GP - Brasil 3x0 Tailândia



O grande perigo deste confronto contra a Tailândia, assim como quando se enfrenta outras seleções asiáticas em suas casas, era entrar no turbilhão que se forma com a combinação entre o jogo acelerado das tailandesas com o barulhento entusiasmo de seus torcedores. É fácil perder o foco em situações assim.

Para minha surpresa, o ritmo do ginásio e do time tailandês foi nosso principal aliado. O Brasil entrou muito ligado na partida. A Tailândia forçou que a seleção brasileira mostrasse também seu ritmo de jogo logo de cara. Assim, ao contrário de outras partidas neste Grand Prix, viu-se um time com mais cara de Brasil desde o início da partida. Ou seja, um conjunto mais disciplinado e harmonioso, com bom volume de jogo e contra-ataques efetivos. 


 *****************************

O passe respondeu bem a um saque pouco forçado tailandês. Aí pudemos ver um jogo mais rápido por parte da Dani Lins, mas muito concentrado na Natália para meu gosto.

Não que a Natália não estivesse bem. Pelo contrário, foi a melhor partida dela pela seleção este ano. Variou golpes e potência, perdeu quase nenhuma oportunidade de contra-ataque. Na recepção também foi muito bem. Claro que jogou contra um bloqueio baixo, mas a Garay também e não teve o mesmo resultado. O importante é que a Natália ganhe cada vez mais confiança para, contra os grandes, fazer a diferença.

Ainda assim, mantenho a tradição de pegar no pé da Dani, neste caso pela insistência com a Natália.Tem sido assim nos últimos jogos, a variar a jogadora. Por vezes é a Garay, em outra ocasião foi a Jaque. Contra equipes mais fortes, vamos precisar de uma distribuição mais equilibrada e surpreendente. E, impressão minha ou rolou uns problemas de entrosamento na bola com a Sheilla? 

 *****************************

No mais, o Brasil ainda cometeu muitos pontos em erros que só não foram comprometedores pela natural superioridade física da nossa equipe. A maioria das falhas foi no saque. Era compreensível que tivéssemos um saque forçado para controlar a velocidade de ataque tailandês, mas este é um problema que vem se repetindo ao longo do GP. Thaisa continua devendo maior regularidade neste fundamento.

Nossas centrais dançaram no bloqueio, fundamento que acabou entrando melhor a partir do segundo set quando as brasileiras pegaram o tempo certo da marcação. Porém, Fabiana passou em branco no bloqueio e Thaisa fez três pontos, todos sem precisar se deslocar. Contra a Tailândia, isso não fez diferença, mas contra uma China... Sei que o que peço é impossível, mas o Zé Roberto poderia que ser mais flexível nas suas escolhas para compor o grupo titular mais de acordo com seus adversários.

Tenho para mim que a equipe que começou esta partida é a titular para a Olimpíada na escolha do Zé Roberto. Ainda tinha a esperança que poderíamos ver a Jaque compondo a linha de passe com a Natália, pois acho que, inevitavelmente, nossos problemas no passe voltarão a aparecer e a comprometer. Talvez a Jaque seja a “carta na manga” do Zé para os Jogos, quem sabe ele não quer revelar todos nossos segredos agora... Pelo menos é o que sempre ele diz quando insiste numa coisa e depois, no último momento, desiste e revê a decisão. E a gente finge que acredita. 



 *****************************
Mais GP
 
- Na outra partida da fase final do GP, os EUA venceram com tranquilidade a Holanda. Glass jogou fácil com todas as suas atacantes enquanto a Holanda sofreu no passe e não achou uma força efetiva no ataque em nenhuma de suas pontas, a não ser a carregadora de piano Slöetjes. Karch Kiraly, assim como o Zé, colocou em quadra aquele que deve ser seu time titular no Rio. Sem esconde-esconde, portanto.

- A China começa a fase final do GP com seu time B contra a Holanda amanhã. E o Brasil pega a Rússia sem Kosheleva, o que vai ser um desfalque bastante importante. Ao Brasil, cabe se adaptar a um estilo de jogo completamente diferente ao que enfrentou contra a Tailândia. Vamos ter uma noção mais clara se nosso passe e ataque realmente evoluíram ou foi tudo fruto de um adversário mais fraco.

Comentários

L. Mesquita disse…
Ate q enfim uma novidade na selecao! Gostei muito da Gabriela Guimaraes como oposta, essa e 3hma novidade q vale a pena e me deixou mais animado em relacao a posicao de oposto na selecao. Que surra hein, ultimo set 25x11!
Johnny disse…
Se basearmos no jogo de hoje, o Brasil teria na Olimpíada:
Sheilla
Thaisa
Fabiana
Dani lins
Fe garay
Natalia
Gabi
Jaqueline
Juciely
Adenizia
Brait (ou Léia)
Fabíola (ou Roberta)

Será que o time vai para os jogos com 04 centrais?

Velocidade e variação de ataque a Gabi tem, mas perde na potência da Tandara... Mas para mim Tandara está bem abaixo na condição física
L. Mesquita disse…
A Tandara esta inferior a Gabi em todos os fundamentos, mas principalmente no ataque.
Joffre Neves disse…
Não gosto da ideia de levar a gabi como oposta mesmo que a mesma tenha até ido bem hoje , ela joga melhor na ponta mas até que deu pra o gasto contra uma equipe de estatura pequena e muito leve,Natália jogou muito bem e pra mim merece ser titular como ponta mais ofensiva ou como ponta/oposta imediata caso a tandara seja cortada,garay melhorou..Não é a sombra da garay de até um ano atrás no pan,ela tá com um aproveitamente de ataque não tão legal e largou bastante no jogo de hoje contra uma equipe que pega bem largadas ,senti saudade de colocar em quadra a adê e a jucy desde o início do jogo porque as torres gemeas andam devendo um pouco e a adê não foi tão testada devidamente até em comparação a Jucy,dani fez um bom jogo porém a bola pra a sheila não tava tão boa assim e até pra a fabizona não estava em boa sintonia,brait até que foi bem porém a léia anda na frente ainda.Acho que o zé vai coloca-la como titular contra a rússia e vamos ver o desempenho da mesma.Está chegando mais perto dos cortes e a meu ver é muito provável que a fabíola não recupere a forma física ideal.Se fosse hoje acho que tandara,mari pb,fabíola e léia seriam cortadas.
George disse…
Hoje Zé testou a Gabi na saída atacando. Acho que a tendência é que leve 4 centrais e revezando a ponteira reserva de oposta. Ambas entrando no 5x1, em alguns casos apenas para bloquear e, em ultimo caso, atacar. Mesmo que não ataquem, rendem mais que a Tandara que não consegue virar 1 na saída e não é testada de ponteira nem sob tortura.
A Tailândia pede bloqueadoras mais rápidas, pq não ter testado Ade e Jucy? Sheilla tá aquela coisa né.

Quanto ao outro jogo, Holanda é time de uma só jogadora. A Thompson deve ser a próxima cortada da seleção americana, nenhuma novidade.
Unknown disse…
Desculpem o texto longo.
Concordo com a Laura, de que ZRG deveria montar o time conforme o adversário. Hoje claramente era jogo pra Jucy e Ade, centrais mais rápidas e mais ajustadas para a velocidade. Mas parece que ZRG quer dar ritmo pra Thaisa e Fabiana, e o que conseguiu é perceber que Fabiana e Dani ainda não estão sincronizadas no ataque. E tanto Thaisa quanto Fabiana ainda precisam melhorar no bloqueio, na leitura da levantadora e na velocidade de deslocamento.
Contra a Russia elas poderão usar melhor seus pontos fortes, mas ainda precisam se aprimorar.
Gabi de oposta é interessante, ela até marca bem no bloqueio, ataca bolas velozes como Sheilla, e especialmente pode ser uma quarta passadora na hora do aperto. E vamos concordar, ao nivel internacional tem algumas jogadoras que sacam excepcionalmente bem.
O Brasil de hoje não vai virar bola na porrada, mas na diversidade e imprevisibilidade de ataque, pelo meio, pelas pontas, pelo fundo saída ou meio.
Mas, pra isso a base tática é o fundo de quadra quando estiver recebendo saque, pra poder distribuir bem o jogo. E quando sacando, a base é qualidade no saque, bloqueio trabalhando e defesa subindo bola, mas aí precisa melhorar o contra ataque. Aqui temos que admitir que não temos uma finalizadora de ofício, entao ZRG e CT vao ter que encontrar uma solução. As centrais são boas opções nessas bolas, mas na maioria das vezes não vai dar pra elas porque a recuperação de bola não é passe A.
O jogo com a Russia vai ser bem interessante, porque é o outro extremo comparado com Thailandia.
Acho que até os Jogos ainda dá pra aprimorar coisas que a equipe tem condições técnicas e táticas de melhorar.
GP serve pra avaliar que coisas são essas, e para isso até acho melhor o Brasil não ganhar o GP. Porque isso ajudaria a aguçar a "vontade de ganhar" nos Jogos.
Johnny disse…
A Sheilla ficou duas temporadas na Turquia sem jogar. Embora esteja bem fisicamente, acho que está faltando muito ritmo de jogo para ela. Na temporada 2010-2012 ela jogou no Rio de Janeiro e 2012-14 jogou no Osasco e sempre foi titular nos dois times, ou seja, chegou na Olimpíada de Londres voando, com ótimo condicionamento físico e ritmo de jogo. Depois escolheu ir para a Turquia, virou banco, ficou sem jogar e agora tá pagando o preço faltando dias para os jogos olímpicos...
Adenízia nunca achei essa jogadora extraordinária. Pra mim sempre foi uma boa jogadora, mas não decide jogos e no bloqueio não é absoluta.
Se parar para refletir, os números da última Superliga mostram que Carol foi melhor que Adenízia no bloqueio!
Continuo achando que o corte da Carol foi precipitado, porque, já que o Zé Roberto está esperando a Fabíola recuperar, porque não esperar uma central? A Carol é mais baixa que as outras centrais, mas compensava na velocidade e no saque q é ótimo...
Juciely está com o ataque melhor que Adenízia, pois tem mais variações na bola "China". Vejo ela com velocidade no bloqueio, mas também não é a salvadora da pátria no ataque.
Já dei minha opinião antes e continuo achando que Thaísa está querendo fazer desfile de moda na quadra... beleza não ganha jogo.
A Natália como oposta rende muito mais, isso é nítido! Mas insiste em tirar a jogadora da sua posição de origem e fazer virar ponteira. Ou seja, perdendo a capacidade da jogadora, que fica tão preocupada em fazer passe que tá com medo de atacar...Tirando o jogo de hoje, nos outros ela estava abaixo.
Fê Garay nem comento!
Dani Lins a mesma coisa, sem comentários que é para não piorar a situação q já está feia kkk
O jeito é esperar a Olimpíada começar e ver o que acontece
Concordo com o que foi falado, o Brasil precisava de uma bola de segurança, uma matadora, uma oposta de peso, mas o Zé Roberto insiste que não...

Nos EUA, melhor para nós se cortar a Thompson, pq ela é excelente defensora... no levantamento ela melhorou, mas não é nenhuma Fofão da vida...
a Fawcett, que bom também que foi cortada, melhor para nós, pois eu acho que essa Karsta Lowe na hora que toma 2 bloqueios fica assustada. A mesma coisa a Kimberly Hill, quando toma 2, 3 bloqueios, perde o rumo e não joga nada
Isa Costa disse…
Gente a Gabi só estava tapando buraco hoje, não será a nossa oposta reserva não. O que aconteceu foi que Adenízia teve várias oportunidades na posição e não rendeu, Tandara já está cortada, só não está oficializado ainda porque o anúncio virá junto com os outros cortes e a lista final, acabou sobrando para a Gabi e ela se saiu muito bem mas seria facilmente marcada contra times mais altos e fortes, onde já se viu oposta baixinha dessas?

Garay até foi bem, sacou bem, bloqueou, virou bolas, fez algumas defesas importantes e não pagou tanto mico no passe como de costume, gostei.

Dani, Fabiana e Thaisa estão de brincadeira. Hoje surtei com as bolas voltando de cheque duas vezes depois de um saque excelente e caindo na nossa quadra, uma vez até vai, agora duas?
Alysson Barros disse…
Gente, o que é aquela coreografia que a Sheilla vem fazendo antes de sacar?
Gabriel disse…
Hahahahha Alysson, me parece que a Sheilla mudou as passadas do saque dela e está imitando a Logan Tom, pode ver, lembra muito a passada que a Logan dava para sacar, acho que ela se inspirou nela, pois era o saque mais bonito do vôlei feminino. Logan Tom é marrenta, mas tem estilo rsrs... O problema da Sheilla imitá-la é que já perdi as contas de quantas vezes ela já pisou na linha por conta desse novo "estilo" de saque
Isa Costa disse…
Na verdade Gabriel, a Sheila pisava na linha fazendo o movimento normal, dava as passadas certas e lentas chegando bem perto da linha e vivia pisando nela. O saque é bom quando ela não pisa na linha, porém é irritante ver ela dando pontos pro adversário por causa disso, até em Londres ela fez isso, sacar pra fora é ruim mas acontece, na rede é feio, e pisar na linha na hora de sacar é frustrante demais, dá muita raiva e só a Sheilla faz isso. Agora ela mudou as passadas para tentar não pisar na linha, reparei que ela agora faz um cálculo de distância, dá as passadas esquisitas, olha pra linha e dá os passos normais de novo antes de saltar.
Joffre Neves disse…
Vocês se lembram do saque viagem dela lá pra 2007?em 2008 ela não fazia mais,me lembro que a Mari fazia o viagem também bem forte...Jaque fez algumas vezes no minas.
raphael martins disse…
Zé roberto está fazendo a jaque sentar na reserva e evitando deslocar a Natália para oposta esperando uma reabilitação da Sheilla até o apagar das luzes. Acho justíssimo.
L. Mesquita disse…
Anne Bujs fez uma excelente partida contra a China pontuando nos 3 fundamentos: saque, ataque e bloqueio, liderando e motivando a Holanda contra a China. O passe de Plak nao permite que ela seja titular. O Rexona fez uma excelente contratacao com a Anne Bujs.