Mundial de Clubes - Rexona 2x3 Eczacibasi


Falei no post anterior que, depois da derrota para o Casalmaggiore, o Rexona precisaria de um milagre. E não é que o tal do milagre quase aconteceu?

Despretensiosamente e ciente da sua inferioridade, o Rexona conseguiu equilibrar a partida e se aproximar da vitória. Com melhor aproveitamento dos contra-ataques e mais saídas de ataque o time teria a alcançado.

A partida ter se estendido ao quinto set também não ajudou em nada o Rexona, que precisaria ter matado a disputa, no máximo, no quarto set. Ali já se via os sinais de desgaste do time e de maior controle dos erros por parte do Eczacibasi que, até então, tinha presenteado o time brasileiro com muitos pontos em erros, principalmente de ataque. 
 
*************************

Jogando sempre no limite, o Rexona perdeu o fôlego para manter a regularidade no saque e na virada de bola. Tanto que as brasileiras estiveram à frente em pontos de ataque nos três sets iniciais e perderam esta “liderança” nos finais. O esforço para pontuar foi gradualmente ficando maior com o decorrer da partida.

Por isso, foi decepcionante a atuação da Buijs. Claro que a holandesa, por ser a jogadora mais conhecida do Rexona pelos europeus, recebe uma marcação especialmente forte. Mas ela está demonstrando não ter muitos recursos e capacidade de recuperação. Deixou o time na mão nos dois confrontos mais importantes do Mundial. Deixou Gabi, contra o Casalmaggiore, e Monique, contra o Eczacibasi, fazerem, com bons e valiosos centímetros a menos, fazerem o que deveria ser o seu trabalho.

Aproveitando para falar da oposto brasileira, Monique se redimiu da apagada atuação contra o time italiano. Com uma bela atuação, usou da sua habilidade e inteligência para explorar o pesado bloqueio turco. E quando falo pesado não é nenhum exagero. O Eczacibasi fez 22 pontos neste fundamento contra somente 7 do Rexona. 

*************************
 
O Bernardinho pegou no pé das centrais brasileiras na questão do bloqueio, que caiu de rendimento depois do segundo set. Mas acho que este não foi o principal problema defensivo do Rexona. O que impediu o bloqueio de ser mais efetivo e amortecer os ataques foi a queda da regularidade e da agressividade do saque.

Além disso, o Rexona trabalhou bem na defesa. Não conseguiu, no entanto, ter mais cuidado na armação dos contra-ataques. E aqui, novamente, a Roberta tem sua responsabilidade ao não levantar com precisão e/ou fazer escolhas erradas. 
 
Ela teve uma atuação melhor do que a contra o Casalmaggiore, mas ainda se pôde perceber o mesmo padrão da partida anterior. Começa bem, com velocidade e boa distribuição e vai caindo de rendimento ao longo da partida – talvez um reflexo dos muitos anos de reserva. 
 
Novamente ela esqueceu-se da Jucy, apesar de ter usado com mais frequência a Carol na primeira bola. Os levantamentos para Gabi e, depois, Drussyla não tiveram a velocidade ideal mesmo tendo em mãos um passe de ataque e contra-ataques razoáveis. 

*************************
 
Num momento “percebe, Ivair, a petulância do cavalo”, me atrevo a dizer que o Bernardinho gerenciou mal o tie-break. Demorou demais a parar a partida ou fazer uma troca quando o Rexona empacou na rede de dois. O time recém tinha conseguido equilibrar a disputa, mas notava-se que estava difícil segurar-se neste ponto a ponto. E foi ali o Eczacibasi tomou conta do set.

O Bernardinho poderia ter feito a inversão ou mesmo recolocado a Buijs no lugar da Drussyla que penava para passar pelo bloqueio. Acho que era até um bom momento para ver a real da holandesa.

No fim, quando ele fez uma substituição, optou por colocar a Maihara no lugar da Carol, o que não entendi. A jogadora, aliás, durou dois pontos somente quando aí sim entraram Camila Adão e Helô – a uma rotação para a levantadora entrar na rede. Ou seja, logo saíram.

***************************
 
Com esta atuação, fiquei com a sensação de que o Rexona sai precocemente da competição. Acho que é um time mais qualificado que o Casalmaggiore. Claro que esta superioridade deveria ter sido mostrada em quadra no confronto direto. Agora o time brasileiro paga o preço de se despedir da competição na primeira fase.

Mesmo com um elenco mais modesto, o Rexona soube se elevar na disputa contra o estrelar Eczacibasi. Não duvido que, classificado, faria um confronto equilibrado na semifinal tanto contra o Volero como contra o Vakifbank.

Desta forma, acho que o Rexona sai de cabeça erguida, mas com algumas preocupações. A primeira, com a Roberta. Ela ainda está verde e vai precisar aprender a conquistar uma regularidade para dar ao time um padrão de jogo.

A segunda preocupação é a Buijs, que precisa dar um salto de qualidade na recepção e ter mais personalidade. Quando digo isso, é uma questão de brios mesmo. Ela não pode aceitar naturalmente ser trocada por Régis e Drussyla. No Vakifbank e na Holanda, Buijs não tinha a responsabilidade que tem e terá no Rexona. Lá, ela tinha parceiras de alta qualidade e, a qualquer tropeço seu, era substituída - às vezes até por uma jogadora mais qualificada do que ela. Aqui, ela é a bola de segurança e não há jogadora na reserva com as mesmas características que ela.

Não sei se estas questões comprometerão a conquista da Superliga que, obviamente, tem um nível de exigência menor do que o Mundial. Mas certamente são fragilidades que ameaçam a sua soberania e sobre as quais Osasco e Praia já estão de olho. 

***************************


Demais resultados da última rodada

Volero Zurich 3x2 Vakifbank

Bangkok 0x3 Hisamitsu Springs

PSL Manila 0x3 Pomì Casalmaggiore
 
 
Semifinais:

Eczacibasi x Vakifbank
 
Volero Zurich x Casalmaggiore
 
- E não é que teremos uma semifinal com os milionários times turcos? Se o Rexona estivesse no grupo do Vakifbank tinha mais chances de chegar à próxima fase. Isso porque, apesar de ter a monstro a Zhu, o Vakifbank tem mais pontos frágeis na comparação com o Eczacibasi. 
 
Um deles é a instabilidade da Hill, tanto no passe como no ataque. Outro está na dupla de centrais, inferiores e menos atuantes do que a equipe compatriota. E, por fim, no levantamento. A Naz é habilidosa, mas a Ognenovic é superior na distribuição. 

Comentários

George disse…
Admito, não assisti esse jogo. Mas vendo o scout do jogo, tive a surpresa do jogo equilibrado, o que duvidava até então. Mas o que é bom, se analisarmos quando fazem comparações dos times brasileiros com os do resto do mundo e vemos que nossos times não fazem tão feio como pintam.
Resultado que me surpreendeu foi o do Volero que, mesmo sem uma das pontas efetiva e definida, soube se aproveitar das fragilidades do Vakifbank.
No confronto direto dos turcos, acredito que o Eczacibasi passa. A Larson tem capacidade de dar um volume pro jogo que a Hill não consegue. E a Sloetjes anda apagada, diferente da Boskovic.
De qualquer forma, serão belos jogos agora.
Eduardo Araujo disse…
Assisti ate o 4 set... oq eu via era que o time turco com bastante facilidade para virar a bola e o rexona com dificuldade, senão fosse a quantidade de erros principalmente no saque do time turco, o jogo teria acabado bem antes.
Mas foi bem, se comparar o nível das jogadoras... de ambas as equipes.
Mantronix Inc disse…
Assisti tudo.

Monique é uma especialista em explorar bloqueio.

Como disse anteriormente o potencial da Buijis é limitado foi uma contratação q o Bernardinho fez com q podía fazer ($$$) mas sem conseguir substituir a altura o potêncial técnico e físico da Natália.

O Eczacibasi errou horrores mas o q fez a diferença nessa partida a favor do time turco foi indiscutivelmente o BLOQUEIO, contra os poucos do Rexona.

Roberta levantou tijolos.

A entrada da Drussyla não fez diferença, bloqueada sistematicamente.
hilton disse…
so não concordei quando vc comparou as centrais dos times turcos,
Rasic pra mim e a melhor de todas.
Gustavo disse…
Rexona caiu de pé considerando o nível do adversário.

Diferença de altura pesou muito, quase um set em bloqueios para o Eczacibasi, que ainda tentou entregar o jogo com tantos erros. Monique o inverso do jogo passado, foi de melhor jogadora do adversário a melhor do time.

Agora a Buijs foi uma grande decepção, em um time baixo ela tinha que ser a atacante de grande estatura pra desafogar tanto a Gabi quanto a Monique, pior que a troca pela Drussyla foi seis por meia dúzia, só tomou toco e foi nula em quadra. Antes de acertar com a Buijs foi dito que tinham interesse na Plak, embora o passe dela seja um deus nos acuda, compensava trocar passe ruim por força no ataque, mas com pouco dinheiro disponível, acabou ficando na Itália e tiveram que se contentar com a Buijs, que no mundial não teve nem um nem outro.

Porém, considerando que aqui no Brasil só o Praia está no mesmo nível (e não consegue vencê-las) e o Osasco foi humilhado pelo Pinheiros no Paulistão, esse time limitado do Rexona deve, por exclusão, ser campeão da Superliga de novo.
Leonardo Madeira disse…
Não assisti o jogo, mas com toda sinceridade essa levantadora do Rio é fraquissima, é jogadora de Sesi,Campinas (times de segunda linha), não tem a menor condição de ser levantadora do time de volei feminino mais importante do país, muito menos ser a levantadora num mundial. Nem banco ela serve.

Abs,
Mantronix Inc disse…
Vakifbank 2 x 3 Volero Zurich

Foi um bom jogo.

Ting Zhu definitivamente a jogadora de decisão do Vakif, Hill quinando no passe e Rasic, a única de poucos sorrisos, foi muito bem. Aliás, pelo q essas meninas ganham deveríam rir do início ao fim da partida independente do resultado.

Por incrível q pareça o Volero jogou melhor e quase não precisou ir para o tie-brake estando na maioria das vezes na frente do placar. Fabíola deu show. E a simpaticíssima Rabadzhieva deu conta do recado.

Mesmo com o técnico super sério do Volero, o Servo Zoran Terzić fazendo uma substituição " louca" tirando de quadra com broncas de quase enforcar a Mammadova pela Mari Paraíba, tendo a Carcaces no banco, até q a Mari foi bem e conseguiu virar alguma poucas bolas recebidas q sabiamente a Fabíola a presenteou.

Darnel no Vakifbank tava tão maquiada q parecia ter saído de um casamento no Palácio de Versailles. Esse povo pira. Sem noção.

Laura boa notícia. Sportv vai transmitir as semi finais:

Vakifbank x Eczacibasi
Volero x Caslmaggiore


Divino Alves disse…
Torcendo pro volero. Já que o Rexona saiu fora. Espero que passem pelas italianas e que ganhe a final
Laura disse…
Hilton, acho a Rasci muito bom jogadora, só não sei se é a melhor de todas. O que acho é que se considerarmos a dupla de centrais e o estilo de jogo o Eczacibasi leva vantagem.

Monatronix, ainda não vi o Volero, estou curiosa para ver a Fabíola. Bom mesmo saber que o SporTV transmitirá as semi mesmo sem o Rexona.

George, acho que a Sloetjes tá "apagada" porque o jogo tá super concentrado na Zhu. Mas ela até que está com bom aproveitamento. De qq forma, tb acho que o Eczacibasi leva a semi.
Eduardo Araujo disse…
os jogos do volero vc pode ver pelo youtube... tem todos os jogos do mundial lá
Laura disse…
Sim, eu sei, Eduardo. Não consegui ter tempo mesmo pra ver... =/ Obrigada!
Mantronix Inc disse…
O Volero ta jogando redondo e na minha opinião tem chance levar levar esse campeonato.

Se Eczacibazi continuar batendo cabeça e Boscovic e Kosheleva repetirem os mesmos erros bisonhos no ataque q fizeram contra o Rexona, o Vakif nao ter dificuldade de bater o rival turco.

Sloetjes eh uma excelente atacante, mas eh uma atacante de início e meio do set, no final do set, na hora da pressão, a bola tem q ser pra Ting Zhu mesmo.

Na transmissão do Volero, close de 3 em 3 minutos na Mari Paraíba, ta explicada a contratação ou é maldade minha? rs
Eduardo Araujo disse…
laura vc sabe se o sportv vai realmente passar os outros jogos? se sim, vc sabe os horários e os dias?
willian km disse…
Vi todo o jogo do Rexona e fiquei surpreendido com o resultado, de fato calou a boca de muita gente, inclusive a minha. Fiquei contente em ver a Gabi, tecnicamente ela está acima de muitas ponteiras e atacou de todas as formas, a única coisa preocupante é a parte física mesmo que queira não consegue ganhar das gingantes kosheleva, Boskovic, ting Zhu e ainda incluo algumas brasileiras como Garay e Tandara, no final do 4 e 5 set, ja estava esgotada e sem a mesma potencia dos outros sets e longe da força física da Boskovic e Kosheleva.
Uma pena foi ter perdido para o tima italiano, se tivesse passado com certeza brigaria com qualquer outro time e teria condições de ficar entre os 3.
Falando de super liga, O Rexona mais uma vez esta acima da média mesmo com as jogadoras baixas, tem o Bernado, a mente brilhante que tem a capacidade de mudar qualquer resultado a seu favor.
Em relação a seleção é muito cedo falar, mais quase o time todo do Rexona será convocado para as próximas competições, Gabi de fato vai juntar a Garay, Natalia e Tandara na ponta.
Monique acho difícil uma vez que pediu para sair, Helo uma pena ser reserva as chances caem, mais na mão do Bernado tudo muda. Carol mesmo baixa para Central faz milagre em cima dos "postes", porém nesta competição foi apagada contra o time turco, mais com os outros bloqueava muito mesmo com 1,83. E Roberta é fraca quando joga com times mais forte e técnicos e princialmente quando aperta em final do sets ou em competições mais fortes diferente de grand prix.
Bernado é o cara.