Menos, bem menos



Depois de um pausa pós-Olimpíada, queria voltar com assuntos mais amenos. Mas a Thaisa não deixou: "Thaisa exige mudanças para permanecer na seleção"
 
Vou desconsiderar a chamada um tanto exagerada e os erros de informação da matéria (Thaisa foi um grande nome em 2008? Brasil caiu nas oitavas em 2016?) e focar somente no que ela falou no pequeno trecho do vídeo.

A Thaisa tem todo direito de ficar descontente por ter jogado pouco na Olimpíada, por ter tido uma temporada difícil, de correr contra o tempo para se recuperar e, no fim, não ter sido recompensada por todo o esforço. Tem todo o direito de ficar irritada com o Zé Roberto e não querer trabalhar com ele mais na seleção (pelo menos foi isso que deixou a entender...).

Thaisa tem todo o direito de SE colocar condições para permanecer na seleção. Agora, falar isto ao público, no momento em que ela tende a ser (se continuar) uma das referências para o grupo que inicia o próximo ciclo olímpico, é deixar claro que ela se coloca acima da seleção. Soa extremamente presunçoso.

Cheguei a comentar no post anterior que a Thaisa seria uma das poucas veteranas que manteria para compor a base do novo ciclo. No entanto, se é para começar deste jeito, é melhor nem continuar.

Thaisa está se saindo uma versão jovem da Venturini - com bem menos bola para exigir qualquer coisa que seja. Gosto da capacidade de revolta com os maus resultados e de autocrítica dela. Sempre apreciei a sua sinceridade, saindo daquele discursinho tradicional e ensaiado que se houve da maioria dos atletas. Ao mesmo tempo não me agrada em nada este tipo de atletas “estrelas” cujo mundo gira em torno de seus umbigos e são os primeiros a expor os colegas quando as coisas dão errado. E Thaisa está se encaminhando para ser um desses (ou ela é assim desde sempre e eu é que não tinha me dado conta). 


*******************************

Acho que o efeito negativo da sua personalidade (tanto comentado aqui pelo participante Nei em ocasiões anteriores) era até então, na seleção, amenizado pela Sheilla e pela Fabiana, que, com temperamentos conciliadores, exerciam maior liderança no grupo. Só que no próximo ciclo, a Thaisa, pelo seu histórico, será naturalmente uma das referências e lideranças do grupo. Ela terá mais voz. E que mensagem irá transmitir?

Ela poderia ter dito que está pensando se continua na seleção ou não. Ponto. Se as coisas que a desagradam não mudarem, sai. Mas no momento em que ela fala “Se tiver algumas mudanças na seleção, eu posso ficar. Se não tiver, dificilmente eu fico”, deixa a entender para suas colegas e comissão que, se permaneceu, é porque as coisas estão do jeito que ela quer. Ou seja, a Thaisa é a dona da porra toda. E vimos recentemente que esta postura não fez bem a ela nem ao Osasco.

Tomara que a experiência na Turquia dê a real dimensão à Thaisa da sua qualidade e da sua importância num grupo. Acho que ultimamente ela mesma perdeu esta noção. É uma jogadora especial, mas não é tudo isso que imagina ser e, até, pelo qual ela própria se cobra. 



*******************************

Esta se decidiu

Ao menos em 2017, a levantadora Alisha Glass não defenderá os EUA. Vai se dedicar à faculdade e à família. Deixou totalmente em aberto a sua volta em 2018.

Acho que a Glass, apesar de não ser das levantadoras mais regulares, deu uma cara mais moderna ao time norte-americano neste último ciclo, com um estilo de jogo mais leve e  variado do que suas antecessoras. Mas os EUA devem ficar bem entregues às mãos da Lloyd – isso se, bem ao estilo americano de ser, o Kiraly não comece tudo do zero.

Comentários

anônimo disse…
Eu fico mais surpreso pelo fato de você parecer surpresa com isso, Laura. Thaisa sempre apresentou essa postura insolente e altiva, dentro e fora de quadra. Ela não pede desculpas quando acerta o adversário no rosto. Isso diz muito da personalidade do atleta. Quando declarou em uma entrevista que não considerava a medalha de Pequim porque não era titular, ficou ainda mais claro. Não entendo o destempero dela. Reclamar do tempo limitado que teve em quadra é infundado. Juciely jogou apenas os dois primeiros jogos porque ela estava com esse estiramento na panturrilha. Ela reassumiu a titularidade justamente contra as seleções mais "fortes", portanto a desculpa de falta de ritmo não cola. Dizer que precisava jogar mais para pegar confiança? Uma jogadora bicampeã olímpica, titular absoluta da seleção nos últimos dois ciclos e com larga experiência em decisões, precisa jogar contra duas seleções sem expressividade como Camarões e Argentina para ganhar confiança? Fato é, que Thaisa não fez uma boa superliga, estava lenta/pesada no deslocamento do bloqueio e não puxou a responsabilidade para si quando precisou. É justo salientar que Dani Lins anulou as duas centrais no jogo, mas nas poucas oportunidades que teve, vi a Thaisa atacar várias bolas para fora, sacar na rede, além de ter passado incólume no bloqueio após o primeiro set. Seria muito mais humilde admitir que, assim como algumas de suas companheiras, ela não fez uma boa partida. Desde o último Mundial, noto uma Thaisa muito preocupada com a auto-imagem, com a aparência, com o 'close" das câmeras. Não posso afirmar se isso interferiu na qualidade do seu jogo,mas ela não me lembra nem de longe a Thaisa focada de Londres. É uma jogadora acima da média, sem dúvida, mas não é insubstituível. Deveria concentrar-se no desafio inédito de jogar em uma liga européia e testar se ela é realmente tudo o que pensa que é. Concordo com você, Laura, essa atitude não é boa para a filosofia de mudanças de que a seleção vai precisar nesse quadriênio. Se for assim, é melhor que se aposente mesmo.
Yana Souza disse…
Acho que cada interpreta fo jeito que quer a declaração da Thaisa, mas n podemos esquecer que ela viveu os ultimos oito anos na seleção e sabe melhor do que quslquer um de nós o que se passa na seleção... ou vcs acham que não existem coisas na ct que.nunca saberemos? Acho que antes de julgarmos devemos imaginar que o wue thaisa quis dizer vai muito além de estar ou não jogando de titular na selecao. ADMIRO a Thaísa pq ela sabe do seu valor e nao tem medo de expor seus sentimentos... em tempo... não vejo nenhum ar de desentendimento entre ela e as demais jogadoras da seleção, vejo sim um grande entrosamento..Menos, bem menos.. hummmf.. a gatinha
Lulu disse…
Essa passagem pela Turquia fará muito bem para o crescimento profissional dessa jogadora. Será mais uma e jogará se mostrar bola para isso. Acho que ela perdeu a chance dê ficar calada pois seu recado não foi somente para o ZÉ, foi para qualquer um que assumir e Ousar contrariá-la.
edskelter disse…
CONCORDO COM O ANONIMO, DESDE O MUNDIAL DA ITALIA 2014, TEM ACONTECIDO ALGUMAS PICUINHAS, COMO NUM JOGO QUE ELA RECLAMOU QUE NUM PEDIDO DE TEMPO DO ZÉ ,QUE FICAVA MUITA GENTE FALANDO AO MESMO TEMPO E ATRAPALHAVA O TIME, ELA TOMOU UM CALA BOCA DA CT E NAO FALOU MAIS COM A IMPRENSA, ALEM DESSE FATO DE ELA FICAR MUITO PREOCUPADA COM A IMAGEM, TODA HORA É TATUAGEM , PIERCING, SILICONE , AGORA BOTOX NOS LABIOS , CABELO , SELFIES, REDES SOCIAIS ETC..., ACHO QUE ISSO TIROU O FOCO
Josenei Silva disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Josenei Silva disse…
Ô, Laura, que lembrança boa. Muito obrigado pela menção. Fico feliz que lembra de mim. Continuo acompanhando o blog, lendo tudo, rindo muito, estranhando muito algumas coisas e ficando triste também. Não digeri o jogo contra a China ainda e nem consegui assisti-lo de novo. Muito triste com o que aconteceu. Teria tantas coisas para dizer mas vou me restringir a essa questão do post, a Thaísa.

Assisti ao Roda de Vôlei completo nesta quinta, não sei se você viu, mas seria legal ir além desta matéria. Realmente ver um trecho compromete o entendimento. Pelo que percebi o descontentamento dela é com várias coisas, muito provavelmente as escolhas e métodos do técnico. Mas não acredito que ela estivesse sugerindo ou pedindo a saída dele. Acho que não. Ela estava insatisfeita por não ter feito os outros jogos, especialmente o da China. Disse que já estava inteira desde o segundo jogo, mas o técnico escolheu manter a Jucyele.

Eu acredito que o Zé não quis correr riscos e preservou sua grande jogadora fisicamente porque realmente não precisava dela nos jogos do grupo, que eram muito fáceis. Mas no caso da China foi uma opção técnica, creio eu, porque a Thaísa é lenta no deslocamento lateral e não viu a cor da bola no jogo do Grand Prix, quando o Brasil tomou aquela saraivada da China de 3 a 0. Eu também teria entrado com Jucyele naquele jogo. Mas a teria tirado quando visse que a vaca estava indo para o brejo, como aconteceu. Não sei por que, mas o Zé assistiu à derrota sem fazer nada. Tenho muitas teorias e sugestões, mas pararei aqui.

De qualquer forma a Thaísa não deveria ter colocado sua insatisfação daquela forma, pois, como você disse, pressionou a CT e fica subentendido que se ela continuar é porque suas exigências foram cumpridas. Antiética como sempre essa atitude dela.
Josenei Silva disse…
Sobre a Thaísa e sua personalidade "forte", é muito fácil de falar e fazer uma leitura. Thaísa tem um sério, seríssimo problema de autoestima. Ela se acha feia. Não foi à toa que ela fez diversos procedimentos cirúrgicos e estéticos para mudar sua aparência e começar a se sentir segura, principalmente depois de sua saída do Rexona em 2007 e ida para Osasco, e convocação para a seleção brasileira, que a colocaram mais na mídia, contiguamente com a explosão das redes sociais e os tais seguidores.

Ela tinha nariz de bruxa, cabelo de vassoura, testa de relâmpago, era meio mocoronga e curvada e até pesada, como era dito por aí. Assim ela alisou cabelo, afilou nariz, não sei o que fez com a testa que ficou menor, emagreceu, começou a malhar duro, colocou prótese nos seios, e acho que na bunda também, fez inúmeras tatuagens, colocou piercing, fez barriga negativa, entre outras coisas que possa não me lembrar agora, e começou a postar. Tudo demais, em excesso. Tudo isso para se sentir aceita e incluída, para se enquadrar nos padrões ditados por aí. Muito simples isso. A sociedade fala sobre isso corriqueiramente, não sei porque no caso de Thaísa não pode ser dito.

Deve ter sido difícil pra ela ter que conviver com Sheilla, Mari, Fabiana, Brait, Jaqueline, encarar Goncharova, Fetisova, holandesas, etc. Mulheres lindíssimas. Ela se sentiu feia e quis melhorar. Até aí normal, porque todos tentam melhorar pequenas coisas pra se sentir melhor. Mas no caso dela que é psicológico, de baixa autoestima e autoaceitação fica desequilibrado. Juntamente com isso ela passou a ser o centro, a desrespeitar às colegas dos próprios times e dos adversários. E o pior, coincidentemente parou de jogar tanto como antes. Enterrou o jogo do Osasco diversas vezes. O Luizomar de Moura não a soube enquadrar, nem o Zé Roberto. E penso que a crise de 2012 para por ela também, além das cagadas do Zé.

Ela achou acolhimento nas redes sociais, passou à diva e musa, idolatrada por essa geração de jovens, no meu julgamento sem noção, que cria ídolos sem méritos não sei para quê.

Pra mim ela é horrível. Parece um travesti que não deu certo, com todo o respeito que os travestis merecem, pois geralmente são figuras muito bonitas, reunindo o melhor do homem e o melhor da mulher. Alguém tem que dizer isso a ela. Ela é feia. Ela não é bonita, não é diva, não é musa. Uma pessoa que não se aceita como é e que não consegue aparecer em público sem maquiagem tem sérios problemas. E fica mais feia ainda com essa postura arrogantes e petulante dela. Pra mim o dinheiro que ela ganha justifica nada disso.

Pra mim a seleção não perde se ela sair. Ganha. Se tem que renovar que renove. Que se encontre outra central, mesmo mais baixa se não houver outra alta. Vôlei é jogo coletivo, dos mais coletivos, diga-se de passagem. E concordo, Laura, que ela tenha muito da Venturinni. Não gosto disso. Acho que as pessoas devem ser humildes sim, especialmente no nosso país, onde a maioria é pobre e se ajuda muito. Acho a postura da Thaísa muito desrespeitadora e depreciativa, não agregadora e não salutar para os grupos pelos quais ela passa. Existe sim afinidades pessoais, amizades, mas o efeito de uma pessoa dentro de um grupo vai além disso. A aspectos não ditos, coisas caladas e que podem ter mais efeito do que é dito. Ela desrespeita Jucyele dessa forma, já desrespeitou a Carol, a Mari, a Carcaces, a Mara. Manda tomar no *u contra times pequenos, mas geralmente se enconde contra os times grandes e em finais. Vi isso diversas vezes. Pra ela se sentir melhor e mais bonita não precisa diminuir as outras colegas. Ela precisa de terapia buscar na sua história de vida, em sua infância o por que de sua não aceitação e se resolver. Assim vai parar de atacar e diminuir os outros e vai ter uma existência mais feliz e leve para si e para os que estão em sua volta.

Laura, sou seu fã, por inúmeros motivos. Uma grande pena que não somos tri, ainda. Mas a China mereceu mais que o Brasil. Foi Justo.

Um grande beijo e um abraço apertado.

Nei
Josenei Silva disse…
Pra quem quer relembrar comparem o antes e o depois da Thaísa nessas fotos. Achava-a muito mais bonita antigamente.

http://globoesporte.globo.com/Esportes/foto/0,,14799331-IN,00.jpg
http://esportefinal.lance.com.br/wp-content/uploads/2008/11/61941_72286_thaisa1.jpg
http://1822.img.pp.sohu.com.cn/images/blog/2009/11/4/18/23/1256e12c011g213.jpg
http://fotos.areah.com.br/images/fotos/mh_interna_galeria_thaisamenezes14.jpg
Isa Costa disse…
Por um lado acho até bom, tá ficando um pouco velha também e jogando muito a baixo do que costumava jogar, tem que sair logo pra dar vez a uma jovem capaz de durar mais tempo servindo a seleção.

Tomara que o ZR fique, porque isso vai significar que a metida não dará mais o ar da graça.
Joffre Neves disse…
Ct e o zé não sou loucos de perder a thaísa não,e nem quero pq ela é uma ótima jogadora e ainda é bem jovem...Muito melhor ter a arrogância dela no meio de rede e fazendo seu papel que se enrolando pra achar meio de rede ainda.Hoje ela ainda dá pra um ciclo e vamos ter calma...Agora é pra achar ponta clássica ou definidora que compense,levantadora,oposta ,uma meio de rede e líbero.Já foram tidos muitos nomes e não irei repetir
Laura disse…
Anônimo, pois é... A personalidade dela não me surpreende, na real. Mas acho que, sinceramente, durante estes anos não refleti com mais atenção sobre como isso afeta a sua convivência com os demais.

Nei, que bom te ler novamente! Procurei o programa antes de escrever e não o encontrei. Até tinha escrito que somente aquele trecho dava margem a muitas interpretações, mas acabei apagando. Erro meu.

Adorei sua análise da Thaisa. Faz todo sentido. Ela passou de uma pessoa com baixa autoestima para uma com o rei da barriga, só que sem ter a mesma bola de antes. Ela perdeu a noção, eu acho, do real tamanho dela, se acha mais do que mostra em quadra. Aí o discurso dela fica cada vez mais distante da realidade, o que só alimenta antipatia a ela. E ela responde com palavras e não na bola - até porque a sua melhor fase está no passado mesmo, não no presente.
Renato Costa disse…
A Thaísa foi infeliz no comentário, mas o pessoal esta exagerando demais nas criticas a ela.
Não foi legal ela dizer que não gostou de ter ficado no banco e que deveria ter jogado antes, mas ela estava voltando de lesão e o ZR quis preservar.

Quanto ao comentário dela de dizer que só volta se mudanças acontecerem, caso contrário não, ela quis dizer nas entrelinhas que algo esta errado no comando da seleção e eu tenho um palpite.

O ZR adora a Natália e a Dani Lins, elas podem estar péssimas e errando tudo que não saem da quadra de jeito nenhum, mas com as outras jogadoras isso não acontece. A Thaísa errou alguns ataques, foi substituida e não voltou mais, a Jaque tava com dificuldade de atacar e não voltou mais, a Garay no jogo contra a Russia tava insegura na recepção, foi substituída e não voltou mais. Portanto é extremamente frustrante você se dedicar, treinar duro, ficar longe da família para jogar em um time com jogadoras "protegidas" pelo técnico e outras não. Ela pediu mudanças não só em nome dela, mas de outras jogadoras também que não concordavam com isso.
Isa Costa disse…
Thaisa também é protegida do ZR e ela foi bem clara, não deixou dúvidas, quer o ZR fora porque se machucou e não pôde jogar no começo da olimpíada e quando melhorou estava sem ritmo, errando muito saque e atacando pra fora. Ela não chega a se comparar a Fabiana, então vamos parar de temer a aposentadoria dela porque a outra que realmente importava já saiu. Digo mais, Dani Lins também deveria se aposentar ou no mínimo assumir a reserva, deixa só Natália e Garay de titulares no novo ciclo.
Altivez é uma coisa e insolência é outra, anônimo!
Altivez é ótimo!
O Choro da Jaqueline no final da partida contra a China também foi porque jogou pouco.
Se o Brasil tivesse perdido em Londres a Paula Pequeno teria dito cobras e lagartos.
Como ganhou teve que engolir.
Vaidade, meu pecado preferido. Já dizia o personagem de Al Pacino no filme Advogado do Diabo.

Ps: A seleção parece terra arrasada, hein?! Há só um mês tudo era tão diferente...
Ganhar e perder, a de se saber.
anônimo disse…
Não me lembro de ter dito que são a mesma coisa. Por isso, usei a conjunção aditiva "e" ao ligar as duas expressões. Se altivez é ótimo? Bom, cada um com seus valores. Altivez no seu sentido perjorativo, para mim nunca é positivo, seja no esporte, seja em qualquer campo da vida. Perdendo ou ganhando, acho que a humildade é a melhor postura a se adotar. Confere mais dignidade e elegância ao indivíduo.
Jaqueline entrou no terceiro set e não fez a diferença. Levou bloqueio e atacou bola pra fora. Natália, que estava péssima no segundo set, voltou no quarto e virou todas as bolas. Ela não tem do que reclamar.
Thaisa sacou na rede e atacou bolas para fora. Foi irregular e foi substituída por Jucielly.
Se houve algum problema interno que nós desconhecemos, ok. Mas, reclamar que jogou pouco é uma justificativa furada. Seria mais digno admitir que não jogou bem quando a equipe mais precisava. Não há mal nenhum nisso. Ela não foi a primeira e nem será a última craque a falhar em um momentos decisivo.
Joffre Neves disse…
Sheila vai falar aonde vai jogar aqui na superliga no esporte espetacular,ela tá na terra dela e quase concreto que vai ser o Minas,seria uma boa um post sobre os times da superliga com seus pós e contras...Vai ser um bom time se a jaque vier pra o minas tenis club também:nayane/sheila/gattaz e mara (prefiro a fran a mara)/jaque e rosa/léia.Suplentes:Pri daroit/karine.Se o passe vier bem e muito acelerado tenho quase certeza que tira o Volei Nestlé-osasco,conciclig-bauru,fazer jogos duros contra Rio de Janeiro-Rexona-sesc e Dentil Praia club.Atenção no sesi-sp porque pode tirar um ou até dois sets se a Lorenne quiser jogo.
Yana Souza disse…
Falou tudo... concordo plenamente com vc... Dani e Nathalia, as protegidas
Carina disse…
A Thaísa deveria ter humildade. O atleta deve reconhecer quando o seu rendimento cai, bom exemplo disso é a Maurren Maggi, ex-saltadora, ela reconheceu que não teria mais condições de competir. Acho que é isso que falta à Thaísa, reconhecer que ela vive uma realidade técnica diferente de 4 anos atrás, pois agora ela está muito lenta e com pouca precisão nos bloqueios e saques. Confesso que a insistência dela em mexer o cabelo e se preocupar demais com aparência era algo demasiado, a vaidade foi superior a preocupação com o que realmente interessava: o jogo. Imagino que para O Zé Roberto e toda a comissão técnica não foi fácil lidar com o ego e vaidade de algumas, espero que poucas, jogadoras.
Amigo(a), não existe sentido pejorativo para altivez.
Altivez não é orgulho e nem soberba.
Uma pessoa altiva é uma mistura de segurança com confiança.

Laura, não vou comentar sobre a Thaisa e sim sobre você.
Seu texto esta cada vez melhor e seus comentários cada vez mas lúcidos. Eu me surpreendo com as opiniões colocadas aqui, a sua maioria de gente que entende de vôlei e comenta, ilustrando com fatos históricos. Parabéns.
Vou aproveitar para continuar com a minha campanha. Devemos rever esta história de ciclo olímpico. Nada do que se fizer nos próximos dois anos, será aproveitado nas olimpíadas.
Deveríamos então aproveitar para renovar a seleção e em 2019 veremos o que acontece.
Gustavo disse…
Olá Laura, leio seu blog há algum tempo, parabéns pelas postagens e pelo ótimo espaço de discussão a respeito do vôlei feminino, este é meu primeiro comentário.

O ZRG tomou várias decisões questionáveis nessa Olimpíada, levou um baile da Lang Ping e ficou totalmente perdido naquele jogo, mas substituir a Thaísa pela Jucy não foi uma delas, na primeira fase, o intuito era claro, colocá-la gradualmente no time, tava lesionada, no jogo contra a China foi o desempenho fraco da Thaísa que levou a isso.

Nós sabemos que Pane Lins atacou com força durante aquele jogo, efetivamente anulando o jogo de meio do Brasil, Fabiana marcou SETE pontos de ataque em cinco sets, Thaísa fez 6 (+3 de bloqueio) nos quatro sets que jogou, mas foi pouco eficiente mesmo diante de um baixo volume (14 bolas), a única jogadora menos eficiente foi a Jaque naquele desastroso stint no 3º set (terminou 1/5 e não voltou mais pro jogo), ao invés das típicas cravadas que a Thaísa atleta de elite usualmente dava, vimos bolas que eram defendidas e viravam contra-ataque. Jucy entrou melhor, não foi brilhante mas não comprometeu, deu ao time ao menos uma estabilidade maior que possibilitou a vitória no 4º.

Thaísa tem jogado bem abaixo da média, o que foi evidenciado pela campanha fraca do Vôlei Nestlé na última Superliga, ela, que era pra ser a referência do time, declinou bastante, ficando cada vez mais lenta, não sendo a mesma força no bloqueio e nem usando sua altura como vantagem, muito longe da Thaísa que o Bernardinho definiu como a melhor jogadora do Brasil.

Ser a jogadora-celebridade, musa das redes sociais tem atrapalhado um bocado, tornou-se o grande foco dela, se tornando similar a muito jogador de futebol por aí que vai pra cima contra time pequeno e some contra os grandes. Que a mudança para a Turquia lhe faça bem, porque condições de jogar mais uma Olimpíada, inclusive sendo a opção #1 de um time renovado, dado que Sheilla e Fabiana se aposentaram, ela tem. Mas precisa colocar a cabeça no lugar, depende só dela voltar a jogar como antes. Será um novo papel, que ela na condição de jovem vitoriosa nunca desempenhou, espero que ela não decepcione e não deixe fatores externos levarem a um declínio contínuo no seu desempenho, porque mesmo chegando a Tóquio com 33 eu não tenho dúvidas de que ela pode estar lá.
Paulo Roberto disse…
Esse temperamento da Thaísa me chamou atenção pela primeira vez na temporada 11/12 (ou 12/13) da SL quando a Fabíola estava lesionada e o Sollys jogou com a Karine o primeiro turno e teve um jogo que no final na entrevista pro Sportv ela reclamou da colega abertamente. Na época achei meio desproporcional a atitude dela, mas relevei porque jogava muita bola. Mas com o passar do tempo essa característica ao meu ver desagregadora, acabou por se acentuar.

Eu não tinha pensado sobre a questão ao autoestima que o Nei colocou de maneira excepcional. Não nada contra cuidar da autoestima, da imagem pessoal. O problema é quando se perde o equilíbrio (isso vale para todos nós) e, me parece que a Thaísa perdeu o equilíbrio nos últimos tempos. Seria bom pra ela mesmo como ser humano, antes de pensar na seleção ou na carreira como jogadora, passar por uma acompanhamento psicoterapêutico.
Yana Souza disse…
Gente pelo que eu li numa reportagem na Uol esporte, os técnicos das nossas seleções de vôlei só sairão se quiserem... Ou seja, infelizmente, não teremos a renovação total da comissão técnica, tão desejada por todos. Acho uma pena, pois como todos aqui viram no jogo entre BrasilxChina, faltou mesmo foi coragem ao Zé Roberto para fazer mudanças significativas naquele jogo. Poderíamos ter ganhado se não fosse o medo do Zé Roberto de mudar o time titular, (em especial a Natália e Garay). Comigo fica apenas uma esperança que os próprios técnicos das duas seleções desconfiem e se retirem do comando, já está passando da hora de acontecer esta renovação... Hummmf, Yana, a maior gata...Hummmf
Sergio disse…
Thaísa vai ser outra pessoa depois desta temporada na Turquia, se não jogar bem, banco.
Outra coisa quero saber, se é verídico que Jaqueline e Destinee Hooker vão jogar no Minas, na próxima temporada??? Acabei de ler no Instagram... 05/09/2016 as 10:05
Joffre Neves disse…
Jaque até pode vir mas a Hooker eu acho muito difícil,quase impossível hoje.Acho que vem a Webster na saída de rede
Yana Souza disse…
Hummmf...
Rob disse…
Thaisa e Hope Solo, goleira americana dos Estados Unidos estão muito parecidas no temperamento. Hope reclamou abertamente apos ter perdido não me lembro de qual seleção que perdeu por que o outro time foi covarde e não foi pro ataque. Logo apos a olimpíada foi afastada da seleção. Se isso acontecesse com a Thaisa tenho certeza que a faria pensar e seria outra jogadora...
Yana Souza disse…
Thaisa vai ser muito bem paga pelo clube que vai jogar...Ela está cagando e andando p seleção.. não precisa de seleção p ganhar a vida, pois é uma meio de rede espetacular... Ou vocês acham que uma bi.campeã olímpica vai se importar de não jogar na selecao? Nunca..nunquinha.. yana, a gata...
Joffre Neves disse…
Claro que ela se importa em jogar na seleção tanto que ela quer jogar desde que haja mudanças gerais,na opinião dela.E isso é explícito!Tem seus méritos de ser uma jogadora muito boa mas quem não quer um mundial ?quem não quer um tri-olímpico em 2020 ?Eu hein,cada uma que vejo.Falando do minas:se jaque vier mesmo o time dá um baita salto de qualidade viu ? Agora essa oposta gringa tem que ser boa e não regular,acho que vem a Webster pelo custo mesmo,jaque é uma jogadora bem carinha.
Alysson Barros disse…
Falar que a mulher não quer nem precisa jogar na seleção é de uma ingenuidade (para não dizer burrice) ímpar, já que é justamente estar na seleção que a fez ter seu salário atual.

No mais, concordo com o Nei: Thaísa é uma pseudobeldade que precisa ser chamada de bonita e gostosa diariamente para seguir a vida.

Na verdade não passa de uma pessoa feia - por fora e por dentro. Só pegar 2012 para confirmar. Feia que dói, mas jogando bola. E é isso que deveria importar.

Dani Lins, Thaísa e Natália deveriam se aposentar junto com Fabiana e Sheilla. Não farão a mínima falta. Garay e Léia deveriam seguir, as únicas. Jaqueline, talvez...
Yana Souza disse…
Alyson, realnente vc menospreza jogadoras que ja fizeram nome e ainda tem muito a contribuir p selecao... vc acha mesmo que estas citadas por vc n estarao nas proximas convocacoes? Engana.se, se elas quiserem serao titulares em 2020, ainda mais com o zr conservador. Espere e verá... yana, a gata.
Yana Souza disse…
Para quem chama Thaisa de feia aqui, já viram o boy dela? Thaisa nunca ira nem ler seus comentarios invejosos..haha.. a autoestima dela e vem superior a qualquer comentario.. Ela e superior. Uma diva... hummmf. A gata
hilton disse…
josenei silva disse tudo e mais um pouco sobre a Thaisa, concordo com cada palavra, desde q ela se auto-intitulou musa so vôlei brasileiro se perdeu totalmente e hj não lembra em nada a grande jogadora q foi no passado.
Josenei Silva disse…
Galera, valeu pelos comentários. Eu espero sim que ela leia, se não ler, que seja tocada de alguma forma por outra pessoa e mude. Acho que todas ganhariam com a mudança dela inclusive o boy magia dela. Vamos ver até quando ele vai aguentá-la.
Yana Souza disse…
Josenei, acho que vc poderia parar com esta história de ficar julgando o comportamento da Thaísa. Vc nunca conversou com ela, não a conhece direito. Todos temos nossos defeitos, inclusive vc deve ter os seus... Procure aceitar as pessoas com suas qualidades e defeitos também. Tenho certeza que a nossa central tem muitos adjetivos que vcs desconhecem... Saiam deste mundinho de exigir demais dos outros e procurem melhorar as suas próprias vidas... Fica muito deselegante ficarem detonando uma pessoa por motivos tão insignificantes como estes que vcs postam aqui. Se ela quer ser musa, o problema é dela. Todos temos o direito de expormos nossas opiniões, e o que Thaísa disse é um direito dela... Só voltará para seleção se mudarem muita coisa, coisas estas que ninguém aqui sabe ao certo o que é... Voltar ou não para seleção é um direito da jogadora, bem como é um direito dela de querer uma mudança na comissão técnica. É julgar, né, Josinei... Yana, racional, linda e gatinha de 17 aninhos... hummmf
Lip disse…
Soninho que me dá dessas coisas viu.Filha quer ficar fique será muito bem vinda .Se não quer siga sua vida e pare de tentar fazer novela em cima de algo tão simples.
Alysson Barros disse…
Destino da Thaísa é ser uma Donatella Versace da vida.
Alberto Correia disse…
Pessoal, acho engraçado a Thaisa ser julgada pelos seus comentarios com tantos outros tão desrespeitosos e, na minha opinião, tão arrogantes quanto foram os dela. Atletas FANTASTICOS com a Thaisa que participaram de DOIS OUROS OLIMPICOS e outras varias conquistas também são pessoas que erram, que tem vaidades. Imaginem a pressao de ser uma atleta nacional de alto desempenho, com dois ouros na bagagem seguidos e ainda ter que conquistar mais um em casa. Que torcida somos nos que batemos no peito "Brasil" quando elas ganham, inclusive enaltecendo as performances e depois atiramos pedras quando elas nao satisfazem as nossas expectativas? Nos somos comentaristas de araques escondidos e sem cara em comentarios de um blog. A Thaisa disse isso com a cara exposta num video! Errou? Na minha opiniao, sim. Mas, vamos ser humanos, razoaveis e com um pinguinho de vergonha nas nossas caras, ela teve coragem de dizer algo que ela achava verdade. Foi essa mesma personalidade forte dela que fez muitos bloqueios, ataques, saques que levaram o Brasil a vitorias e para nos, meros internautas, a alegria. Querem humildade da Thaisa, sejam humildes. Se nos soubessemos tanto assim, estariamos la e saberiamos tudo o que elas passaram, nao apenas no dia da derrota, mas durante um ciclo olimpico inteiro para morrer num set de 15 pontos. Francamente! Sejamos melhores torcedores!
Josenei Silva disse…
Yana, eu poderia fazer um monte de coisas, mas eu faço o que eu quero. Eu julgo quem eu quiser, assim como todos aqui julgam, especialmente você, a mais julgadora de todas, a árbitra mor.

Como você disse, "todos temos o direito de expormos nossas opiniões". Eu só expus a minha. Não é a verdade nem a realidade. É só o que eu penso, e não deveria ter tanta relevância e importância assim. É uma percepção, como a da Laura, que iniciou o post julgando a atitude da Thaísa, e como as dos demais, que seguiram julgando também.

E deselegante é você, sempre atacando as pessoas com seus comentários irônicos e maldosos. O nível do blog baixou muito desde que você chegou.

Não sei porque esse comentário de incomodou e te afetou tanto. Relaxe, não dê tanta importância ao que eu digo.

Beijo e bom feriado. Irei jogar vôlei na praia amanhã.
Yana Souza disse…
Vc sabe jogar... gostaria de ve.la em acao p ver como se sai... pois quem critica tanto deve ser muito.bom.. né... hummmf
Yana Souza disse…
JOSENEI E cia que criticam Thaisa... lEIam com muita atencao o comentário maravilhoso de ALBERTO CORREIA, O POST ta perfeito, reflitam nas palavras dele "querem uma Thaísa humilde, sejam humildes tambem. Mais respeito com uma bi.campeã olímpica... PARABENS ALBERTO, disse tudo.
Alysson Barros disse…
É de extremo mau gosto dizer "se nós soubéssemos tanto" com relação à vôlei. Os torcedores de futebol não têm essa baixa auto-estima. E eu também não.

Se você já jogou o esporte, se acompanha há vários anos, se já participou de peneiras, você pode fazer críticas mais contundentes se assim desejar.

Se você tem 17 anos, é vulgar e tem pouco conhecimento técnico, bem... Você não espera muita coisa.

Se apenas o conhecimento - e não a politicagem / fosse o resultado das oportunidades oferecidas, nem ZR tampouco Bernardo seriam os técnicos que são hoje. Todos sabemos que ambos foram jogadores medíocres e se tirnaram técnicos, via politicagem, extremamente novos, por volta dos 35 anos. Cadê os profissionais de Educação Física e Esporte, das boas universidades brasileiras, tendo oportunidades? Cadê os doutores que têm no currículo pesquisas, estudos e publicações do esporte de alto rendimento, de fisiologia do esporte, biomecânica etc? Não, p que vemos são ex-jogadores que malmente possuem o ensino médio dominando cargos de caráter técnico-científico.

O Bernardo até que parece ser de fato estudioso, mas ZR é um falastrão supersticioso que acredita em duendes, fada madrinha, coelhinho da páscoa e papai noel. O nível de ignorância e supersticão no esporte é gigantesco é absolutamente vergonhoso. Atletas costumam creditar seus desempenhos a entidades divinas e suas respectivas vontades.

Quanto à Thaísa, ninguém está "julgando" ela gratuitamente e sem embasamento. É uma feia fútil maquiada que perdeu o controle de sua vaidade. As provas estão todas aí.
Yana Souza disse…
Poise, querido, a feia como vc disse, vai ser estrela num dos melhores clubes do mundo... outra coisa. Vc usa muito pleonasmo querendo pfendet Thaisa com adjetivos destrutivos e vulgares... feia ou nao, vaidosa ou não, gentil ou nao, ela esta na crescente enquanto vc tenta ofuscar sua inveja e despeito por meio de suas postagens escusas e egoístas... posso ter só 17 anos, mas mesmo assim noto com tranquilidade a falta de manuseio em seus textos, que sempre vem recheado de mágoa, frustração e inveja. Uma psicóloga poderia lhe ajudar muito, querido ALYSON BARROS..YANA, a gata racional... hummmf
Gustavo disse…
As críticas à Thaísa aqui não decorrem pelo fato de que somos "haters", "julgadores implacáveis" dela, ocorrem porque nós, fãs de vôlei, sabemos que pode render muito mais. Vimos Thaísa destruir, ao lado da Sheilla, o nosso fantasma russo em uma quartas de final de Olimpíada, em um jogo onde o Brasil ficou seis vezes na corda bamba, mas quando as bolas foram pra ela, Thaísa virou, fez 24 pontos. No ano seguinte, ela foi MVP do GP.

Dizer que "ela esta na crescente" não é o que o desempenho recente dela em torneios tem mostrado. Jogou mal a última SL, fez figuração na Olimpíada quando jogou e sim, foi eleita a 2ª melhor central no GP mas pelas estatísticas, 3 centrais (incluindo a Fabiana) foram melhores no ataque, 5 no bloqueio e 4 no saque.

E muito disso se deve a postura por ela adotada, ser musa das redes sociais tem tomado mais tempo dela do que jogar volêi em alto nível.

Ela vai jogar com a Adams na Turquia, que foi eleita a melhor central e de fato jogou mais que a Thaísa no GP, eu não vou dizer, a princípio, que ela irá pra reserva, mas no momento ela seria a central #2 do time e se jogar que nem jogou nessa última temporada em Osasco...

Logo, se nós criticamos, é porque sabemos que ela pode mais. Ela é um dos maiores talentos revelados pelo nosso vôlei nos últimos 10 anos, senão o maior, jogadora que antes de 2007 nunca tinha ido pra seleção adulta e em 2008, com 21 anos, era campeã olímpica. Hoje tem 29 anos, não tá em fim de carreira, logo ninguém vai se contentar com performances meia boca de uma atleta que já foi a melhor de sua posição. Só queremos que seja notícia pelo seu desempenho em quadra e não pelo extra-quadra.
Yana Souza disse…
Quanto a vida pessoal dela ninguém yem nada a ver bom isso... vcs afirmam coisas hilarias... ela pode ser musa e ao mesmo tempo jogar um volei de alta qalidade... vcs é que se incomodam com o que não lhe desrespeitam... a ponto de falar asneiras absurdas dela. Limitem.se a criticar so o volei da yhe best.. a vida pessoal dela é problema dela... vcs sao uns NEFELIBATAS, isso sim...volta p terra... yana, a gata...
Mantronix Inc disse…
Thaísa tem q parar de se preocupar com seu cabelo, seu nariz, de querer fazer a linha Diva ( o q ela não é) e tirar a cabeça do seu namoradinho a qual ela vive agarrada, e voltar a pensar em jogar VOLEIBOL!
Mantronix Inc disse…
Alisha Glass sempre teve esse discurso, desde a época do Vôlei Futuro q o vôleibol não era a prioridade em sua vida e que pensava voltar a fazer faculdade, uma snob, mas até hoje permaneceu no vôlei, quando a fofa parar de jogar e se realmente parar, e ver q ela vai ser uma ninguém, só mais uma universitária na multidão, logo logo muda de opinião. Odeio esse tipo de gente.
Yana Souza disse…
Manconix, Poise.. mas Glass e campea mundial e n orecisa de seu amorzinho.. né... que palavra mas feia "ódio" credo.. cresce.. baby..
Yana Souza disse…
Yana, a gata... agora querer estudar, adquirir uma profissao, é defeito, a ponto de o mamconix odiar a Glass. Acho que ela esta certíssima, pois terá uma garantia de que sendo ou não jogadora viverá muito bem, além disso, é nova e pode muito bem se formar e voltar a jogar futuramente... cada uma que vejo aqui... espanta.me certas ignorancias... hummmmmmf
Gustavo disse…
E essa entrevista da Sheilla para o Voloch hein...

P: A Thaísa teria dito, segundo consta, que se as ‘coisas não mudarem’ ela estaria fora. Como vê isso?
‘Não vi o que a Thaísa falou, mas ela sempre falou comigo e com a Fabi que ela se aposentaria da seleção depois de 2016. Então acho que pra ela não faria diferença mudar ou não a comissão’.
Alberto Correia disse…
Laura, nossa blogueira querida e que escreve tão bem, gostaria de fazer uma sugestão. O blog é seu e vc tem todo o direito de sequer levar em consideração o que digo. Mas, acredito que estamos aqui para falar de volei e dos nossos ídolos. Por outro lado, me da certa tristeza o grau de depreciação que se chegou em alguns comentarios sobre a Thaisa. Sinceramente, alguns são tão ofensivos que poderiam ser considerados como bullying. De repente a tal feiura da Thaisa virou foco e justificativa para um tal baixo rendimento (o que imagino que deveria ser foco debate e não a beleza dela) em quadra. Como disse antes, como se pode criticar a tal dita arrogancia da Thaisa com tantos comentarios agressivos? Como se pode criticar que ela queira ser bonita, vaidosa e se expor na midia, chamando-a de feiosa, ridicula etc? Dizer tudo isso no anomimato da net é tão facil!! Continuo admirando mais a Thaisa que se coloca como quer em videos, fotos, facebook. Sabemos quem ela é. Usei a expressão "se soubessemos tanto assim" para falar de algo que NINGUEM aqui sabe, ao que me parece. A nao ser que exista aqui algum atleta de alto rendimento. Ha? Se nao ha, nao sabemos mesmo o que esses atletas passam. Volto a dizer que é muito facil meter o pau, apelar para questoes da pessoa e nao da atleta para diminui-la quando ela esta por baixo e nao nos deu o tao sonhado ouro. Facil, facil. So apoiamos os nossos atletas na vitoria que nos queremos. So que quem faz a vitoria ou a derrota são eles e nao nos. Quem treina, se lesiona, se frustra, perde, ganha, são elas e nao nos. Quem é criticado por ser "feio", por isso e aquilo por pessoas que se esconhdem em comentarios preconceituosos e agressivos na net sao elas e nao nos. Tive o orgulho de poder tirar uma foto com a Shelda na arena de volei de praia. Pude dizer a ela que assisti aos dois jogos de prata e que era agradecido a ela pela alegria que me deu. Disse o que sentia, porque sinto que mesmo na derrota essas garotas sao espetaculares e nao merecem serem escrotizadas como estao sendo. Dessa forma, gostaria de sugerir que alguns comentarios fossem moderados. Nao agrega ao blog e aos debates algumas agressoes, comentarios depreciativos nao so as atletas, mas tabem aos demais "comentadores" do blog. Por favor, fique a vontade e faça o que considera o correto. Continuarei lendo com muito prazer os seus excelentes, respeitosos e ponderados posts. Mas, sinceramente, nessa pegada que estamos indo aqui nos comentarios, prefiro nao comentar mais. Apenas uma ultima informação, nao sou tecnico, nunca fui jogador, mas acompanho apaixonadamente o volei desde 1982. Abraços a todos.
Yana Souza disse…
ALBERTO CORREIA, vc diz tudo de uma forma tao sutil e esclarecedora que me deixa sem palavras para agradece.lo. Queria que a maioria que aqui postam comentRios maldosos e preconceituosos, querendo formatar o jeito de uma pessoa viver sua vida pessoal como se a mesma fosse um objeto e não um sujeito com vontades próprias e o direito de usar o livre arbítrio. É impressionante como algo inerente a propria pessoa pode incomodar tanto assim alguns aqui. Acho que podemos sim criticar de forma construtivas sem desviar nossas palavras para vocabulares baixos e imorais.. Que volte a coerência, respeito e a habilidade de sermos corretos e sinceros em nossas postagens, mas sem nunca nos esquecermos que estamos falando de pessoas que se esforçam muito para representar a nossa nacao. OBRIGADO ALBERTO POR SEU EXCELENTE POST. Yana, a gata, aprendendo muito o que não devo fazer aos outros aqui, com varias postagens equivocadas que tive o desprazer de ler... Hummmf.
Mantronix Inc disse…
Yana Souza vc parece q é subdotada, para lhe poupar de outro adjetivo, pq não consegue entender!

Pode perguntar para qualquer atleta profissional de vôlei q a resposta será categórica, correta, nobre e sempre a mesma: " O vôleibol é a minha vida e pratico porque amo. "

Agora a sua queridinha Glass sempre desdenhou na hora discurso ao falar sobre o esporte q lhe trouxe reconhecimento, retorno financeiro, medalhas olímpicas q colocarão seu nome na história etc... Dizendo q seu objetivo sempre foi acabar a faculdade.

Nada contra em fazer uma faculdade mas esse tipo de comentário é um desdém e inapropriado em um momento de entrevista quando vc esta acabando de fechar um contrato com um clube ou foi selecionada para representar o seu País.

Preciso desenhar o será q deu p/ entender agora?
Yana Souza disse…
MANCONIX, apenas disse que ela esta certíssima em estudar, temos varios atletas de alto rendimento que passam muitos perrengues por n ter outra profissao. Porém mas uma vez vc julga drasticamente uma atleta apenas por n concordar com suas concepcoes... Dá uma lidinha no texto do sensacional ALBERTO e reflete melhor sobre suas posturas neste post... MANCONIX, quando estiver sem assunto p postar, melhor ficar caladinho... Em tempo: será que tem alguém interessado que Glass quer fazer faculdade? Ela vai se tornar exemplo p muitas atletas. Nos EUA o estudo é importantissimo, n se esqueca disso nunca... Yana, estudante de direito e muito gata...HUMMMF
Sergio disse…
Gente, isso aqui tá virando um big brother... Falando em VOLEIBOL, o que vocês me dizem de. Carlos Schwanke, que está revolucionado o vôlei árabe, acham que ele faria um bom trabalho no lugar de Bernardino??? Ou José Roberto Guimarães???
Sergio disse…
@carlosschwanke
Instagram
Laura disse…
Oi, Alberto. Claro que considero a tua opinião e entendo o teu ponto de vista. Tenho evitado a moderação de comentários porque, além de exigir um tempo que não tenho no momento para dedicar ao blog, nem sempre é possível classificar de forma clara o que é ofensivo ou não, o que deve ser bloqueado ou não. Muitas vezes o que não vejo mal algum é interpretado por outros de maneira completamente diferente.

O caso dos comentários deste post é um exemplo. Mais do que ler a Thaisa ser chamada de feia e etc, eu li uma análise que me pareceu válida, interessante. Sim, é uma hipótese, são conjecturas. Não a conhecemos, sabemos mto pouco da vida dela e o que sabemos é através das suas declarações e exposições. Mas de alguma forma, pelo menos para mim, estas conjecturas nos ajudam exatamente a tentar entender o pq da sua personalidade e o pq da sua queda de rendimento.

Da mesma forma que o seu comentário me fez questionar nossa atitude ao julgar à atleta, o desrespeito a ela e etc.

Acho que assim se faz uma discussão saudável. O que vejo, não só aqui, é esta tendência a levar tudo pro bate-boca. Ou seja, nada de argumentos. Ou se eles estão presentes estão mascarados em provocações e ironias que resultam em respostas também do mesmo estilo. Um tipo de comentário que pode não conter nenhum palavrão ou ofensa direta, mas que desqualifica da mesma forma o debate.

Para combater isso, peço que você, Alberto, e tantos outros bem intencionados e sensatos participantes do Papo não deixem de comentar. Não deem bola quem quer somente causar confusão e não está disposto a discutir seriamente. E, como foi neste caso, não se acanhem de me chamar a atenção caso entendam que eu ou outro participante passou do limite.

De qualquer forma, vou avaliar seriamente o caso de voltar moderar os comentários. A moderação acanha os usuários e prejudica a discussão quando demora a ser aprovada - que seria o meu caso já que não consigo ficar o tempo todo cuidando do blog. Mas entendo a questão da qualidade da discussão que fica tb prejudicada sem ela. Achei que, como esta opção de identificação exigida, que proíbe "qq um" de comentar, era um bom meio termo. Mas vou acompanhar os próximos posts para ver o que faço.


Alberto Correia disse…
Laura, muito obrigado pela tua resposta. Entendo perfeitamente a sua posição e acho que vc esta sendo muito correta. O seu blog continuara sendo para mim, aquele que todos os dias entro com ansiedade de saber o que vc tem a dizer. "Tamos juntos" e continuarei por aqui!! Queria te fazer um pedido. Tenho muito interesse em saber mais das seleções de base. Seria interessante começarmos a conhecer melhor nossas futuras grande jogadoras. Se puder fazer alguns posts a respeito, será maravilhoso. Abraços e um excelente final de semana!
Alberto Correia disse…
Obrigado pelos comentarios sobre o meu post Yana Souza! abs
Yana Souza disse…
Adorei a maneira como vc deu uma chocoalhada nos post que se preocupavam em agredir nossa atleta por motivos tao bestas... acho quetanto thaisa quanto qalqer outra atleta merecem nosso respeito. Valeu, Alberto... yana...
Rodrigo André disse…
Sinceramente, acho que o problema das nossas seleções está na falta de comprometimento com o grupo. De se entender que se é uma (ou um) em 12, e respeitar a escolha do técnico. Por acaso as outras, ditas reservas, são menos qualificadas? Treinaram menos? Não deveria ter essa de se julgar mais importante por ser titular. Deveria sim ter a vontade de vencer enquanto grupo e seleção. Por isso considero infeliz o comentário da Thaisa. Se o Zé optasse pela Jucy a olimpíada toda, qual o problema? algumas meninas não lidam bem com comando e isso é complicado num esporte coletivo. Realmente ninguém é obrigado a fazer o que não quer, e se não está satisfeita pode sair, mas expor o o grupo não é bacana. Já vimos grandes atletas aceitarem ser banco pra dar apoio aos mais novos, pra ser referência numa necessidade, e nem por isso se sentirem inferiores. Imagina se a Fofao não tivesse aceitado ser banco tanto tempo da Venturini, será que teríamos aquele título de 2008? Ela estava lá pra fazer o dela e era querida pelo grupo. Foi protagonista é figurante, em momentos diferentes, faz parte. Mas nunca vi ela reclamar. Enfim, continuo achando achando que fica quem quer mas com comprometimento. Pra encarar o que vier. Se tiver exigências, melhor sair. Atrapalha o emocional do time. Vale lembrar que o melhor TIME não tem necessariamente as melhores jogadoras, mas o melhor conjunto. Thaisa tem vôlei de sobra pra estar entre as 12, mas se preferir sair, acho que a porta deveria estar aberta. Penso ainda que nem nossos técnicos conseguem fazer o grupo ser coeso. Por isso esse medo em grandes mudanças numa partida, como brilhantemente fez a Lang Ping. Insistem no que supostamente tem de melhor e perdem assim mesmo. Uma pena.