decisão do quarto set.

O Praia ficou mais limitado à Ramirez. A Álix foi entrar no jogo no terceiro set e a Ellen até que deu uma sobrevida ao ataque quando entrou na mesma parcial. Mas o grande reforço do Praia nesta temporada, a Fabiana, acabou por ficar inutilizada pelas condições do passe mineiro. 

******************************
Na comparação direta, a grande contratação do Rexona, a Buijs, superou à Fabiana. A estreia da holandesa foi muito boa no geral. É verdade que ela não foi bem na recepção, mas compensou no ataque. Mostrou boa variedade de golpes e foi um desafogo importante para um time com atacantes tão baixas. Poder contar com uma jogadora que resolve bolas altas é um alívio para a Roberta.

A levantadora do Rexona mostrou um jogo bastante tati-bitati ao usar tão pouco e, algumas vezes, em momentos errados, as centrais. Teve seus melhores momentos na virada de bola, com as bolas velozes para a Gabi. Já nos contra-ataques teve dificuldades de colocar bolas mais redondas, além ter sido bastante burocrática. O time vai precisar que ela ganhe segurança e reative o entrosamento com a Carol e, principalmente, com a Jucy.

Do outro lado, a Claudinha foi o contrário. Limitada pelo passe, ela e o time tiveram melhor desempenho nos contra-ataques. A levantadora até tentou tirar o time da previsibilidade, variando e arriscando algumas jogadas. O risco acabou, na maioria das vezes, não valendo a pena. Claro que a falta de ritmo e de um entrosamento mais apurado não ajudaram, mas é do perfil da Claudinha ousar. Ela não tem medo disso, mas nem sempre escolhe o momento certo. Aí acaba perdendo uma jogada importante e comprometendo a sequência do time na partida. 

******************************

Como comentei no post anterior, o Rexona tinha mais a perder do que a ganhar com a Supercopa. Mais do que confirmar o Rexona como melhor time do Brasil, o título mantém o Praia no seu lugar de segunda força. Tudo o que as cariocas não queriam era ter que começar a Superliga com as mineiras ostentando um título sobre elas.

O Praia continua com esta “touca” atravessada na garganta, mas chega à Superliga com o melhor elenco que já teve na sua jovem história na competição. Tem material para crescer e bater o Rexona. Por enquanto o time de Bernardinho é quem continua no comando. Por enquanto. 


******************************

Pê ésse:

- A Supercopa podia ter uma produção um pouco mais caprichada, né? Até para dar uma valorizada nestas iniciativas além-Superliga. A premiação foi tão chocha... 


 

Comentários

Unknown disse…
Tassia, uma líbero que não passa e nem defende. Joinha.
Vicente Maia disse…
Anne Buijs fez uma boa estréia e assumiu a posição da bola de segurança, embora Gabi tenha feito uma grande partida sacando viagem, bloqueando e batendo na bola sem dó. Aliás, desde as Olimpíadas ela está sacando assim e cada vez melhor.
Uma grata surpresa para mim foi ver a Vitória fazer uma partida impecável, com segurança de uma veterana e muito à vontade numa decisão, acredito será mais uma estrela na constelação do Bernardinho.
Para mim, contudo, a grande estrela da partida foi Carol. Ela hoje brincou de bloquear, foi o grande nome do jogo nesse fundamento e a cada toco que dava deixava mais desanimado o ataque adversário. Ela também foi bem na parte ofensiva, atacou algumas bolas pelo centro com muita velocidade e sem dar nenhuma chance ao bloqueio do outro lado. Esse duelo entre as centrais dos dois times era o que eu estava mais ansioso para ver.
Sobre a Roberta, eu discordo da Laura. Gostei muito da atuação dela, transformou alguns serviços B em bolas A, trabalhou bem com as pontas em bolas rápidas, serviu a Carol com bolas pelo meio, além de bloquear e defender. Em várias oportunidade deixou suas atacantes no mano-a-mano ou com bloqueio quebrado. Ok, ela empinou uma ou outra bola colada na rede, errou uma bola pelo meio e não conseguiu fazer aquela china mortal com a Juciely, mas estamos no início da temporada.
O Praia tem um timaço individualmente e ainda é um forte candidato a conquistas.
Fernanda Machado disse…
A Tassia é muito ruim! Ela acabou c o praia, chega correndo nas bolas, parece q ela tá sempre muito longe! A Helen é melhor q a Michele, q dever virar banco rapidinho!!
Divino Alves disse…
Tem que colocar a Michele de líbero. Pois a Tássia e péssima em todos os fundamentos.
jackeline froede disse…
Concordo plenamente. Tassia é esforçada mas não segura o fundo de quadra
L. Mesquita disse…
Ótima contratação!Perfeita a estreia da gigante Anne Buijs. A girafa holandesa brilhou no meio das baixinhas do Rexona, bola de segurança do time! Mais uma vez parabéns ao Bernardinho pela excelente contratação!
Rah Silva disse…
O problema do Praia foi o passe, viu-se no terceiro set q com o passe melhor fluiu. Solução? Migrar Michele pra função de líbero, utilizar mais sua líbero reserva. Ou a contratação de uma melhor líbero q ao menos faça o feijão com arroz da posição pq nem isso a Tássia nunca fez bem. Nesse caso existem opções viaveis: Tem a Andressa líbero q foi dispensada do Bauru no início de temporada que é Boa líbero e faz bem sua função no passe e principalmente na defesa. Também a Killara que atuou no Amil/Campinas que é jovem e tem futuro na posição o ZRG viu isso. E a possibilidade de trazer uma líbero das categorias de base da seleção, exemplo a Maria Clara q foi campeã Sul-Americana recentemente. Queria muito ver o Praia dando umas surra no rexona pq To cansado disso 11° campeão e no mundial n faz nada com suas nanicas. Kkk Bernardinho forma times p ganhar superliga n p ser campeão mundial kkk cansei desse papo.
Marco Barbosa disse…
Querida Laura e caros amigos, creio que podemos marcar a Supercopa como abertura da temporada, já que o classificatório do estadual paulista e o campeonato carioca, sem querer menosprezar a conquista do Fluminense, são no máximo jogos pré-temporada, reunindo elencos incompletos e com pouco apelo de público. A partir de agora, o Paulista alcança outro patamar de competitividade e interesse, e a Supercopa, reunindo dois dos favoritos à conquista da Superliga, já aponta algumas sinalizações importantes sobre a temporada. Nesse espírito confesso que fiquei um pouco decepcionado com o Praia. Sua grande contratação, a Fabiana, requer, para pleno aproveitamento do seu potencial, um passe funcionando com alguma estabilidade. Ou devemos esperar que a Claudinha alcance o entrosamento que a Dani Lins mostrou nos melhores momentos do SESI (e que fez falta nas Olimpíadas...), quando a confiança da dupla era tanta que a Dani parecia capaz de acionar a central de qualquer ponto da quadra, ou o Picinin tem que fazer esse time evoluir no passe, e nesse quesito não vimos nada de novo. Não acho a Tássia tão ruim como alguns dos amigos leitores a vêem, mas admito que ela é um tanto afobada para uma líbero que precisa cobrir ponteiras mais dedicadas ao ataque, e muitas vezes se enrola no posicionamento, de modo que Picinin precisa trabalhar nisso. Há opções, por exemplo, com a Walewska, uma central que já teve experiências anteriores bem sucedidas em compor linha de passe, que poderia ser usada em alguns momentos. Preocupou-me a Alix: pareceu-me desconfortável em quadra desde o começo e teve uma das mais fracas atuações no Praia. Tomara que tenha sido só um dia ruim.
No Rexona vimos a Gabi assumir um maior protagonismo na ausência da Natália e eu achei ela bem à vontade, dando na bola e sacando viagem. A estreante Anne também deve ter animado o torcedor: imaginava que ela seria só uma solução para as bolas altas e lentas, que o time não tinha desde a Pavan e a Brankika, mas a holandesa mostrou que não se garante só na estatura, expondo um repertório mais amplo. Há um potencial ali para a eficiente CT do Rexona trabalhar, e eu não tenho dúvida de que veremos em breve ela fazendo bolas mais rápidas e participando de combinações mais sofisticadas. Falei em opções no Praia, mas foi o Rexona que surpreendeu com a jovem Vitória, revezando com a Fabi. Parece-me bem lógico: a Fabi não é mais uma mocinha e poupá-la pode significar uma ou duas temporadas a mais jogando em alto nível. Além disso, para o jogo do Rexona funcionar é preciso dinamismo na defesa o tempo inteiro; na temporada passada, a Thompson garantia isso em boa parte do jogo, em interessante parceria que transformava a Fabi em levantadora com alguma frequência. Agora, sem a gringa, a utilização de duas líberos pode realmente ser uma boa idéia.
O Praia deve esquecer o revés e concentrar-se na SL. Já o Rexona vai às Filipinas disputar o Mundial, e o Bernardinho apressou-se em reconhecer as poucas chances do time contra as potências turcas. Bom, ele sempre faz isso e, na sua visão, o Rexona nunca é favorito. Nesse caso ele certamente tem razão, pois nos encontros entre Davi e Golias geralmente dá Golias mas, quem sabe, uma pedrada bem dada...
George disse…
Resultado, pra mim, inesperado. Até pela soberania total do jogo por parte do Rexona. Imaginei que seria ao contrário.
Pontos negativos:
Michelle pareceu estar cobrindo mais a quadra no passe e foi pouco efetiva. Assim como no ataque. Não entendi pq o Picinin demorou tanto a tirá-la do jogo.
Tássia cada ano está mais fraca, não sei o que está acontecendo. Parece que anda com uma pedra amarrada na perna e nunca chega nas bolas.
Álix, caçada no saque, espirrou muita bola e no ataque demorou a virar.
Pontos positivos:
Ellen entrou muito bem no jogo, até no passe.
A libero Vitória foi muito bem no passe e defesa, só me recordo de 1 bola mais fácil de recuperar e que ela espirrou, mas de resto foi muito bem.
Roberta, pra mim, foi o destaque da partida (assim, permito-me discordar da Laura). Apesar de ter feito um jogo bem burocrático, conseguiu transformar os passes horríveis que recebia em ótimos levantamentos. Teve 1 deles que até foi em bola rapida para a Gabi.
Laura disse…
George e Vicente, concordo que a Roberta foi bem consertando os passes, até comento no texto q ela foi bem na virada. Nao gostei nos contra-ataques e acho q poderia ter diversificado mais. Mas ela foi segura, de forma geral, deu estrutura pro time, o q é mais importante.

Sobre a Tassia, ela nao consegue se destacar na linha de passe nem na defesa, mesmo estando entre companheiras de nível regular pra baixo nestes fundamentos. Isso qd ela mesma nao compromete. É preocupante pro Praia esta posição.
Daniela Santos disse…
Mundial derrota e derrotas do rio.. infelizmente o nivel la e outro...
Daniela Santos disse…
Muito triste a realidade fo volei brasileiro... um multi campeao aqui tem de ficar feliz se conseguir ficar entre od quatro no mundial. E ainda tem gente que acha que o rio e grande coisa... doce engano.
Sergio disse…
Gente. Vamos esperar acontecer, aí sim comentados o que ouve de errado, não adianta ter boa altura, e ser fraca no ataque e no passe...
Daniela Santos disse…
Mas vc acha mesmo que altura n e importante... a china ganhou e tinha jogadoras altas .. esqueceu.
Joffre Neves disse…
Hooker no MINAS !
Daniela Santos disse…
Nao estou gostando de participar deste blog, pois faco o meu comentario com o meu ponto de vista e quando vou vet esta todo cortado pela Laura ou sri lá quem.. Acho que de eria ter mais democracia aqui..sr n e pra deixar meu texto na integra, peco que n deixe nada, exatamente nada e n me importo mesmo sabendo que ira passar pelas maos de vcs pelo menos ouviram a verdade. DEVE SER pir isso que cada vez mais menos participantes postam opinioes no blog. Basta ver que o numero dr postagens n esta passando dos 15, antigamente eram de 70 para mais...
Laura disse…
Nao sei do que vc está falando, Daniela. Seus comentários foram publicados como vieram. Nao tem nem como eu modifica-los e jamais faria isso. Se foi publicado cortado é pq me chegou para aprovação cortado.
Joffre Neves disse…
A tássia é uma líbero que tem jogos muito bons e outros que realmente nada dá certo.Acho que de todas as boas líberos do brasil ela é a que mais tem dificuldade digamos assim,no minas ela era uma baita jogadora e esteve presente na virada inacreditável do minas naquela superliga contra o volei futuro da paula pequeno,ana tiemi e joycinha,lembram ? acho que falta a ela acreditar mais e focar ao que realmente importa!O que aconteceu antes não pode influenciar no jogo e isso serve pra todas as jogadoras mas ela é a que mais sente no time do praia porque talento ela tem.Vejam alguns momentos no minas lá pra 2011/2012 e vejam que ela jogava bem mais a hoje,talvez por estar no time sem tanto compromisso como naquela época de título ela mostraria mais o potencial dela.Grandes jogadores são acima de tudo conhecedores da sua capacidade e não se deixam abater-se por nada!Ainda há tempo e torçam pra ela.
Rah Silva disse…
Mudando totalmente o foco, galera fui olhar um vídeo do jogo da semifinal do Paulista, Pinheiros vs São Bernardo. Fiquei impressionado com aquela oposta do São Bernardo, muito Boa jogadora tem uma concorrente agr pra Paula Borgo kkk pena q o Bernô não vai participar da Superliga esse ano 😢. Não conheço mto da jogadora, se Laura souber me informar mais agradeço. Acho q o nome dela é Vih (Vivian Caroline).
Joffre Neves disse…
Não vi o jogo dela porém procurei saber e vi que ela tem 1.93!Bom saber que tem promessas interessantes.
Mantronix Inc disse…
Laura olha time da Thaisa no Mundial de Clubes q vai enfrentar o Rexona nas Filipinas.

http://clubworldchampionships.2016.women.fivb.com/en/teams/ecz-eczacibasi%20vitra%20istanbul/players

Thaisa
Larson
Bóscovik
Kosheleva
Darnel
Rachel Adams

entre outras superstars!

Um dream team né?



Rah Silva disse…
Tbm tem a levantadora Sérvia que é muito Boa.
Acho que o time titular já q pode usar todas as estrangeiras será:
Ognocevic/Boskovic
Thaísa/Adams
Kosheleva/Larson
A líbero é uma turca, mais com um time desse nem precisa de uma Estrela na posição, até a tassia tava de bom tamanho kkkk
Mantronix Inc disse…
O VakifBank não fica atrás, olha o time:

Ting Zhu
Sloetjes
Kimberly Hill
Rasic

Até o Volero Zurich não deixou por menos:

Natalya Mammadova
Fabíola
Rabahdzieva
Carcaces
Akirandewo
Mari Paraíba


Sinto muito com esses 3 times se o Rexona conseguir subir no pódio, já esta excelente.

Começando dia 18 algum canal vai transmitir?
Laura disse…
Mantronix, o Sportv deve transmitir ao menos as partidas do Rexona, não sei as demais. É, o desafio para o Rexona é imenso.

Rah, desculpe a demora por responder, mas não conheço a Vivian.