Parece que o jogo virou... - Brasil 2x3 China

Eliminação no handebol, no futebol, no vôlei de praia. O dia definitivamente não era para os esportes coletivos femininos. Eu sinceramente temia que o mesmo acontecesse no vôlei.

Meu medo foi embora depois do primeiro set perfeito da seleção. Pronto. O Brasil estava em quadra, o dia poderia terminar bem.

Só que a partir do segundo set a história mudou. Começou com alguns erros de saque, depois de recepção. Pronto. A China estava em quadra. 

*****************************
Foi ali no segundo set que se definiu a partida. O Brasil diminuiu a agressividade no saque. Como consequência, caiu no bloqueio e na defesa. A China, mais tranquila e confiante na virada de bola, começou a nos ameaçar no saque. Tudo o que o Brasil não poderia permitir.

A partir daí a seleção se perdeu na partida e só foi se encontrar no quarto set. Um tanto na marra, mais do que na qualidade. Voltou a fazer a China a sentir a pressão com a ajuda da torcida. Mas, como falei, os problemas não haviam sido realmente resolvidos. A recepção, a organização dos contra-ataques e o saque continuavam oscilando. 

Faltou à seleção maior tranquilidade para ter uma visão mais clara do jogo nos momentos de aperto. O Brasil errou demais e em momentos comprometedores. Esqueceu-se de que do outro lado da quadra havia um time imaturo e quem era o bicampeão olímpico. Acho que final do tie-break exemplifica bem isso.

*****************************

Os problemas que a seleção apresentou nesta partida não foram novidades: o passe, a irregularidade do saque e as oscilações da Dani. De novo, ela demorou demais para colocar as centrais no jogo. Fez escolhas erradas em momentos cruciais, como em acionar Garay e Natália quando elas recém tinham feito uma defesa e estavam estateladas no chão.

Nesta partida ficou claro o quanto o Zé Roberto  (não) confiava na Fabíola e na sua condição física. Se na hora do aperto, você não pode contar com sua levantadora reserva, não tem porque leva-la. A opção pela experiência da Fabíola era para isso, não? 

*****************************
Garay e Natália foram gigantes nesta partida no ataque. Pecaram naquilo que era reconhecidamente suas maiores fragilidades, o passe e isso nos custou alguns pontos, é verdade. Mas o Brasil teve nelas a segurança da definição durante o jogo.

Trago isso à tona pra dizer que, ao contrário do que vinha acontecendo, a virada de bola não foi a maior dificuldade do Brasil. Incrivelmente, o maior obstáculo foi jogar defensivamente e no contra-ataque, o que tinha sido nosso diferencial até então.

Lang Ping tirou uma carta na manga com a Liu, atacante que, assim como a Zhu, o Brasil não conseguiu achar na marcação. 

*****************************
Durante toda a fase de classificação, temi este confronto de quartas com a China. Ela não tinha jogado tudo o que podia e o Brasil, apesar das boas atuações, tinha sido muito pouco testado. No fim, a China aprontou o mesmo que o Brasil em 2012 e se credencia fortemente para o ouro.

O Brasil sai de cena junto com todo o grupo A, só que, no caso dele, sai cedo demais. Certamente tinha time para disputar medalha, inclusive o ouro. Mas competição é assim mesmo. Tem que contar com competência e sorte na hora certa. E o quesito sobre o qual tinha controle , a competência, o Brasil ficou aquém nesta quartas. Sorte e mérito da China.
*****************************

Com esta desclassificação prematura, encerra-se de forma melancólica um ciclo extremamente vitorioso. Fabiana e Sheilla já anunciaram que não defendem mais a seleção. O que virá para os próximos anos, deixo para um próximo post.

Comentários

Paulo Roberto disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo Roberto disse…
Ainda não consigo dormir.

Estou triste não pela derrota em si, mas porque a China não apresentou um voleibol de alto nível técnico. Cresceu a partir dos erros das brasileiras e se apoiou nisso. O Zé repetiu o mesmo erro da semi do mundial ao insistir numa Dani Lins oscilante, acrescento que além dos erros que a Laura citou pecou mais do que o normal na precisão. Léia claramente sentiu o peso do jogo cometeu erros bobos que não vinha cometendo. Uma pena Sheila e Fabiana se despedirem da seleção assim ( falo delas porque já anunciaram aposentadoria), mas são coisas do esporte.

Pro próximo ciclo repito que já disse centenas de vezes: precisamos de oxigênio novo nos dois naipes. Quanto a quem continua e quem sai acho que das veteranas quem estiver jogando em alto nível e puder contribuir para renovação não vejo porque não continuar.
Paulo Roberto disse…
Quanto ao Zé não colocar a Fabíola acho que é porque ele tem uma lei de nunca tirar a Dani, não importa o que aconteça.
Bruna Volochova disse…
Também não consigo dormir, mas também não consigo comentar agora. Mas o post tá bem coerente, acrescentaria algumas coisas, mas fica pra mais tarde. Que tristeza!
Bruna Volochova disse…
Ele deveria ter usado a Fabíola mesmo. Porém ela tá meio fora de forma e o passe não tava chegando, não sei se ela conseguiria fazer diferente então.
Eduardo Araujo disse…
Gente estão recuperados? bom aconteceu oq eu temia, o grupo do Brasil era extremamente fraco, ninguém passou...
A Dani Lins foi péssima e a Nathalia no segundo e quinto set me tirou do serio...
Não sei em qual canal vocês assistiram o vôlei eu vi pelo sportv, o Marcos Freitas que é um grande admirador do trabalho da Dani Lins até ele perdeu a paciência com ela, não só pelos levantamentos ruins, mas principalmente pela péssima distribuição das bolas, levou uma eternidade para usar as centrais, ZR morreu abraçado a Dani Lins e a Nathalia levou uma eternidade para tira a ultima no segundo set para colocar a Jaque.
Faltou uma inversão de 5 x 1 descente e o ZR não levou uma oposta, vai ter gente falando, mas a Fabiola estava fora de forma, então não levasse!!, ai vai ter gente falando que o mesmo levou para compensar pela cagada que ele fez na olimpíada passada, mas ele não fez o mesmo favor com a Brait, que muitos esquecem que essa foi dispensada no aeroporto de Londres e como premio de consolação ganhou um almoço na vila olímpica na época, a vdd é que ele não quis chamar a Claudinha por orgulho, já que o mesmo chamou ela de burra.
Oq eu senti nessa olimpíada é que elas estavam unidas, inclusive com o ZR, coisa que não aconteceu na olimpíada passada, é uma geração vitoriosa e hoje esforço e garra não faltaram... a técnica da china deu uma surra tática no ZR, e o mesmo não conseguiu se adaptar as mudanças feitas no time adversário.
É uma geração talentosa que se despede e causa preocupação, já que na minha visão a nova geração não possui o mesmo nível, enfim não foi feita uma transição de sucesso.

Luizhcruz disse…
É difícil apontar o que houve de errado agora. O pior de tudo é aquela certeza que o Brasil vai ganhar, sabe? Porque nos acostumamos a isso. E temos que ter humildade, mesmo que seja muito difícil, de reconhecer que outros jogaram melhor.

Na minha opinião, o que comprometeu:

- Dani Lins: Chato ter que culpar alguém, não acho certo, mas que diabos ela forçou tanto a bola com a Sheilla quando Fabiana e Thaísa estavam sem bloqueio? Péssima distribuição. Juciely jogou 1 set e meio e fez 5 pontos. Fabiana cinco sets e 8 pontos. Por que a Dani não usou o meio, sendo que esse sempre foi o ponto forte dela? Meu Deus! O jogo parecia russo, só bola para a oposta e ponteiras. Inacreditável.

- Léia: Sentiu a pressão. Não tem como não falar isso, mas ela deixava a Natália e Garay assumirem os passes, alguns na frente dela. Sem contar as largadas que caíram.

- Fabiana e Thaísa: Acho que podiam ter chamado a Dani, pedindo bola, não sei se isso poderia ter ajudado na distribuição dela.

- Garay e Natalia: Não tenho o que falar. Quinaram muitos passes, mas tirando um erro ou outro bobo, carregaram o Brasil nas costas junto com a Sheilla. Atacaram muito! Acho que nunca vi uma atuação no ataque tão boa delas, as duas juntas, como hoje.

- Sheilla é Sheilla. Tínhamos oposta sim! Pena que a Dani começou a queimá-la forçando milhares de bolas seguidas.

- Zé Roberto: por que diabos foi brigar com a arbitragem no início do segundo set? Dali em diante parece que as meninas se desconcentram muito! Mesma coisa que a semifinal do Mundial.

- Juciely: Gostei muito da forma como ela entrou e melhorou o jogo, mas errar um saque na reta final do tie break não dá.

- Jaque: Acho a Jaque incrível, mas hoje ela não ajudou muito na recepção e levou um bloqueio que não podia.

Faz parte. É minha visão do jogo. Sheilla e Fabiana são minhas jogadoras favoritas, foi por elas que comecei a gostar de vôlei junto com meu pai, e não vai ser essa derrota que apagará o que já fizeram.

PS: Quais as chances de China ou Servia serem campeãs? Estados Unidos não pode ganhar aqui pessoal!
L. Mesquita disse…
LANG PING 1000 X 0 ZÉ ROBERTO. Sim a técnica chinesa deu de mil a zero no Zé roberto! Lang Ping "escondeu o jogo" na primeira fase toda e,inclusive,no primeiro set,mudou taticamente a China no segundo set e deu um banho de tática no Zé Roberto. Zé Roberto paralisado não meche no time!!! Porque o Zé não substitui, não inverte o 5x1, não tenta alguma coisa meu Deus? Parabéns à Lang Ping pela ousadia! Escondeu o jogo no Grand Prix e na primeira fase da Olimpíada e pegou o Brasil de surpresa, enquanto isso o time brasileiro estava pra lá de estudado porque o Zé Roberto joga sempre com o mesmo time e facilita as outras seleções estudarem e marcarem o BRasil.
Terzic poupou Mihajlovic contra a Holanda e ela voltou atropelando a Rússia, outro que também escondeu o jogo antes para brilhar nas quartas-de-final.
Bruna Volochova disse…
Luizhcruz, agora é torcer para a Sérvia (não acredito que tô dizendo isso) ou Holanda. Os EUA não podem ganhar aqui e a China não pode ser tri.

Toda hora que vocês postam têm que provar que não são robôs, escolhendo placas, números, paisagens e comidas? Saco isso.
L. Mesquita disse…
Assisti o jogo pela fox Sports com comentários de Mireya Luis e Márcia Fu, simplesmente sensacional!
Não dá pra entender o motivo de o Zé não por a Fabíola pra jogar! É um absurdo deixar a Fabíola no banco vendo o Brasil perder! Ela foi a que mais chorou depois do jogo sem ter tido a oportunidade de entrar em quadra! O mesmo vale para Jaqueline, porque o Zé não pôs Jaqueline no jogo! Outra coisa porque 4 centrais e não 2 líberos! Senti falta da Camila Brait na vaga da Adenízia! Precisamos de renovação na comissão técnica já!
L. Mesquita disse…
A Sérvia jogando sério atropela os EUA. Mihajlovic é um homem jogando e Boskovic é a melhor oposta dessa olimpíada!
Renato Santos disse…
Não se ganha uma olimpíada sem banco. A China começou muito mal, cresceu com os erros do Brasil e provou que um banco eficiente muda jogo.
A Lang Ping fez muitas trocas até engrenar o time, já o ZR demorou demais para fazer mudanças, principalmente no segundo set, quando a Natália errou muito em momentos cruciais e entregou o set de bandeja pra China.
Se tivessemos vencido o segundo set, teriamos ganhado o jogo por 3x0, pois eu duvido que o jovem time Chinês viraria o jogo com dois sets contras e na casa do adversário.
Não tinhamos uma levantadora reserva para entrar no lugar da Dani e tentar algo diferente e não tinhamos oposto reserva para entrar na inversão. Levar 4 centrais foi desnecessário e a Gabi não fez nada pela seleção nesse jogo. A Paula Borgo ou até mesmo a Tandara deveriam estar no grupo, pois quem sabe teriam dado uma outra cara no Brasil ofensivamente.
A China defendeu muito a partir do terceiro set, uma por causa dos erros de passe e outra por causa da distribuição da Dani que estava previsível.
Estou muito triste, porque esse grupo merecia muito o ouro, mas não veio por causa dos nossos erros. O Brasil perdeu pra si mesmo e a China se aproveitou disso.
O sonho do tri acabou.
Bruna Volochova disse…
Concordo, L. Mesquita. Oxalá seja assim.
L. Mesquita disse…
A pressão da torcida mais atrapalhou do que ajudou, as brasileiras ficaram muito nervosas com a pressão, principalmente a Dani Lins. A atuação do Zé Roberto foi patética diante da estrategista Lang Ping, Zé viu o Brasil cair sem fazer nada para mudar a situação. Fabíola tinha sim condições de entrar em quadra, mas o Zé preferiu morrer abraçado a Dani Lins. Enfim, chega de zé Roberto na seleção, queremos renovação na comissão técnica. A sorte do zé Roberto acabou!
Laura disse…
Sinceramente nao prestei atenção na Leia o suficiente pra dizer se ela sentiu o peso ou nao. Mas em defesa dela, o time todo deu uma baixada de confiança e de rendimento depois do segundo set.

Mesquita, a Lang ping teria que ser mágica para ter escondido o jogo durante tanto tempo. Mas certamente ela teve mais cartas na manga do que o Ze nesta partida.

Bruna, realmente fica difícil dizer se a Fabíola faria algo diferente. Mas nem que fosse pra a Dani esfriar a cabeça, ver o jogo de fora, ela poderia ter entrado. Pensei que a opção pela experiência da Fabiolafosse exatamente para estas situações.
L. Mesquita disse…
Que tal uma eleição para o pior técnico da Olimpíada? Candidatos:
1. Marco Bonitta
2. Yuri Marichev
3. Zé Roberto
Unknown disse…
Galera, não deu hoje. Esporte tem dessas coisas, hoje o adversário foi melhor. Por alguma margem não muito melhor, mas suficiente para ganhar.
Valorizo o que fizeram nossas meninas. Perdemos, mas lutamos com todas as forças, não desistimos em momento algum.
Podemos ter perdido o jogo, o tricampeonato ou o que seja. Mas entro aqui para dizer que sou grato por elas nos representarem, e nunca vou esquecer disso. Não esqueço Pequim 2008, não esqueço Londres 2012, e não esquecerei Rio 2016.
Em todos esses eventos, ganhando ou perdendo, elas lutaram, não entregaram, fizeram de tudo para atingir o objetivo.
De 4 em 4 anos temos Jogos Olímpicos, e a SFV contribuiu muito para os princípios do olimpismo. Mesmo tendo perdido, acho que hoje Brasil e China contribuíram para a glória do esporte.

Em primeiro lugar, queria comentar sobre isso. Não posso esquecer que o sacrifício delas me deram muitas alegrias e orgulho. E mesmo hoje, tendo perdido, digo sem receio que também estou orgulhoso.
L. Mesquita disse…
A Tri-campeã olímpica Kerri Walsh não consegue vencer o bloqueio pesado de Ágatha e a defesa de Bárbara Seixas e perde a invencibilidade em Olimpíadas. Enquanto isso LArissa e Talita levam surra das alemãs.
Bruna Volochova disse…
L. Mesquita, não é para tanto. Tá por fora essa eleição.

Laura, obrigada por falar comigo. Sei que cheguei de forma abrupta, não me apresentei e tal. Sou meio afoita mesmo. Obrigada.

Eu também acho que deveria ter colocado a Fabíola. Aliás a minha filosofia é de que reserva tem que entrar para jogar pra tentar mudar algo. Adenízia tinha que entrar no lugar da Fabiana, a Gabi tinha que jogar, a Jaque principalmente. Foi um jogo muito estranho nesse ponto de vista. Achei tudo tão rápido. Quando vi já tinha perdido.
Acho que o problema é que jogo foi sendo levado ponto a ponto. Se a China tivesse aberto uma grande vantagem, as mudanças viriam logo e seriam mais drásticas. Como foi ponto a ponto ele apostou, achando que o Brasil poderia reverter como é capaz e sempre já fez.

Pra mim pior que a Dani foi a Natália. Intolerável a postura dela rindo, rindo com o jogo perdendo, fazendo aquelas bizarrices que só ela é capaz. Comprometeu todo o esquema do Brasil e pra mim foi ela, e não a Leia, que desestruturou tudo. Sei que a Leia não foi bem também. Mas a Natália não tem nível para estar ali, não tem consistência, não se pode armar um esquema tático contando com ela porque ela não é regular. Não gostei dela não. Pra mim a melhor foi a Garay e depois a Sheila. A Garay tava bem, mas o time não acompanhou. As meios fizeram muiiiiita falta. Exausta. Vou dormir. Depois volto.
L. Mesquita disse…
Estou orgulhoso sim pelo esforço das meninas que lutaram muito dentro de quadra, principalmente a Capitã Fabiana que tentou unir e liderar o time em busca da virada, mas infelizmente a inércia do Zé Roberto não contribuiu para ajudar as meninas nessa virada. Em Londres, elas conseguiram dar a volta pro cima praticamente sozinhas, aqui no Rio faltou o medroso do técnico ter coragem de ousar. Até agora não acredito que o Brasil perdeu com Fabíola e Jaqueline no banco!!!
Eduardo Araujo disse…
Laura, vc falou tudo, não tem como saber se a Fabíola iria fazer alguma coisa diferente, eu acredito que sim, mas você tocou em um ponto fundamental.
Colocando ela você tiraria a Dani Lins, poderia conversar com ela fazer a mesma ver o jogo de fora, tentar entender o padrão tático do outro time e principalmente colocar na cabeça dela que tinha que jogar pelos meios.
E ele foi super lento para tirar a Nathalia no segundo set... um erro imperdoável, esse set que deu forças para a China acreditar que poderia vencer o Brasil.
Bruna Volochova disse…
Não consigo dormir. Quero mais não consigo. Estou descompensada, parecendo uma louca.

Alguém tem que chamar a Natália e dizer que ela não pode atacar no meio da rede. Atacar no bloqueio. Não é o bloqueio que a bloqueia, é ela que ataca no bloqueio.

Alguém tem que dizer que se ela quer ser ponteira passadora na seleção, ela tem que se responsabilizar pelo passe, porque o time precisa dela para que as outras jogadoras ataquem e o jogo flua. E o técnico tem que ter peito para tirá-la quando não estiver bem.

E agora que a Sheila vai sair, ela tem que ser a oposta da seleção.
Mantronix Inc disse…
O Pódio ficará entre China , EUA e Sérvia. Na minha opinião.

E se a China jogar 50% q jogou hj contra o Brasil vai dar uma surra na Holanda.

Holanda não tem poder de fogo p bater a Sérvia.

Acredito q os EUA tenha mais disciplina tática e mais regularidade em todos os fundamentos p conseguir bater a Sérvia. A Sérvia apesar das atacantes matadouras, Boskovic, Mihajilovic, Brakocevic ainda tem a Rasic q eh uma meio excelente, mas eh um time q peca na qualidade de recepção e no nr de erros.

A disputa do ouro ficará entre China x EUA , meu palpite.

E com uma leva vantagem p/ China, q entra com a moral de ter batido o time bi-campeão olímpico. Isso conta.

Bruna Volochova disse…
Eu não posso conceber os EUA ganhando.
Isa Costa disse…
Sou contra trocar a comissão técnica. Foram eles e o ZR que tornaram o Brasil bi-campeão, durante muito tempo fomos uma potência, e ainda somos da elite, jogamos de igual pra igual com os maiores times graças à inteligência e preparo desses caras. Vamos parar com esse negócio de querer trocar técnico só porque o time não ganhou, isso não é aquela porcaria de futebol não, o ZR não é perfeito, mas técnico melhor do que ele pra renovar a seleção agora ninguém vai encontrar em lugar nenhum no mundo.

Fabíola foi acionada várias vezes na 1° fase da olimpíada e não foi bem, o pouco tempo que ficava em quadra demonstrava o quanto estava sem condições, agora o motivo exato da sua convocação é mistério do Zé, ele se arrependeu claramente, olhou para o banco hoje e viu que só tinha Jucy e Jaque. Dani deu pane e o ZR percebeu que não tinha uma levantadora reserva capaz de fazer o que ele queria em quadra e ajudar o time.

Natália estava em um dia ruim, errou muito, Thaisa só mexia no cabelo enquanto era ignorada pela Dani Lins em quadra. Léia sentiu muito a pressão assim como o time inteiro, era uma final antecipada para o Brasil, as meninas entraram sabendo disso e concordo que a torcida atrapalhou, é como uma mãe dizer para o filho que tem certeza que ele vai passar no vestibular, a pessoa recebe uma pressão imensa e o medo de decepcionar só piora tudo.

Fiquei arrasada por ver essa geração de ouro se despedir dessa forma em casa. Agora a seleção será renovada e só Deus sabe quando voltaremos a jogar em altíssimo nível de novo. Me preocupo muito com o meio de rede.

Agora é fácil falar, mas verdade seja dita, o ZR errou na preparação do time durante os últimos 4 anos, se preocupou mais em repetir o time de Londres e não investiu de forma séria em novas jogadoras, e errou mais uma vez ao convocar esse time para o Rio sem banco de reservas, ainda deixou de dar oportunidade para Roberta ou Naiane para o próximo ciclo para levar a Fabíola.

Também vou torcer contra os EUA, se Brasil caiu elas também têm que vazar, tomara que a Sérvia arrase e ganhe, nem que seja de 3x2. Essas americanas não podem ir pra final e se forem têm que ser prata de novo.
Abraão disse…
Pronto. Já temos uma culpada por tudo. Espero que a Natália seja forte pra carregar esse peso nas costas. Sendo que ela, pelo destemor de seu comportamento, foi uma das responsáveis por impedir que o Brasil sucumbisse já no quarto set. Mas o esporte tem disso, temos que achar uma resposta para o que não funciona. Curioso é que em 2014 ela não era titular do time. Se estivesse em quadra naquela ocasião, os seus detratores arrumariam um modo de jogar a razão da queda em suas costas. Por favor minha gente, admiro o conhecimento e a forma que vocês analizam as coisas, mas atribuir a noite infeliz do Brasil aos erros pontuais da Natália não explica o que aconteceu hoje. Me desculpem se ofendo alguém, também não consigo dormir. #nãoparadedoer!
Mantronix Inc disse…
A pressão da torcida mexe demais com as jogadoras, Dani Lins sem ouvir as orientações do Zé, Sheillinha errando saque no fim do tie-brake, entre outros mistakes, mostra q as jogadoras entram em modo pilo-automático e deixam de raciocinar com tanta pressão.

O Zé não teve culpa em nada nesse jogo.

Pior técnico sem dúvida é o imbecil do Maricheve, e a pior jogadora é a líbero da Rússia.
Isa Costa disse…
Pensei que só eu tinha percebido que a Natália ria depois de errar.

Abraão, não negue que a Natália errou muito hoje, por favor. Não culpo ela não, estava nervosa, o tanto que as jogadoras choraram depois do jogo mostrou o quanto estavam tensas em quadra, se tiver um culpado é o ZR que convocou jogadoras para encher linguiça e expôs a Natália durante muito tempo vendo que ela não estava bem a deixando em quadra mesmo assim. Todaa as meninas lutaram, exceto Adenízia e Fabíola. Gabi ainda é jovem e do jeito que o ZR gosta dela, ela terá muito tempo na seleção, Adenízia já tinha garantido sua medalha em Londres e Fabíola foi a que mais sofreu, era sua última chance e não entrou em quadra nenhuma vez, até Adenízia entrou e ela não, deve ter ficado com uma sensação horrível depois, acho que chorou mais do que a Jaque.
Abraão disse…
Isa, você é uma das pessoas mais lúcidas que comentam neste espaço. Não estou negando que a Natália cometeu erros graves. Só disse que nesse momento apontar responsáveis diretos pela derrota demonstra o quanto podemos ser cruéis para com nossas meninas. Natália fez um jogo irregular, mas não merece a crucificação à qual está sendo sumariamente condenada. Insistir na falácia de que ela é uma promessa que nunca se concretizou significa negar toda a sua luta pelo nosso país.
Renato Santos disse…
O time perdeu por causa da Natalia sim. O Brasil venceu o primeiro set facilmente e vinha vencendo o segundo com uma ampla vantagem. A Natalia começou a errar, errar, errar, errar e errar, dai como o técnico não fez a troca da jogadora acabou passando o nervosismo para todo o time.
Se ela tivesse saído no segundo set, tenho convicção que teríamos vencido o jogo por 3x0. As jogadoras estavam muito focadas, mas os erros da Natalia atrapalharam demais o time.
A Fabiana, Sheilla e Jaque se aposentaram da seleção que é uma pena, acho que a Dani e a Natalia deveriam fazer o mesmo e nunca mais voltar.
A Lang tbm teve mérito e coragem para arriscar, por isso saiu com a vitória.
Eu espero nunca mais ver a Natalia na seleção, ela tem que dar espaço para outras com mais preparo psicológico.
Marcus Vinnas disse…
"Lang Ping fez muitas trocas até engrenar o time, já o ZR demorou demais para fazer mudanças, principalmente no segundo set, quando a Natália errou muito em momentos cruciais e entregou o set de bandeja pra China."

Essa Natalia errava e ria, nao entendi...
Eduardo Araujo disse…
Gente a Dani Lins foi horrível durante 70% do jogo e a Nathalia entregou a rapadura em momentos importantes, mas a culpa da derrota não é delas, e sim do ZR que assistiu de forma passiva o jogo.
Isso me lembro uma entrevista da Val, na época jogando pelo Amil logo após mais uma derrota humilhante para o Sollys, ela disse "o ZR não tem um plano B quando a Fabíola muda a forma que o time joga e as jogadoras mais novas tem que ficar no plano A pq senão a derrota é maior ainda".
E foi isso oq aconteceu ontem, ele não se adaptou a nova forma da China jogar, aliás nem tentou.
O passe não esta bom, tira a Nathalia e coloca a Jaqueline, não melhorou tira a Garay e coloca a gabi, ainda não foi tira a Dani Lins e coloca a
Fabíola...., mas tenta alguma coisa, ontem nem nos pedidos de tempo ele pegou a Dani e levou para um canto para conversar, assistiu o jogo de forma passiva e totalmente pedido.
Fernanda Machado disse…
Acho até engraçado o ódio que alguns poucos alimentam contra a Natália, essa que arrastou, sozinha, o Brasil no 4º set, ela q virou quase todas as bolas no 5º set, que levantou a torcida e que deu lugar a Jaque, se o problema é a Natália, pq q qdo entrou a Jaque não resolveu. A sheila entregando o 14º ponto ninguém lembra, levando toco, batendo p fora, não dá nada... A Léia se escondeu na recepção, deixou a Garay e a Nat expostas, sumiu na defesa e não pegava nem pingada simples.. O ZRG não tinha oposta no banco, não tinha levantadora e não soube sequer substituir, pq Gabi no sufoco não dá, tirar Thaísa do saque p Gabi sacar não dá... Mas o q aconteceu não importa, a Natália sempre será culpada... P mim a Nat errou, mas o fato é q todas erraram até pq uma jogadora sozinha não perde jogo e digo mais sem a Nat o estrago teria sido maior..
Eduardo Araujo disse…
Desde 1992 o Brasil não saia nessa fase em uma olimpíada, como resultado foi um desastre.
Em relação a colocar a Jaqueline, não adianta colocar com 5 pontos atrás no placar,a China só precisava trocar bola e foi o que fez, já que não tinha a Nathalia em quadra, bastava sacar na Garay.
Carina disse…
Respeito a opinião de todos, mas não acho que a comissão técnica precisa ser trocada. Acho o ZR e sua equipe ótimas, o único erro foi levar un banco de reservas que não seria decisivo numa hora de sufoco. Achei que Léia correspondeu às expectativas, bo entanto, ela não pôde fazer milagres. Concordo com os que apontaram como decepções dessa partida Dani Lins e Natália.
Enfim, temos que ser realistas em assumir que as seleções brasileiras, tanto a feminina quanto a masculina, passaram uma década em alto nível, mas o esporte tem disso, renovação e prováveis mudanças entre líderes.
Thamy Costa disse…
Nao acho justo crucificarem a natalia como fizeram com a mari em 2004, nao foi justo com a mari que carregou o time nas costa em atenas, como nao é justo com a nati hoje, porque ela carregou o brasil, junto com a garay e sheila. Nao cscho justo culpar uma jogadora só, natalia errou? Sim errou, como garay errou, como sheila errou, como jaque errou e como a dani errou pecando na distribuiçao. Sao seis jogadoras e quando ganham, ganham as seis, entao quando perdem, tambem perdem as seis. Lembrem que todos somos humanos e temos o direito de errar. Nao é justo crucificar fulano ou cicrano. Elas fizeram o que podiam no momento e cairam, como pode acontecer com qualquer seleçao de alto nivel. Estou orgulhosa da sfv. Se nos queriamos o tri imagina elas. Temos agora que apoiamos e ter orgulho por aqulo que elas fizeram. Tenho orgulho de vcs meninas do volei.
Thamy Costa disse…
Nao acho justo crucificarem a natalia como fizeram com a mari em 2004, nao foi justo com a mari que carregou o time nas costa em atenas, como nao é justo com a nati hoje, porque ela carregou o brasil, junto com a garay e sheila. Nao cscho justo culpar uma jogadora só, natalia errou? Sim errou, como garay errou, como sheila errou, como jaque errou e como a dani errou pecando na distribuiçao. Sao seis jogadoras e quando ganham, ganham as seis, entao quando perdem, tambem perdem as seis. Lembrem que todos somos humanos e temos o direito de errar. Nao é justo crucificar fulano ou cicrano. Elas fizeram o que podiam no momento e cairam, como pode acontecer com qualquer seleçao de alto nivel. Estou orgulhosa da sfv. Se nos queriamos o tri imagina elas. Temos agora que apoiamos e ter orgulho por aqulo que elas fizeram. Tenho orgulho de vcs meninas do volei.
Rafa7 disse…
no quesito sorte faltou o corcunda de londres!!!.
fredrise25 disse…
Disse tudo Paulo. O Zé Roberto morre abraçado ao seu ego intocavel e paga a conta é o torcedor brasileiro.
Paulo Roberto disse…
Gente é óbvio que não existe um só culpado, mas numa situação dessas fica clara a falta de comando e de coragem do ZRG.Defendo uma troca na CT pelo bem da seleção. Zé Roberto é uma lenda, provavelmente o melhor técnico de voleibol do mundo, mas é muito apegado a suas escolhas mesmo quando se mostram equivocadas. Errou no preparo pra Londres, errou no mundial e errou de novo agora. Acho que os amantes de vôlei devem ser gratos pelo que ele fez pelo vôlei feminino: só um gênio poderia fazer uma seleção frustrada com aquele resultado de Atenas ser a campeã incontestável quatro anos depois. Mas a filosofia de trabalho precisa ser renovada.
Isa Costa disse…
Acordei hoje muito triste, a ficha terminou de cair. O ZR não confirmou que fica mas acredito que sim. Li num site que a nova líbero para Tóquio será a Laís, Deus me livre.

Quanto ao Brasil ter caído tão cedo, não foi nenhum vexame. Acontece que demos o azar de cruzar com a China que surpreendeu, todo mundo sabia que era um time muito forte que vinha "escondendo o jogo". Mesmo com a China do início do Grand Prix de volta no 2° set e com todos os problemas do nosso time conseguimos um jogo disputadíssimo, ponto a ponto até encerrar no tie-break.

Se caíssemos pra outro time nessas quartas por 3x0 ou 3x1 seria uma vergonha sim, mas pegamos uma final antecipada e as meninas lutaram muito, foi mérito da China, esse time de ontem é o mesmo do Grand Prix, o mesmo que a Lang Ping escondeu, jogaram no começo apenas o necessário para se classificarem, observaram o Brasil no 1° set, com a vitória tranquila o time voltou mais relaxado e a Lang Ping tirou as suas cartas da manga. Tanto é que esconderam o jogo que o ZR ficou sem saber o que fazer porque não era o time que ele havia estudado. Não acham estranho a China vir tombando curiosamente até aqui depois da ótima campanha no Grand Prix e voltarem a apresentar o seu nelhor voleibol justo nas quartas? Foi tudo friamente calculado.
Unknown disse…
Com certeza Dani Lins e Zé Roberto os grandes culpados pelo fracasso
George disse…
Foram vários altos e baixos em um jogo só. O Brasil abafou no primeiro e até a metade do segundo fez a China sentir a pressão, errou muito pouco e fez com que elas jogassem. Com as mudanças que a Lang Ping fez, o time não conseguiu virar com a mesma facilidade e ficou aflito, não teve paciência, começou a errar tudo a que tinha direito. Falei várias vezes e repito: o Brasil trouxe a China pro jogo e depois não soube controlar.
Acho errado apontar culpados, mas a Dani nesse jogo tava de agoniar. Parece, em alguns casos, que ela só enxerga aquela atacante e não consegue levantar pra outra. As meios passaram quase em branco o jogo inteiro, mesmo o Zé implorando por isso nos tempos técnicos. Aliás, tem uma levantadora reserva do naipe da Fabiola e não trocar, nem sequer uma vez, no jogo inteiro é um atestado de displicência. Com meios de rede do quilate da Thaisa e Fabiana, deixar as 2 assistirem passivamente o jogo, não tenho dúvidas de que teriam mais bloqueios e mais garra se elas tivessem participando ativamente da partida.
Quanto a China, é aquela coisa. Pode ser que joguem maravilhosamente bem ou percam novamente pra Holanda. Acho que depende mais da postura do outro time do que delas próprias, se a Holanda agredir o tempo inteiro pode ser um sonoro 3x0.
Ademais, torço para o título da Sérvia. Simpatizo muito com o time todo.
Rosário Serpa disse…
Gente, por ocasião das escolhas das reservas Josē Roberto não foi feliz. A Adenizia não poderia ocupar um lugar que deveria ter sido ocupado pela Braitt, já que a presença da mesma era mais necessária. Quanto a Fabíola, de quem sou fã e que joga muito, no momento não era a melhor escolha p substituta. Passou um ano inteiro sem jogar e acabara de ganhar um bebê. O corpo não respondia por mais esforço que ela fizesse. Entrou ruim em todos os jogos. Meu Deus, o pior foi a falta de uma oposta que bem podia ter sido a Paula ou Helo.
Finalmente, apesar da derrota as meninas já nos proporcionaram belos momentos. Em um jogo coletivo não podemos escolher o bode expiatório.
Alysson Barros disse…
Abraão, infelizmente não foram erros pontuais. Erros pontuais foram os da Léia e os da Garay. Os da Natálua foram comprometedores no segundo e no quinto set. Ela deve ser responsabilizada sim. Não tem mais desculpas para ela.

Outros erros comprometedores foram os de saque da Sheilla e da Jucy (que eu achava que ia calar minha boca, só que não). Como pode errar saque num momento daqueles?

Ainda estou tentando digerir o segundo set e sem conseguir raciocinar sobre a partida ainda. Perdemos ali...
Nossa, não me recuperei até agora, tive que tirar por diversas vezes do canal, pra não infartar. E o esporte é assim, tem que ter fortes emoções, pena que dessa vez não fomos nós que ganhamos, mas até aqui Valeu a pena. Acho que o começo do jogo da China ao invés de ajudar atrapalhou o Brasil.A China estava inacreditável , e acho isso fez elas se amolecerem e darem espaço para o jogo delas engrenarem .O Brasil teve sim volume de jogo, o bloqueio de certa forma apareceu, pecou na hora que precisou no saque e nos contra ataques .Tínhamos nítidas chances no 5 set, mas o contra ataque nos puniu e fora os erros de saque. Fiquei triste , estou triste e vou demorar absorver essa derrota, e ainda mais com a aposentadoria da Sheila e da Fabizona, A Sheila tá jogando ainda muita bola, ela demostrou isso , jogou muito contra a Russia e ontem tb, apesar de estar sobrecarregada em alguns momentos. A substituta dela vai ter muita responsabilidade . Mas jogo é isso aí, o esporte é bonito por causa disso, nem sempre se ganha, tem as derrotas sim, a nossa vida é assim. O que me deixa chatiada e alguns comentários q li nas redes sociais pós jogo. E vi que o brasileiro só pensa que sabe de futebol, vê os outros esportes de 4 em 4 anos, não sabe de nada, pensa que é torcedor e se acha no direito de ficar escrevendo abobrinhas na rede. " elas são amerelonas" " a Sheila não sabe sacar" " perder pra China??" fora as outras lereias q li ,que não deve ser ao menos citadas. Como falam isso de um time Bi campeão olimpico?? Bi da principal competição do esporte mundial, que tirando o Futebol, as olimpiadas é bem mais valiosa que o Mundial.E eu e acho q a maioria aqui , só tem a agradecer a essa seleção, pois se não fosse a dedicação delas, e contudo suas vitoria , nem esse blog existiria.
Welmer Sales disse…
É difícil fazer qualquer tipo de análise friamente depois dessa derrota, eu ainda tô tentando digerir esse resultado.

Depois daquele primeiro set impecável, eu achei que teríamos um bom final de noite, mas depois daquele final de segundo eu tava sentindo que o jogo não seria nosso.

Pra mim, até o meio do segundo set o Brasil tinha o controle emocional da partida e ditava o ritmo de jogo, a partir do momento que o número de erros da seleção foi aumentando, as chinesas entraram no jogo e tomaram as rédeas da partida, passando a impôr o seu ritmo de jogo.

No jogo de ontem eu gostei da Garay e da Sheilla, Natália e as centrais só foram entrar no jogo efetivamente no 4º set. Não gostei da partida da Dani e da Léia. Dani tava muito previsível nos levantamento até o 4º set e a precisão de algumas bolas não era ideal principalmente no contra-ataque, a Dani quase ganhou uma Superliga jogando só com a Fabiana e só foi usar a mesma efetivamente no 4º set, isso é algo que não dá para entender. Sobre a Léia, eu senti a líbero um pouco hesitante na recepção, principalmente nos finais de set e achei que ela demorou a encontrar o posicionamento correto na defesa principalmente pro ataque da Zhu.

Quando eu achava que não haveria sofrimento maior que a derrota no Mundial de 2010, veio a derrota no Mundial de 2014. Quando eu achava que não haveria frustração maior que a derrota no Mundial de 2014, vem a China e me apronta essa. Vai ser difícil superar essa derrota.

P.S.: Os EUA não podem de forma alguma ganhar o ouro olímpico aqui!
Abraão disse…
Alysson, erro comprometedor pra mim é um saque na rede que dá o 14 ponto para o adversário no quinto set. Natália errou, mas virou bolas inacreditáveis, como um ataque pelo fundo em uma bola praticamente perdida, quando a China poderia abrir três pontos. Em nenhum momento seus erros deram pontos de set ou a bola do jogo para as chinesas, mesmo assim não culpo a Sheila pelo que aconteceu, mesmo que ela carregasse uma responsabilidade muito maior. E não existe isso de perder partida em segundo set. O Brasil zerou a conta no quarto set, a partir dali, o pêndulo da sorte poderia desequilibrar para qualquer lado; e lembremos que o set terminou pela diferença mínima de 2 pontos, foi brigado até o último segundo. Você desde o começo que tem essa postura de perseguir a Natália. Para você é mais cômodo do que aceitar uma fatalidade do esporte. Mas repito que não há a menor justiça nesse seu comportamento, há sim, muita crueldade e ingratidão.
anônimo disse…
Pronto, encontraram uma novo bode expiatório para chamar de Mari. A Natália cometeu erros bizonhos sim, mas voltou concentrada no quarto set e virou todas as bolas, bloqueou, defendeu e não comprometeu no passe. Se não fosse isso, a derrota teria sido por 3x1. Derrubou bolas importantes no tie-break e errou aquele ataque porque o levantamento foi praticamente na antena. Não sou fã da Natália, mas há de se reconhecer que é muito difícil começar mal como ela começou, ser substituída e se recuperar no mesmo jogo. Pior, é quem começou bem como a Fernanda Garay e caiu vertiginosamente de produção, quinando as bolas no set decisivo. E a salvadora da pátria Jaqueline quando entrou, fez alguma diferença? A Dani Lins matou o desenho tático da seleção com levantamentos imprecisos, baixos e colados na rede. Sem falar, que anulou as centrais do jogo. Por falar nisso, onde ficou o bloqueio da Thaisa? E todas as bolas para fora que ela atacou em contra-ataques importantes? E a Fabiana, experiente e capitã, porque não chamou o jogo para si? Sheilla errando saque em um 13x12 para a equipe adversária no set desempate? Toda a seleção errou. O Zé Roberto não tinha banco para fazer frente ao poder ofensivo da China e ás mudanças táticas feitas pela Lang Ping. Levou jogadoras nulas que em nada podiam ajudar em momentos como esse. Faltou uma matadora de ofício como a Thing Zhu. Faltou controle emocional. Jogar todo esse peso em cima de uma jogadora só é muito desumano.
Renato Santos disse…
Essa dolorosa derrota vai mudar a mentalidade do ZR daqui pra frente se ele continuar na seleção. Todos sabem que o ZR não dá espaço para jovens talentos e morre abraçado com jogadoras que ele tem afinidade (Dani e Natalia).
Ele percebeu da pior forma possível que não se ganha olimpiada sem banco de qualidade e com panela.
Acredito que ele vai continuar na seleção porque ganhou o GP desse ano, mas vai mudar sua filosofia e trocar quase todo o time para Tóquio. Após o vexame de Atenas, ele renovou quase todo o time, por isso ganhamos o inédito título olimpico.
A Dani e a Natalia precisam sair da seleção, porque elas não correspondem sob pressão. A culpa não foi só da Natalia, mas ela foi a maior responsável pela derrota do segundo set sim, pois a partir daí a China ganhou confiança e cresceu na partida.

anônimo disse…
Concordo com o Abraão. A perseguição com a Natália já é uma idéia pré-concebida que ganhou lastro com os erros que ela cometeu sim, é inegável, mas que NÃO FORAM ERROS DECISIVOS. Ao levar a seleção nas costas no quarto set, ela deu sobrevida para a disputa no quinto set. Se ela deu o segundo set de bandeja para a China como estão afirmando aqui, ela deu o quarto set de bandeja para a seleção brasileira e zerou a conta. Derrubou uma bola levantada praticamente na antena e outra do meio fundo no quinto set, impedindo que a China se distanciasse no placar. E por favor, os erros da Garay e da Dani Lins foram pontuais? Quinar passes e levantar jacas no set decisivo de quinze pontos valendo a continuidade na competição mais importante do esporte são erros pontuais? Errar um saque do chão em final de tie-break com vantagem para o adversário é erro pontual?
Paulo Roberto disse…
Sobre a Natália me incomodou não os erros em si, mas a postura dela quando errava. Toda vez que ela errava é a câmera focava nela, ela estava rindo e foi assim o jogo todo. Ela no ataque é um monstro e ainda sinto falta da Natália de 2010, talvez se voltasse a jogar de oposto, sem a responsabilidade do passe poderia render bem mais e se sentir mais confortável nos momentos de pressão.
Joffre Neves disse…
Vou tentar me acostumar a não ver mais sheila,jaque e fabizona na seleção,tá difícil e hoje chorei muito mesmo,hoje caiu a ficha mesmo.Ver a sheila chorando foi muito triste :/
anônimo disse…
Renato, a China ganhou confiança a partir da mudança tática imposta pela Lang Ping. Ela improvisou a Zhang, uma boa ponteira passadora, de oposta deixando a Zhu livre só para atacar. Tirou a Hui e colocou a Liu, aumentando o poder de fogo no ataque. Tirou uma central que não estava correspondendo e colocou outra. Trocou a levantadora titular jovem e colocou a Wey, experiente que deu uma dinâmica completamente diferente do primeiro set para a equipe. Daí em diante, aquela disparidade do primeiro set sumiu e a China começou a jogar de igual para igual com o Brasil. Fato, é que a Lang Ping tinha peças de reposição no banco capazes de mudar o jogo, ao contrário do Brasil, que tinha uma oposta improvisada de 1,80m de altura, uma levantadora sem condições físicas ideais e sem ritmo de jogo, além de quarta central mediana com sérias limitações técnicas. Você acha que a Lang Ping não sabia disso e usou contra a gente? Para mim, a marcação em cima da Zhu não foi feita corretamente, nem no bloqueio e nem na defesa. O saque não conseguiu quebrar o passe chinês a partir do segundo set e a Dani Lins fez uma distribuição "a la" Kosianenko, imprecisa e previsível. A Natália prejudicou o time no segundo set, mas o jogo não acabou ali. O Brasil poderia ter se superado nos set seguintes e não fez. Os fatores para a derrota são muito mais complexos do que a antipatia tendenciosa com uma jogadora que teve um começo desastroso, mas soube colocar a cabeça no lugar e voltar bem para tirar a equipe do sufoco. A Sokolova quinou os dois passes que deram a vitória no tie-break para o Brasil sobre a Rússia em Londres. A culpa da derrota foi dela? Duvido que lá na Rússia pensem assim. Se foi, então, vamos culpar a Sheila que errou um saque tático em pleno 13x12 no set desempate. Despejar toda a resposabilidade de uma derrota em cima da Natália é muito cruel. Essa cultura brasileira de chutar cachorro morto é muito desumana.
Leozir Goncalves disse…
Não sou de comentar, mas vejo que muitos culpam as ponteiras. Não culpo nenhumas das jogadoras, até mesmo porque sabíamos que Nati e Garay não são especialistas no fundamento recepção. Dani Lins, ao contrário, é especialista no fundamento levantamento e, assim mesmo, errou vários. Mas, culpo a comissão técnica que não soube montar um banco que suprisse as necessidades do SFV. Levar uma levantadora (posição essencial) sem condições físicas de jogo foi um erro. Fabíola é excelente, mas não tinha tempo hábil de recuperação. Poderia ter levado a Brait no lugar da Adenízia e relacioná-la como ponteira. Dessa forma, teria como utilizar Jaque e Brait para melhorar o fundo de quadra (já que não iria utilizar a inversão em jogos difíceis). Exemplo: depois do saque da Garay, como o Brasil estaria com rede de dois, substituiria a mesma pela Jaque (manteríamos uma opção de ataque pelo fundo) e assim teríamos uma linha de recepção melhor até Jaque chegar na rede, então voltaria Garay para melhorar o ataque. Já em seguida faria o mesmo substituindo Nati, após o saque, pela Camila. Essas substituições seriam feitas na reta final dos sets. Teríamos ataque e passe nos momentos decisivos. Banco não é para ser torcida organizada, banco tem que ser montado para suprir necessidades e ser utilizado. Por esse motivo que culpo a CT. Se quiser que a jogadora vá passear que de uma passagem de presente para ela, mas não deixe a mesma como cheerleader.
Alysson Barros disse…
Tão falando que a Léia se escondeu na recepção. Até parece! O saque chinês que foi muito bem direcionado. Natália passando é um desastre! O povo pegava no pé da Mari por isso, mas perto da Natália a Mari é uma exímia passadora. Erra passes seguidamente e fica rindo em quadra. Ainda bem que não foi só eu que notei isso, pois já começaria a achar que tudo que ela faz é ruim. O saque e a defesa em alguns momentos foram as únicas coisas que salvaram o jogo da Natália.

Eternamente eterna promessa. Quase trinta anos e ainda desse jeito.

Mídia é conivente assim como os torcedores do Rexona e do Nestlé. Natália seria uma ótima opção de banco. Jamais titular.


A única que se salvou dessa partida foi a Garay. Essa sim verdadeira raçuda.
Leozir Goncalves disse…
A Nati falou em uma entrevista que quando está nervosa, ela da risada. Talvez, seja esse o motivo de aparecer rindo.
Alysson Barros disse…
Por que o Zé Ruela não deixou Garay e Jaque de ponteiras e não deslocou a Natália pra saída?
Renato Santos disse…
Anônimo, o que eu disse no meu primeiro comentário?
Eu disse que o Brasil perdeu porque tbm não tinha banco de qualidade como as outras equipes, somente poderíamos contar com as titulares, pq as reservas não tinham o mesmo nível que as titulares.
A China colocou as reservas que mudaram o jogo a favor delas, já o Brasil como não tinham banco viu o adversário dominar o restante do jogo.
Essa derrota foi igual a final de Londres, as Americanas venceram o primeiro set com muita facilidade, mas não esperavam uma reação do Brasil e perderam o jogo.
A Natalia foi a maior responsável por desestabilizar o time com seus inúmeros erros no segundo set possibilitando o crescimento da China. O Brasil tinha uma boa vantagem, mas ela deu o set de bandeja para as Asiáticas. Repito se ela não tivesse errado tanto ou sido trocado venceriamos o jogo por 3x0, pois a China não conseguiria reverter 2 sets contra na casa do adversário.

anônimo disse…
Então, se o meu companheiro de time desata a errar e eu reproduzo o seu mau momento, a culpa da minha instabilidade também é dele? Renato, o time possui sete jogadoras. Se uma não vai bem, as outras seis precisam cobri-la até que ela se estabilize emocionalmente, ao invés de entrar na onda dela. O Brasil tinha Sheilla, Fabiana, Thaisa e Dani Lins, jogadoras experientes que poderiam ter se comprometido a pegar uma fatia maior do bolo durante a pressão. É assim que eu vejo um time. Apenas Sheilla apareceu, as outras sucumbiram e a Natália não pode ser responsabilizada por isso. Ela cometeu deslizes bizarros, mas se redimiu posteriormente. Ela virou bolas super importantes no quarto e quinto set. Por que as outras não acompanharam o seu crescimento? Quanto a vitória no segundo set, se ela podia ter lacrado o êxito ou não do Brasil no jogo, é provável que sim, mas é apenas uma conjectura. A Lang Ping foi um Alekhno e mudou toda a estrutura da seleção deixando o Brasil inteiro perdido no bloqueio e na defesa. Não acho que isso seja culpa de uma jogadora só. Não estou aqui como advogado de defesa da Natália. Sequer concordei com sua ida a Londres descondicionada fisicamente. Porém, acho injusto amarrar esse fardo no pescoço dela.
Johnny disse…
Tolos são os que digitam textos e mais textos, páginas e mais páginas, parágrafos atrás de parágrafos...
Sabe o que acontece ano que vem???
Zé Roberto coloca Natália novamente de ponteira, retirando a capacidade da jogadora que atuou 80% da carreira como oposta, mesmo sabendo que ela não dá conta do passe.
Zé Roberto deixa Dani Lins intocável no lugar dela, como levantadora titular e não testa outras.
Zé Roberto deixa Garay intocável, como se ele fosse a melhor passadora do mundo.
Zé Roberto chama Brait novamente para fazer mais hora com a cara dela.
Zé Roberto deixa Thaísa e chama Carol do Rexona que tem 1.82 ou 1.84, sei lá, de altura, tendo quase 10cm de diferença para os padrões atuais.
Zé Roberto chama Tandara para levar mais bloqueio e ficar 25kg acima do peso. Afinal, ela teve a filha dela e merece um lugar na seleção, mesmo acima do peso ou sem movimentação.
Zé Roberto chama Monique e Michelle, como se fossem duas jóias raras.
Zé Roberto chama Adenízia para levar os CDs de Aline Barros.
Zé Roberto chama Gabi, com 1.80 de altura, péssima no passe e sem segurança no ataque.
Zé Roberto chama Juciele, porque, afinal de contas, para que renovação? Ela só tem 35 anos e 1.84, super alta.
Zé Roberta chama a Jaque, afinal, para que renovação?

Se o Brasil inteiro sabe disso, para que divagar mais? Paulo Coco e Zé Roberto trabalham com renovação!
Estou vendo muita gente falar que o Zé não tinha banco, enfim, eu penso q tirando q eu levaria a Roberta ao invés da Fabíola , não penso em mais ninguém do que aquelas que foram convocadas. Concordo que não era lá essas coisas o banco, mas quem ele ia chamar ?? A questão está mais ligada a Levantadora, a Dani deu uma sobrecarregada nas ponteiras, que já estavam sobrecarregadas no passe, e não foi eficiente com as centrais, assim , virou um caossss o nosso jogo. A Fabíola tb não resolveria muita coisa. Uma coisa que poderia ser feita , era passado a nath pra saída , pq ela rende como oposta,e daria lugar pra jaque na recepção e não perderia tanto no ataque, pq não tinha mais nada de diferente pra fazer. E já vamos começar a queimar a Nath?? ela tem futuro, uma grande jogadora, não achei que ela tipo foi a causadora da derrota, ela errou sim, mas td mundo errou.E agora como trocar uma comissão técnica bi-olimpica , se o problema é a falta de opção de jogadoras. Pq tirando a Paula, o resto q tá vindo é td mais ou menos.
Gabriel disse…
A China ganhou o jogo no segundo set. O Brasil depois de um primeiro set sonolento em que dominou o jovem time chinês, simplesmente parou de jogar, se desconcentrou, passou a cometer erros infantis e acordou o gigante. E o que é pior, não soube se reencontrar, e em meio a passividade do nosso técnico, se perdeu em quadra. Fazendo uma comparação já citada pela Laura, a seleção parecia o Osasco em quadra, e Zé Roberto o Luizomar. Faltou pulso quando ele mesmo disse pra Dani colocar a Fabi e a Thaísa no jogo e ela não o fez. Deveria ter tirado ela de quadra para ela poder perceber o que estava acontecendo no jogo. As nossas torres gêmeas, elas sim poderiam ter mudado a história, nós sabemos que essas duas são gigantes e chamam a responsabilidade, mas por terem sido ignoradas o jogo inteiro pouco puderam fazer, e a Thaísa ainda pagou a conta pela insistência da Dani em trabalhar com as pontas. Na época do Grand Prix eu já havia dito que nosso time não era o mais forte dentre os times de ponta e que o nosso jogo é baseado no meio, se as meios não jogam, o time sofre. A cada bola que a Dani não dava pra Fabiana e ficava forçando com a Sheilla e a ponta que estava na rede, me deixavam mais preocupado. O jogo do Brasil estava totalmente descaracterizado, Dani estava inacreditavelmente desintrosada com as centrais, me chamou a atenção o fato das jogadas Chinas que são o forte da Fabi e da Jucy, terem sido inexistentes na partida. Faltou banco no time, faltou oxigênio novo, opções para reverter o jogo como aconteceu com a China. Faltou utilizar a versatilidade de jogadoras como Natália que poderia ser deslocada pra saída, enquanto Jaque e Garay ficariam na Ponta. Enfim, pra mim faltou mais a mão do nosso técnico, as jogadoras fizeram o que podiam em quadra em meio a toda aquela bagunça tática. Agora o mais preocupante é como nossa selação feminina de vôlei irá se reestruturar mantendo o nível em que Fabiana, Sheilla e companhia nos colocaram. Esse foi o maior pecado neste ciclo, falta de buscar novos talentos, em vez de ficar insitindo com Joycinhas e Ana Tiemis. Nossa seleção terá que se reinventar, buscar jogadoras que mantenham a nossa história vitoriosa. Assim como feito nos EUA e na própria China que nos derrotou ontem com um time tão jovem e que ainda vai nos dar muito trabalho. Sobre a mudança de Comissão técnica, pode parecer loucura, mas fiquei pensando como seria ter Bernardinho voltando a treinar o time feminino do Brasil... No Rio ele faz exatamente o que se espera da Comissão técnica do Brasil, descobre e lapida novos talentos todos os anos, e com times sempre considerados modestos, vence com facilidade times estrelados da Superliga, e é sempre incrível ver como qualquer jogadora cresce muito nas mãos dele. Será que essa hipótese é tão improvável de acontecer??
Minha querida Dani Lins esteve mal, fato.
Agora, a Natália jogou muito!
Se rir de nervoso, amigo Paulo Roberto. Não nervosismo de travar as pernas, e sim nervosismo de incomodo.
Leia fez o dela - só não entendi uma jogada em particular que ela ficou na frente da Dani Lins, tendo todo tempo do mundo pra correr e ficou parada.
Enfim, bem que eu tava com mal pressentimento...
Luis disse…
Não entendo o pavor de alguns aqui sobre a possibilidade de os EUA ganharem o ouro olímpico no Rio. São um timaço, e bateram duas vezes na trave em 2008 e 2012, merecem agora. Viva o vôlei acima de tudo e que vença melhor! (Já que o Brasil já está fora...)
Renato Santos disse…
Disseram que o que tinha na olimpiada era o que tinhamos de melhor, mas não é verdade. Cadê a Michele Pavão, Paulo Borgo e Claudinha?
A Michele seria muito melhor do que a Gabi, mesmo sendo baixa domina os fundamentos. Ela tbm poderia entrar como líbero. Qual fundamento a Gabi domina? Nenhum e ela como oposto reserva prefiro nem comentar.
A Paula Borgo seria muito mais útil do que a Adenizia, pois ela entraria nas inversões e poderia ter dado outra cara no jogo contra a China. Pra se ter uma ideia ela costuma fazer mais de 20 pontos por jogo e seria um desafogo na rede.
A Claudinha foi a melhor levantadora da superliga, ela arrasou na fase final e seria melhor utilizada do que a Fabíola que não tinha condições de jogo. A Roberta foi péssima na final do GP, por isso foi cortada.
Enfim tinhamos opções de banco melhores do que essas que disputaram a olimpiada. Quem sabe se essas jogadoras não estivessem no time, o resultado poderia ser outro?
Vicente Maia disse…
Infelizmente não pude assistir esse jogo, não tinha assistido o da Rússia antes. Sou assinante da NET, mas estou em Portugal e o Globosatplay não permite que eu assista os canais que assino quando estou fora do Brasil. Obrigado Globo.
Sobre o jogo, não posso comentar, mas já passou e resta apanhar os cacos e se reerguer. Faz parte do esporte a derrota e temos de saber lidar com ela. Culpar o técnico ou essa ou aquela jogadora é injusto, ninguém joga sozinha, elas nos trouxeram muitas alegrias e glórias, ficar denegrindo-as agora ou procurando bodes expiatórios é totalmente irrelevante.
Agradeço a elas por tudo que me proporcionaram e desejo boa sorte a todas.
Abraão disse…
O Brasil já é Bi Campeão Olímpico com uma das campanhas mais inacreditáveis da história. Em Pequim nosso time deixou todo o mundo de joelhos, sem tomar conhecimento de ninguém, chegou a final sem perder um set sequer. Em Londres, quando todos davam como certa uma eliminação na primeira fase, elas foram lá e entregaram uma superação que somente campeões do quilate mais brilhante seriam vigorosos o suficiente para fazer nascer. No Grand Prix desse ano, tiveram que enfrentar toda a sorte de desconfiança, que não se justifica, dado o histórico vencedor de todas elas. E mais uma vez impuseram as americanas, preferidas de todos os Renatos e Nalbertes desse mundo, toda a glória e todo o respeito que merece nossa tão honrada camisa amarela. E numa noite em que tantas casualidades, tantos infortúnios que somente um esporte de natureza tão imprevisível quanto o que amamos é capaz de conceber o que fazemos? Sim, EXATAMENTE!!! Ao invés de sermos solidários e darmos o suporte que elas precisam para atravessar esse momento difícil, crucificamos jogadoras pelas quais não nutrimos simpatia, pedimos demissão sumária dos únicos profissionais que foram hábeis para conduzir nosso esquadrão aos seus mais extraordinários feitos. Não minha gente, a nossa seleção definitivamente não precisa de torcedores assim.
Em tempo, acredito realmente que alguns vícios administrativos, no que diz respeito ao manejo das atletas ou a própria busca de material humano capaz de substituir à altura a geração que se despede, devem ser identificados e combatidos. Contudo trocar toda a comissão técnica, que conta com profissionais do naipe do preparador físico Zé Elias Proença, está longe de ser o caminho adequado a seguir.
Concordo plenamente Abraão, só querem julgar e queimar jogadoras. Esquecem , que essa é a geração mais vitoriosa do Vôlei do Brasil, e está entre as melhores do mundo. Marcou história, vai ser sempre o time a ser batido. Que pena. Acho que analisar o jogo tudo bem, agora já fritar todo mundo da forma que está sendo, é injusto. Essas meninas só merecem nosso respeito e carinho.
Bruna Volochova disse…
Quando um time ganha, em qualquer modalidades esportiva, todos ganham. Ao fazermos uma análise técnica do por que ganhou fatalmente iremos dizer que o sistema defensivo funcionou, o ofensivo foi assim, o fundamento tal foi assado, o técnico foi bem, etc. Fatalmente iremos dizer que jogador tal foi bem, jogadora tal não foi tão bem, mas foi fundamental em tal momento. Ao fazermos este elogio não estamos falando de predileção ou elogiando porque gostamos daquele jogador ou porque ele joga no clube para o qual torcemos. Podemos ainda dizer que ganhamos porque jogamos bem e o outro time mal, ou que o outro time foi bem, mas fomos melhores.

Da mesma forma, quando um time ganha, todos ganham. E ao fazermos uma análise técnica do por que perdeu, fatalmente iremos dizer que o sistema tal funcionou e que o outro não e que o outro mais ou menos, etc. ; que o técnico não foi tão bem como deveria e poderia ou como já foi em outras oportunidades. Fatalmente também iremos dizer que tal jogador não jogou bem como costuma, ou como esperávamos, que errou mais do que o de costume, ou que já era um risco esperado, ou porque é ruim e não deveria estar ali mesmo, principalmente quando já havia sido dito antes. Isso não é perseguição, nem julgamento ou crucificação, ou querer um bode expiatório. Também não é porque não gostamos do atleta ou porque ele não joga em nosso clube. Também podemos dizer que o time jogou mal e outro bem. Etc. São análises, busca de explicações, justificativas para a derrota, já que elas existem. Perdeu por algum motivo.

Acho muita imaturidade achar que estamos culpados. Não é isso. Esse termo culpa nem é adequado. São análises.

Na minha análise, tenho o direito de tê-la, Natália comprometeu o esquema da seleção, como sempre comprometeu. Não tem nível para estar lá. Nunca teve. Nunca justificou o porque de sua escalação. Não merece a medalha de ouro que ganhou. E pra quem disse que essa geração é vencedora, é mesmo, mas não com a ajuda da Natália. E acreditem, adoro a jogadora, pessoalmente a acho o máximo, sempre torci por ela, mas nunca achei que ela merecesse o posto de intocável que ela tem. Como acham que Joycinha nunca deveria ter sido convocada por isso ou por aquilo, também acho que Natália não.

Também acho que a Dani comprometeu. Não tava lúcida. É uma jogadora que nunca teve tanta visão de jogo e precisa ser dirigida e orientada o tempo todo. Dessa vez não foi.

As centrais não jogaram. A china jogo jogou bem, mudou o jogo e não houve adaptação adequada. O banco não ajudou. Fabíola não entrou. Sheila e Jucyele erraram saques quando não podia. Leia sentiu. Garay, que tava bem, foi levada pelo mau desempenho do time, etc. etc. etc. Entre outros fatores tão bem colocados pelos colegas acima.

Gostaria de avisar que me despeço do blog. Foi bom o tempo que fiquei as discussões das quais participei. Aprendi muito. Ri muito, torci muito e até chorei.

Obrigada, Laura, pelo canal, pela simpatia e bom serviço prestado ao vôlei. Você escreve muito bem e suas análises são geralmente muito boas e completas. Parabéns.

Parabéns as meninas do vôlei, já me deram muitas alegrias e muitas tristezas também, como a de ontem. Sempre torci muito por vocês. Já joguei vôlei por causa de vocês. Torci o tornozelo, vi que não levava jeito e parei.

Obrigado a todos e fiquem em paz.
Marco Barbosa disse…
Querida Laura, caros amigos, o JRG tem o nome em lugar de destaque na história do esporte mundial e estou certo de que um dia estará imortalizado entre os grandes do Hall da Fama em Holyoke. JRG para sempre será lembrado como o protagonista das maiores glórias, mas também das mais devastadoras derrotas de um dos mais extraordinários times de vôlei que já pisou em uma quadra. Por conta disso fico desolado ao ver o ciclo iniciado simbolicamente com a grande dor de Atenas terminar com a melancólica dor do Maracanãzinho, Definitivamente os deuses do vôlei são injustos e cruéis, pois já permitiram que mitos como Ana Moser, Venturini ou Leila encerrassem suas carreiras sem os topos dos pódios olímpicos e mundiais e agora têm permitido que craques como Mari, Sheilla, Fabiana ou Jaqueline tenham despedidas da Seleção indignas de suas histórias; ao menos esses deuses não tiveram coragem de serem cruéis com a Fofão.
Sobre o jogo, méritos de outro mito que tivemos a honra de ver no Maracanãzinho. Não acho que Lang-Ping tirou uma solução da cartola e improvisou um 'jeitinho' chinês que na hora deu certo. Não; se assim fosse, modificações tão extensas em um time mesmo mais maduro no meio de um jogo comum traria o caos para a quadra; ainda mais com um time jovem em um jogo decisivo naquele clima opressivo da casa do adversário. Vimos uma variação tática bem planejada e treinada, posta em prática no momento crucial ser muito bem sucedida diante de uma SFV que não teve plano B. Não usar a Fabíola diz tudo: JRG pagou sua dívida com a levantadora e, talvez com o resto do grupo, mas ficou sem opção e viu, sem reagir, a iniciativa ser-lhe arrebatada das mãos pela implacável Lang-Ping, a mesma que em 2008 não teve o que fazer diante de Fofão & Cia.
Ainda assim poderíamos ter ganhado o jogo, não fossem alguns erros em momentos cruciais. Tais momentos não devem ser usados para fabricar ilusórios bodes expiatórios. É um esporte coletivo: perde-se e ganha-se juntas. Também poderíamos ter perdido já no quarto set não fossem alguns pequenos milagres daqueles que só as grandes craques são capazes. Prefiro exaltar o mérito da China, assim como exaltamos os méritos do Brasil na final de Londres.
Para o futuro, que você, Laura, abordará em um próximo post que eu aguardo ansiosamente, eu penso que derrotas como a de ontem nada têm a ensinar; eu prefiro aprender com as derrotas alheias. As minhas próprias servem só de combustível para acender o entusiasmo que vencerá o próximo desavio. Já as vitórias, sejam minhas ou alheias, são professoras generosas e devem ser prestigiadas. Para o próximo ciclo podemos aprender muito com as vitórias de China, EUA, Holanda e Sérvia: observemos e aprendamos!
Isa Costa disse…
Sheilla já tinha os olhos cheios d'água no 5° set enquanto Jaque, Jucy e Fabíola já choravam no banco. Elas junto com Fabiana, Léia (talvez) e Adenízia (espero) estavam em sua última olimpíada, isso prejudicou sim a capacidade de superação do time em quadra, o psicológico de ninguém poderia ser preparado ou conseguiria lidar bem com uma situação dessas, jogar a última olimpíada da carreira em casa com torcida pressionando, ver o crescimento do adversário e ao errar por nervosismo se dar conta da possibilidade de encerrar tudo com um gosto amargo.
ubirajara vieira disse…
Estamos no fim do ciclo de ZRG, assim espero. Nunca engoli o corte da Mari às vésperas de Londres. Levou a Thandara para ganhar experiência, kkk. Agora foi a vez da Camila Brait. No Brasil não tratamos nossos campeões olimpicos com dignidade, basta ver como o Cielo foi tratado. Enquanto o Bolt alegou "contusão" e foi para a olimpiada sem índice, preferimos levar nadadores sem nenhum resultado expressivo ao invés de dar uma nova chance ao nosso campeão. Isso foi ótimo para a natação, né!? Além disso, percebe-se com facilidade que, Jaqueline nunca foi a "super-woman" do ataque, com a inconstância de Natália e o nítido declínio de Sheyla, obviamente, em algum momento em que o nosso meio de rede jogasse mal ou tivéssemos o passe comprometido, só teríamos Garay para virar bolas. Agora é pensar em renovação de comissão e grupo de jogadoras!
Johnny disse…
Sérvia na final...
EUA vão disputar bronze, adoro! kkkkkkk
Se o ouro não é nosso, delas tbm não será!
Vão fazer dancinha lá no país delas... aqui não
Recalque?? Sim, é recalque mesmo kkkkkkkkkkk
Joffre Neves disse…
Servia fez 3x2 e vai pra a final
L. Mesquita disse…
Técnico ganha jogo, Lang Ping ganhou o jogo e o Zé perdeu o jogo por não saber mexer no time. A China ganhou o jogo na comissão técnica, Lang Ping venceu Zé Roberto porque Lang Ping sabe usar as jogadoras que tem à disposição, enquanto Zé Roberto perdeu deixando Fabíola, Jaqueline e Gabi no banco sem saber usá-las na partida. Terzic também ganha jogo, poupou as titulares quando necessário para que elas arrebentassem agora nos momentos decisivos. Boskovic e Mihajlovic não tremeram no final do tie break e fizeram o que tinham que fazer.
Isa Costa disse…
Ubirajara, a Jaque é ponteira de preparação e não de definição como Natália e Garay. O ZR demorou a tirar a Nati mesmo com os erros dela porque precisávamos de um ataque forte, tanto que a Jaque encalhou a rede e a Sheilla salvou sua permanência em quadra fazendo o time rodar.

Pra quem quer o ZR fora, quem pode substituí-lo? Quem na Superliga tem capacidade disso? Bernardo? Claro que não. Que outro técnico mesmo que estrangeiro poderia fazer hoje o que o ZR fez pra reerguer o vôlei feminino quando iniciou o seu ciclo? ZR só pode sair quando algum técnico mostrar serviço e ameaçar ele. Comandar uma seleção bi-campeã olímpica não é pra qualquer um, por enquanto só quem tornou essa seleção bi-campeã pode fazer isso, ele só sai se quiser.
George disse…
Comemorando muito a vitória sérvia. Merecem estar na final!
Queria uma final com Holanda também.
Veremos como se saem hoje a noite.
Isa Costa disse…
Assisti Sérvia x EUA no ESPN e ri demais, muito engraçado o cara narrando o jogp, pra melhorar ainda mais o meu humor as americanas perderam kkkk. Adorei!! Tomara que nem bronze consigam, do jeito que estão jogando mal tá arriscado ficarem sem medalha. Minha tristeza já passou, agora estou tomada pelo recalque.
Dara Nascimento disse…
Exatamente kkk. Tava bem mal ainda mas agora tô de alma lavada! GoServia
anônimo disse…
A equipe sérvia vai precisar diminuir muito esses erros se quiser ser campeã olímpica diante da China que, provavelmente, vai levar a outra vaga na final. Poderia ter fechado em 3x1 facilmente se não fossem os vacilos cometido no quarto set. Ognjenovic errou muitos levantamentos e pecou na distribuição em alguns momentos. EUA sem a Akirandewo fica capenga. As opostas não são jogadoras de segurança. Lowe até desencantou, mas atacando com bloqueio quebrado tendo 1,94 de altura é fácil. Quero ver fazer o que a Boskovic e a Mihajlovic fazem. Montando na bola com bloqueio triplo parado na sua frente. Não tenho nada contra a seleção americana. Embora eu tenha uma ligeira preferência pela Sérvia, os EUA são um grande time e merecereriam ganhar o ouro se tivessem a oportunidade. Parabéns as meninas da Sérvia!
L. Mesquita disse…
Parabéns à Sérvia! Parabéns à Brankica Mihajlovic. Lembro-me de quando Brankica chegou ao Rexona e como ela evoluiu nas mãos de Bernardinho. Bernardinho também fez evoluir Natália, Gabi, Juciely e muitas outras, assim como fará evoluir Ane Bujs. Técnico ganha jogo, Lang Ping ganhou o jogo e o Zé perdeu o jogo por não saber mexer no time. A China ganhou o jogo na comissão técnica, Lang Ping venceu Zé Roberto porque Lang Ping sabe usar as jogadoras que tem à disposição, enquanto Zé Roberto perdeu deixando Fabíola, Jaqueline e Gabi no banco sem saber usá-las na partida. É inadmissível perde um jogo eliminatório com Fabíola, Jaqueline e Gabi no banco só assistindo à partida sem ter a chance de entrar porque o técnico não tem nenhuma ousadia tática. Zé morreu abraçado aos erros de Dani Lins e Natália, insubstituíveis para ele. Terzic também ganha jogo, poupou as titulares quando necessário para que elas arrebentassem agora nos momentos decisivos. Boskovic e Mihajlovic não tremeram no final do tie break e fizeram o que tinham que fazer.
Yana Souza disse…
Para quem criticou os erros de saquez da juci e sheila viram que no nervosismo td pode acontecer. Tanto a servia qanto os eua erraram saquez no final da parcial... o erro de ataque da loews pelo fundo decretou a derrota dos eua... agora duvido se algum toecedor dos eua irao xingar e detonar as jogadoraz como fazem os brasileiros mal educados...yana a gata
L. Mesquita disse…
Não se deve xingar as jogadoras,mas sim quem as matém em quadra e não sabe mexer no time. Xô Zé Roberto, já deu né!
Vicente Maia mandou bem.
O Zé Roberto vai sair. Não porque é ruim, como rosnam os haters, e sim porque nitidamente encerrou-se um ciclo, dos mais vitoriosos, na seleção.
Quatro Olimpíadas: duas belas derrotas e duas belas vitórias - 2x2 com sabor de vitória.
Valeuuuuuuu!!!

Ps: Gostaria que os EUA tivessem ganho... essa geração delas merecia um ouro.
Yano o Chato disse…
Qual a vantagem de levar um tipe experiente com jogadoras com mais de 30 anos se na hora de decidir e resolver, se valendo dessa experiência, erram o saque. Não levam as novas porque não seguram a pressão, levam as velhas que também não seguram a pressão. E não se pode criticar.

Os serviços prestados por Sheilla e cia são inquestionáveis. Mas o tri olímpico estava em jogo. Ela não deveria ter errado o saque. Nem ela nem a Jucyele. Assim como Lowe e Adams não deveriam ter errado o saque. Não é legal isso não.

Yano, o chato. Novinho e chato.
Fernanda Machado disse…
Mais uma vez não compreendo a culpa que colocam na Natália! Vamos as jogadoras:
Leia - Não defendeu nada, não recepcionou e não cobriu.
Dany Lins-Tirou as centrais do jogo, não inovou em nada;
Thaisa, Fabiana e Jucy- Bloqueios mínimos, erros de ataque em demasia;
Sheila - Entregou a vitória em um erro de saque, tomou trocentos bloques e bateu muitas vezes fora;
Jaque - Substituiu a Natália e parou no bloqueio, errou recepção e embora tenha jogado o 3º set não o vencemos;
Natália - Perfeita no 1º set, errou muito no 2º e início do terceiro, deu lugar a Jaque, voltou com tudo e arrebentou no 4º set levando o Brasil ao 5º set, quando não interferiu no resultado. É uma pena que as pessoas não consigam enxergar o quanto esta jogadora se superou, não tenham visto as bolas que ela cravou, os bloqueios, a raça e garra q ela demonstrou, viram apenas ela sorrindo, que pena q os críticos de plantão prefiram falar de uma jogadora ao invés de perceber o óbvio, o Brasil foi inferior, em tudo, esquema tático, bloqueios,defesa, ataque... O peso de estar em casa, o dia, enfim, coisas do esporte, acho de uma ignorância ímpar a crucificação da Natália, uma jogadora não perde jogo..

Joffre Neves disse…
Não acredito que em 2016 ainda tem gente culpando apenas a natalia viu ? Tão fazendo igual em 2004 com a Mari.Feio isso,muito!
Renato Santos disse…
Eu gostei da vitória da Sérvia, elas mereceram a vitória. Quando começou o tie brake achei que as Americanas venceriam poque estavam liderando, mas as Servias correram atrás do placar, mostraram frieza e venceram a partida.
Os Estados Unidos só perderam, porque a Akinradewo se contundiu no primeiro set e teve que sair do jogo, verdade seja dita. Ela faz a diferença para os EUA e é a melhor atacante Americana. Aliás ela é a melhor central do mundo, porque vive um momento melhor do que Fabiana e Thaisa.
Uma coisa boa, já que o ZR não será tetracampeão olímpico no Rio, o Kirally tbm não kkkkkkkkkkkkkkkkk
Essa derrota delas de certa forma alivia a eliminação precoce do Brasil, porque os EUA é o nosso maior rival da atualidade. Além disso, elas se acham demais, ficam dançando e zombando dos adversários e o técnico não tem um pingo de humildade. Lembram das bobagens que ele falou após vencer o Brasil no mundial, pois é o mundo da voltas.
Pra ficar melhor ainda só falta a China perder pra Holanda. Sou holandês desde criancinha kkkkkk.

Gabriel disse…
O mais curioso é que hoje a Alisha Glass também não estava no seu melhor dia, assim como a Dani no jogo das quartas, e o Kiraly não deu nem sinal de tentar uma mudança nesse setor, assim como Zé Roberto, e o pior pra ele é que tinha DUAS levantadoras no banco (uma era só sacadora e animadora de torcida, verdade seja dita)... mas a Glass sentiu e ficou desnorteada depois que Akinradewo se machucou, e demorou bastante até se reencontrar.
Vicente Maia disse…
As pessoas crucificam jogadoras como se elas estivessem sozinhas em quadra e pudessem resolver tudo por conta própria ou como se fossem máquinas que nunca pudessem errar. Se uma jogadora de ataque sofre bloqueios já é apelidada de Toconique Jaquitoco, etc. Se o técnico tem um jogo apertado e ele não muda o time na esperança que suas melhores jogadoras consigam segurar o jogo é tachado de burro. Se uma jogadora arrisca no saque porque sabe que se a bola for fácil o time adversário derruba é tachada de irresponsável. Se o time perde é porque a panelinha do técnico não levou a jogadora do meu time. Aliás, o que mais vejo é clubismo, é gente dizendo "bem feito o Brasil perder porque não levou a Camila Brait", ou seja, o time está acima da seleção.
É muito fácil ser técnico de sofá e ter as soluções para os erros passados, não é mesmo?
Lip disse…
Querida Laura já tem um tempo que acompanho o blog e se me permite gostaria de falar algumas palavras.
É impressionante como o povo brasileiro gosta de reclamar , o que parece é que tudo que queriam erá ver uma derrota do Brasil somente para poder falar mal ,parece que todos os comentários de ódio distribuídos pelas redes sociais e blogs já estavam preparados só esperando um tropeço da seleção. Não vejo problema algum em fazer críticas ,o problema é que às vezes isso passa do limite .
Não é surpresa nenhuma chover críticas em cima da Natália que nunca foi unanimidade e provavelmente nunca será , também não é nenhuma surpresa críticas em cima da Dani, e também não é surpresa as direcionadas a Léia ,mais é muito triste a forma como as pessoas expõem essas críticas. É ridículo as pessoas irem no Insta da CBrait falar mal da Léia ,qual a lógica disso ?nenhuma ,o problema é que os torcedores acham que para falar bem de uma tem que necessariamente falar mal de outra e isso me deixa chateado porque ao meu ver é desnecessário.
Porque as pessoas passaram essa temporada toda falando merdas da Sloetjes para engrandecer a Sheilla? Não tinha necessidade disso ,eu acho a Sheilla uma das melhores do mundo ,mais também amo a Sloetjs acho ela é uma jogadora absurda ,e não preciso desmerecer nenhuma , acho ambas indispensáveis para suas seleções . A mesma coisa acontece com a Larson por algum motivo as pessoas não gostam dela e acham que à xingar fará dela uma jogadora ruim, mais lamento informar que ela continua sendo umas das melhores ,o mesmo acontece com a seleção dos EUA que muitos odeiam gratuitamente e tudo parece incomodar até a dança do banco é motivo , para mim elas podem fazer o que quiserem , aquela dança não ganha jogo e nem interfere no andamento dele, o mesmo acontece com as chinesas com aqueles gritos absurdamente agudos , para mim é só a forma de expressar o que estão sentindo e ponto.
É um absurdo sobrar até pro kiraly e principalmente pro Zé não concordo com algumas atitudes de ambos mais os respeito muito ,eles são muito bons e não merecem esse tipo de coisa . Não sei se o problema é que Eu não consigo sair por aí odiando as pessoas ,mais o que penso é que realmente ta passando dos limites .Porra se coloquem no lugar dessas pessoas ,Eu Felipe não ia ficar nada feliz de está me esforçando ,e toda hora vir alguém falar que eu sou horrível, que não merecia estar alí que fulano é melhor que eu ,isso iria me deixar muito mau que é exatamente como fico quando vejo isso acontecendo com alguma dessas meninas ,elas doam sua vida para estar alí e não merecem tanto ódio , só peço que sejam menos ,menos críticos e mais humanos.
Não odeio ninguém de nenhuma seleção claro que tem algumas que não vou com a cara mais as respeito porque se elas estão ali é porque se esforçaram muito e trabalharam uma vida para isso .
Fiquei muito feliz com a vitória da servia hoje mais não porque não gosto dos EUA simplesmente por preferência à seleção sérvia ,como vou ficar bem feliz se a Holanda ganhar da China hoje mais se não acontecer bola para frente ,mais sei que muitos vão pegar isso como motivos a mais críticas se saí China pobre Zhu e companhia e se for Holanda pobre Sloets e Guidete .
É uma pena !! parece que o vôlei tá ganhando torcedores loucos fanáticos como os do futebol e isso não é bom para um esporte tão bonito.
Paulo Roberto disse…
É por isso Lip que gosto de ler e comentar aqui no Papo. A Laura é mito equilibrada e não e lembro de posts dela pendendo as críticas pro lado pessoal, embora obviamente exista jogadoras que ela ama e outras que ela não gosta. A discussão aqui é sempre de bom, raramente vejo comentários denegrindo a imagem de um ou outro, ao contrário de muitos blogs por aí.

Sobre a final estou torcendo muito pra Holanda surpreender a China, não por uma questão de vingança ou coisa parecida, mas pra coroar uma Olimpíada das zebras, onde boa parte dos favoritos ficaram por meio do caminho (em vários esportes) ter Sérvia e Holanda na final do vôlei feminino seria a zebra das zebras.

E essa imprevisibilidade do esporte que me deixa fascinado.
Yana Souza disse…
Lip.. gostei muito do seu comentário... As pessoas deveriam se colocar no lugar das outras e imaginarem o que e abdicar de uma vida toda para representar seu pais... eles n tem nocao do que os atletas vivem durante todo um ciclo...Quando vejo certos comentarios aqui fico com vergonha por eles.. So uma pessoa sem nacao nenhuma de carater coloca tantos adjrtivos negativos nas pessoas... podemos criticar e fazer nossas análises sem ofender ps outros, é muita falta de respeito mesmo...Para mim, sao pessoas com problemas serios de carater mesmo... Espero que os participantes deste blog sejamais comedidos aqui e respeitem nao so nossas atletas, bem como os outros participantes deste espaço tambem... hummmf.. Yana, novinha e gata...
Alysson Barros disse…
Onde que houve desrespeito com qualquer jogadora aqui?

Nada a ver esse drama todo. Por que não se pode criticar o vôlei de um profissional quando este for deficiente?

Queria entender por que o voleibol brasileiro é assim: não se pode criticar os técnicos e não se pode criticar quem joga. Essa frescura toda por qual motivo? Quem critica os futebolistas e técnicos desse esporte, sofrem do mesmo mal dos críticos do vôlei? Claro que não. Esse melindre todo já encheu o saco.

Natália e Dani Lins prejudicaram SIM o desempenho do time. Só não enxerga quem não quer. Eu estava bem tenso assistindo à partida, não observei com atenção.

Minha conversa com um amigo no WhatsApp durante a partida foi basicamente "Natália tá errando quando não pode, olha a bola que ela errou, Natália errou de novo".

Gabi não serviu pra nada, Adenízia não serviu pra nada, Natália permaneceu intocável, Dani Lins permaneceu intocável e não tinha substituta, Jaque foi subaproveitada na partida, Sheilla não ia morrer se ficasse um pouco no banco, as meios não bloquearam como deveriam, o saque parou de ser ineficiente, a defesa parou de pegar bola e por quê? Tudo porque a dona Natália, eterna promessa intocável, comprometeu o segundo set com seus erros bizonhos e foi minando a confiança do time inteiro. Aí deu pane na Pane Lins e o resto já sabemos.

Aí a dondoca vem falar que vai comandar o próximo ciclo?

Bah pra vocês!
Unknown disse…
Bem, não tenho tido muito tempo pra acompanhar os jogos, mas esse China vs Holanda foi muito bom. Equilibrado e os times lutaram, deram sangue. Parece que EUA vs Servia também foi um jogaço.
China vs Servia é a grande final. Tenho ótima expectativa desse jogo, acho que vai ser jogaço também. Os times são muito equilibrados, se jogarem no seu potencial vai dar emoção digna de final olímpica.
E EUA vs Holanda, o que vai ser? Este especificamente acho que poderá ser muito bom também. A menos de alguma desmotivação que possa emergir nos EUA, somada à contusão da Akirandewo. Talvez neste jogo dê Holanda, porque vale medalha inédita para elas.
Alysson Barros disse…
Por fim, da próxima vez que vocês forem a um ginásio ver partidas da Superliga, reflitam quando sua torcida berrar que as jogadoras são burras. Isso sim é uma ofensa.
Yano o Chato disse…
Será que agora pode dizer que a Sloetjs enterrou o jogo da Holanda, que tava na mão. O medo estava estampado na cara da mulher, errou tudo, se apequenou e amarelou mesmo. As pessoas amarelam, sentem a pressão, encolhem o braço e erram. E o técnico deixou ela lá na quadra. A Holanda jogando com 5 quando tinha tudo para ganhar da China que estava em pressão. Aí vão para o saque e erram. Depois vai outra e erra de novo. Aí vai Djkema e erra outro. E depois choram porque perderam!!!!!! Tem que perder mesmo.

O Carlão e o Luís Carlos Junior direto falando: não pode errar saques numa hora dessas. Não pode errar numa hora dessas.

A grande Sloetjs, matadora, revelação do vôlei mundial, que botou Sheilla no banco enterrou o jogo. Elogios quando cabem e críticas quando cabem também.

Sheilla e Jucyele erram o saque quando não poderiam. Natália errou tudo o tempo todo e minou o jogo do time. Dani se perdeu. E o Zé não organizou o time. Não usou o banco. Perderam por isso. Mereceram perder. Era um time velho e experiente que jogou como time novo.

Boskovic ganhou porque mereceu, acertou o saque viagem no tie break 15 a 14 e virou a bola pelo meio fundo. Isso é merecer.

Podem dizer que tenho mau caráter, blá blá blá. Acho uma idiotice não poder criticar. Todos criticam todos, o Osasco sofre de críticas, o Bernardo sofre de críticas, o Zé Roberto sofre de críticas. Menos hipocrisia.

Yano, o gato, novinho e chato. Chato pra caralho. Um porre.
Yano o Chato disse…
Pra quem acha que não se pode criticar, alguém de respeito no meio. Daniel Bortoletto.

http://blogs.lance.com.br/volei/o-brasil-perdeu-ou-china-ganhou/
Yano o Chato disse…
Votação: Qual promessa se realizará primeiro?

a) Tijana Bošković, 19 anos.
b) Paola Egonu, 17 anos.
c) Ting Zhu, 21 anos.
d) Changning Zhang, 20 anos.
e) Celeste Plak, 20 anos.
f) Natália Pereira, 27 anos.
Eduardo Araujo disse…
Alguém viu a matéria do saqueviagem? É engraçado a visão da mídia, o técnico dos EUA cometeu erros muito similares aos erros do ZR..., mas como o técnico é dos EUA, não é o ZR ai cabe uma lista dos erros que tiraram a seleção dos EUA da final.
Ai temas como morreu abraçado com a levantadora ou não fez substituições são lembrados por todo mundo...
Yano o Chato disse…
Eu vi sim e pensei a mesma coisa. 5 motivos pelos quais os EUA perderam. Excelente análise lá. Mas aqui não pode. Os certinhos acham que estamos desmerecendo nossas atletas. Lá eles foram bem claros que o Kiraly não sou mexer, levou 3 levantadoras mas não as utilizou. Na transmissão Sportv falaram que ele não sai do manual. Se o jogo não sai como programado, ele não sabe o que fazer. Todo já sabia disso.

Ele burrou ao cortar a Fawcet.
Abraão disse…
Se eu tinha dúvida a respeito da psicopatia de alguns "técnicos" que comentam aqui nesse blogue, agora não tenho mais. O que a gente testemunha por aqui não é simplesmente frustração de torcedor fanático, é sim desequilíbrio psicológico. Para esses diria ser bom ler e reler os posts da Laura e também comentários muito relevantes, como os da Isa Costa e os do Marcos Barbosa. Eles tem muito a ensinar. Se ainda assim isso não servir para abrir-lhes a cabeça, aconselho procurarem tratamento profissional adequado. Vocês estão precisando.
Renato Santos disse…
A Boskovic com 19 anos e a Zhu com 21 já são realidades para seus países, já a Natália com 26 ainda é promessa para Tóquio 2020.
Perdemos o jogo por causa da Natalia sim. O jogo foi decidido no segundo set, as Brasileiras estavam na frente e bastante focadas, mas os erros de todos os tipos desta jogadora desestabilizou completamente todo o time. Sem contar que ela ficava rindo quando errava.
As pessoas não gostam que critiquem seus jogadores ou técnicos favoritos, mas na vida é assim, somos avaliados o tempo todo, seja no trabalho, na faculdade ou no jogo. Gostem ou não, a verdade é que essa jogadora entregou de bandeja um jogo quase ganho para o adversário e este cresceu.
Espero mesmo que a Natália nunca mais vista a camisa da seleção, porque ela decepcionou todo mundo, está na seleção desde 2005 e nunca mostrou a que veio. Daí quando foi o momento de finalmente fazer alguma coisa pela seleção, ela não fez, porque não aguenta pressão.
A Boskovic com apenas 19 anos e disputando sua primeira olimpiada deu um banho de controle emocional na Natália. Ela foi decisiva no tie brake contra os EUA e fez o último ponto.
Chega de Natália, ela já teve todas as chances do mundo e não soube aproveitar, por isso novas atletas precisam ser testadas.
Gostar dos atletas ok, mas pedir tratamento psicológico para os críticos é demais.
Unknown disse…
Renato Santos, concordo com você. O Brasil bem possivelmente teria ganho de 3 a 0. A mudança da dinâmica do jogo foi causada pela Natália. Assim como no GP do ano passado, a jogadora erra e dá risadas bisonhas. Por que no 4 set quando ela errava já não ria mais e ganhamos o set? Isso somente prova que quando ela ria anteriormente não estava concentrada. Ela já se está escalando como nova líder da SFV, o que é preocupante. A Gabi é outra que é jogadora de Superliga, sucesso com jogadoras baixas, só que para a altura mundial, ela não tem condições!!
Acho que o grande culpado e o Ze Roberto, desde do inicio da convocação já tinha mencionado, esse time não vai levar nada.
primeiro o Ze roberto como sempre, fazendo a sua panelinha. Tirando a Fernanda Garay, Fabiana, a Sheila, acho que grande parte do time teria que ser avaliado. Gente levar a Fabiola fora de forma meu Deus como ele e ignorante. Adenizia pelo amor de Deus socorro. A Juciely quase uma vovo em quadra o Ze deve estar louco e Jaqueline já foi convocada lensionada, Ai me convoca a Tandara e a Monique que pelo tamanho deveria jogar como libero.
Gente cade as Jogadoras como a Joycinha fez falta nesse time, pow uma jogadora que arrasou em uma liga turca ficar de fora, so para satisfazer um ego desse velho Gaga chamado Ze roberto e sua panelinha.
Gabriel disse…
Erivan, me desculpe, mas vc só pode estar de brincadeira rsrs sério mesmo, Joycinha??!
alex dias disse…
Simplesmente não era dia de NATHALYA, e só o ZR não percebeu.